Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

The Bottom Line #80 – Wrestling Nostalgia (9)

Olá a todos e sejam muito bem-vindos a mais uma edição do “The Bottom Line”. Na edição desta semana, irei apresentar um novo capitulo da minha fase como mark, onde assistia Wrestling todas as semanas na televisão por cabo. Para quem não percebeu ainda, o meu objectivo é partilhar com vocês algumas das minhas histórias como “wrestling mark”, que durou desde o momento onde comecei a ver wrestling (Novembro de 2004), até ao momento onde comecei a ter acesso á Internet com regularidade (Finais de 2009). Irei dar a entender como eu via wrestlers, certos programas e wrestling em geral durante esta fase, comparando o que eu pensava na altura, com o que eu penso agora.

No capitulo de hoje, irei analisar o Smackdown de tributo ao Eddie Guerrero, bem como fazendo uma análise ao ano de 2005, antes de passar-mos para 2006. Não irei passar muito tempo no show da Smackdown, pelo menos não tanto tempo como costumo passar, até porque aconteceram menos coisas relevantes e já disse praticamente tudo o que tinha a dizer sobre a morte do Eddie Guerrero.

Esta Smackdown ocorreu a 18 de Novembro de 2005 e foi um show de tributo a Eddie Guerrero, que começa com a sua música a tocar, e Batista aparece a conduzir o lowrider do Latino Heat. Ele sai do carro e, visivelmente emocionado, entra dentro do ringue. O Batista estava de rastos neste segmento. Ele não conseguia parar de chorar enquanto proferia as palavras. Ele mencionou a família do Eddie, o quanto eles os amava e o seu amor ao wrestling. Diz que ele está em paz no Paraíso, mas faria de tudo para que ele ainda estivesse vivo. Batista acaba de falar, sai do ringue e deixa o seu cinturão de campeão em cima do carro do Eddie e vai-se embora. Segmento de criar lágrimas nos olhos.

Temos agora o mesmo video de tributo que foi mostrado na Raw, mas com uma música diferente, agora com “Here With You” dos 3 Door Down. Este é video de tributo que me recordo mais e é capaz de deixar em lágrimas qualquer fã do Eddie. Ao longo da noite, é mostrado vários excertos do DVD do Eddie.

O primeiro combate da noite é entre Matt Hardy, que agora está na Smackdown, contra Carlito. Combate até razoável, não sendo bom, mas também não sendo mau. Matt vence, depois de aplicar um Twist of Fate. Após o embate, Hardy aponta aos céus.

Tal como aconteceu na Raw, esta Smackdown tem segmentos onde vários membros da WWE falam das suas experiências com Eddie. O primeiro desta noite a falar é Vince Mcmahon. Vince emociona-se neste segmento, mostrando um lado que nunca é visível em público. Ele diz que quando estava no ringue, o Eddie estava contente e adorava competir para os fãs. Conclui, dizendo que Eddie era um bom homem e adorava a família.

De seguida, temos um combate de Tag Team, entre os novos Legion of Doom (Animal e Heidenreich) vs Lance Cade e Trevor Murdoch. Estas duas equipas eram verdadeiras bostas. Cade e Murdoch estiveram juntos durante anos, nunca estando “over”. Quando aos Legion of Doom, acho que foi uma triste ideia fazer isto, pois manchou um pouco o nome de uma das melhores Tag Teams de sempre. Sei que este é o show de tributo do Eddie, mas é a primeira vez que estás duas equipas aparecem nos meus artigos, por isso acho que deveria deixar bem ciente o que penso delas. Animal está visivelmente emocionado neste combate. Foi curto não sendo nada de especial, mas percebo a ideia de fazer este combate. Os L.O.D ganham o combate, depois de um Domsday Device.

Agora é a altura de Booker T falar sobre Eddie. Ele menciona o facto de quando ele tinha um problema, o Eddie fazia de tudo para ajudar. Big Show também partilha as suas experiências, de lágrimas nos olhos. Ele afirma que Guerrero era um pai incrível e que nunca mais irá haver outro “Latino Heat”.

O próximo combate foi um dos melhores da noite. Chavo Guerrero, recebendo uma grande ovação, compete contra JBL. Foi um combate bastante mais longo que os outros e acho que foi bom. Chavo vence o combate, depois de fazer batota (em mémoria de Eddie), aplicando um golpe baixo em JBL, seguido de um Frogsplash.

O próprio JBL também partilha o seus momentos sobre Eddie. A coisa mais relevante dita foi que quando ninguém acreditava que JBL fosse um Main Eventer, Eddie saiu em sua defesa sempre.

Tal como na Raw, também temos um Battle Royal, mas desta vez é com Cruiseweights. Scotty Too Hotty, Gregory Helms, Tajiri, Sho Funaki, Kid Kash, Paul London, Brian Kendrick, Nunzio, Juventud, Super Crazy e Psicosis são os participantes. Este Battle Royal foi como todos os outros na história, ou seja, razoável no máximo. Juventud Guerrera, o actual campeão Cruiseweight, é quem acaba por ganhar o combate.

Shane Mcmahon é o último a partilhar as suas experiências com o Eddie. Ele diz um pouco do que todos os outros já disseram antes, falando da sua qualidade no ringue, o seu amor à família, entre outros.

O Main Event da noite é um combate entre Triple H e Chris Benoit. Benoit estava com cara de quem tinha passado o dia todo a chorar. Este combate foi bastante bom, sendo muito difícil estes dois terem um mau combate entre si. Benoit ganha depois de um Roll Up. Após o combate, HHH e Chris abraçam-se no meio do ringue, recebendo uma salva de palmas e o programa acaba.

Esta Smackdow foi bom, sendo um bom tributo ao Eddie. Se tivesse que escolher o show preferido, acho que preferia o da Raw. Não há dúvida que toda a gente adorava o Eddie, de uma forma ou de outra.

Agora numa análise a todo o ano de 2005. Penso que este ano foi bom para a WWE. Como Mark, lembro-me de gostar muito mais deste ano naquela altura, talvez por ser o meu primeiro. Voltando a rever estes shows, continuo a achar que foi bom, mas acho que um pouco da magia que sentia se perdeu. A razão são muitas. Por um lado, algumas das rivalidades que achavam espectaculares, desceram um pouco na minha consideração, depois de as rever. Isso não quer que não tinham achado essas rivalidades boas. O outro lado são as Superstars, pois lembro-me com saudades de quase todos, mas ao rever, muitos tornaram-se indiferentes na minha consideração. Carlito, Chris Masters, Heidenreich, Snisky, entre outros.

Mas vamos analisar isto melhor. O ano começa bem nas duas brands. O facto de Batista ganhar o Rumble foi uma decisão acertada, e fazer Cena tornar-se no nº1 Contender ao WWE Title para a Mania 21 também. Estes dois acabam por ganhar os títulos Mundias e mudam o panorama da WWE por completo. Esta mudança é uma das mais importantes na história da WWE, principalmente em relação ao Cena. Porém, acho que neste ano, eles tinham bastante mais esperanças em Batista, do que propriamente no Cena. Porém, as coisas mudam no próximo ano, mas logo chegaremos lá. Por falar em Wrestlemania, a de este ano foi um bom evento. Para além dos novos campeões Mundiais nas duas brands, vimos o primeiro Money in the Bank da história.

Este género de combate também mudaria até aos dias de hoje uma boa parte do booking da WWE. Nesta Mania também ocorreu o melhor combate do ano, ou seja, Kurt Angle vs Shawn Michaels. Foi absolutamente fantástico, 5 estrelas. Após a Mania, o resto do ano manteve-se ao mesmo nível, ou seja, no patamar do bom. Um bom Summerslam e Survivor Series também ajudou.

No que toca a rivalidades, aquelas que mais marcaram, na minha opinião foram Triple H vs Batista, HBK vs Angle e John Cena vs Eric Bishoff. Menções honrosas também para a rivalidade entre Matt Hardy vs Edge e Eddie Guerrero vs Rey Mysterio. Porém, esta duas últimas podiam ter sido bastante melhores. No caso de Hardy e Edge, o facto de eles nunca terem tentado elevar o Matt estragou quase tudo. No caso de Eddie e Mysterio, a 1ª metade da storyline foi excelente, mas a segunda já deixou algo a desejar, devido á ideia do filho do Rey ser do Eddie.

Por fim, estou em dificuldade para escolher a Superstar do ano, mas penso que teria sempre que se decidir entre estes 5 wrestler: Batista, John Cena, Kurt Angle, Shawn Michaels e Eddie Guerrero.

E este é o meu artigo por hoje. Muito obrigado por terem lido o artigo. No próximo artigo, iremos entrar no ano de 2006. O que acham da análise ao ano de 2005. Concordam? Deixem também as vossas opiniões. Até para à semana!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “The Bottom Line” e Ex- escritor do artigo "One on One". Acompanha Wrestling à 10 anos.

15 Comentários

  1. Reigns one versus all - há 1 ano

    Excelente artigo,Rúben.
    Falando em geral do ano de 2005 e tendo em conta o que analisaste,foi um bom ano de WWE,umas coisas melhores,outras piores,um ano normal.
    Fico a espera do próximo artigo,é sempre bom conhecer estes anos que não aconpanhei por ainda não conhecer o wrestling.

    Bom trabalho.

  2. Nadson'Blackout' - há 1 ano

    Começei a acompanhar no final do ano de 2005 , não conheci bem o eddie ,mais meus amigos mais velhos conheceram e falam muito bem do mesmo, pude acompanhar os ultimos ppvs e gostei bastante, espero agora para 2006 me recordo de alguns combates que gostei muito.

  3. DMartins_WWE - há 1 ano

    Excelente artigo, Rúben.

    O ano de 2005, foi um ano em que houve acontecimentos que mudaram mesmo a WWE (ascensão de superstars como John Cena, Batista e Edge e a morte do Eddie), uns melhores que outros. Em geral foi um bom ano que eu apenas acompanhei graças à internet, pois só comecei a ver wrestling em 2006.

    Continua com o teu excelente trabalho, e obrigado por partilhares conosco as tuas histórias. :)

  4. FrancisDreezPT - há 1 ano

    Mt bom artigo Rubén..
    E entretanto passou-se 10 anos…

  5. naomi - há 1 ano

    Parabéns pela bela nostalgia que tu me destes.
    Eddie sempre foi um dos maiores e humildes lutadores de todos os tempos. Sempre o admirei.
    Não teve combate feminino nessa SmackDown?

  6. danielLP21 - há 1 ano

    Brutal :’)

  7. Gonçalo "The best" - há 1 ano

    Mais um excelente artigo, devo dizer que tens um dos melhores e mais originais artigos do WP. Parabéns Ruben!

  8. Sorlei Rui Oltramari - há 1 ano

    Ótima recordação de um Smackdown tão emocionante como o Raw, José!

    Uma perda trágica e que jamais será superada. De todos os depoimentos e imagens, vejo que os wrestlers que mais sentiram a sua morte foram o Rey Mysterio, o Batista e o Benoit. Mas é claro que nas circunstâncias em que o falecimento ocorreu, todos sentiram um baque tremendo. Até eu quando descobri da sua morte (uns 4 anos após ter começado a ver WWE) me senti mal em ocasião do falecimento do Eddie.

    Sugiro que você faça um artigo a respeito do show em tributo ao Chris Benoit, que não é divulgado pela WWE por razões óbvias.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador