Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Top Ten #144 – Os que ainda lá não estão…

Bem-vindos a um novíssimo Top Ten! Daqueles Tops em que tenho que começar com um pequeno pedido de desculpas pela minha ausência na semana passada. Acontece. Mas realmente podia acontecer menos. Mas indo directo ao assunto, estamos numa era do caraças, chamando-lhe assim com toda a simpatia e cuidado linguístico. Paira um certo surrealismo sobre os tempos actuais da WWE com tanto star power novo que finalmente chega àquelas andanças. AJ Styles reencontra amigos antigos dos Bullet Club em Luke Gallows e Karl Anderson. A rivalidade eterna de Kevin Steen e El Generico já se estendeu até ao Raw. No NXT já brincam Samoa Joe, Austin Aries, Shinsuke Nakamura e por aí fora. Já lá chegou Eric Young há pouquíssimo tempo e por um breve momento passou lá James Storm.

Vai tudo lá parar agora e o povo vai sempre agradecendo. Mas não se esgota disto. Afinal quem falta? Muitos, com certeza. Aqui listo só dez. Varia entre o “devia lá ter estado”, “ainda pode vir”, “faz lá falta” ou “não faz falta nenhuma”. Nem todos são iguais. Mas todos se podem “gabar” de não terem um contrato com a WWE no currículo.

10 – Abyss

Um caso de alguém que não faz falta lá. Até porque já deu o seu melhor e também não é dos que mais falta faça onde está, actualmente, mesmo que tenha história empregue. Mas resta, em pé, quase sozinho como “TNA Original”. Chegou a ter propostas para a WWE mas nunca andou para a frente, construindo a sua fama à volta de um vasto currículo na TNA, onde fez de principal monstro – uma bela “lovechild” entre o Kane e o Mankind como muitos o baptizaram. Já não são muito presentes os tempos em que era um monstro verdadeiramente ameaçador – entrar ao som do Marilyn Manson também já não serve de muito – , já não acrescentando algo à TNA sequer, quanto mais mudar de casa para acrescentar lá alguma coisa. Mas deixou marca. Para além das marcas que deixou nos corpos de adversários com o seu estilo de combate mais violento!

9 – Ricochet

Lutadores high flyers independentes há muitos. Se calhar até há demais. Tem que haver algum destaque quando muito se considera o melhor high flyer independente da actualidade. E talvez não só independente. Ricochet já tem vindo a impressionar há bastante tempo mas já captou mais atenção de mais olhos nos tempos actuais enquanto pasma um templo sagrado no Lucha Underground, mascarado e conhecido como Prince Puma. Até já se falou num certo interesse por parte da WWE em expandir o seu leque de voadores loucos e acrescentar o popular Ricochet à lista. Será boa ideia para já, com um Neville difícil de administrar e com um Evan Bourne deitado fora? Não existem dúvidas de que ele daria espectáculo, mas… Deixariam?

8 – The Motor City Machine Guns

Olhamos e vemos uma boa divisão Tag Team no NXT. Também já existe uma divisão mais que bem palpável no plantel principal, onde até já dá para fazer um torneio. E ainda por cima chegam lá aqueles valentões dos amigos do AJ Styles, que tinham que estar em par. Então agora imaginem quão mais rico ficaria esse torneio ou essa divisão se por acaso também por lá andassem uns certos Motor City Machine Guns de Chris Sabin e Alex Shelley? Com uma popularíssima equipa actual da Ring of Honor, com história feita na TNA, para além de terem um ex-Campeão Mundial em Chris Sabin, tinham uma entusiasmante e atlética equipa nadinha estranha a ouro de equipas. Dar-se-iam lindamente com aquela malta que por lá também anda aos pares!

7 – The Briscoe Brothers

Já explicaram os próprios que aquela imagem que temos deles e aqueles segmentos que os mostram como dois simples rednecks que gostam de andar pela sua quinta, a tratar da casa e dos seus camiões e das famílias não é mera gimmick. Eles são mesmo assim. Daí que não achem que a vida de estrada da WWE se adeque a eles. Porque as propostas já lhes chegaram e por mais que uma vez. Nem é de admirar. É debatida como a possível melhor equipa da história da Ring of Honor onde já ganharam uma porrada de títulos. Mark Briscoe está carregado de carisma cómico e Jay Briscoe sabe como dominar um microfone e ainda leva o prestígio de ser um dos dois únicos bicampeões Mundiais da Ring of Honor – o outro, já eles o têm. Em ringue, é indiscutível. Podia dar tudo certo se não fosse realmente o factor das suas vidas pessoais e familiares e, claro… Os ideais de Jay Briscoe que já o colocaram em água a ferver iam causar-lhe sarilhos bem maiores num empregador daquela dimensão!

6 – Jay Lethal

Reina actualmente. Com título mesmo, actual ROH World Champion, título que chegou a ter em simultâneo com o ROH TV Championship. Tornou-se o Campeão Mundial da companhia ao derrotar Jay Briscoe por pin, o primeiro em cerca de dois anos a consegui-lo. E já um integrante da lista de favoritos pessoais há um bom tempo. Fez nome em muitos sítios, solidificando uma carreira tanto na Ring of Honor, onde detém recordes com os seus títulos, como na TNA onde foi X Division Champion por seis vezes. E onde tinha segmentos hilariantes com Ric Flair, quem esquece isso? Se a contratação se desse, acredito que seria “daqueles” que ia para a lista, que manteria o nome, que teria uma ovação colossal e que acrescentaria ao surrealismo de um NXT moderno mas a contribuir para a sua qualidade também. Mas mesmo sem ser ainda um integrante ou alumn da companhia, já lá deixou marcas. Aqui o Sr. Lethal treinou – e chegou a envolver-se num relacionamento – com a nossa adorada AJ Lee, que também deixa saudades. Ah, touro!

5 – Christopher Daniels

Mais um nome com uma certa dimensão. Com isto quero dizer que o tipo é enorme e tem legados jeitosos por onde passou. Com carreiras notáveis e respeitosas na Ring of Honor e na TNA, passando também pela New Japan Pro Wrestling, pode muito bem destacar-se com a distinção agridoce de ser quiçá o melhor competidor dessas promoções que nunca se sagrou Campeão Mundial. Sempre retido no midcard, fez carreira a ser um peixe grande em lagos pequenos – referindo-me às suas posições no card e não às companhias. É que também nunca se pôde gabar de ser um WWE Superstar. Mas esteve lá. É um exemplo menos ortodoxo nesta lista e talvez por isso é que não o tenha numa posição mais alta mas ele já lá esteve. Mas lembram-se bem dele de dark matches, como jobber no Sunday Night Heat e outros que tal ou como o Dos dos Los Conquistadores quando Edge e Christian – que posavam como os Conquistadores – queriam convencer o mundo de que não eram eles mascarados? Daniels na WWE não é isso. Nem o Curry Man!

4 – Adam Cole

Ainda muito jovem mas daqueles que já não se classifica bem como “promissor” quando o seu potencial já está no seu auge. Mas fora do seu espectáculo na Ring of Honor, está danado a ser um rookie, como eles muito gostam de classificar malta que vem de fora e que está, com certeza, abaixo do Erick Rowan. Adam Cole é considerado por muitos como “aquele que falta do molhe” e alguém cuja partida para a E seja apenas uma questão de tempo. De um ponto de vista pessoal, tenho-o não só como um favorito na Ring of Honor mas também como um dos favoritos a nível geral. Ali como o amigo Lethal também, já agora. Desde que o veja, por mim tudo bem, onde o veja é segundo plano. Mas gostava de o ver a escalar e a juntar um WWE World Heavyweight Championship ao seu prestigioso ROH World Championship e a outros títulos que foi vencendo pela PWG, CZW, etc. Na WWE? Diz que o CM Punk se chateou com a Serena quando a apanhou a beber num bar com um rapaz bem-parecido. Punk, eu entendo toda a cena do straight edge e tal, identifico-me, mas… Ela não resistiu ao ADAM COLE, BAYBAY!, porque é meramente humana…

3 – The Young Bucks

SUPER KIIICK! Havia de ser bonito correr com aquela malta toda à patada no queixo. E nem é uma manobra exclusiva deles, longe disso. Mas que eles lhe dão um certo encanto, isso dão. Numa era em que o Super Kick já não é o que era e já raramente tem o efeito de um finisher, talvez se possa usufruir desse privilégio para distribuí-los à resma. É evidente que eles procuram um equivalente nos Usos e até já usam o termo “Super Kick Party”, mas se é para isso, então que se chamem os verdadeiros. Já tiveram a sua chance mas foi-lhes acusada arrogância no backstage. Desconheço a verdade mas até dava gozo, nesta era de invasões de malta de fora facilmente reconhecível, ainda por cima da mesma “família”, ver Nick e Matt Jackson a interromper algum combate importante no Raw com um arraial de Super Kicks. Como bónus, só peço que trouxessem o Steve Corino junto. Não aceito qualquer um a comentar os combates da dupla!

2 – Joey Ryan

Javardeira é boa para a saúde se for feita pelos Serrabulho ou pelo Joey Ryan. Este vai espalhando-a um pouco por todo o lado. Quer seja a ser desperdiçado na TNA, que eles tinham uma oportunidade de ouro. Mas é apenas lógico que oportunidades de ouro sejam associadas ao Matt Morgan por razão desconhecida. Quer seja a ter contacto inapropriado com meninas – algumas nossas conhecidas e até compatriotas – em ringues independentes de uma CZW. Quer seja no Japão onde deita abaixo a competição com manobras mágicas, graças a uma certa “arma” sua que também parece ser mágica. E agora é um polícia à paisana no Lucha Underground porque deve ser o único papel que lhe faltava. Ou então algum na WWE. Não resta qualquer dúvida de que ele faria um papelão, ficaria extremamente over e seria impecável. Com talento em ringue e carisma para destronar até um difícil Val Venis. Mas também sabemos que ele está no limite ou a ultrapassar o TV-14… Não é fácil tê-lo em qualquer lado!

1 – Bobby Roode

Pronto, ele já lá esteve. Andava lá a cheirar. A ver com um olhar atento de quem julga – ele esteve o evento todo com aquela expressão e a acenar ou calhou bem para a câmara? A pensar, provavelmente, que até se daria bem ali naquele NXT, que até parecia um sítio fixe para se trabalhar. Diz que também já assinou. Mas ainda não vimos o “It Factor” Bobby Roode equipado a competir activamente num combate oficial que tivesse o logo da WWE no canto inferior direito. É o que falta. Primeira posição pela sua dimensão e por ser uma mera questão de contagem do tempo. Visto que também não estou a contar os seus feitos como jobber para o Al Snow no Sunday Night Heat. Que é um brilharete de programa para encontrar caras conhecidas!

Nota: Uma nota importantíssima é que um atraso não me permitiu concluir o Top Ten a tempo de sair na anterior semana. Mas permitiu-me começar e delinear as posições. E Bobby Roode não era o primeiro classificado. Bobby Roode não constava na lista sequer. Contei a sua presença que aqui neste texto não chega, como algo que já chegasse. O original primeiro classificado era Eric Young… que encheu notícias com a sua estreia nas recentes gravações do NXT. Algo mais activo que Roode e que me alterou os planos. A culpa é deles. Não assumo as minhas culpas por me atrasar, a culpa é toda deles!

É por aqui que se fica este alterado Top Ten cujo tema não se desactualizou. Mas tinha que ter um sacana a mudar-me os planos na mesma. Emenda-se. Que tenham gostado na mesma, que perdoem o atraso e que estejam cá na próxima para o próximo tema que tenha para vos trazer. Ainda vos encontro antes, ainda durante esta semana, mas já vos desejo aqui uma óptima semana de ressaca pós-Payback. Portem-se bem, aproveitem lá o calor que se avizinha, mas cuidado com as alergias!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

9 Comentários

  1. TNA Best Wrestling - há 7 meses

    Ir para WWE hoje em dia só vale pelo dinheiro por questão de booking nem vale a pena .

    • Naka - há 7 meses

      Mas com certeza o booking da wwe hoje é melhor que certas empresas que já tiveram algum algum prestigio mas hoje está se afundando por um booking ruim e uma péssima gerencia

      • TNA Best Wrestling - há 7 meses

        Se tiver falando da TNA com certeza não assistiu a nenhum impact em 2016

  2. JonB - há 7 meses

    E o Kenny Omega não entra na lista??

    • Chris JRM - há 7 meses

      Indeed! São só dez! :(
      E ele também já lá esteve, só em desenvolvimento e saiu descontente com os tratamentos de DeMotts e afins. Já foi abordado várias vezes e recusou todas. Esse se calhar já nem uma questão de tempo é!

      • Já lá esteve e de lá não devia ter saído…..
        Não havia ai uma maneira de colocar o Kenny? Top 10+1? lol

        Mas pronto, boa explicação :)

        Já agora, bom artigo Chris!!

  3. AFFALLOU - há 7 meses

    Adam Cole e o futuro e o presente , sem duvidas

  4. RFBM - há 7 meses

    Excelente artigo. Dos que referis-te, Lethal, Cole e os Bucks são claramente os meus preferidos, para além do Ricochet, Roode e Briscoes, se bem que esta tag team, provavelmente não chegará à WWE. Para além desses, e considerando, apenas 10 posições, eu teria escolhido o Kota Ibushi, o Kenny Omega e até um certo ponto, o Kazuchika Okada.

  5. Alef - há 7 meses

    ESSES tna best wrestling e miakuda so falam besteiras parece que tem inveja da WWE porque vcs nao vao no tna e deixam aqui nós quietos sabe que wwe na história é superior mesmo que na realidade ta ruim e fica falando coisas que nao tem nada a ver por favor deixa nós ninguém aguenta duas certas pessoas querendo ser superior e falar coisas que nao tem nada ver em uma notícia que nao tem nada a ver parem agora! !!!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador