The People’s Elbow #94 – O Peso da Atitude

A WWE publicou vídeo na página oficial do Youtube no qual Stardust mencionou Goldust, a Big Red Machine, o World Largest Athlete e o World Strongest Man enquanto peso do qual estaria pronto para se livrar.

Irá continuar como lutador individual nesta crítica aos veteranos? Terão estes órfãos da Atitude Era maneira de se desenvencilhar ou farão parte da dieta rigorosa que quererá estabelecer para o equilíbrio da balança entre gerações?

Irei reportar o melhor e o pior de cada citado, considerando o espaço ocupado tanto naquela época quanto na presente, o que promete suscitar discussão.

Dustin Runnels (nascido a 11 de Abril de 1969), mais conhecido pelo enigmático e ambíguo Goldust, é uma das figuras centrais da Atitude Era.

Filho do American Dream Dusty Rhodes e irmão de Stardust, é também conhecido pelas suas performances na World Championship Wrestling e Total Non Stop Action.

Estreou-se pela World Wrestling Federation no ano 1990, tendo derrotado Ted DiBiase. A 19 de Janeiro de 1991, no Royal Rumble, perdeu, junto ao seu pai, contra Virgil e o Million Dollar Man, saindo de seguida.

A Setembro de 1995, período de muito conteúdo adulto, retornou como o vilão alcunhado Bizarre One, devido à sua presença e aos seus misteriosos e sugestivos maneirismos, distraindo os seus oponentes utilizando tácticas nas quais expressava afectos sexuais.

A sua longa inspiração enquanto as suas mãos vão subindo pelo seu corpo, terminando na expiração sobre o seu adversário, teve a intenção de retratá-lo como Drag Queen obcecado pelo cinema e por tudo quanto fosse dourado, o que é uma paródia à estatueta dos Óscar.

Durante as suas entrances, vestia robe e exibia peruca loira. Regressou à World Championship Wrestling em 1999 e, quando esta foi comprada pela World Wrestling Federation no início do século, o seu contrato foi assinado para acordo de 2 anos.

Movido para a divisão Hardcore, onde venceu o Championship por 9 ocasiões, quando o roster foi divido por duas brands formou equipa com Booker T na Raw.

O duo empenhou-se na comédia por via de numerosas vignettes, apresentando segmento intitulado “At the Movies”, distribuindo revisões de O Rei Escorpião.

Antes da separação forçada pelo Raw General Manager, havia sido World Tag Team Champion no Armageddon. Após a dissolução, formou dupla com Lance Storm.

A companhia anunciou no seu site a não renovação, permitindo que o seu contrato expirasse, desaparecendo da TV até ser recontratado em Janeiro de 2006, participando do Royal Rumble e sendo dispensado de novo a 14 de Junho.

A 26 de Outubro de 2008, voltou e tornou-se face no Cyber Sunday, fazendo parte das escolhas para enfrentar Santino Marella pelo Título Intercontinental.

Participou no Royal Rumble 2009, encarando Cody Rhodes, pelo qual seria eliminado e, a partir de 25 de Maio, faria parelha com Hornswoggle, tendo lutas na Raw e Superstars.

A 29 de Junho de 2009, foi transportado para a brand ECW, começando feud contra Sheamus e – unindo-se a Yoshi Tatsu – Trent Barreta e Caylen Croft.

No Draft Suplementar de 2010, foi para a brand vermelha, enviando mensagens para Maryse e Ted DiBiase, sendo revelado o seu conteúdo como dirigido ao Million Dollar Belt, a 4 de Outubro.

A 7 de Dezembro de 2010, foi reportado que sofrera lesão no ombro, reparando-o através de cirurgia e indo trabalhar atrás das cortinas. A 6 de Maio de 2012, outra vez a debandada.

A 26 de Janeiro de 2013, completou a mão cheia de idas e vindas ao aparecer no tradicional combate Royal Rumble e ser atirado borda fora pelo Cody Rhodes.

No princípio de 2015 (2 de Fevereiro), Goldust e Stardust foram derrotados pelos Ascension, reacendendo tensão e frustração. A 16 de Fevereiro, Stardust dissolveu a equipa ao aplicar o seu Cross Rhodes sobre Goldust, levando-os ao Fastlane, onde foi vencido.

Acreditando que não estava a funcionar, a sua rivalidade foi cancelada pelos oficiais, envolvendo Stardust na luta de escadote pelo título intercontinental na WrestleMania, à qual, segundo consta, Goldust não será adicionado.

Nos bastidores, fala-se do final da carreira de Goldust dentro do ringue, fazendo a transição para agente e produtor, mudança que não ocorrerá antes do Greatest Stage of All. Via redes sociais, iniciou campanha para que Cody deixe as pinturas faciais e os maneirismos similares aos seus.

Ter sido três vezes campeão Intercontinental na World Wrestling Federation e Entertainment pode parecer pouco e, de facto, só não é mais descarado pela curta duração das suas estadias.

Os pousios inexplicáveis perante tão influente personagem são gritantes e a sua utilidade quase exclusiva para o evento anual de Janeiro vão por igual linha de raciocínio.

Por outro lado, a cancela que deixou aberta depressa se fechou para ele no sentido restrito dos cinturões, podendo inclusive achar-se que pendurou demasiados à cintura.

Esta indefinição insurge-se por estes pontos assentes: não se duvida de que ele é dos lutadores mais subvalorizados, tal qual não se evidencia a indiscutibilidade da sua glória ter sido avultada.

Esta espécie de personagens só poderia sair da Atitude Era e ser reconhecida lá, não nas anteriores e posteriores pelas quais passou.

É ingrato que isso venha a carimbar este puxar de Cody Rhodes de dentro da pele de Stardust, depois de tanta ajuda que lhe deu.

Se se pôs às suas cavalitas? Para o tipo que esteve fascinado pelo troféu de plástico do Ted DiBiase isso parece claro, porque não haveria de fazê-lo quando chegada a hora libertou-se de algo que nunca teve e possibilitou àquele que valia a pena desinibir-se e reinventar-se?

Ao final da noite, não se estava a falar das suas capacidades apuradas aos 40 e poucos anos ou a desenhar conversas saudosistas: o assunto iria parar a Stardust.

https://www.youtube.com/watch?v=s6bWUXG4QN4

É indesculpável que algo que se esperava para a WrestleMania tenha sido às três pancadas e que não perdure, a não ser que Dustin apareça despido de Goldust para encorajar Stardust.

Já que foi por ele que Stardust foi criado, a reaparição de Cody Rhodes seria o derradeiro tributo antes de aceitar a proposta para se desviar do ringue.

Glen Thomas Jacobs (nascido a 26 de Abril de 1967) iniciou a sua carreira no circuito independente em 1992, antes de se juntar à World Wrestling Federation em 1995.

Manteve-se fulcral na Atitude Era, derrotando Stone Cold Steve Austin no main event do seu 1º PPV, continuando headline no Card.

Durante a sua longa jornada, foi descrito pelos executivos como constantemente subestimado.

Paul Donald Wight, conhecido por Big Show, ganhou por duas vezes o World Heavyweight Championship da WCW, o WWE Championship e o World Heavyweight Championship por igual nº e o da ECW uma.

Sendo o único a ter erguido estes 4, foi também campeão dos USA e Intercontinental e três vezes Hardcore. Foi apresentado a Hogan, que o recomendou ao Vice Presidente da WCW.

Antes disto, ele havia tentado juntar-se à empresa de Vince McMahon, sendo ignorado pelo Pat Patterson ao ter admitido a sua inexperiência: só quando o viu debutar na WCW é que se apercebeu do erro.

Assinando pela World Championship Wrestling, usando o nome The Giant, foi introduzido como sendo filho de André e membro da stable Dungeon of Doom.

A 29 de Outubro de 1995, teve a sua estreia profissional, derrotando Hogan pelo World Heavyweight Championship via desqualificação (interferência de Jimmy Hart).

Mais tarde, foi-lho retirado devido ao final controverso. No dia do seu 27º aniversário, o seu contrato expirou por não ter visto o seu salário aumentado.

A 9 de Fevereiro de 1999, assinou pela World Wrestling Federation, debutando como vilão na stable Corporation, servindo de enforcer para Vince McMahon.

Aos 12 anos, por doença do sistema endócrino, media 1,88 metros, pesava 100 quilos e tinha pêlos no peito, cuja circunferência é de 160 cm.

Aos 19, chegava aos 2,16 metros, passando por cirurgia às glândulas, o que regrediu o progresso da sua condição. Nunca tendo sido péssimo Wrestler, poder aturá-lo ao longo dos anos está a ser missão impossível: se foi o segundo melhor lutador de 1996 dentre 500 para a Pro Wrestling Illustrated, para a Wrestling Observer teve as piores feud de 1999 e 2013 contra o Big Boss Man e a Autoridade, foi o pior Wrestler de 2001 e 2002 e o mais embaraçoso de 2002.

A 17 de Fevereiro de 2008, no No Way Out, foi confrontado pelo pugilista Floyd Mayweather, partindo-lhe o nariz. Aparentando ser heel, à medida que a feud foi avançando o público colocou-se do seu lado, modificando-se os papéis. Na WrestleMania 24, Big Show perdeu.

No TLC 2011, foi-lhe dado o pequeno reinado de 45 segundos pelo World Heavyweight Championship, derrotando Henry numa luta de cadeiras para Daniel Bryan cobrar a mala MITB.

Na Elimination Chamber, falhou a sua recaptura ao ser eliminado pelo Cody Rhodes, frente ao qual começaria feud e venceria o Intercontinental Championship na WrestleMania.

No Extreme Rules, devolvê-lo-ia numa luta de mesas. No Survivor Series 2014, atacou o capitão da sua equipa John Cena, causando a sua eliminação.

Na noite seguinte, explicou as suas acções, destacando ter família para cuidar, sendo confrontado por Eric Rowan, iniciando feud para o TLC.

Estes são alguns dos factores desencadeadores de negatividade quanto a ele, isso e o rolo compressor que são os seu volte-faces sucessivos na postura.

Claro que nalguns ele não terá culpas no cartório e cumpriu as ordens, só que rebaixar-se perante magricelas do boxe ou bater recordes que de positivo não têm nada vão desaguando na sua insuportável continuidade nos nossos PC.

A irritação é tanta que ele não pode dizer ou fazer nada que não seja logo apupado, as margens do seu rio estão há muito transbordadas.

Ao ser-lhe oferecido o seu momento no maior dos palcos pelo cinto Intercontinental, não interessou para nada que ele tenha sido parvo ao pôr a pata na poça naquela luta no TLC.

O mal já estava feito para Cody Rhodes? Onde está a certeza de que ele não viria a ter toda a atenção e que aquele fora erro no percurso?

Não se soube, pois Christian ao invés de optar pelo Santino e o seu campeonato dos Estados Unidos quis dar a machadada final: ao Capitão Carisma é aceite tudo, ao coitado do gordo é que não.

O exagero é tanto que ele é quase abatido a tiro por ter ousado pôr os coutos na WrestleMania 25 e ter feito parte dos JeriShow e ShowMiz.

A única pedra no sapato que eu tive de descalçar foi ele ter esgotado as poucas senhas que Lesnar possui para poder fabricar qualquer coisa na sua entidade patronal.

Fora do Wrestling, apareceu em filmes e séries de TV, dizendo gostar de expandir as suas actuações para lá de papéis baseados no seu tamanho.

Quanto a Glen, revelou não ter planos para se retirar, apesar de ter de trabalhar por fora na agência da qual é chefe. Afirma ser afortunado por não ter lesões e continuar a divertir-se a alto nível.

Mark Henry (nascido a 12 de Junho de 1971), desde que se juntou à World Wrestling Federation aos 24 anos, a 11 de Março de 1996, foi European, World Heavyweight e ECW Champion.

Dois anos depois, a 12 de Janeiro, juntou-se à facção Nation of Domination para, durante o ano seguinte, se designar Sexual Chocolate.

Em Agosto de 1999, durante luta de Jeff Jarrett pelos títulos Europeu e Intercontinental de D’Lo Brown, virou-se contra este.

Na noite seguinte, seria recompensado com o European Title, perdendo-o para Brown no PPV Unforgiven. Viciado no sexo, assistiu a sessões de terapia, nas quais confessou ter perdido a virgindade com a irmã.

Depois disto, passou a ser favorito dos fãs nos romances com Chyna e Mãe Young, sendo parte de várias outras infames storylines.

O seu segmento mais elogiado foi o de 17 de Junho de 2013, no qual retornou das lesões, usando os media sociais para propaganda à sua retirada.

Interrompendo John Cena para discurso emocionado, a sua conclusão deu-se no World Strongest Slam e na intenção de o desafiar pelo título da WWE. A 14 de Julho, no PPV MITB, falhou, submetendo-se ao STF.

Tanta parra para tão pouca uva quase torna preferível que aquele tivesse sido o seu adeus, ele esteve magistral e convincente. Dói saber que ele estava lá desde 1996, qual suplente no futebol, e que só nos anos 10 deste século assumiu a titularidade.

Os seus hiatos para as Olimpíadas (desconhecidas pela audiência do Wrestling), para ser relações públicas ou para cirurgias foram desregulando os ponteiros do relógio.

O seu Corredor da Dor foi voraz para as suas presas, só que de tanto ir à caça o predador fica ressentido. Por agora, regressou a 12 de Março.

Provou ser digno World Strongest Man, because that’s what he does. Fico por aqui, vão dando a vossa opinião nos comentários enquanto eu vou magicando o que vos trazer Segunda.

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “The People’s Elbow”. Nascido a 25/2/90 na margem Sul, fã desta modalidade desde 2009.

4 Comentários

  1. reigns one versus all - há 2 anos

    Excelente artigo.
    Gostei do que escreveste acerca destes 4 wrestlers de grande qualidade mas para mim subvalorizados porque não atingiram o maximo e agora chegam a esta idade e continuam uns no topo,outros mais abaixo,estao lá.
    Não tenho nada contra veteranos,mas se é para lá andarem,que tenham impacto

  2. HHH - há 2 anos

    pq vc so escreveu aquilo sobre o kane?
    vc so escreveu 6 linhas sobre o kane

    • Miguel Rocha - há 2 anos

      Porque eu já tenho outros artigos biográficos sobre ele e dos que referi ele é o menos incontestado e o que preserva maior respeito, preferi alongar o Big Show e colei-o ao Big Red Monster por os dois fazerem parte da Autoridade. A crónica ficaria muito extensa se eu fosse repetir coisas que tens hipótese de ler noutros People’s

  3. Vitor Oliveira - há 2 anos

    Ótimo artigo.
    Penso que ninguém quer ver Stardust vs Goldust, e sim Cody Rhodes vs Goldust

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador