Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Top Ten #10 – Paul Heyman Guys

Bem-vindos a mais um Top Ten! Começo por pedir desculpa pela minha ausência de uma semana mas uma complicada formatação de PC atrasou todo o meu trabalho. Já cá estou de novo e já vos trago um assunto que ainda está bem quente. Os tais “Paul Heyman Guys” que tanto dão que falar. Ainda esta semana, todos fomos abalados pela revelação de um Michael McGillicutty remodelado como Curtis Axel como o novo cliente de Paul Heyman. Isto desencadeou uma lista de Paul Heyman no WWE.com a recordar os tais “Paul Heyman Guys”. Com ajuda desse artigo e da própria memória, agora o Universo também terá a sua lista de Paul Heyman Guys sob a forma de Top Ten…

10 – Eddie Gilbert

Paz à sua alma. E para abrir o Top Ten apresento um caso completamente diferente. Porque nem se pode considerar que Gilbert fosse um Paul Heyman Guy, ele já não era nenhum novato a precisar de mentor. Ou será que Paul Heyman é que é um Eddie Gilbert Guy? Talvez nenhum, mas Gilbert tem um papel importantíssimo na transição do Paul E. Dangerously que se via na WCW e o Paul Heyman que conhecemos hoje. Afinal de contas, Gilbert era o principal booker da Eastern Championship Wrestling em 1993, uma embrionária ECW na posse de um desconhecido Tod Gordon e que ainda nem apresentava assim tanto potencial. Gilbert acolhe Heyman como seu parceiro nos bookings e não tardaria nada, devido a comportamento agressivo de Gilbert, este acabou sendo despedido deixando Heyman com todo o cargo de booker. Começaria assim uma nova era e viria a nascer a Extreme Championship Wrestling.

Para além da parceria em TV na Eastern Championship Wrestling, como membro da Dangerous Alliance, nem há grandes razões para ele ser um “Paul Heyman Guy”. Mas indirectamente deve ter aberto portas a muitos que viriam…

9 – Big Show

O episódio que Paul Heyman conta na sua lista no WWE.com foi a de o ter salvo de ser um gigante pateta no Raw e levá-lo para o Smackdown onde viria a ter uma grande feud com Brock Lesnar – feud à qual nem o pobre ringue sobreviveu. Isto atribui-se ao facto de Paul Heyman na altura ser o General Manager do Smackdown. E por trás da cortina também era o principal writer. Uma excelente era do Smackdown essa e deve-se muito a esse homem.

Mas o momento em que Big Show nos saltou à vista como um verdadeiro Paul Heyman Guy seria uns 3 anos depois, assim que a ECW seria reerguida como brand da WWE. Havia muito trabalho a fazer, para emancipar esta brand do resto da WWE foi necessário virar Rob Van Dam Heel no Raw. Mas ele e Heyman agora já estavam na ECW e não havia maneira nenhuma de Heyman prosseguir como Face. E RVD não conseguiria ser Heel naquele ambiente. Simples, Heyman trai RVD e dá o título a… Big Show. Perfeita reacção da plateia que demonstrou que Heyman consegue engrandecer quem quiser e puxar heat como quiser…

8 – Curtis Axel

A surpresa da semana. Do mês. De muito tempo. O tão antecipado novo cliente de Paul Heyman a ser anunciado esta semana no Monday Night Raw… Michael McGillicutty! Completamente remodelado como Curtis Axel, como homenagem ao seu pai e ao seu avô, lendas que dispensam apresentações. Isto ainda está a começar logo não há muito a adiantar quanto a este jovem… A não ser a minha opinião quanto a esta revelação:

Melhor coisa que a WWE fez desde os The Shield. Toda a gente à espera de Batistas e mais não sei quê? Rob Van Dam? Já foi cliente do Heyman há muito tempo. Para quê trazer gente do passado com metade do fôlego de antes se há lá um undercard tão bom para se aproveitar? Para quê continuar a viver no passado se há um futuro com tanto potencial? Michael McGillicutty, um jovem com potencial a sair-lhe dos poros todos e à espera da oportunidade para amadurecer e tornar-se a Superstar que muitos já sabem que ele pode ser. Já para não falar na imprevisibilidade. Que a WWE fosse só disto!

7 – Rick Rude

Um exemplo de uma aliança com Heyman ainda nos tempos antigos deste, ainda nos tempos do Paul E. Dangerously na WCW. Uma das principais figuras na famosa “Dangerous Alliance”, onde também constavam também Madusa, Arn Anderson, Bobby Eaton, Larry Zbyszko e um novato, um tal a quem chamavam de “Stunning” Steve Austin. Com Heyman/Dangerously como seu mentor, conseguiu ter feuds de alto calibre e ganhar um grande nome na WCW, arrecadando ouro como aconteceu em 1991 quando conquistou o WCW United States Heavyweight Championship de Sting.

Rude eventualmente sairía da Dangerous Alliance e o grupo em si acabaria por se desintegrar, mas Rick voltou a mostrar a sua conexão com Heyman em 1996 quando dá um saltinho até à ECW para comentador. Rick Rude faleceu em 1999 aos 40 anos, vítima de uma overdose de variados medicamentos e esteróides. Mesmo já não estando entre nós, com certeza que estará guardado num lugar es pecial na memória de Paul Heyman…

6 – Steve Austin

E já que falei nele… Talvez um dos maiores “Paul Heyman Guys” que só está numa posição relativamente baixa porque é difícil fazer um top destes. Foi, de facto, na tal Dangerous Alliance que se deu o erguer da lenda, com mão de Heyman que estava lá sempre para o ajudar no crescimento. Em 1995, Eric Bischoff viria a ter dos seus maiores espasmos de “inteligência” na sua carreira ao despedir Austin por não o considerar um lutador lucrativo, não lhe via potencial para sucesso… Hás-de ser fino.

Paul Heyman sabia bem o tipo que tinha e de imediato o contactou para que se juntasse à sua ECW por um breve mas notável período. No final desse mesmo ano estaria na WWE e viria a tornar-se a lenda que hoje conhecemos. O trabalho de Heyman já tinha sido feito…

5 – Sabu

Simplesmente dos mais doidos. Confessou Sabu que não foi Heyman quem realmente o trouxe à ECW, mas em TV foi o eterno manager Heel que apresentou o monstro acorrentado em 1993, ainda era ela a Eastern Championship Wrestling. Também foi ele quem o despediu em público por fazer no-show num evento para ir lutar ao Japão. Mas quiçá foi para o bem dele e Sabu ainda regressou para se tornar um dos principais representantes da companhia extrema.

Também não cai propriamente na definição ortodoxa de um “Paul Heyman Guy” mas foi com ele que o vimos a estrear e ainda chegou a fazer parte da segunda versão da Dangerous Alliance. Foi com Heyman a seu mentor que o vimos a nascer e foi a partir daí que se tornou o mítico lutador louco a crescer e a tornar-se a máquina de botches que gostamos de ver.

4 – Rob Van Dam

Também um dos primeiros e mais óbvios nomes a subir à cabeça quando se associa alguém a Paul Heyman. Ou pelo menos à ECW. Em 1995, já estava a ECW como a conhecemos a explodir – ou já tinha explodido. Heyman sempre quis criar algo inovador, algo diferente de todo o resto, algo novo. Encontra um lutador com dotes de artes marciais e ginástica para resultar num estilo de luta singular. O que Heyman queria e que Heyman sabia que conseguia tornar numa estrela.

RVD tornou-se um dos principais “poster boys” da ECW e teve tremendas rivalidades e parcerias com o homem da posição 5. A aliança com Heyman tomou a sua forma mais televisiva em 2006, por altura do épico One Night Stand com a épica conquista do título da WWE a John Cena perante uma épica plateia. Era uma das grandes especulações para ser o tal “Paul Heyman Guy” desta semana… Mas olhos no futuro…

3 – Mick Foley

Outra lenda que caiu nas boas graças de Paul Heyman desde cedo. Hall of Famer, Hardcore Legend e um tipo verdadeiramente multi-facetado. Seja como Foley, Mankind, Cactus Jack ou Dude Love, todos adorámos o homem que nos introduziu uma meia como uma verdadeira arma letal. E quem melhor para abraçar o seu promissor sucesso desde o início do que Paul Heyman?

De facto quando se pensa em wrestling “Hardcore”, pensa-se na ECW e em Mick Foley e a associação é imediata. Tremendos combates como Cactus Jack na ECW antes de o vermos a fazer história como Mankind – e como as outras facetas todas – na WWF/E, mas os grandes combates com essa personagem começaram já na WCW, nos tempos em que Heyman também lá andava. Assim que este tinha a sua ECW a crescer cada vez mais, ele sabia bem em quem manter o olho… E vem daí uma lenda…

2 – Brock Lesnar

Um dos actuais clientes e com um desfecho de história mais recente. Paul Heyman era o homem ideal para fazer sobressair todo o potencial em Lesnar e para o completar – se tivesse que ser Lesnar a falar, ia ser um problema. Já na sua estreia em 2002 foi Heyman quem o levou ao topo… E uma subida ao topo bastante rápida, num instante estava feita a subida.

Mais recentemente, foi Lesnar a razão para o tão bem-vindo regresso de Paul Heyman ao nosso ecrã e creio que não sejam necessários muitos lembretes, pois os seus combates com John Cena ou Triple H ainda nos estão bem na memória…

1 – CM Punk

Podia ser outro dos que se encontram aqui por estas primeiras posições a ocupar o número um. Mas decidi guardar esse spot para CM Punk. Já devem ter ouvido falar nele. Porquê Punk em primeiro? Para já, o termo “Paul Heyman Guy” foi popularizado pelo mesmo. Foi Lesnar quem trouxe Heyman de volta e foi Punk quem o manteve, por assim dizendo. É o seu Superstar mais actual, com quem partilhou números segmentos polémicos – se algum dos ofendidos era dos que andam sempre a pedir atitude, então só funcionam a tabefe – e que teve um momento histórico: o maior reinado como Campeão da WWE nos últimos 25 anos. E com Heyman sempre a dar-lhe uma ajuda… Já desde 2006 quando o apresentou à ECW… Tal como o segundo classificado, dispensa lembretes…

E foi este o Top Ten. Dez de muitos “Paul Heyman Guys” como lhes chamam. Espero que tenham gostado e estão à vontade de reordenar os vossos PHG favoritos, acrescentar outros que vos agradem mais e retirar outros que não crêem que sejam tão importantes ou não gostem tanto. O único que não podem fazer é negar a importância de Heyman para a criação e ajuda no crescimento de grandes Superstars. Para a semana, correndo tudo bem, estou de volta.

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

5 Comentários

  1. MR Perfection André Santos - há 4 anos

    Fizeste bem fazer um Top 10 com os Paul Heyman Guys!

    Concordo com a disposição dos wrestlers, mas de referir que a parceria que mais gostei foi com Big Show

  2. danielLP21 - há 4 anos

    Que “manager”… Que craque do mundo do Wrestling. Olha lá Paul, não queres ir para presidente ou director desportivo do Benfica? Acho que era capaz de resultar…

    A única altura em que adorei ver o Big Show foi precisamente quando ele era acompanhado pelo Heyman. Não é coincidência.

  3. El Shaarawy - há 4 anos

    Heyman é muito provavelmente o melhor manager da historia da wwe!! Com ele ao lado o wrestler só pode ter sucesso!!! Disso acho que já ninguém duvida! Mas para mim o Lesnar é o One!

  4. Duarte_WWE - há 4 anos

    Numa frase Heyman is God, o homem para mim é como se fosse um deus na terra, tudo o que ele toca tranforma-se em ouro tal como o punk faz, dai o punk ser o “Paul Heyman guy” numero 1, aliás juntar os 2 melhores do mundo na sua função só podem sair coisas como o reinado do punk, para mim o melhor de sempre, é incrivel como acabou há tão pouco tempo e eu já sinto saudades daqueles tempos, ainda para mais agora com a sua ausência ainda mais! Espero que o paul se mantenha por muitos e bons anos a gerir a carreira de novos talentos e a fazer o que ele sabe de melhor! “Stunning” Steve Austin xD épico!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador