Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Top Ten #110 – Divas Esquecidas

Bem-vindos a uma nova edição do Top Ten pós-Battleground e que nada pode referir acerca do evento porque não há como o referir ainda. Na altura em que o escrevo nem sonho o que se passou, apenas posso assumir que o embate entre Randy Orton e Sheamus foi o combate da noite.

Mas tenho já coisa boa em que pegar a partir do passado Raw. Divas. Não olhem para estas frases literalmente, não tenho uma vida assim tão boa, nem de perto. Mas já sabem a que me refiro porque um dos acontecimentos mais memoráveis do passado Monday Night Raw envolveu a subida de três meninas bonitas e muito talentosas do NXT. Com uma missão simples: salvar o chiqueiro que está aquela divisão feminina. É só esperar que não estraguem tudo.

Mas foi bom ver a reacção que elas tiveram. São lutadoras que já marcaram o seu lugar. Já ninguém as esquecerá, aconteça o que acontecer. Porque é aí que está o tema, nem todas têm a mesma sorte de poderem dizer isso. Já muita rapariga vistosa passou pelos ringues da WWE. E não, não dá para nos lembrarmos de todas. E até já listo aqui dez exemplos de Divas que não nos conseguem saltar à memória logo – a não ser que tenham alguma associação a fazer a alguma “happy hour” que já tenham feito com elas como protagonistas – e que não deixaram qualquer marca. Vejam lá de quais destas dez meninas se lembram.

10 – Joy Giovanni

Esta era engraçadinha, é verdade e é fruto da primeira “Divas Search”, na qual ficou em terceiro lugar. Mas como engraçaram com ela, lá lhe deram o contrato e ela apareceu no Smackdown com uma gimmick inicial de massagista. Já por aí entram as taradices todas. O que nem era nada porque ela viria a envolver-se em segmentos em que acabava amarrada e amordaçada na bagageira da limusine do JBL, portanto controlem lá os pensamentos. Mal completou um ano na companhia, tendo breves feuds – com outras Divas igualmente esquecidas – e acabando por ser reduzida a segmentos e a combates de bikini ou lingerie ou outras coisas que faziam os espectadores masculinos evitar levantar-se para não abrir questões. Chegou em finais de 2004 e já em Julho de 2005 foi dispensada. Teve um breve regresso na Wrestlemania XXV, na battle royal para definir a Miss Wrestlemania. Sim, essa mesma que foi vencida pela Santina Marella. Desde então, afastou-se dos ringues e tem-se mantido discreta, tendo feito aqui e ali um ou outro filme horrível ou uma participação num videoclip dos Avenged Sevenfold. O nome dela no google ainda deve vir junto de mais palavras específicas…

9 – Serena

Pronto, acredito que ainda se lembrem desta. Não só pelo seu respeitável percurso nas independentes como pela sua associação na sua curta passagem pela WWE. É bem lembrado que na Straight Edge Society, CM Punk andava acompanhado do Luke Gallows e duma carequinha muito bonita que fez muita boa gente ganhar um novo gosto por aquele visual. Serena era a convertida por Punk e que atravessou esse ritual. Um respeitável sacrifício pelo ofício mas que não parece ter valido muito a pena por ter durado apenas pouco mais de meio ano na companhia. Em Janeiro de 2010 foi uma rapariga da plateia que Punk escolheu e converteu e já em Agosto do mesmo ano, após algumas altercações com o grupo por ter sido apanhada a beber num bar – com o Adam Cole, por acaso, acho que não era esse o problema – foi despedida da companhia que a fez rapar a cabeça. Lá voltou para as suas independentes e a causar o seu impacto habitual lá. Curioso timing em relação à sua situação actual, pois foi há meros dias, pouco mais de uma semana, que Serena lutou o seu último combate e se retirou dos ringues.

Nota: Deixou outra coisa feita num notável programa televisivo, mas apenas está gravado ainda e por dar, logo não vou lançar aqui o spoiler se ainda não souberem o que é.

8 – Ariel

Não ser confundida com a Ana Rocha, conhecida como a “Portuguese Princess” Ariel que chegou a internacionalizar-se até à Ring of Honor e a NWA, entre várias independentes. Refiro-me a Shelly Martinez, conhecida como Ariel na revitalizada ECW, a criatura que acompanhava o vampiresco Kevin Thorn, se é que também se lembram dele – se ainda fosse o Mordecai. Se apenas se conseguem lembrar de pouco dela é porque ela deixou pouco feito, sem sair da ECW, entre meados de 2006 e Maio de 2007. No seu percurso fez poucos combates e foi sempre dedicada a Thorn, tendo ocupado a maioria do seu tempo como manager dele e dos New Breed. Revelou em 2013 que a razão para o seu despedimento foi uma altercação com o Batista. Normalmente não é dessa forma que meninas se metem em sarilhos envolvendo o Batista. Desde a sua saída deixou mais algumas pegadas no wrestling, passando pela TNA onde foi manager dos Latin American Xchange como Salinas, e mais algumas independentes. Também deu uns passos na representação em filmes independentes de terror e – alegrem-se – não esconde a nudez do corpo de ninguém e até chegou a participar em filmes pornográficos “softcore” com outras mulheres. Pronto, um conselho: em vez de abrirem apenas um novo separador, abram uma janela anónima, no canto superior direito.

7 – Miss Jackie

É o que mancha imediatamente o Tough Enough: a falta de estrelas que tenha formado. É verdade que ainda hoje vemos Miz ou Ryback em rotas de títulos mas eles não foram vencedores, enquanto os vencedores nunca mais foram vistos. Foge um pouco ao conceito do programa, se de nada adianta vencer. Assim foi o caso de Jackie Gayda, co-vencedora da segunda edição do reality show, que se lançou na WWE em 2002 e não tardava nada a cair nos azedumes dos fãs – um infame combate repleto de botches com Trish Stratus valeu-lhe vaias e uma despromoção ao território de desenvolvimento. Voltou em 2003 e lá passou mais dois anos onde tinha várias feuds – à volta da Playboy, por exemplo, porque em tempos era disso que as Divas se tratavam – e servia de manager, especialmente de Charlie Haas, com quem mantinha uma relação verídica. Saiu em 2005 e, em meses, aparecia na TNA com um angle bizarro que envolvia segredos e o Jeff Jarrett. Foi quase tudo isso que a ocupou até meados de 2006, quando voltou a desaparecer. Conseguiu o prémio de “Knockout do Ano” lá. Também ela voltou para a battle royal à procura da Miss Wrestlemania e em 2010 voltava às independentes, passando mais tempo na Family Wrestling Entertainment. Até agora ainda está casada com Charlie Haas e, já que não se faz mais nada, faz-se filhos, porque já vão em quatro! Fora do wrestling, participou num reality show do VH1 chamado “Wrestler Wives” e abriu uma loja de produtos nutritivos e de fitness. E faz filhos, é de notar outra vez.

6 – Lena Yada

Uma menina persistente que concorreu à “Divas Search” em 2005 e em 2007, sem vencer nenhum. Mas vá lá que da segunda vez já engraçaram com ela e a contrataram para o posto onde já coube qualquer uma: entrevistas no backstage. Em inícios de 2008, transferia-se para a ECW onde transitava para o exterior do ringue como uma manager Heel por pouco tempo antes de voltar a ter o microfone na mão lá nos bastidores. Foi para o Raw mais tarde nesse ano – antes disso ainda participou num concurso de disfarces de Halloween – e teve finalmente o seu combate de estreia, num 16-Diva Tag onde nem sequer chegou a entrar. Conta como a estreia. Tem que contar porque uma semana depois ia à sua vida. O que lhe valeu foi uma breve passagem em independentes a seguir para conseguir uma vitória a sério em ringue e a competir. Não há muito mais registo no wrestling, demonstrando que não era uma paixão muito forte, ficando a dedicar-se a outras paixões como a modelagem e o surf. E também na sua vida pessoal há curiosidades como o seu casamento com David Draiman, esse mesmo que gosta de berrar coisas esquisitas nos Disturbed.

5 – Trinity

Esta já vinha da TNA antes mas nem aí deixou grande marca entre 2003 e 2005, mesmo que tenha feito coisas mais extraordinárias como competir pelo título da X Division. Em inícios de 2006 chegava à WWE, ao seu território de desenvolvimento quando ainda era a OVW, até fazer a sua estreia no Verão desse ano, na revitalizada ECW, como manager dos Full Blooded Italians. Não conseguiu causar impacto imediato devido a uma lesão que a retirou dos ringues por uns tempos até voltar à ECW e ter alguns combates com pouca história. A ferir ainda mais a sua breve passagem foi o facto de ter feito mais combates em house shows do que em TV. Em Junho de 2007, acabou por ser dispensada e daria poucos mais passos no wrestling, incluindo uma passagem na TNA, por uma noite apenas, no pay-per-view One Night Only: Knockouts Knockdown. Retirada dos ringues, dedicou-se à sua primária ocupação: o cinema. Olhem para a sua vasta filmografia e encontram muitos grandes filmes com sucesso comercial e crítico. Então ela é uma conhecida actriz? Não, na verdade serve de dupla. Sim, uma “stunt double” a sério. E só para ser curioso, um “dark match” que ela teve como “tryout” para a WWE foi contra uma equipa constituída por Beth Phoenix e um tal de Aaron Stevens. Verifiquem quem é esse mancebo se existirem dúvidas.

4 – Rochelle Loewen

Uma que é muito compreensível que não façam a mais mínima ideia de quem seja. A passagem dela foi tão breve que se lhe disserem que ela nunca esteve na WWE, ela até se acreditaria – se não fosse um certo incidente. Uma das tais modelos que a WWE contratava para “eye candy”, foi mesmo só para isso que ela serviu quando lá chegou ao Smackdown em 2004. Aparecia muito backstage quando era necessário Divas vistosas para alguma coisa. Um alto da sua carreira foi trocar “flirtanços” com John Cena quando este ainda era um rapper. Por aí já se vê. Participou em muitos mais segmentos backstage e pela graça de algum santo desconhecido, chegou ao ringue em PPV, no No Way Out de 2005, onde competiu para ser a “Rookie Diva do Ano”. E foi das últimas coisas que fez na companhia. Como poderá ela ser lembrada? Por um célebre incidente no backstage com um tal de Randy Orton quando este era mais jovem e (mais) tolo (ainda). Que o gajo era fresco, já se sabe bem, mas tem que se acrescentar que também era vingativo. Como quando tentou a sua sorte aqui com esta menina mas ela não foi na conversa dele. E a história que correu todas as interwebs foi a de que Randy lhe tinha deixado um “presente” – daqueles extraídos da necessidade fisiológica #2 – na mala. Mais tarde veio a própria desmentir dizendo que o que ele fez foi apenas espalhar cremes e óleos que ela lá tinha para formar uma papa nojenta. Não deixa de mostrar que ele era um indivíduo maduro. Com certeza que ela se sente melhor onde trabalha agora, na rádio. Mas antes disso ainda participou numa série intitulada “Hotel Erotica Cabo”. E também já podem decifrar o género de ficção que se tratava ao olhar para uma das palavras-chave… Vá, já sabem mas volto a dizer, a janela anónima é mais segura e limpa. E já agora digo isto ao Randy também!

3 – Savannah

Mais uma que passou pelos passos todos de uma Diva a que ligam pouco e pouco lhe dão para fazer. Começou pelo Divas Search, sem sucesso, em 2007 e foi contratada pouco depois. Após algum tempo a competir na FCW, subiu para a ECW onde não se tornou uma Diva de respeito e, tal como muitas, começou por entrevistas no backstage. Ainda por aí foi promovida para o ringue… Mas não para competir mas sim como announcer. Assim que a ECW foi substituída pelo NXT, manteve exactamente o mesmo papel e antes de se conseguir dar por isso, já estava a ser despedida em Junho de 2010. Muitos que apenas a conheceram aí ficaram sem saber que ela até sabia lutar e ela então partiu para as independentes para se mostrar. Felizmente a coisa parece estar a correr-lhe verdadeiramente bem ao integrar o Lucha Underground como Black Lotus, algo que já impõe mais respeito. Ironicamente também não passa muito pelo ringue mas sempre lhe vemos um propósito, agora!

Nota: Conhecendo o mau lado de Vince McMahon, apenas fico a temer e a esperar que ele não ache que esta e a Yada sejam todas a Gail Kim…

2 – Amy Weber

Para a lista de Divas que tem um percurso tão longo quanto a duração média de combates de Divas no Raw em tempos recentes. Conseguiu lugar na WWE, no Smackdown, após passar… pelo Divas Search, claro. Aquilo era mesmo uma “search”! Mantinha uma gimmick não activa como consultora de imagem de JBL, o que lhe dava pouco para fazer a não ser acompanhá-lo a ele e aos seus colegas de stable – os Basham Brothers e o Orlando Jordan – ao ringue. Apenas se regista uma rivalidade a sério e foi com a Joy Giovanni, menina que já foi aqui listada, o que demonstra que na primeira metade da década passada o Smackdown era um tal de Divas que não iam a lado nenhum. Foi com ela que teve o seu único combate, que por acaso venceu. Em Fevereiro de 2005 demitiu-se por problemas de assédio no backstage. Consta-se que tenha sido… Randy Orton. Rais’parta ao homem. Desde que saiu, tem feito de tudo. Há pouca coisa que ela não tenha feito. Prosseguiu a sua carreira como actriz, que já tinha antes e que ainda tem e recomendo vivamente que verifiquem a obra-prima que é o filme “Transmorphers” de 2007. Para além de entrar em filmes, também é uma ocasional produtora e também encontra ocasionais papéis em TV. Até pelo teatro já passou. Também nada a impediu de cantar e lançou um álbum de pop em 2012 intitulado “Let It Rain”. Vá lá, alguma que se possa dizer com certeza que até esteja a viver bem.

1 – Brooke

Um caso semelhante à posição 3 por ser alguém bem conhecida mas não como uma Diva da WWE. Até lhe guardei a primeira posição por isso. Ela é bem conhecida e até chegou longe no wrestling e ainda hoje a vemos com regularidade e com gosto. Mas muitos ainda devem torcer a cabeça ao ser-lhes dito que já passou pela WWE. Refiro-me à belíssima e popular Knockout da TNA, já tri-Campeã das Knockouts, Brooke, ou Brooke Adams, ou Brooke Tessmacher ou Miss Tessmacher ou lá o que lhes apeteça chamar no momento. Bem, e então como é que ela chegou à WWE? Pelo Divas Search!! Claro que nem ela podia saltar esta fase. Conseguiu o seu contrato em 2006 e logo ao começar 2007 era chamada à ECW. Como eles inicialmente queriam promover a ECW como sendo “extrema” e “edgy”, esperava-se que ela viesse como uma lutadora agressiva e extrema. Ou então não, o “edgy” era só em termos líbidos e o “extreme” estava no nome “Extreme Exposé”, grupo constituído por ela, Layla – e lembrem-se lá qual foi o concurso que esta ganhou – e a legal por pouco Kelly Kelly. Pouco faziam para além de danças de mexer com níveis de testosterona e exibir-se. Muito tempo à volta do Miz. Graças a isso, pouca acção em ringue se obteve dela para além de battle royals que precisavam de número e aqueles combates colectivos com alguma vestimenta temática. Saiu em Novembro do ano em que entrou sem deixar qualquer marca. Após mais uns aninhos como modelo, em 2010 integraria o plantel da TNA onde ainda se mantém e onde vai tendo episódios esporádicos de sucesso. E, caramba, ainda esta semana ganhou mais um título! Um caso curioso, o que a coloca aqui na primeira posição. E até acredito que muitos se lembrem das Extreme Exposé como a Kelly Kelly, a Layla e a outra. E talvez haja muita boa gente que nem se aperceba que até conhece bem a outra. Foi assim comigo quando comecei a assistir à TNA!

Aqui ficam dez belas meninas que não conseguiram o seu lugar nas memórias de muitos. Olhando para elas, mesmo só olhando para elas, são memoráveis, sim. Mas olhando para o trabalho delas é que não fica nada para recordar. O que faz o resto desvanecer-se. Espero que tenham gostado de recordar todas estas beldades e que tenha sido um tema do vosso agrado. Se alguém levar a mal levar com dez imagens destas, peço imensas desculpas. Agora deixo à vossa vontade comentarem estas dez Divas passageiras, se ainda se lembram delas, se lembram algum potencial desperdiçado em alguma, o que acham das que não conheciam e até acrescentar mais alguma que não esteja cá, com certeza existem muitas mais, sei lá tudo o que foram pescar àquele Divas Search! Na próxima semana pretendo trazer mais um tema que se calhar não seja tão bonito como este. Mas pretendo que seja interessante e entretido. Espero que estejam cá para o ver e lá vos espero. Portem-se bem, continuação de boas férias para a malta que as desfruta e até à próxima!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

12 Comentários

  1. BRRM - há 1 ano

    Como sempre, excelente Top Ten.

    Ri-me bastante com as situações em que o Orton se metia xD

  2. Kauê Souza - há 1 ano

    Excelente artigo,Chris JRM! Parabéns, amo Divas e esses temas são os melhores…

    Bem, não lembro o nome de muitas ex WWE Divas, mas lembro da Francine, recordo-me de assistir um vídeo no Youtube, no qual era uma single match: Kelly Kelly vs Francine, mas antes mesmo do combate iniciar, Jazz atacou ambas, e assim a luta não ocorreu.

    Outra que na minha opinião foi muito apavorada e, não esperou seu tempo foi a Maxine, ela é boa em ringue, e mostrou até uns bons combates com AJ Lee e Kaitlyn. Se fosse persistente, com certeza estaria em feud com as atuais divas, e quem sabe, seria Divas Champion.

    • Gabriela - há 1 ano

      Realmente s Maxine não tivesse saído da WWE,atualmente acho que ela já seria champion,pois tinha uma ótima personagem como heel e lutava muito bem.

  3. Sorlei Rui Oltramari - há 1 ano

    Mais um ótimo Top com um tema literalmente belo, Chris.

    Pelo que pude perceber, a maioria das moças eram as famosas ‘eyecandy’ que você citou no artigo. Com as óbvias exceções, muitas delas não tinham skill e nem cacife para almejar o topo, ainda mias levando em consideração o estado da Divisão no tempo da maioria delas.

    E aquele combate da Miss Jackie foi um desastre. O ponto alto (ou baixo) foi aquele bulldog da Trish que ela vendeu um século depois.

  4. Anónimo - há 1 ano

    Uma boa lista, em vários sentidos, mas que começa muito mal. Nunca na minha vida eu iria esquecer a Joy Giovanni, a Serena e a Ariel, principalmente a última, porque eu sou de tal forma tarado e maluco que se ela me aparecesse assim à frente, com aqueles dentes de vampira, eu ficaria maluco. :P
    Há e a Serena era bem boa…wrestler, também. :P

  5. lmfcp2012 - há 1 ano

    mais um otimo artigo realmente da brooke so me lembrava da extreme expose

  6. The Glamazon - há 1 ano

    Carmella DeCesare também poderia entrar na lista não é? Amy e Joy ♡

  7. Mafi - há 1 ano

    Bom TOP Ten, lembro-me de algumas e de todas essas a que gostava mais era a Serena, só o look dela metia as outras num canto, adorava-a. Tenho tanta pena que a WWE nunca tenha utilizado-a como ela realmente merecia.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador