Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

The Bottom Line #81 – Wrestling Nostalgia (10)

Olá a todos e sejam muito bem-vindos a mais uma edição do “The Bottom Line”. Na edição desta semana, irei apresentar um novo capitulo da minha fase como mark, onde assistia Wrestling todas as semanas na televisão por cabo. Para quem não percebeu ainda, o meu objectivo é partilhar com vocês algumas das minhas histórias como “wrestling mark”, que durou desde o momento onde comecei a ver wrestling (Novembro de 2004), até ao momento onde comecei a ter acesso á Internet com regularidade (Finais de 2009). Irei dar a entender como eu via wrestlers, certos programas e wrestling em geral durante esta fase, comparando o que eu pensava na altura, com o que eu penso agora.

Chegámos ao ano de 2006 e no capitulo de hoje, irei analisar a primeira Raw, onde o campeão não é John Cena, mas sim Edge. Pois é, a Raw que vou analisar hoje é a de o dia 9 de Janeiro de 2006, um dia depois do Edge ganhar o título da WWE no PPV, New Years Revolution. Este acontecimento tem histórias por trás, que vou desde já recapitular. Eric Bishoff, no final do ano de 2005, é despedido como GM da Raw, sendo Mr.Mcmahon quem manda por agora. John Cena tem que defender o seu título contre Kurt Angle, HBK, Chris Masters, Carlito e Kane, num Elimination Chamber, no New Years Revolution. Nesse evento, Cena consegue escapar e manter o seu título ao vencer o combate. Porém, quando todos menos esperavam, Edge faz o cash in, e vence um Cena fraco, para se tornar no campeão, num dos momentos chave da sua carreira. Eu soube disto tudo, na noite desta Raw, pois em Portugal ainda não passavam PPVs. É caso para dizer que eu odiava o Edge agora mais que tudo. Esta Raw aconteceu um dia depois do evento. Vamos então passar para a minha primeira análise de um show de 2006.

Esta Raw começa com John Cena a vir até ao ringue. Devo dizer que é estranho ver o John Cena, nesta altura, sem o título da WWE consigo. Ele está em modo sério nesta noite. Quando o Cena pega no microfone, ele começa por falar sobre algo que puderiamos ver numa promo dele dos dias de hoje: os fãs que o adoram e que o odeiam. Se pensam que as reacções mistas começaram por volta de 2009/2010, esqueçam. Este misto começou quando o Cena veio para a Raw, em 2005. Porém existe uma diferença entre a forma como o Cena de 2006 aborda este assunto. Nos dias de hoje, o Cena gosta de dizer que o podem odiar ou adorar, mas que irá dar sempre tudo no ringue. Porém, o Cena de 2006 insulta aqueles que não gostam dele, mandando-os dar uma volta. E ele é Face! A WWE podia aprender tanto com a sua própria história. Após insultar os seus haters, Cena diz que está a invocar a sua cláusula de rescisão e que quer enfrentar o Edge pelo título da WWE nesta Raw. Contudo, Lita, namorada do Edge, interrompe o ex-campeão. Ao seu ombro, ela trás consigo o título da WWE. Ela diz que o Cena não terá a sua oportunidade hoje, pois ela falou com o Mr.Mcmahon e atreves de “persuasão oral”, ele mudou de ideias e agora Cena só terá a sua oportunidade no Royal Rumble.

Após a Lita praticamente admitir que teve sexo oral com o Vince, os fãs começam a chamar-lhe todo o tipo de nomes. Ela acrescenta, dizendo que apesar de Edge não lutar hoje, ele irá fazer outra coisa no ringue, que começa com a letra “F”. Exactamente, senhoras e senhores, Edge e Lita irão celebrar a conquista do título tendo sexo ao vivo, no meio do ringue. Vou guardar a minha opinião sobre essa situação quando chegar-mos lá. A Lita acaba a sua intervenção, dizendo que o Edge na cama, irá durar mais do que o Cena na noite passada (ele perdeu o título, depois do cash in, em 2 minutos). O Cena responde, dizendo que muitos pensam que ele não vale nada (sucks), mas que todos sabem que a Lita o faz (sucks). Ele acaba o segmento dizendo que no Royal Rumble, ele vai partir a boca ao Edge. Segmento bom para começar o programa. Tenho tantas saudades de público que se importava com o que estava a ver.

O primeiro combate da noite, envolve o Título Feminino. Trish Stratus, a campeã, defende o título contra a Ashley Masaro. Desde a última vez que analisei a divisão feminina, muito aconteceu. Mickie James, estreou-se na WWE, com uma personagem algo diferente. Ela era uma lutadora, mas que tinha esta obsessão com a campeã da WWE, Trish Stratus. Alías, ela auto intitulava-se a sua fã nº1. Ela tentava ao máximo passar tempo com a Trish, mas esta última não lhe dava muita atenção. A obsessão era tão grande, que a Mickie sacrificava-se para ter a certeza que Stratus mantinha o seu título, algo que a Trish não apreciava. Mickie torna-se na nº1 Contender ao título, e enfrenta Trish no New Years Revolution, com Stratus a ganhar e manter o título. Porém, a Mickie não se quer separar de Trish e a história do combate é que Mickie James está cada vez mais obcecada, o que a leva a interferir cada vez mais nos combates. Caso deste combate, onde nem sequer 2 minutos passam, e Mickie interfere e ataca Ashley causando a desqualificação. Isto levou a uma discussão entre as duas para acabar o segmento. Está é talvez a minha rivalidade preferida no que toca a Divas, logo após Trish vs Lita. E a Mickie, desde este momento, passou aos poucos a tornar-se na minha Diva preferida, até aos dias de hoje. O que torna as coisas mais interessantes, é que a partir de aqui, está rivalidade só melhora.


Temos agora um segmento de Backstage, onde Vince Mcmahon se encontra com John Cena. Vince pede ao Cena para não interferir na celebração de Edge, pois se o fizer, ele irá perder a sua oportunidade pelo título. O Cena diz que não vai parar a celebração e aconselha o Vince a fazer um teste, para ver se não apanhou nenhuma doença, depois da “persuação oral”.
Noutro seguemento de Backstage, Chris Masters ameaça Carlito de que se ele volta a trai-lo novamente, coisas más irão lhe acontecer. Isto vem em seguimento do que aconteceu na Elimination Chamber da noite passada, onde Carlito trai o seu aliado, que tinha formado antes da Chamber. Hoje eles estaram num combate de Tag Team, contra HBK e Kurt Angle.
De seguida temos um combate de qualificação para o combate Royal Rumble: Chavo Guerrero enfrenta Rob Conway. Para ser sincero, sempre achei o Chavo algo aborrecido dentro do ringue. É verdade que é um wrestler bastante bom, mas nunca o achei interessante. Nesta altura, Chavo ganha algum push, depois de ganhar simpatia pelos fãs, depois da morte do Eddie. Conway era quase como um jobber nesta altura e tinha que ser carregado dentro do ringue. O combate dura menos de 5 minutos, e não é particularmente grande coisa. Chavo vence depois de um Frogsplash e qualifica-se para o Rumble.
Agora temos uma conversa entre Angle e Michaels no Backstage. Angle está bastante irritado, após Michaels o ter eliminado na noite passada. HBK afirma que era cada um por si na última noite, mas que graças ao Vince, eles são obrigados a fazer Tag Team esta noite. Angle não confia em HBK e o segmento acaba. Quando Angle e Michaels aparecem num segmento juntos, bons momentos são garantidos.

Em mais um segmento de Backstage (num programa de wrestling, 6 minutos apenas foram dedicados ao mesmo, em 45 minutos), Shelton Benjamin está com a sua mãe, Mama Benjamin e ambos estão a falar da vitória do Shelton na noite passada. Aqui preciso de dar-vos um contexto. Shelton Benjamin, durante meses, não conseguia ganhar um combate. Até que a sua mãe, esta senhora gorda e bastante audível (estereótipos, am i right?), decide ir até ao New Years Revolution, de forma a apoiar o seu filho, para ter a certeza que ele ganha. Assim, Shelton ganha o seu combate contra Viscera no PPV, depois de a Mama Benjamin usar a sua mala contra a cabeça de Viscera. Isto marca o heel turn de Shelton.


Agora, a Mama Benjamin encontra-se nesta Raw, e neste segmento, ela e Shelton deparam-se com Val Venis, que tem a personagem de actor pornográfico. A Mama Benjamin diz que já viu o Val em algum lado, e pergunta-lhe se ele já esteve em algum filme. Val, com um sorriso na cara, começa a enumerar a sua lista de “filmes” porno e perguntou á Mama se ela já tinha visto algum. A senhora Benjamin fica irritada e diz que se enganou e que nunca o tinha visto e que o Val vai para o inferno. Mais tarde nesta Raw, Shelton e Val vão se enfrentar num combate. Vou guardar a minha opinião sobre a Mama Benjamin quando chegar-mos ao combate.

Agora temos o combate de Tag Team entre HBK/Angle e Carlito/Masters. Este combate até foi bom, mas acho que podia ter sido melhor, pelo tempo que foi dado (mais de 16 minutos). Não culpo o Angle e o HBK por isto, mas acho que se deve referir que Carlito e Masters estão muito abaixo da qualidade dos outros dois, como é óbvio. Espero que o Carlito melhore, pois tinha esta ideia que ele até era um bom worker e wrestler, mas revendo estes shows, ele ainda não me mostrou nada de interessante. A meio do combate, a equipa do Angle e do Michaels começa a se desfazer, com discussões de ambas as partes. O ponto final do combate, é quando HBK farta-se das discussões de Angle e lhe aplica um Superkick e vai-se embora. Masters, com Angle inconsciente, aplica-lhe o Master Lock (um Full Nelson), e vence o combate para a sua equipa.


Num segmento de Backstage, HBK encontra Vince Mcmahon. Vince anuncia um combate entre HBK e Angle na próxima semana. A história aqui é que Michaels e Vince começaram uma rivalidade á poucas semanas. Tudo começou quando o novo DVD de Bret Hart saiu e Vince achou por bem desenterrar o “Montreal Screwjob” e traze-lo á baila. Quando Vince esperava que HBK se junta-se á festa para criticar e humilhar Bret, Michaels decidiu fazer as coisas de maneira diferente. Ele disse ao Vince que está na altura de ele crescer e de parar de fazer estas coisas. Vince levou isto muito a mal. Então, a partir de esse momento, Vince tenta por todos os meios, a cada semana mais radicais, de tramar o HBK. Está é uma das grandes rivalidades do ano e eu adorei na altura. Voltando a rever, ainda a considero boa, mas á algumas coisas que gostei menos. Mas isso irá ser analisado nos artigos seguintes.

Agora temos uma entrevista com o Triple H. Ele está de muito bom humor, depois da sua vitória na noite passada, contra Big Show. Ele promete ganhar o Royal Rumble e ir á Wrestlemania e ganhar o título da WWE. Uma promo sem nada de especial, para ser sincero. Também só durou um minuto.

Temos de seguida o combate do Shelton com Val. O outro atractivo deste combate é que quem vencer qualifica-se para o Royal Rumble. Agora a minha humilde opinião à cerca de Mama Benjamin: ela era um máximo! Ela era uma personagem tão incrivelmente estereotipada, que eu não posso fazer nada senão a adorar. Ela gritava tão alto, para dar indicações ao Shelton, que todos nós a conseguíamos ouvir. Isto é uma das melhores coisas da carreira do Shelton, na minha opinião. Pena que a Mama Benjamin apenas tenha durado 3 meses. Shelton vence o combate, depois da Mama Benjamin interferir. Combate sem interesse, para além desta senhora.

Temos logo outro combate, que foi um squash. Kane enfrentava Snisky num combate de qualificação para o Royal Rumble. Kane arruma rapidamente o assunto, pega no microfone e diz que no Rumble, ele irá fazer mais 29 vitímas.

Agora vamos para o grande Main Event. Uma cama grande encontra-se no meio do ringue. Edge e Lita chegam e entram no ringue. O Jerry Lawler neste segmento é do mais incrivel que já vi. Ele durante a noite toda não se calava com este segmento, sendo do mais irritante que é possível. E ele é Babyface. Ele queria tanto ver isto, parecia um adolescente de 14 anos. Eu tinha 10 anos e o Jerry era capaz de estar ainda mais entusiasmado do que eu, que não sabia que a WWE nunca iria passar a barreira do aceitável neste segmento. Antes dos dois começarem a fornicar para todo o povo ver, Edge pega no microfone e insulta um pouco os fãs e John Cena. Ele diz que roubou o título na noite passada, tal como roubou a Lita ao Matt Hardy. Ele diz que não precisa de ser o maior, o mais forte ou o mais dura, simplesmente precisa de ser o mais esperto. O Edge diz que tem um video que mostra os seus grandes feitos na WWE. Este video era bem melhor para um Babyface do que para um Heel.

O video passa e isto é dirigido a vocês, fãs de wrestling em Portugal, que viram isto na altura que passou na Sic Radical. Eu tenho 99% de certeza, que assim que o video do Edge acaba, os dois já estavam na cama a serem interrompidos (quando passou cá em Portugal). Vocês lembram-se disto acontecer? É que quando cá passou, nem mostraram os dois a mostrar a roupa nem nada. Quem me poder dizer com certeza que também se lembra disto, diga nos comentários, se faz favor. Mas eu vou analisar o segmento todo. Então, assim que o video acaba, os dois começam a se despir, muito lentamente e leva uma eternidade. Este é pior filme porno que já vi (sarcasmo)! E também tem as luzes escuras, mas a música de cena de sexo muito má, que veríamos num filme dos anos 80. Finalmente, depois de apenas estarem de roupa interior, os dois metem-se na cama. O Edge tapa-se a ele e a Lita com os lençõis e tira a roupa interior á Lita. Os fãs não sabem muito bem o que responder a isto. Eles durante a maior parte do tempo estão calados e á espera que alguém interrompa a dita cena de sexo (como todos já sabem que vai acontecer), mas eles engonham e engonham.

A certa altura o ecrã fica preto durante 2 segundos e os fãs não estão contentes. Ao que parece um dos seios nus da Lita estava ao descoberto e a USA Network depressa cortou qualquer oportunidade disto ficar interessante. Os fãs vaiaram e eu também. Finalmente, quando parece que vão passar para uma “persuasão oral”, por falta de melhor palavra, Ric Flair interrompe e isto é um alívio tanto para os fãs como para mim. É isso mesmo, o Flair consegue fazer qualquer momento mau passar a bom. O Flair pega no microfone e diz que o Edge é um “morto na cama” e que vai até ao ringue mostrar como se faz (o Edge e o Flair também estavam em rivalidade nesta altura). Então deixem me ver se eu percebo isto, o Flair acaba de dizer que vai violar a Lita, ao vivo para todos verem. Eu retiro o que disse. Nem o Flair consegue salvar este segmento. O Flair não dura muito, sendo que Edge ataca-o com uma cadeira. Quem aparece para por fim a esta palhaçada toda é John Cena, que ataca um Edge em fuga e aplica um F-U na Lita para dar por terminado o programa.

Não há palavras para descrever este segmento. Isto foi mau, não tenham dúvidas disso. Eu lembro-me de querer analisar este programa pois tinha este segmento e era a primeira Raw de 2006, com um campeão diferente do Cena. Mas eu pensava que este segmento ainda escapava e era capaz de ser razoável e que o público teria uma reacção. Mas não, foi algo mau de se ver, tanto pelo tempo que durou (25/30 minutos, para algo que podia ter sido feito em 15), como pela execução. Para um público bastante activo durante todo o programa, eles estavam completamente sem reacção neste segmento (excepto raros momentos). Eu sei que o Edge é lembrado muito por este segmento, mas ao rever, acho que não é um dos seus melhores momentos, apesar da grande Rating que o segmento fez (penso que nesta altura fez 5.0).

Concluindo, acho que este show, no máximo dos máximos foi razóavel. Teve um bom segmento inicial e o combate de Tag Team foi bastante bom. Também gostei dos segmentos da Moma Benjamin e entre o Vince e HBK. Porém, os combates de qualificação deixaram muito a desejar, bem como o combate das Divas. E o segmento final foi mau, como já expliquei. Se não gosta-se dos segmentos da Mama Benjamin, este show seria negativo, mas assim, encontra-se exactamente no meio.

Muito obrigado por terem lido o artigo. Gostaria muito saber a vossa opinião sobre esta Raw. No próximo artigo vou analisar o primeiro PPV que vi, o Royal Rumble deste ano. Obrigado e até para à semana.

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “The Bottom Line” e Ex- escritor do artigo "One on One". Acompanha Wrestling à 10 anos.

9 Comentários

  1. JL Paes - há 1 ano

    Sempre curto esses artigos, gosto muito de saber sobre uma época que não vivenciei.
    Não peguei essa época e desconhecia completamente a figura da tal Mama Benjamin. Ouço falar muito da cena de sexo ao vivo de Edge e Lita mas nunca vi e não sabia que foi tão desconfortável, gosto do cara por outras coisas, mas precisamente pelas lutas.

  2. Reigns one versus all - há 1 ano

    Excelente artigo, Rúben.
    Realmente eu já tinha ouvido falar desta RAW,mais pelo segmento final,inesquecível.
    E já agora,espero que continues com o teu bom trabalho

  3. danielLP21 - há 1 ano

    Discordo completamente.

    Este segmento foi o que lançou o Edge para o estrelato. Ele era o gajo que tinha o título, a miúda, o visual e tudo aquilo que podia criar inveja nos outros e de que ele se podia orgulhar.

    Não se deve analisar a qualidade da cena de sexo. Estamos a falar da WWE, não de outra coisa qualquer. A história contada foi genial, a Raw teve, durante este segmento, a maior audiência desde, salvo erro, 1999 e os fãs em geral ficaram a falar disto por muito tempo, sem muitas críticas.

    Depois disto, as carreiras do Edge (principalmente) e da Lita nunca mais foram as mesmas.

    • Rúben Rosa - há 1 ano

      Eu não análiso pela cena de sexo. Acho que como segmento de entretenimento, não é lá muito bom. Discordo quando dizes que este segmento lançou os dois para o estrelato. O momento do edge foi na noite passada e quanto à Lita, ela já era tratada pelos fãs como a p*** do sítio. Quanto à audiência, é verdade que teve muita rating, mas acho que foi mais pela curiosidade. Isso não significa qualidade. Na attitude era existiam também segmentos com grande rating,mas isso não queria dizer que eram bons. Mas não retiro nada ao edge nesta fase da carreira, atenção.

      • danielLP21 - há 1 ano

        E achas que eu sou daqueles que pensa que audiências = qualidade? Sabes bem que não.

        A minha opinião mantém-se: foi um segmento bem conseguido. A vitória do Edge não o lançou para o estrelato. Ele perdeu o título 3 semanas depois. Este segmento foi o que fez o seu reinado valer a pena. Se não fosse esta celebração, o reinado dele teria sido ainda pior. Ao menos aconteceu algo que colocou os fãs a pensar nele.

    • MR Perfection André Santos - há 1 ano

      Concordo Daniel. a partir dai, as carreiras de ambos dispararam em pique!

      Edge e Lita era sem duvida uma das atracções principais da RAW.

  4. Gonçalo "The best" - há 1 ano

    Artigo fantástico!
    Sempre tive uma opnião bastante positiva do “Live Sex Celebration” porque era algo diferente e que nunca pensei ver na WWE no entanto revi o segmento e não passa do razoável. Podia ter demorado muito menos.

  5. trouble...trouble...trouble - há 1 ano

    Estes artigos são fantásticos, so gostava que fossem feitos com mais frequencia

  6. Sorlei Rui Oltramari - há 1 ano

    Ótimo artigo, Ruben. É muito bom rever esses episódios antigos da WWE.

    A Live Sex Celebration foi um marco mais pela intenção, não tanto pelo segmento em si (o qual também não achei grande coisa). Afinal, o Edge tinha a garota, a fama, o dinheiro e o título, sendo assim um verdadeiro Rated R Superstar. Essa feud com o Cena está certamente entre as melhores de todas.

    E a Lita tava bastante inquieta nessa época.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador