The Bottom Line #68 – Desejos para 2015

Olá a todos e sejam muito bem-vindos a mais uma edição do “The Bottom Line”. Ora bem, sendo este o meu primeiro artigo do ano, na edição desta semana resolvi falar nos meus desejos para 2015, no que toca ao panorama do Wrestling. Irei apresentar alguns dos meus desejos, sendo que isto não irá ser um Top, pois irei apresenta-los de forma livre. Muito bem, vamos começar!

No Part-Time Champions

Para começar, vou falar de algo que me deixou bastante chateado e que ocorreu na parte final deste último ano. Brock Lesnar tornou-se campeão da WWE no Summeslam e desde então que apenas defendeu o título uma vez, no espaço de 4 meses. Isto é inaceitável e nunca pensei que a WWE tolerasse esta situação. A culpa disto tudo não é de Lesnar, mas sim de quem lhe fez o contracto e decidiu torna-lo campeão. A falta de a aparição de um campeão neste 4 meses prejudicaram as storylines e shows da WWE. Parecia que pouco prepósito havia em ver os shows, visto que o “Top Guy” não estava presente para defender o seu título. Assim, gostaria que Lesnar ou começasse a aparecer mais vezes e a defender o seu título todos os meses, ou então que perca o título para alguém que lá irá estar todas as semanas.

Crescimento das Companhias

Este desejo refere-se a todas as companhias que não sejam a WWE. Gostaria que outras companhias de Wrestling crescessem mais durante o este ano, pois é preciso diversidade. TNA, ROH, Lucha Underground, Global Force Wrestling e New Japan Pro Wrestling têm oportunidade diferentes para crescer ou decrescer. No caso da TNA, parece que o caminho é a descer, depois de assinarem contracto com uma companhia de televisão que atrai muito menos espectadores do que a Spike TV.  No caso da ROH, penso que irá crescer, mas a um ritmo muito lento, como já nos habituou nestes últimos anos. Lucha Underground começou á pouco tempo, mas prevejo que irá crescer a bom ritmo, mas o único problema será mesmo as audiências. O seu objectivo de momento talvez seja tentar que a estação de televisão os cancele. A Global Force Wrestling ainda não fez nenhum show, mas prevejo que comece em força neste ano, sendo que o crescimento parece certo. Por fim, a New Japan poderia tentar se expandir para outros públicos, como o Estados Unidos e Europa, tentando talvez com que os seus shows sejam transmitidos ou então para venda online.

Divisão Feminina = Not a Joke (parte 2)

O mesmo desejo que tinha o ano passado, tenho este ano, pois ainda não foi resolvido. O ano passado, queixava-me que a divisão parecia em boas mãos, depois de melhores rivalidades, como foi a Katlyin vs AJ, mas isso não passou de uma miragem, pois estreou o Total Divas. Ora, este ano aconteceu praticamente o mesmo. O Total Divas ainda continua activo, desgraçando a Divisão, depois de este ano, pessoas como Paige e AJ Lee tentarem passar uma imagem diferente da divisão. Mas o trabalho foi todo estragado quando a WWE decide no Verão, fazer com que a rivalidade principal das Divas, fosse Nikki Bella vs Brie Bella. Segmentos e combates horríveis ocorreram e parece que já não existe nada a fazer. Parece que o ciclo se vai repetir, mas o meu desejo é que tudo melhore.

Talento do NXT no Roster Principal

Apesar do NXT ser praticamente a WWE, numa versão inicial, esta “Brand” foi praticamente a minha coisa preferida durante o ano que passou. A principal razão é pelo enorme talento que lá existe, que aliado a um bom booking, consegue mostrar toda a sua qualidade. Então, gostaria que este enorme talento passa-se ao roster principal, pois é necessário uma renovação. Talentos como Adrien Neville, Sami Zayn, Kevin Owens, Charlotte, Sasha Banks, Finn Balor, Kenta, entre outros, são o futuro e a WWE nunca teve tanto talento nas mãos, em tão pouco tempo. O futuro dirá se são bem sucedidos, mas é necessário primeiro que seja dada uma oportunidade.

Continuação da Aposta no Developmental Territories

Este ponto vem em seguimento do anterior. Se os talentos listados acima forem para o Roster principal, é necessário que outros jovens talentos entrem no NXT. A aposta neste território de desenvolvimento é vital. Lutadores como Dean Ambrose, Seth Rollins, Roman Reigns, Bray Wyatt, entre outros, são a prova de que essa aposta é algo positivo. Com outras grandes promessas no NXT, a WWE só tem a ganhar com a continuação da aposta nestes wrestlers. Por isso, o meu desejo é que a WWE continue a fazer o que está a fazer, pois demonstra que é uma companhia que aprendeu com o passado no que toca na assinatura de talentos, e demonstra que está bem atenta ao que se passa noutras companhias Indy. Quem sabe se este ano não assinam wrestlers como Adam Cole e Michael Elgin, que iriam fazer furor na WWE, após uma passagem por o Território de Desenvolvimento.

Novos Main Eventers

Agora que só existe um título Principal, acredito que seja sensato promover lutadores que estão entre o Mid-Card e o Main Event para os principais Contenders pelo título. Não existe razão nenhuma para que tenhamos o mesmo combate durante 3 PPVs seguidos pelo título, como quase ocorreu com Kane vs Daniel Bryan e como irá acontecer entre Lesnar e Cena. Basta promover novos Wrestlers para o Main Event. Com cerca de 9 a 10 PPVs por ano, muitos Contenders se podem criar e isso não só iria reforçar estes wrestlers, mas também a credibilidade do título Principal. Lutadores como Seth Rollins, Dean Ambrose, Dolph Ziggler, Roman Reigns, Bray Wyatt podiam bem ser outros promovidos a esse “Spot”.

Bom começo de carreira na UFC para CM Punk

Não me vou alongar muito neste ponto. Penso que CM Punk pode fazer o que bem entender da sua carreira e devo afirma que até estou entusiasmado com o que ele pode vir a fazer na UFC. Sendo um fã dele, espero que tudo lhe corra bem e que seja uma boa fonte de receita para o Dana White. Que os combates que tiver este ano, sejam vitórias, até para calar aqueles fãs de UFC que pensam que todos os lutadores de wrestling não são “duros”.

Cortar com o “Velhotes” que estão a mais

É assim, eu sou fã deste “Veteranos” a certa altura das suas carreiras, mas é preciso ver quando algo chegou ao fim. A WWE tem muito este problema de manter até ás últimas, com tempo de televisão, lutadores que simplesmente já deram tudo o que tinham para dar. Os exemplos disto mesmo são Big Show, Kane e Mark Henry. E a certas alturas destas carreiras, eu foi fã deles, mas acho que simplesmente estão a mais. Quantas mais Face/Heel turn teremos de ver o Big Show fazer até que se decida reformar? Quantas vezes mais teremos de ver o Kane por/tirar a máscara? Quantas vezes mais teremos de ver o Henry a tentar ser um mostro dominante uns meses, só para ser um jobber nos meses seguintes? Isto é triste e acho que mancha carreiras.

Better Booking

O meu último desejo para este ano. E é o mais importante. Deus sabe o sacrifício que foi ver as Raws deste ano, principalmente as dos últimos 4 meses. Se eu já me queixava do Booking á 3, 2 ou 1 ano, este ano foi o pior deles todos. E não é só numa divisão em especifico, foi em praticamente todas. O Main Event teve storylines bem estúpidas, como a Autoridade  a tirar 25 minutos todas as semanas e a aborrecer qualquer espectador. O Midcard também teve, na sua maioria, más feuds e que praticamente não significaram para nada. Eu preciso de levar um bom bocado para me lembrar quem é o campeão dos Estados Unidos e Intercontinental. A divisão de Tag Team sofreu um decréscimo de qualidade grande este ano, depois de o bom trabalho que tinha sido feito no ano de 2013. E a divisão das Divas mais uma vez, foi absolutamente destruída pelas Belas e o maldito programa do Total Divas. Assim sendo, espero, muito mais muito, que o booking seja melhor este ano. Pelo menos acho que pior não pode ficar… espero eu…

E chegamos ao fim dos meus desejos para 2015, no âmbito do Wrestling. Gostaram dos meus desejos? Se sim, qual concordas mais? Se não, explica o porquê. Gostaria que tu, leitor do artigo, também divulga-se alguns dos desejos que tens para 2015. Espero que tenham gostado do artigo.

Gostaria de desejar a todos um Bom Ano e até á próxima!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “The Bottom Line” e Ex- escritor do artigo "One on One". Acompanha Wrestling à 10 anos.

7 Comentários

  1. Carlos Oliveira - há 2 anos

    Bem,eu adorei os seus desejos para 2015, foram todos bem pensados.
    Os meus desejos para 2015 são:
    -O regresso de Jeff Hardy
    -John Cena torne-se campeão da WWE
    -Undertaker regresse e vença o seu combate na WrestleMania
    -Que o Royal Rumblr seja ganho pelo Roman Reigns ou Danyel Brian
    -O adversário do Undertaker na Wrestlemania seja uma superstar famoso do estilo Swawn Mickaels,The Rock,Stone Cold,
    obrigado.

  2. ddray - há 2 anos

    “E chegamos ao fim dos meus desejos para 2015, no âmbito do Wrestling.”
    Devias ter acrescentado e do CMPunk ou e do UFC, mas tudo bem.

    Concordo contigo em alguns pontos, mas não concordo por exemplo com a necessidade de o campeão ter que defender todos os PPV. Porque isso pode criar 2 coisas. Das duas uma, ou o campeão ganha umas 3 ou 4x seguidas, o que enterra qualquer rivalidade ou não permite rivalidades mais longas que 1/2 meses, ou o campeão perde e o título muda de mãos com imensa frequência.
    O caso do Brock Lesnar tem sido exagerado, mas se ele tivesse defendido de 2 em 2 PPV e sem ser apenas o Cena, teria sido um reinado ideal na minha opinião.
    Repara na diferença de credibilidade que ele tem comparativamente a todos os campeões anteriores dos últimos 2 anos. É enorme, ele realmente está vendido como o real monstro que ninguém para. Se perder essa imagem já sabemos que alguém meteu o Cena a ganhar-lhe mais uma vez.

    Eu incluiria como desejo a separação dos títulos e das brands. O SmackDown já esteve bem pior, agora está melhorzinho porque o Raw não se distancia mto em qualidade (estando os 2 maus). Se desse para dividir o roster a meio, mto mais lutadores teriam a sua oportunidade, o peso seria menor nos main Eventers pq seria menos 1 show semanal a aparecer quase obrigatóriamente, subir ao topo seria mais fácil sem ter que enterrar outros futuros promissores e toda a gente gosta de ver de vez em quando uma SD vs RAW num survivor series ou algo do género. Sei lá, tenho saudades desse tempo.

    Um ponto que ainda poucos tocaram embora pensem muito mas tu tiveste o cuidado de te lembrar dele e escrever foi o “corte dos velhotes”.
    Estamos todos fartos do BigSlow, do Concessions Kane, Marco Henrique, o Undertaker que não volte a lutar pq por muito que gostemos dele agora já ninguém o quer ver a morrer no campo e sem nada a defender, o HHH que se limite a dirijir aquilo invés de tentar participar em tudo o que é Mania, o Cena e o Orton que abrandem nas lutas pelo título. Os mais novos têm que mudar esta era!
    Ah, e acho que não preciso de falar no Vince. VINCE, YOU’RE FIRED!! Por favor pah, vai para casa ver tv em frente à lareira e deixa as tuas ideias dos anos 90 para o lado. Já funcionaram perfeitamente mas agora só afundam cada vez mais o barco.

    • Rúben Rosa - há 2 anos

      Nunca costumo falar de MMA, por isso esqueci-me de incluir isso no final do artigo xD

      Gosto dos teus desejos e uma separação de títulos seria interessante.

      Quanto á situação do campeão principal, temos maneiras diferentes de ver as coisas, o que é normal e que acontece. A meu ver, se existirem mais contenders para um determinado título, podes diversificar mais os combates em PPV. Também sou da opinião que quantas vezes mais um campeão defende o seu título, mas credibilidade ele ganha e o título também, já para não falar de um incentivo extra para pagar bilhete ou comprar o PPV.

      Obrigado pelo teu comentário

  3. Damien Mizdow - há 2 anos

    Gostaram dos meus desejos?

    No Part-time champions concordo plenamente e até vou mais longe. Nem na condição que referes de defender o titulo todos os meses aceitaria se não marcasse presença nos shows semanais. No maximo dos maximos aceitario o RVD e o Y2J como campeões na condição em que se encontram actualmente.

    No caso da divisão feminino concordo com a ideia mas não concordo com a critica às Bellas. Eu admiro o trabalho delas e já foram bem piores do que aquilo que são. Essas criticas parecem-me infundadas até porque nas arenas não se verifica todo esse ódio para com elas existindo até vários fãs que as apoiam. Acho que isso se trata apenas de um gosto pessoal e nao considero que manchem a divisão coisissima nenhuma por isso respeitosamente tenho de discordar.

    Talentos do NXT no roster? Se forem bons venham eles mas em relação à renovação não acho que seja propriamente necessária uma renovação. Há muito bons wrestlers no roster principal para ocupar o main-event e o midcard com mestria apenas precisam das oportunidades que nao tem.

    Novos main-eventers defendo sempre isso e aguardo ansiosamente que a wwe o faça até porque já o fizeram mais do que aquilo que estão a fazer e é pena porque o barrett, o mizdow, o ziggler, o miz o deviam ser neste momento tendo em conta o passsado embora pudessem como é obvio alternar no midcard.

    Sem duvidas que show, henry e kane estão a mais e ja nao acrescentam. Na verdade acho que o kane ainda poderia dar algo mais mas nao com esta utilização ridicula.

    booking: venha ele e nao só para o main-event embore ache que a wwe tem medo de dar boas historias ao midcard com medo que supere o main-event acho que esse é o principal problema.

    Já agora deixo aqui alguns dos meus desejos embora vários deles sejam apenas sonhos impossiveis de realizar:
    – Brand Split;
    – Fim do PPV mitb e regresso do mesmo a wrestlemania;
    – regresso do world champion;
    – heel turn do sheamus e do cena
    – Fim da PG Era e regresso da Atitude Era;
    – Stone Cold a general manager;
    – Regresso do John Morrison;

  4. Tunes9 - há 2 anos

    Excelente artigo e uma lista interessante de desejos, muito bom.

    Subscrevo todos os teus desejos e faço minhas as tuas palavras, só discordo na parte dos “velhotes” pois espero continuar a ver o HHH a combate mais uns anos, não faz mal nenhum ter uma feud secundária com ele e outro lutador desde que não seja nos Main-Events, só engrandece o PPV em questão.

    Quanto à divisão feminina, o Total Divas não incomoda mas tem que ser um programa à parte e não interferir e influenciar as feuds e histórias nas RAWs e Smackdowns, “Divas” como Paige, AJ, Natalya, Naomi e mais algumas têm muito talento e podem fazer uma divisão credível, digna e à base de Wrestling, só é preciso um booking à altura e decente.

    De resto, espero que o Seth Rollins seja o destaque de 2015 e concordo com o resto que disseste.

    Bom trabalho Rúben Rosa. :-)

    • Rúben Rosa - há 2 anos

      Obrigado pelo comentário

      Realmente não critico muito o Triple H, que só combate 1 vez por ano. Só não gosto que todas as Raws sejam feitas á volta dele, todas as semanas. O meu comentário era mais para Big Show, Kane, etc, que lá combate todas as semanas e em todos os PPVs

  5. danielLP21 - há 2 anos

    Não acho que o ano passado tenha sido assim tão mau, tirando ali dois meses entre Agosto e Outubro, que foram mesmo horríveis.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador