Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

The Bottom Line #79 – Wrestling Nostalgia (8)

Olá a todos e sejam muito bem-vindos a mais uma edição do “The Bottom Line”. Na edição desta semana, irei apresentar um novo capitulo da minha fase como mark, onde assistia Wrestling todas as semanas na televisão por cabo. Para quem não percebeu ainda, o meu objectivo é partilhar com vocês algumas das minhas histórias como “wrestling mark”, que durou desde o momento onde comecei a ver wrestling (Novembro de 2004), até ao momento onde comecei a ter acesso á Internet com regularidade (Finais de 2009). Irei dar a entender como eu via wrestlers, certos programas e wrestling em geral durante esta fase, comparando o que eu pensava na altura, com o que eu penso agora.

O capítulo de hoje será o mais triste até agora, pois irei recordar o show de homenagem ao Eddie Guerrero, depois de este ter morrido em Novembro de 2005. Hoje apenas irei contar a história de como descobri à cerca da morte do Eddie, o impacto que teve em mim como fã de wrestling  e o show de homenagem que ocorreu na Raw. No próximo artigo, irei analisar o Show de homenagem da Smackdown, bem como fazer uma breve analise dos acontecimentos de 2005 e o fecho do meu primeiro ano como fã, antes de entrarmos em 2006. É assim que vou dividir as coisas.

Acho que o melhor ponto de partida será começar como eu descobri a terrível notícia de que Eddie tinha morrido. Alguns descobriram na Internet, pois já tinham acesso a ela em 2005, e outros apenas descobriram na Raw de homenagem. O que aconteceu comigo foi uma mistura dos dois. Como já vos falei, a Raw e a Smackdown passavam em Portugal com 3/4 semanas de atraso. Assim, quem frequenta-se o site da WWE com regularidade, sabia o que estaria para acontecer, quando os shows chegassem a Portugal. Eu como na altura, com 10/11 anos ainda não tinha acesso á Internet, nem computador (rapaziada, na altura nem todos tinham esses acessos, e a diversão era na rua), não sabia de nada disso. Porém, colegas meus, que tinham esses acessos (poucos deles), achavam por bem me avisar do que ia acontecer nos próximos shows. E, caros leitores, soube pela primeira vez essa coisa dos “Spoilers”, que muitos tentam evitar com programas de televisão e filmes. Nesta altura, era muito mais fácil de se evitar isso (não havia Facebook, poucos davam atenção ás redes sociais, etc). Porém, alguns tinham o azar, como eu, de ter colegas otários (que não se apercebiam da gravidade) de me spoilar uma das coisas boas do fim-de-semana, que era assistir á WWE. Outro ponto a focar era que os Spoilers que eles me davam tinha uma mistura de mentiras e verdades. Algumas das coisas que eles diziam, eram verdade e outras eram completamente ridículas.

Outra coisa que estava a acontecer nesta altura era que eu ainda acreditava que o Wrestling era real. Porém, esses meus colegas que tinham os meios de pesquisa, também descobriram que o wrestling era falso. Eu ainda não queria acreditar, pois nos meus olhos a WWE fazia um grande trabalho para dar legitimidade e fazias as coisas muito bem para que tudo fosse o mais real possível (que piada). Mas eles juravam a pés juntos que tudo era falso.

Por isso, eu nunca sabia bem no que acreditar. Até que chega a semana da morte do Eddie Guerrero. Esses meus colegas, descobriram na Internet primeiro, e eu, que já estava habituado a mentiras misturadas com realidade, não conseguia acreditar que um dos melhores wrestlers de sempre, que ainda no último fim-de-semana lutava na Smackdown, já não estava vivo. Porém, eu viria descobrir a verdade que estava a evitar.

As 3 semanas passam e como era hábito, ligo a televisão ás 23 horas da noite de sexta, para ver a Raw. E ai descobri que realmente o que me tinham dito é verdade.  A Raw começa com todos os wrestlers ao pé do Titantron. Todos de cabeça baixa, muitos deles a chorar. Não só os wrestlers, mas os fãs também choravam. Vince Mcmahon encontra-se mais á frente e diz ao fãs que Eddie partiu e que o show era dedicado a ele. Depois ouve-se o barulho dos 10 toques de campainha, enquanto se faz o silêncio. É muito triste ver wrestlers como Big Show, Kurt Angle, Chavo Guerrero, Rey Mysterio, e muitos outros a chorarem ao se aperceberem que o seu amigo já não se encontrava com eles. Porém, o wrestler que me tocou mais foi Chris Benoit. Ele estava inconsolável. Eddie era o seu melhor amigo e isto marcou-lhe muito, durante os seus 2 anos seguintes, até á sua morte em 2007.

Foi muito triste assistir a este programa depois de 10 anos, tendo que fazer algumas pausas durante o visionamento para  que não me deprimi-se durante o resto do dia. Depois de um video de tributo, o programa de homenagem começa. Ao longo do programa a WWE mostra momentos grandes da carreira do Eddie, bem como algumas declarações de Wrestlers sobre as suas experiências com ele.

O primeiro a falar é John Cena, que de uma forma calma, a tentar de certa forma conter as emoções, diz que se á alguma coisa que o Eddie lhe ensinou, foi de como encontrar o seu próprio coração, tanto na vida, como dentro do ringue.

O primeiro combate da noite é campeões de Tag Team da Raw contra os campeões de Tag Team da Smackdown. Big Show e Kane tinham ganho os títulos á cerca de 2 semanas e eram agora os campeões da Raw. Os campeões da Smackdown são os MNM, que se encontravam neste momento no seu segundo reinado. O combate foi curto tendo como ponto alto o beijo de Big Show em Melina e o final, com um double Chokeslam em Nitro, para a vitória dos campeões da Raw. Boa maneira de começar a série de combates que estavam marcados.

Agora temos a Lillian Garcia a falar sobre o Eddie. Ela fala das experiências que teve com ele numa Tour ao Iraque e de como uma amizade se criou até então.

O próximo combate tem como protagonistas  Kurt Angle e Shelton Benjamin. Angle foi um dos grandes rivais da carreira de Eddie. Angle ainda estava algo chocado antes do combate. Ele aponta para o céu antes do combate começar. Foi um bom combate entre 2 grandes atletas, um dos melhores da noite. Angle vence, depois de fazer Shelton desistir com o Ankle Lock. No final do combate, Angle tira a braçadeira com as iniciais “EG” e aponta novamente para o céu.

HBK é o próximo a contar sobre as memórias que tem sobre o Eddie. Ele afirma que não era tão pegado ao Eddie como muitos dos outros, mas que ambos tiveram muitas conversas sobre Fé e Religião e que a sua amizade começou aí.

Chavo também fala das suas memórias com Eddie e sendo ele o sobrinho, tem muito mais para contar. Ele diz que desde crianças que ele e o Eddie sonhavam em estar dentro do ringue. Ambos começaram desde muito novos a lutar um contra o outro e tinham o sonho de ser campeões de Tag Team juntos, algo que se veio a confirmar. Chavo agradece tudo o que ele lhe ensinou e que irá sentir muito a sua falta.

Agora temos o combate da noite. Rey Mysterio enfrenta pela primeira e última vez Shawn Michaels num combate singular (acho que é verdade, pelo menos no que toca a combates televisivos). O combate dura cerca de 15 minutos e ambos foram fantásticos. Esta era a melhor homenagem que ambos poderiam fazer ao Eddie. Tenho que admitir que este combate é o que mais me recordava deste show, antes de o voltar a rever. Rey ganha o combate depois de um 619. Após o embate, HBK e Mysterio abraçam-se no meio do ringue.

Batista fala dos seus momentos com Eddie. Ele diz que Eddie o ajudou a atravessar momentos pessoais e profissionais difíceis, mesmo quando o “Latino Heat” também tinha problemas mais complicados para resolver.

De seguida temos uma Divas Battle Royal, com Divas da Raw e Smackdown. Todas elas entraram com uma t-shirt do Eddie Guerrero e acabaram por dar aos fãs presentes. Foi o típico Battle Royal que todos já conhecemos. Melina vence o combate depois de eliminar Trish Stratus por último. Apesar de Melina não ser uma lutadora neste momento, ela ia ter um combate com Trish no Survivor Series pelo título e sendo ela de origem latina, fazia sentido que ela vence-se este combate, na homenagem a Eddie Guerrero.

Rey Mysterio trás a público algumas das suas experiências com Eddie. Ele diz que ele era fantástico com todos, um grande pai e marido, que marcava muita gente e que sente saudades dele. E numa coisa inédita que nunca mais seria vista por na WWE, Rey tira a sua mascara e é visível uma boa parte da sua face.

O próximo combate é algo inútil: Eugene vs Simon Dean. Não há razão nenhuma para este combate acontecer nesta noite. Nenhum dos dois usa manobras do Eddie, nem usam a braçadeira. Eugene ganha depois de um combate curto.

Triple H e Chris Benoit são os próximos a partilhar as memórias sobre Eddie. Primeiro é Triple H, que diz que Eddie era um dos maiores profissionais que alguma vez conheceu. Chris Benoit vem de seguida e este é o discurso mais triste de se ouvir. Benoit fala de que Eddie era o seu melhor amigo, bem como o melhor amigo de muitas pessoas. Diz que o conhecia á 15 anos e que era uma pessoa na qual se podia contar. Benoit a certo ponto desfaz-se em lágrimas e agradece a Eddie por tudo e por ser um exemplo para ele.

Agora temos um combate entre Ric Flair e William Regal. Este combate foi muito fixe, apesar de curto, entre estes duas grandes personagens e wrestlers. Flair ganhou o combate depois de aplicar o Figure 4 Leglock.

A última pessoa a falar sobre Eddie foi Stephanie Mcmahon. Ela fala de como foi conhecer o Eddie pela primeira vez. Mais um discurso que á semelhança de Benoit, foi difícil de ver, pois a certo ponto, Stephanie começa a chorar.

O Main Event da noite envolve o campeão da WWE John Cena, que enfrenta Randy Orton. Curiosamente, este foi o primeiro combate televisivo entre os dois. Quem diria que 10 anos depois, os dois se enfrentariam durante dezenas e dezenas de vezes. O combate apenas durou 6 minutos e Cena defrontou Orton o tempo todo com uma t-shirt do Eddie. O combate acaba por desqualificação (mas que raio?), quando Bob Orton, pai de Randy, ataca Cena. Cena acaba por sair por cima, ao mandar Bob para fora do ringue e aplicar um F-U em Randy. Após o combate, Cena tira a sua T-shirt e coloca-a no centro do ringue, com o cinturão por cima da mesma. A noite acaba assim.

E assim acaba esta homenagem a Eddie Guerrero, no que diz respeito para à Raw. Lembro-me de quando finalmente descobri que o Eddie tinha morrido, pensei que o Mr. Kennedy é que tinha sido o responsável, pois na Smackdown anterior, este tinha deixado o Eddie com um traumatismo (curiosamente, muitos pensaram o mesmo). Porém, essa não era a verdade. Na altura, não sabia o motivo. A WWE também nunca tinha dito publicamente o motivo. E existe uma razão para isso. A realidade é que Eddie desde de 2002 que estava “limpo” de drogas e era uma pessoa feliz, que tinha vencido os seus demónios. Porém, alguns meses antes da morte, Eddie teve uma recaída e voltou a esse mundo “negro”. E o fã mais veterano conseguia perceber isso, ao olhar para o corpo do Eddie. É algo triste, mas não é um caso único no Wrestling.

A verdade é que ainda á poucos dias, outra Lenda do Wrestling, Dusty Rhodes, também deixou-nos. Perdeu a vida por motivos diferentes, mas não deixa de ter impacto em muitos fãs de wrestling. A verdade é que não vou entender a dor que muitos fãs de wrestling sofreram quando perderam estrelas como Owen Hart, Eddie Guerrero, Macho Man e Dusty Rhodes. Muitos deles acompanharam estes lutadores durante quase as suas carreiras. É verdade que fiquei triste quando soube da história do Owen e da morte trágica e inesperada do Macho Man e de Dusty Rhodes, mas eu também sabia que muitos fãs tinham perdido os seus ídolos. Quando olho para trás, fico triste por só ter visto um ano do Eddie como fã regular, e por ter proporcionado grandes combates e momentos que me fizeram adora-lo e odiá-lo. Mas sei que estava lá e que sei o quanto fantástico ele era. Este show foi especial para mim, pois no final de tudo, eu finalmente não tinha dúvidas que o wrestling era pré-determinado, mas adorava-o mais que nunca depois disto.

Dusty Rhodes foi uma das melhores Superstars de sempre e Eddie também o foi e sei que muitos fãs ficaram abalados quando estes partiram. A mensagem que tenho a deixar no final deste artigo é que aproveitem os vossos ídolos o máximo possível, pois ninguém sabe quando é que eles irão desaparecer. Até para à semana.

RIP Viva La Raza & American Dream!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “The Bottom Line” e Ex- escritor do artigo "One on One". Acompanha Wrestling à 10 anos.

8 Comentários

  1. Reigns one versus all - há 1 ano

    Excelente artigo,Ruben.
    Para alem de falares de uma das raw’s mais tristes da historia da WWE,também de certa maneira fizeste uma homenagem ao eddi guerrero.
    Eu não tive opurtunidade de o conhecer,ate porque comecei a ver wrestling uns anos mais tarde,mas pelo que sei dele era muito em ringue.

  2. DMartins_WWE - há 1 ano

    Grande artigo Rúben.

    Neste artigo, falaste daquela que foi, provavelmente a Raw mais triste da história. Uma grande perda para o mundo do Wrestling. Comecei a ver Wrestling em 2006, portanto só vi alguns combates dele na net. O momento alto desse show, foi para mim o abraço do HBK e do Rey Mysterio no meio do ringue.

    RIP Eddie
    RIP Dusty

  3. alexshakur11 - há 1 ano

    ainda me lembra quando pedi a minha mae para fazer uma braçadeira igual á que as superstars usavam, ainda a tenho no meu quarto…

  4. Sorlei Rui Oltramari - há 1 ano

    Esse show foi mesmo muito triste. O Eddie era um coringa para a WWE. Podia ser o face adorado por todos e o heel detestável, como na storyline entre ele e o Mysterio pela guarda do Dominic. Sem dúvidas era um gigante do wrestling que partiu cedo demais.

    Não acompanhava wrestling na altura e só fiquei sabendo da morte dele algum tempo depois. Não sei se estou viajando ou imaginando demais, mas acho que a perda do melhor amigo, junto com as sucessivas pancadas na cabeça, contribuíram para a morte do Benoit algum tempo depois.

    • Rúben Rosa - há 1 ano

      Muitas pessoas pensam isso, não és só tu. Eu acredito que perder a morte do melhor amigo foi um golpe demasiado duro

      • Sorlei Rui Oltramari - há 1 ano

        Isso mesmo. Pude ver no show que a maioria dos wrestlers estavam tristes, mas o Benoit estava profundamente abalado, inconsolável, como você diz no artigo.

        A pior parte é que ninguém esperava que ele viesse a falecer naquele momento e foi um grande choque para todos (inclusive para os fãs). Mais duro ainda é saber que haviam planos para ele se tornar WHC alguns meses depois.

      • Rúben Rosa - há 1 ano

        Acho que ele ia ganhar o título no próximo Smackdown, e não meses depois

      • Sorlei Rui Oltramari - há 1 ano

        Mais triste ainda.

        De qualquer forma, o Eddie já tem o seu nome escrito na história e nos corações dos fãs de Wrestling.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador