Junta-te ao nosso grupo de Facebook: "Fãs de Wrestling"!

The People’s Elbow #55 – In My Darkest Hour

Bons dias, caros leitores! Hoje irei pegar em duas más notícias e entregar-vos o meu comentário semanal. Uma envolve a recaída de Scott Hall no tratamento dos seus vícios de drogas e álcool e a outra a perda de 30% da fortuna de Vince McMahon, devido à queda livre de acções da empresa.

O facto do construtor do império do entretenimento já não ser bilionário não causará tristeza, contudo, a perda de 350 milhões de dólares após a excitação iniciada com o lançamento do canal não compensou nos lucros e aumentou a especulação da venda da companhia.

Antes disto, vou entrar na vida pessoal de Hall: os seus problemas de saúde serão aqui debatidos nas próximas linhas.

Scott Oliver Hall (55 anos, 2,01 metros e 130 quilos) é mais conhecido como Razor Ramon na sua passagem pela World Wrestling Federation e sob o seu nome verdadeiro pela World Championship Wrestling.

Foi pelo primeiro que, a 5 de Abril de 2014, foi induzido ao Corredor da Fama. Foi main eventer de 1992 a 1996 como campeão Intercontinental e membro fundador da New World Order.

De 2010 a 2012, andou pelo circuito independente.

Tendo-se mudado para a Florida aos 17 anos, casou com Dana Burgio em 1990, divorciando-se em 2001. Da ligação nasceu o seu filho Cody Taylor em 1991 e a filha Cassidy, a 27 de Março de 1995.

Antes de avançar para as desgraças que têm feito parte do seu percurso neste planeta, quero evidenciar o positivo a retirar da sua capacidade de performer e entertainer.

Neste artigo que puxará à crítica e análise das suas etapas negativas, convém começar pelas suas conquistas que se tende a esconder no meio de tantas más decisões.

O Pro Wrestling Illustrated e o Wrestling Observer classificaram como combate do ano 1994 e combate 5 estrelas a Ladder Match na WrestleMania X contra Shawn Michaels.

Foi o wrestler que mais se desenvolveu no ano 1992, esteve na Tag Team do ano 1997 com Kevin Nash e com ele formou a quadragésima melhor equipa do Top 100.

Ficou no sétimo lugar entre os 500 maiores lutadores individuais de 1994, caindo uma década depois para posição 72.

Na World Wrestling Federation, foi 4 vezes Intercontinental Champion e teve combate do ano 1996 contra Shawn no SummerSlam.

O declínio deu os primeiros sinais no começo dos anos 80 quando foi acusado de homicídio ao disparar sobre um homem numa briga à porta dum clube nocturno.

Acordado como auto-defesa, a acusação caiu por falta de provas. Numa entrevista de 2011, admitiu tê-lo morto e disse ser incapaz de esquecer o incidente.

Nos idos 90, foi tornado público o seu problema de drogas, sendo incorporado numa controversa storyline na WCW, durante a qual foi preso por intoxicação à porta dum clube nocturno em Orlando, Florida.

No final da década, foi detido por assédio sexual a uma mulher de 56 anos num hotel.

Sendo incapaz de controlar o uso de substâncias ilícitas, foi preso a 10 de Outubro de 2008 durante uma roast (evento de comédia onde indivíduos são alvo de piadas e insultos).

O comediante Jim Graham brincou com o facto das carreiras de Iron Sheik e Jim Duggan terem caído mais depressa que Owen Hart.

Furioso, subiu ao palco e avançou para ele, atirando-o dali para fora pelo desrespeito ao falecido. Na sua página MySpace, Graham justificou a graça por acreditar que Hart se teria rido e afirmou que Hall estava bêbado na altura do incidente.

Voltou a ser levado pela polícia a 14 de Maio de 2010 por conduta desordeira e resistência contra um agente da autoridade. O relatório policial indica que estivera a beber num bar e se tornara agressivo, não sendo permitida a sua entrada no estabelecimento.

Sob contrato com a TNA, foi libertado derivado da ocorrência e entrou na reabilitação paga pela WWE em Outubro, sendo hospitalizado com uma pneumonia, diagnosticado com epilepsia e implantado um pacemaker no peito, resultando na prescrição de 11 medicamentos diários contra o seu problema de coração.

Não foi à indução do amigo Shawn Michaels ao Hall of Fame, decidindo não participar das festividades pela sua inabilidade de permanecer sóbrio nesse tipo de ambiente.

Porém, a 6 de Abril de 2011, foi levado para o hospital para ser tratado à baixa pressão arterial e problemas cardíacos.

A 20 de Outubro, saiu um documentário detalhando a sua experiência com drogas e álcool, incluindo entrevistas com a família e figuras proeminentes da indústria (Hogan, Nash, Sean Waltman e Stephanie).

O comentário do seu amigo de longa data Kevin Nash foi que estaria sempre ali para ele, declarando que ele não é drogado e que sofre de stress pós-traumático desde o assassinato.

Eric Bischoff refere que gostaria de saber como o ajudar, definindo-o como uma pessoa de enorme talento prejudicado pelos seus demónios.

Por esta altura, Hall começou a ser o mentor do filho Cody nas lutas profissionais.

A 6 de Abril de 2012, foi preso por distúrbios domésticos envolvendo a sua namorada, agredida pelo parceiro bêbado, que negou a acusação.

No ano passado, DDP convidou-o para sua casa para permanecer sóbrio e reconstruir a sua vida. Ele também iniciou um fundo de crescimento financeiro para pagar-lhe uma operação e uma reconstrução dentária. A 20 de Agosto, Hall apareceu num programa de TV para falar sobre a sua recuperação, onde apresentava melhorias significativas.

DDP parece ser aquele que mais tem feito por ele, alojando-o na sua casa e transmitindo-lhe os seus ensinamentos.

Só uma alma bondosa é capaz deste gesto para colegas de profissão que caíram nas artimanhas de produtos indesejados. Não duvido que os seus comparsas não se interessem pelo seu drama, mas o egocentrismo de alguns poderão levá-los a baixar os braços.

Não estou a ver Hogan ou Paul Levesque a insistir para sair da cama, já DDP é um exemplo de humanidade e ajuda ao próximo incansável, que aumenta a admiração que lhe tenho.

Torço para que se consiga erguer do buraco onde se meteu. O auxílio foi sendo desaproveitado e ele tem culpa pelas escolhas que tomou, espero que DDP não desista dele e que ele não desperdice quem veio em seu socorro.

As fotos que fui aqui postando elucidam o farrapo que tem sido desde há muito, fico a aguardar que consiga evitar os maus caminhos definitivamente e que a próxima imagem dele seja esta:

Vince McMahon foi recentemente citado na lista de bilionários da Forbes, só que a distinção foi de curta duração.

A sua fortuna (estimada num bilião de dólares) sofreu uma queda de 30% , precipitada pelo novo acordo televisivo com a Universal.

Foi dada a confirmação de que a WWE precisa dum aumento de 50% dos subscritores do seu canal quando anunciou que este não compensa os lucros de distribuição de PPV’s.

Numa nota à imprensa, foi admitido que não havia a garantia de atingir o número de subscritores necessários para substituir a audiência que tinha antes.

O projecto será sustentado com 1 milhão de subscritos, quando tem apenas 670 000. O director financeiro continua confiante nessa meta e que a Network não dê prejuízos.

Ter um canal próprio é aliciante e caro. Livre de contratos de transmissão com estações televisivas e armazenando todo o espólio da luta livre parece trazer benefícios, não fosse haver uma coisa chamada Internet.

Eu aderiria ao canal… se tivesse dinheiro para o pagar e não encontrasse metade das coisas na Internet. Sejamos honestos: quase todos nós queremos ver a actualidade e, recuando, não chegamos a tocar sequer na Golden Era.

Nós, desde adolescentes a quarentões, ficamos fascinados na descoberta da época mais agressiva do que quando ainda se acabava uma luta com uma Leg Drop.

Por muito que se fala no Tito Santana, Harley Race e Bruno Sanmartino, iremos pagar para os ver a preto e branco quando o conceito desporto de entretenimento estava a ser criado?

Temos tempo ou interesse para essa pesquisa a fundo? Os programas são pouco atraentes e tiram tempo à vida privada dos empregados, como o Total Divas.

Encher uma casa com lendas continua a não me fazer abrir a carteira… Alguns mais libertos de actividade podiam entrar nas contas, mas ajudaria na venda do canal a aparição de mid carders, jobbers e representantes da velha guarda? Não, pelo menos sem algo palpável por trás…

O canal foi pensado e esteve guardado estes anos todos até que fosse a altura de ser lançado, todavia, está a ser um fracasso no que às expectativas diz respeito.

Será a exigência demasiado alta? Quererá Vince que os espectadores disponham tudo de si a ver Wrestling? É exagerado mandar um contabilista resolver isto, o que não dá hoje amanhã é um sucesso e se a receita não reverter daí virá de outro lado qualquer, não é isto que abanará o monopólio.

A especulação de que Vince quer vender a companhia é desproporcional à acção que tem praticado.

Se a última palavra é sua, se altera o guião duma hora para a outra e não larga aquilo por nada, vai alguma vez desfazer-se dela por um punhado de notas, notas que lhe aparecem às centenas devido ao trabalho efectuado neste negócio?

No Perguntas e Respostas que tive a honra de redigir, respondi à questão sobre se um dia a WWE podia deixar de ser dos McMahon… Se isso se proporcionar, será uma jogada superior à vitória de Lesnar na Mania 30, ficarei estupefacto. Por agora, não acredito minimamente…

Não será o incumprimento na divulgação da Network a abalar a edificação sólida que construiu. Vince não engolirá em seco e fará algo acerca disto.

Acredito é que agora não será o momento de abrandar e que apostará tudo, jogando todas as peças ao seu dispor, ou seja, todo o material main event será obrigado a fazer “horas extra”. Para ele vale tudo… Terá de carregar nos zeros nos cheques, mas atirar a toalha não é com ele…

Uma situação preocupante que põe em risco a vida dum ser-humano e outra exagerada e improvável foi o que vos resolvi trazer neste artigo.

Para a semana virá outro, estejam atentos!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “The People’s Elbow”. Nascido a 25/2/90 na margem Sul, fã desta modalidade desde 2009.

13 Comentários

  1. rodrigomcb99 - há 3 anos

    Excelente artigo!
    Esperemos que o Scott Hall recupere, tenha ainda uma vida longa e fizeste um excelente resumo da sua vida e carreira
    Também partilho a tua opinião que o Vince não vai vender a companhia só porque a Network não ta a dar resultado mas sim que vai à luta para que esta possa ser sustentável e de sucesso

  2. Alexandre Romano - há 3 anos

    Excelente artigo Miguel.
    Vamos ver se o Hall recupera antes que seja tarde demais e que viva ainda muitos anos.
    Eu acho que o Vince nunca na sua vida ira vender a empresa só por uns papeis verdes ele adora aquilo e não a vai largar vai fazer tudo para aumentar as receitas ( só espero que não meta Cena como campeão).
    Em relação a Network concordo contigo aquilo é fixe mas não têm nada de especial até prefiro o W.PT tem todo o que eles têm ( sem ser os combates mais antigos) tem este artigos muito bons de opinião como este e tem noticias sobre coisas de vão acontecer com meses de antecedência(que a Network não tem) por isso acho que têm de fazer alguma coisa nova lá para terem mais pessoas a subescrever.

  3. John_3:16 - há 3 anos

    Pois estes episódios com o Scott hall já são normais, esperemos que ele recupere, ele sinceramente não parece ter idade que tem, julgo que sejam 56, naquela foto já parece ter quase a idade do vince, enfim espero que melhore

  4. Zé Tomé Dias - há 3 anos

    Foi bom artigo, Rocha.

    É pena ver isto a acontecer ao Scott Hall, adoro os momentos que ele criou como wrestler. Espero bem que não tenha problemas de maior e que recupere.

    Quanto ao Vince, vamos ver se não piora a sua situação.

  5. Ricardo Silva - há 3 anos

    Obrigado por tanta informação nova sobre o Scott, não tinha noção que ele tinha passado por tantas recaídas.

    “A 20 de Outubro, saiu um documentário detalhando a sua experiência com drogas e álcool, incluindo entrevistas com a família e figuras proeminentes da indústria (Hogan, Nash, Sean Waltman e Stephanie).” – será que me consegues indicar o nome do documentário?

    Grande artigo 🙂

  6. will - há 3 anos

    Razor Ramon, um dos melhores heel da historia da WWE.

  7. MicaelDuarte - há 3 anos

    Bom artigo.

  8. Julio - há 3 anos

    Ótimo Artigo. Como você falou o DDP é um exemplo a ser seguido e tomara que o Scott veja isso

  9. danielLP21 - há 3 anos

    Excelente artigo, Miguel.

    Posso dizer que gosto muito mais do Scott Hall/Razor Ramon do que do Kevin Nash/Diesel. O homem tinha muito talento, pena o que lhe aconteceu ao longo da vida… Sinceramente, não acho que alguma vez se vá curar como deve ser. Escusado será dizer que gostaria de estar enganado…

    Em relação ao Vince, concordo. Não o estou a ver a vender a empresa “por dá cá aquela palha”, mas nunca se sabe… A vender, que seja a alguém que não mate a empresa e o negócio.

  10. Hildo - há 3 anos

    Grande artigo. é uma pena ver pesoas na situação do Scott Hall, torço muito para que se recupere.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Newsletter Wrestling.PT

Subscreve a nossa Newsletter receberás conteúdos exclusivos no teu email!