Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Top Ten #138 – Rivais Incomuns de Undertaker

Sejam bem-vindos a mais um Top Ten que espero que puxe um mínimo de conversa. É essa a minha conversa sempre. Na semana anterior, mantive Shane McMahon como centro das atenções para o tema e o seu regresso foi suficientemente grande e surpreendente para estender essa atenção até esta semana. Mas agora para o outro lado.

Esta semana já tivemos uma visita de Undertaker. Que deve ter deixado o forno ligado em casa e com a Michelle McCool para fora, porque foi uma visita muito rápida e que não nos adiantou muito em relação à estranha rivalidade, se assim lhe chamaremos, com Shane McMahon. Este rapaz de nome gigante que é um dos menos ortodoxos adversários que Undertaker virá a encontrar. Como outros que ele já teve. Há nomes que associamos bem a Undertaker e com quem temos boas memórias de trabalhos em conjunto. Há outros que nem por isso. Aqui destaco dez desses, dez nomes que não constam na lista de vítimas da streak – mesmo que exista por lá cada postal à la Giant Gonzalez que podia aqui estar se não fosse esse mesmo factor – e dez nomes que não ocorrem imediatamente quando o assunto é uma listagem de rivais do “Dead Man”. E sim, noto que faço muito disto.

10 – Goldust

Ah pois, o “Bizar One”. Andam, actualmente, em níveis semelhantes. Um é uma lenda que vai aparecendo de vez em quando, só para os eventos grandes, para ter um co-main event de vender bilhetes. O outro anda a tentar convencer o R-Truth a juntar-se a ele em segmentos horríveis ou sexualmente sugestivos. Caminhos semelhantes. Mas conseguiram encontrar-se em 1996, numa espécie de “subfeud” de uma feud com Mankind. Não essa que fez o Mankind aderir a spots extremamente falsos como o bom povo diz. Uma antes dessa. Em que, lá de alguma forma, Mankind se encontrou sob o domínio de um gajo ainda mais tolo do que ele: Goldust. Que era Campeão Intercontinental na altura e cruzou o seu caminho com Undertaker, como parte da aliança com Mankind. Já serviu de pretexto para Undertaker tentar a sorte a um título, no “In Your House 8: Beware of Dog” – tinham nomes, no mínimo, peculiares para os PPVs – mas sem sucesso. Mankind interferiu e lembrou-o de que os seus principais problemas eram com ele. O Goldust que seguisse lá com as suas esquisitices.

9 – Mr. Kennedy

Até considero memorável. Este é do tempo do “boom” Português, o que eu lhe chamo o meu tempo, o nosso tempo. E lembro-me bem disto e lembro-me de gostar bastante, mesmo que o Kennedy não tivesse métodos lá muito famosos de sair por cima. Mas ainda foi uma rivalidade longa. E era dos meus tempos de mark pré-púbere, eu torcia pelos Faces, mesmo que respeitasse as habilidades dos Heels. Mas o Mr. Kennedy era dos Heels que eu verdadeiramente gostava. Bem mais do que um Mr. Anderson Face actual. O convencido Superstar entrou nesta feud de enorme calibre enquanto era United States Champion e se encontrava numa ascensão que parecia imparável. Esta história foi significativa: conseguiu reunir os Brothers of Destruction pela primeira vez em cinco anos, contra a aliança de Mr. Kennedy e MVP. Feud dividida em duas, o foco de Undertaker manteve-se em Kennedy, contra quem perdeu um First Blood no Survivor Series de 2006 – com manhas, claro – mas que venceu num combate Last Ride no Armageddon desse ano. Kennedy continuou a estorvar e a custar oportunidades ao título a Undertaker, até à Royal Rumble de 2007, onde Undertaker encontrou algo novo com que se entreter. Uma Rumble para ganhar e tal. O Mr. Kennedy… Esse safou-se de ser filho do Vince… Mas se calhar mais lhe valia!

8 – Diamond Dallas Page

A feud em si até pode ser recordada, mas é uma época esquecível de Undertaker e daquelas que nem vale a pena lembrar muito. Uma fase pouco característica de Undertaker, em que se encontrava em baixa forma e com performances muito abaixo de qualquer expectativa. E também não lhe arranjavam histórias que fossem grande espingarda. Pela altura da “Invasion”, Undertaker também tinha que arranjar os seus problemas com alguém. E esse alguém era um stalker que perseguia a sua mulher, Sara, com direito a imagens da mansão de Undertaker, algo que ia totalmente contra a sua habitual personagem tenebrosa. O esquisitóide tarado foi revelado como sendo Diamond Dallas Page e deu trabalho a Taker e aos Brothers of Destruction, que se juntaram para o derrotar a ele e a Chris Kanyon numa jaula, no SummerSlam de 2001, com os títulos de Tag Team da WCW e da WWF em jogo. E tanta coisa quando o homem se calhar só a queria recrutar para umas aulinhas de ioga…

7 – Shane McMahon

Pronto, a entrada especial. Bem disse que não incluiria as vítimas da Wrestlemania mas cá está o Sr. O’Mac. Mas justifica-se: 1) já não há streak. 2) O combate ainda não aconteceu e isto ainda está a decorrer. 3) Ainda não sei bem o que raio se está aqui a passar. Uma situação bipolar: por um lado, isto foi o maior “asspull” que podiam ter arranjado, em que Vince simplesmente lança o desafio/imposição no filho de enfrentar Undertaker na Wrestlemania, num Hell in a Cell. Mesmo a sangue frio, um gajo ainda se estava a recompor na cadeira depois do salto em reacção ao regresso do homem. Por outro lado, é a primeira vez que Undertaker está numa história propriamente concreta em direcção à Wrestlemania, além do mero “tenho uma streak e tu queres acabar com ela e eu não vou deixar” ao qual já nem pode recorrer. Até agora o mais próximo tinha sido com Bray Wyatt, mesmo que a história se baseasse em promos de “Oogity boogity boo” de Bray Wyatt em que ele queria andar à porrada com um gajo mais assustador que ele. O consenso geral é de que é o adversário mais esquisito e menos esperado que podiam arranjar para a tradicional visita de Undertaker à Wrestlemania. Mas olha… Melhor que o Braun Strowman!

6 – Heidenreich

Enfrentemos a verdade, mas é. Alguém se lembra realmente de Heidenreich para além do gajo da poesia perturbadora e que ficou demasiado íntimo com Michael Cole? OK, a sua interacção com o Snitsky está lá encima num Top de grandes momentos, sem dúvida, mas algo mais para além disso? A brincadeira começou com um Last Ride entre Undertaker e JBL pelo WWE Championship, no No Mercy de 2004. JBL venceu com interferência do grandalhão, para enigma de muitos, e Taker voltou a sua atenção para ele. Derrotou-o no Survivor Series desse ano, para se poder voltar a concentrar no WWE Champion, para que o raio do gajo de nome esquisito metesse o bedelho outra vez e o obrigasse a derrotá-lo mais uma vez, no Royal Rumble de 2005, num Casket Match. Chatinho! Para todos, visto que não foram combates pelos quais o público morresse por ver ou tivesse ficado muito impressionado… Vá, Heidenreich, vai lá procurar consolo no Michael Cole…

5 – Maven

Se ali o Goldust conta como uma “subfeud”, vou classificar estas desventuras com o Maven como uma “pré-feud”. É que o vencedor do Tough Enough vinha com a pica toda mas não tinha alcaboiço para uma feud com Undertaker em 2002 e serviu mais como peão no meio disto tudo. Mas fez as suas asneiras. A verdadeira feud foi com The Rock, algo que já se vê como mais normal, sendo dois Superstars de altíssimo calibre a colidir numa secção alta do card. Mas porque é que The Rock se metia com Undertaker? Porque este tinha sido eliminado por Maven na Royal Rumble, numa das maiores – ou a maior – upset da história do combate e o Rocky não podia ficar calado e tinha que mandar as ensaboadelas dele. Mas os problemas entre Undertaker não foram assim tão passageiros. Acontece que Undertaker era Hardcore Champion e aquela brincadeira da Rumble inspirou Maven a competir pelo título… Que ganhou. Com ajuda de Rock, claro e foi com ele que Undertaker colidiu no seguinte PPV. Mas Maven não foi uma mera pedra no sapato de Undertaker. Ou foi mas era bem grande. Maior que o próprio Maven!

4 – Kama

Olha aqui um Hall of Famer! Começa a achar-se que o Hall of Fame terá que acrescentar novas secções para além da “Celebrity Wing”, como a “Secção Koko B. Ware”, à qual se parece juntar actualmente The Godfather. Pessoalmente, eu markaria muito mais para a introdução do Papa Shango mas Charles Wright, homem que não parece totalmente acabar de se tornar um Hall of Famer mas sim a sua personagem, já teve imensas faces. Inclui-se a de Kama, introduzido em 1994, com uma gimmick inspirada em lutador de MMA e que se juntava imediatamente à Million Dollar Corporation de Ted DiBiase. Que no momento andava em rivalidade com Undertaker, como possam ter adivinhado. Kama tomou o seu lugar nas turras com Undertaker da forma mais descarada e cara-de-pau possível. Em plena Wrestlemania XI, durante o combate do Dead Man com King Kong Bundy, rouba-lhe a urna! Que viria a derreter para fazer um colar! Lá o pelintra! As coisas intensificavam-se e Undertaker recuperaria a sua jóia, agora com nova forma, no SummerSlam num já histórico Casket Match. E nós ficamos aqui só com o bichinho e a vontade não correspondida de ver, hoje, um combatão entre Undertaker e Godfather na Wrestlemania!

3 – The Executioner

E olhem mais um Hall of Famer! Que por acaso também é dos novos, o que mostra que Undertaker até conhece bem esta turma de 2016 – bem, o cabeça talvez não e isso é uma história que dói a muitos. Mas este tem o seu lugar lá bem mais merecido e até atrasado. Mas não com esta forma. Até porque uma importante chave para se lembrarem da rivalidade com The Executioner, é lembrarem-se sequer de quem era o The Executioner. Terry Gordy fez bastante história pelo mundo fora como parte dos Fabulous Freebirds, mas teve uma última passagem pelos ringues, na WWF, em 1996 com uma fraca gimmick de seu nome “The Executioner”, que andava com uma máscara e um machado de plástico. Não é por aí que se fazem estrelas. E veio, só e imediatamente, para se juntar a Mankind e Paul Bearer nas tormentas a Undertaker. Interferia em todos os combates. Um Buried Alive entre Undertaker e Mankind, Executioner interferia. Combate no Survivor Series com a estipulação de ter Paul Bearer preso numa jaula pendurada acima do ringue, à mercê de Undertaker para o que ele quisesse, se vencesse, Executioner interferia. Acho normal que isto farte qualquer um. E Undertaker fartou-se. Voltou as suas atenções para o Executioner e no “In Your House: It’s Time” derrotou-o num combate “Armageddon Rules”, que se baseava simplesmente num Last Man Standing. Sacudiu as mãos, partiu para outra e Executioner simplesmente partiu, abandonando a companhia e deixando esta sua interacção com Undertaker como único legado.

2 – Mr. Hughes

Mas quem raio era este gajo, mesmo? Um gajo grande e meio esquisito que chegou à WWF em 1993 para partir tudo. Partiu uma loucita e foi embora passado uns meses. Mas vinha com planos. Parecia ser o monstro, a arma secreta de Harvey Wippleman que recrutava todo o tipo de Superstar para tentar tramar Undertaker. Logo Mr. Hughes foi mais um daqueles que lhe roubou a urna. Até podia dar nalguma coisa mas roubava a urna e squashava jobbers para depois não ganhar um único combate contra Undertaker e ir embora a seguir. O valentão. É que não há muito mais a dizer para além disto. Até vos podia detalhar um pouco acerca de Mr. Hughes mas há pouco a dizer. Era um tipo agigantado que lutava de chapéu e óculos escuros. E quando digo isso, digo que ele não os tirava para lutar. E quando digo isso, digo que eles normalmente nem saíam porque ele não se mexia muito para isso. Creio que já esteja muito esclarecido aí e que realmente não valha a pena falar-se mais do Sr. Hughes…

1 – Ele mesmo?

Pronto, deu em tolo. Ou deu em esquizofrénico ou andou a atirar-se por mesas dentro sozinho à moda do Al Snow. Ou então uma feud que acontece com gajos deste género, que até o Kane já passou por isso. Impostores a ver se conseguem uma carreira igual. Após a Wrestlemania X, em 1994, que Undertaker falhou e na qual não pôde vitimizar ninguém para a sua streak, a malta andava a dizer que via o Undertaker por aí. E ele andava desaparecido há um tempito. Confirmam-se os rumores, ou quase, e Ted DiBiase apresenta o retornado Undertaker. Ou então não era bem assim e aquele era um falso, a quem os fãs se referiam carinhosamente como “Underfaker”. Este Undertaker era interpretado por Brian Lee que teve passagens pela ECW como Bulldozer ou Killdozer, na WWF mais tarde, como Chainz membro dos Disciples of Apocalypse de Crush e no início da TNA, como parte dos Disciples of the New Church, com quem venceu os títulos de Tag Team aos America’s Most Wanted de James Storm e Chris Harris. A sua primeira passagem notável foi como um Undertaker fajuto. Que foi surpreendido pelo verdadeiro Undertaker que não achou muita piada à brincadeira e quis ir-lhe às trombas. Não vejo porquê, qual é o mal de um furtozinho de identidade? Resolveu os problemas no SummerSlam de 1994, com três meigos Tombstone Piledrivers e mandando-o empacotadinho num caixão para fora da companhia. Existiam planos para prosseguir a rivalidade, mas ficaram por aí e Brian “Undertaker de Marca Branca” Lee foi à sua vida. As carreiras de ambos? Não são das mais semelhantes, por acaso…

E com estes dez cavalheiros que já se podem orgulhar de dizer que já trabalharam com o lendário Undertaker me retiro. Um Top Ten à moda do Top Ten, creio eu, mas espero que tenham gostado, como sempre. E que se sintam com vontade para comentar estes Superstars e o que se lembram deles e das suas ligações a Undertaker. Fica também o habitual apelo para que se lembrem de mais algum e acrescentem nos comentários “Lembram-se daquela feud intensa que teve com o JTG?”, se tal aconteceu. É a conversa habitual. Assim como a do meu regresso na próxima semana, que convém que não seja só conversa. Vejo-vos lá, portem-se e bem e uma continuação de uma boa Road to Wrestlemania, com ou sem solavancos bruscos!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

7 Comentários

  1. Frederico_WWE - há 9 meses

    Bom!

    Devo dizer que estes teus artigos são “Underrated” para caneco… como é que não há mais pessoal a passar por aqui?
    Enfim não me canso de dizer que isto sim é que é fazer humor/comédia com qualidade e ao mesmo tempo não deixando de ser sério na análise e na “mensagem” a passar.

    Só um reparo se é que se pode chamar isso… o Heidenreich foi Tag Team Champion com o Road Warrior Animal e dominaram em 2005 grande parte da divisão Tag Team da SmackDown… ou seja acabou por ter uns meses bem relevantes e em 2004 segundo se soube havia grandes planos para ele… a que depois não teve sequência.

  2. Thiago.l - há 9 meses

    Otimo artigo

  3. RFBM - há 9 meses

    Bom artigo. Na minha opinião, a sua feud pelo título Intercontinental com o Goldust e a sua rivalidade com o DDP podiam ter sido mais do que o que foram. Na primeira, uma rivalidade mais longo teria dado mais aos dois e na segunda se o DDP se apresentasse na WWE, como nos seus tempos de WCW, a sua feud com o Taker poderia ter sido bem melhor.

  4. Anónimo - há 9 meses

    Muito bom! A feud com o DDP poderia ter sido bem melhor, pena não aproveitarem.

  5. LesnarF5 - há 9 meses

    Uma lenda, que nunca perdia na wrestlemania venceu HBK duas vezes e triple H três, perdeu para um part time, agora pode perde para um nao wresting, que nao luta a seis ou sete anos. Enfim oque dizer ? …

  6. Anónimo - há 9 meses

    Falta o khali

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador