Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Top Ten #133 – Surpreendentes Eliminações da Royal Rumble

Sejam bem-vindos a um novo Top Ten que volta à vida após uma semana desaparecido! Nada feito por mal, mas não pude mesmo marcar a minha presença. O certo é que entretanto houve uma Royal Rumble, essa é que não falha. E é claro que um dos mais altos pontos do ano tem que servir de inspiração para um tema. E com este texto escrito depois da sua ocorrência, até deu para já me servir dele para completar a lista. É que até foi uma Rumble de cortar a respiração várias vezes!

O que caracteriza sempre um evento como a Rumble são as surpresas. E nem me refiro só a regressos e estreias. Num combate de brincar tanto com os nossos nervos como a Rumble, é normal vermos sempre alguma eliminação que nos cause choque, que nos deixe parado a olhar para o ecrã. Algo que ninguém esperava. Uma eliminação ruidosa. Até pode fazer uma carreira como pode ser casual e ficar totalmente esquecido. Mas olhemos para algumas eliminações que aparvalharam o bom povo:

10 – Chris Jericho 2012 (Por Sheamus)

https://youtu.be/Kz1caMosXJU

Até pode nem ter sido algo de silenciar uma plateia de mãos na cabeça. Mas trocou as voltas todas do público que achava que já tinha a Rumble calculada, escrita e prevista. Num início de ano marcado pelo regresso críptico de Chris Jericho, estava estampado por todo o lado que vinha para enfrentar CM Punk na Wrestlemania, pelo WWE Championship. O caminho mais fácil e óbvio seria vencendo a Royal Rumble. No final ficou com Sheamus, que ainda estava a definir o seu rumo entre o midcard alto e o main event, após uma Face Turn. Parecia fácil e já se via de longe o vencedor. Isso até esse vencedor receber um Brogue Kick e cair inanimado no exterior deixando o Celtic Warrior como o real vencedor. Fintaram-nos todos. Se por um lado muitos vêem Sheamus como um fraco vencedor de Rumble, defendo esta vitória. Muitos acusam esta Rumble simplesmente por não ter sido vencida por Jericho… De longe o mais previsível. Quase o único que era ridiculamente previsível. E nós bem sabemos que quando eles são previsíveis o público é imediato a deitar foguetes…

9 – Wade Barrett 2013 (Por Bo Dallas)

https://youtu.be/Vn02ebSg9MM

O Wade Barrett ser eliminado por alguém hoje em dia é tão chocante como o Roman Reigns ganhar ao Miz. Mas aqui existiam diferentes circunstâncias. Wade Barrett era Campeão Intercontinental – era essa altura do ano – e a Rumble era visitada pelo jovem rookie Bo Dallas. E a ordem de eliminação foi mesmo essa: o rookie amador vindo do NXT como “emprestado” eliminava o Campeão Intercontinental! Este levou tão a bem que reentrou e eliminou o rapaz. Bom perdedor. É claro que este não era o mesmo Bo Dallas que tanto adoramos actualmente. Não era inspirador, com “Bolieve” ou a meter o Flo Rida num bolso em “rap battles”. Este era o Bo Dallas pré-NXT Championship, um babyface sorridente genérico que não convencia muitos. Daí que não convencesse e a tal eliminação desse numa feud que nunca viu grande resolução, a não ser mais uma rápida vitória “upset” de Bo no Raw. Voltou para o NXT onde se viria a moldar progressivamente e tornar-se no Bo Dallas que adoramos actualmente. Ele que elimine alguém agora. Qualquer um. E a reacção certa é uma bela de uma “victory lap”!

8 – Shenanigans de Shawn Michaels

https://youtu.be/GLlqsqqABe4

https://youtu.be/-Gxpvf1CmtM

Dupla entrada para o HBK aqui. E vamos por ordem cronológica. Primeiro viajamos até 1995 onde Shawn Michaels foi patrão e venceu como primeiro participante a entrar. Ainda era relativamente impensável naquele tempo. Como é que ele faz? Enganando British Bulldog e muita boa gente que pensava que o Britânico tinha o combate ganho e Michaels estava eliminado. Sublinha-se a regra: ambos os pés devem tocar no chão. Shawn Michaels só lá foi com um e continuou legal no combate. Deu perfeitamente para apanhar Bulldog e todos os restantes desprevenidos e eliminá-lo para vencer. Histórico e infinitamente revisitado.
Avançamos então mais um ano em que HBK foi um absoluto “badass”. Não só tornou a ganhar – patrão, lá está – como teve que fazer grandezas antes disso. Como eliminar gajos pequeninos como Vader e Yokozuna… Ao mesmo tempo. Quais gigantes, quais quê! O Shawn Michaels! Com uma dupla eliminação! Do Vader! E do Yokozuna! Isto das Rumbles não é para meninos!

7 – The Miz 2008 (Por Hornswoggle)

https://youtu.be/1zg2Y79sZfw

O Hornswoggle fazer coisas já nem é propriamente um choque. Só se for ao ser suspenso por violações da Wellness Policy, isso já apanha um gajo mais de surpresa. Mas em 2008, ainda era ele relativamente recente e aliado a Finlay, já fazia asneiras, como ser um participante da Royal Rumble e surpreender ao vir de casa, ou seja, do sub-ringue. Com essa surpresa, consegue puxar um pobre indivíduo que só estava ali a dar o seu litro, sem contar com aquilo. The Miz. Ainda aliado a John Morrison, este Miz ainda não tinha tão alto calibre e uma eliminação destas ainda não era um pontapé tão colossal na sua carreira. Só dois anos depois é que viria a tornar-se WWE Champion e um incontornável Main Eventer capaz de sofrer tombos sofríveis. Ou então….

6 – Hulk Hogan 1992 (Por Sid Justice)

https://youtu.be/PXMgdbjvE1E

Uma eliminação do Hulk Hogan resultaria facilmente em choque, era o Hogan. Mesmo que fosse em 1992, quando a Hulkamania já não podia ter o mesmo gás que na anterior década. Em 1992, pela primeira vez, houve um prémio por vencer a Rumble, que era o WWF Championship vago – ninguém a defendê-lo num “One vs All” – que viria a pertencer a Ric Flair, vencedor do clássico ainda hoje considerado como um dos melhores combates Royal Rumble de todas as edições na história. E Sid Justice, assim era Sid Vicious/Psycho Sid conhecido, vinha causar um grande alarido quando, perto do final do combate, elimina Hulk Hogan para choque de todos aqueles que acreditavam que o combate era apenas uma desculpa para colocar uma legião de marretas a fazer de conta que lutavam por mais um título que ia para ele. Nope, Hogan fora. Claro que Hogan reage como um babyface respeitador, bom perdedor e realista… Atacando Sid e ajudando na sua eliminação, fulcral para a vitória de Ric Flair. Hoganzices.

5 – Roman Reigns 2016 (Por Triple H)

https://youtu.be/ulhWRtTMlO8

O Triple H eliminar alguém não define bem choque. O Triple H eliminar malta em 2016 ao ponto de ganhar aquilo é daquelas coisas, pronto. O certo é que Reigns vinha com aquela conversa do “One vs All” que era quase como dizer que ia sair por cima daquela treta toda e nós íamos ficar a ver. Um potencial vencedor, Brock Lesnar, já estava fora, noutro choque de eliminação anterior. Foi quando estávamos todos à espera que o Dean Ambrose fosse varrido e tivessemos um intenso frente-a-frente entre Triple H e Roman Reigns para continuar a streak de fins pouco imprevisíveis que se tem tido nos últimos anos. Um gajo pasmou um pouquinho ao ver Triple H virar Reigns para o exterior do ringue e ficar sozinho com Ambrose. A malta até explodiu e deu por si a fazer as taunts de DX que o próprio Trips fez em histerismo. Foi mais pelas circunstâncias. É de admitir que Triple H vencer não é chocante ou assim tão surpreendente. Foi mesmo de Reigns não ficar para último eliminado. Como se o povo não torcesse já que chegasse pelo Dean Ambrose!

4 – Daniel Bryan 2015 (Por Bray Wyatt)

https://youtu.be/nzP5zQqGFWo

Posteriormente, olhando para a saúde de Bryan mais tarde… Ainda bem que ele não ganhou, havia de ser bonito lutar contra o Brock Lesnar na Wrestlemania e sair de lá inteiro. Mas recordando a altura, temos aqui uma decisão que apenas pode ser classificada em bom Português que talvez alguns achem calunioso: uma cagada. Com um combate a gritar “Roman Reigns” como vencedor a toda a goela, o povo precisava, no mínimo de alguma esperança, algo que os prenda a torcer por algo. Daniel Bryan estava lá para isso. Que tremenda Rumble que ele ia ter até ali ao fim dela. Vejam como ele batalha para se manter no combate como um verdadeiro underdog que supera tudo. Olhem ele na beira do ringue a ser empurrado pelo Bray Wyatt e a cair lá fora e a ser… eliminado? Após 10 minutos de participação? Instalou-se um silêncio desconfortável. Parecia o fim da streak no ano anterior. E então instala-se o caos, arma-se a barraca e as vaias vêm ensurdecedoras e não vêm para parar. Dispersou a atenção da plateia, matou o resto do combate. E Reigns ainda nem tinha entrado! Qual Muhammad Hassan, estava ali a maior pária da história da Rumble e as vaias eram tão altas como se as próprias vaias estivessem a vaiar. Final previsível com Reigns a sobreviver sobre a Authority. Nem The Rock lhe valeu. Bryan… Já nem sinal dele há mais de meia hora!

3 – The Great Khali 2010 (Por Beth Phoenix)

https://youtu.be/cnITsuEWp1s

A entrada em si já é uma entrada surpresa porque mulheres na Rumble não é a coisa mais comum do mundo. Acontece que a Beth Phoenix tem alcaboiço para dar cabo de uma grande parte dos machos daquele plantel, portanto conseguiu o seu lugar. Mas não tinha desafios fáceis à sua frente. The Great Khali era um participante. E, por muito forte que ela seja, é difícil mexer um poste. Logo teve que recorrer a tácticas extremas. Fazer algo que eu sei bem que não faria. Agarrou-se ali á caixa córnea do gigante e aplicou-lhe um fatal Liplock, servindo-se das beiças para conseguir distracção e impulso para o puxar por cima da corda e o eliminar. Agradecimentos à bela Beth Phoenix por livrar-nos do mal. Seria logo a seguir eliminada por CM Punk, porque ele é um cavalheiro. Mas que já teve sorte com a menina Phoenix portanto, quem sabe, isso até é um bom método de conseguir alguma coisa…

2 – Steve Austin 1999 (Por Vince McMahon)

https://youtu.be/JUxvx0Qu6iE

É, queixem-se do Triple H ganhar este ano e culpem-no nos dias de hoje. A sagrada Attitude Era também tinha muitos pontapés na fruta do povo e é aí que temos que nos aperceber que faz tudo parte do produto. Se pareceu mal a muitos ter o quase-patrão da companhia que só luta de vez em quando a ganhar o combate e o título… Em ’99 foi o patrão que nem era lutador – mas ia ao ringue levar uns tombos quando era preciso. Tudo da forma mais manhosa que um vilão podia conseguir, ao ser o segundo participante mas a passar o combate nos comentários. Antes de o Miz ter tido essa ideia. No final, só teve que aproveitar a tão fulcral e planeada distracção para conseguir empurrar Steve Austin por cima da corda e vencer toda a maldita Rumble para escândalo daquele povo. Infame, muitos consideram este momento um clássico, mesmo que pelas razões erradas. Hoje em dia, quase foi utilizado como escala, comparando os banhos de heat recentes sobre Batista e Roman Reigns, em comparação a este. Aqui sempre era suposto, ao menos.

1 – The Undertaker 2002 (Por Maven)

https://youtu.be/mYZoGACeqt4

Em primeira posição e sei que não sou o único que o faria ou que o fez. Considerada ainda a maior “upset” da história do Royal Rumble. Undertaker, fosse ele um morto-vivo ou um motard badass como era aqui o caso, é sempre um gajo difícil de eliminar e é sempre um favorito quando entra. Até já a ganhou. Mas claro que é possível eliminá-lo, nem que seja o Giant Gonzáles a estrear sem fazer parte do combate. É só um exemplo. Talvez o pior, mas um exemplo. Agora algum choque tem que causar quando quem consegue essa proeza é… Maven. Um vencedor do Tough Enough, no alto da sua amadora carreira no midcard, com os seus míseros 100kg, se lá chegava. Quando entrou teve que haver mais que uma cotovelada ao amigo do lado, no público, a perguntar “Este quem é, mesmo?”. Que surpreende tudo e todos e elimina Undertaker com um dropkick certeiro que o fez virar para fora. Undertaker reagiu bem e eliminou-o a ele e deu-lhe um enxerto de porrada pela arena fora. Não tinha carreira a estabelecê-lo antes, os feitos que vieram a seguir não foram suficientes para lhe dar carreira memorável. Até conquistou o Hardcore Championship mais que uma vez, a Undertaker mesmo, rivalizou com os Evolution, teve uma oportunidade pelo Undisputed Championship de Chris Jericho, mas nada que o mantivesse na boca do povo até hoje. Visitem até a sua página na Wikipédia. Logo na introdução, listam os seus feitos mas concluem admitindo que é mais conhecido por eliminar Undertaker da Royal Rumble de 2002. Agora o que é mesmo fixe: imaginem que a rivalidade se estendia até à Wrestlemania e Maven vencia. Ah pois é!

E é com estes dez momentos que fecho mais um Top Ten e que continuo a ter a Rumble como assunto. Já não deve ser preciso bater mais no ceguinho daqui em diante e podemos olhar já para a Wrestlemania. Não é que seja mau falar-se de Rumble, mas ela já foi. Como sempre, concluo passando para vós para que comentem de vosso melhor grado o que acharam do tema, destes momentos aqui destacados e se têm uma memória melhor que a minha e acham que está alguma coisa a faltar. Perdoem lá o atraso, é no que dá ser um atraso de vida como eu e marquem presença na próxima semana, que tenciono cá estar. Até lá fiquem bem e, especialmente os leitores Brasileiros, toca a preparar para o Carnaval!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

4 Comentários

  1. RybackChampion2015 - há 10 meses

    Excelente artigo, até hoje eu dou risada lembrando do Miz sendo eliminado pelo Hornswoggle.

  2. Cunhado do Seth Rollins - há 10 meses

    Cadê o menino Santino?? Sendo uma vez eliminado por Alberto del Rio e na outra sendo eliminado rapidamente por Kane kkkk

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador