Top Ten #34 – Caras Novas de 2013

Bem-vindos ao Top Ten desta semana! Com Novembro a chegar ao fim e Dezembro a começar, sobra um mês para acabarmos mais um ano que parece ter passado a correr. Começa a cheirar à época Natalícia – apesar que muitos já andam a forçar o cheiro desde o início de Novembro – e começa a chegar a altura para uma coisa: recordar o ano que tivemos e começar a fazer as reflexões. Como se seguem ai algumas semanas de festa, não sei se estarei por cá durante todo o mês de Dezembro, mas a partir de agora vou apresentando edições do Top Ten referentes ao ano de 2013 que passou. Não quero cair nos clichés de “melhor combate”, “melhor Superstar”, etc e procuro, como sempre, fazer algo diferente. Por agora, olhemos às estreias – ou semi-estreias, temos que ter em conta a continuidade – que se deram tanto na WWE como na TNA.

10 – Xavier Woods

Começo com um mais recente. O rapaz que o JBL já deve saber quem é, esperemos. Talento enérgico vindo do NXT, com gosto por dança, por acrobacias em ringue e com a estrutura física e star power para ser o próximo Kofi. O que nem é, necessariamente, uma coisa boa, mas até podia ser pior. Ainda vimos pouco dele, tão recente é a sua estreia, daí que fique para o fundo desta lista, mas já sabemos que ele é porreiro em ringue, para já é parceiro de R-Truth, pois combinam o gosto de dança de um com o gosto pelo rap do outro – espero bem que seja isso e não só questões raciais – e que já está a querer tirar o lugar ao Brodus Clay. O Brodus que não fique tão chateado por ele lhe roubar o que ele roubou ao Ernest “The Cat” Miller… Enfim, uma cara nova de 2013 mas em 2014 é que saberemos o ouro que vai render…

9 – Los Matadores

OLÉ! Primeiro exemplo de uma cara “nova”. As máscaras são novas, os tipos por trás dela já lá andavam e um deles há bastante tempo. Sem nada para fazer com Primo e Epico, muda-se a gimmick, mudam-se os nomes – Fernando e Diego podem ser os mais típicos vizinhos latinos, mas serve – e introduzem-se com uma gimmick de toureiros. Hesitei quando vi esta gimmick, por uma razão muito simples: detesto touradas tanto como qualquer outro ser com a mente presente no século actual detesta, logo não sei se os veria como Faces. Então apresentam o El Torito, a cómica mascote e vi que era suposto serem simples personagens de comédia. Apresentaram-nos, insistiram pouco neles, deixaram claro que o El Torito é a estrela e não parecem estar a trabalhá-los como muito ameaçadores aos títulos Tag Team. Mas é mais uma para a divisão e já serve para a enriquecer um pouco. Veremos se em 2014 há mais “OLÉ!”…

8 – Eva Marie & JoJo

Não vou separá-las, ainda não é caso para isso. Introduzidas pelo reality show “Total Divas”, chegam-nos duas vistosas novas Divas a tentar entrar no negócio. Ou então, a conseguir entrar facilmente no negócio enquanto deixam claro que se não fosse aquele programa, nunca conseguiam. Falo no plural, mas refiro-me mais a uma, que já sabemos quem é. A outra ainda está verdinha, é quase uma criança, tem muito pela frente, pode dar em alguma coisa. Já a Eva Marie deu a entender que é um nabo embrulhado num belo pacote – esse crédito dou-lhe, dá gosto olhar para ela – tanto em ringue a variar a sua move-set entre roll-ups toscos e fora do ringue a não saber um chavo sobre como as coisas funcionam. Coisas de reality show. Mas deu um estalo ao Jerry Lawler e se fizesse só isso, eu até ficava fã. Já a JoJo, coitadinha, não precisa de ser tão associada a ela, ainda pode dar em alguma coisa…

7 – Lei’D Tapa

Mantendo nas senhoras mas passando para outra companhia, temos uma senhora de impor respeito e intimidar. Lei’D Tapa é o seu nome, estreou-se como uma vencedora do Gut Check e passado alguns meses voltavam vinhetas a anunciar a sua vinda. E que vinda. Foi um tal de varrer Knockouts e a única razão que víamos para isso era porque ela podia. Basta olhar para ela! Mas vimos no Bound for Glory que afinal era “macaca” da Gail Kim. Esta parceria pode ser facilmente comparável à de AJ e Tamina do outro lado e há outro factor que eu também já vejo em comum: ambas as grandalhonas virar-se-ão contra a “patroa”. Quanto a Tamina não sei, mas esta até acredito que lhe tire o título. Como seja, vejo 2014 como sendo um bom ano para Lei’D Tapa…

6 – Knux

Mantemo-nos na mesma vizinhança e introduzimos um dos poucos que restavam dos Aces & 8’s, antes da dissolução forçada destes mesmos no passado Turning Point televisivo. Tecnicamente já lá andava desde o ano anterior, mas era sob uma máscara. Aquela bela carinha laroca estreou-se quando se estreou 2013 também. Logo na primeira semana do ano, Kurt Angle revela que Mike Knox já fazia parte da TNA. Por um tempo foi o gorila secundário do grupo, com DOC a ofuscá-lo frequentemente. A saída repentina deste permitiu a Knux ganhar mais algum destaque e passou a ser a força bruta do grupo e ao fim já mostrava hostilidade perante o próprio Presidente. Graças à sua semi-estranheza para a companhia e a altura em que foi desmascarado, ficou ele como o único membro dos Aces & 8’s a ter a honra de constar neste Top Ten.

5 – Summer Rae

Separei-a do parceiro porque vejo potencial a solo nela. Muitos de nós já a conhecíamos do NXT, onde espalhava a sua arrogância e onde teve uma boa feud com Paige e mostrou ter talento em ringue suficiente para se safar como uma Diva decente numa era de wrestling feminino fraco. Vimo-la a estrear no roster principal da forma mais peculiar e assim que colocou os pés numa arena foi para os mexer bastante – estava apresentada a nova bailarina de Fandango, a substituir uma bailarina profissional que eu por acaso gostava imenso. Mais tarde ou mais cedo iriam ter que demonstrar que ela fazia mais do que isso e ultimamente também já tem competido em ringue e tem-se safado bem. A curiosidade? Está over como tudo! Basta ver a sua participação no combate do Survivor Series! E gosto assim… E tem o potencial para ser uma boa Diva no futuro, veremos como será o seu 2014…

4 – Ethan Carter III

Olha o Derrick Bateman! Passando de novo para a TNA, temos o estimado sobrinho de Dixie Carter que já leva uma impressionante streak de vitórias sobre um pau de virar tripas e uma vela de bolo de aniversário. E o Shark Boy, não nos podemos esquecer dele. Foi engraçado vermos vinhetas a apresentar um novo Superstar e a revelar o rosto como sendo o de Derrick Bateman. Eu tive o meu pequeno “markismo” de surpresa. Mesmo que não tivesse sido fã da sua estreia no Bound for Glory – mas a intenção era essa, fazia parte do espectáculo – continuava fã do indivíduo. Estrearam-no no seu grande palco, à la Fandango, a quem já faço referência pela segunda vez seguida aqui, e veremos o que há a fazer com Derrick Carter ou Ethan Bateman, em 2014. Afinal… O mundo precisa dos Carters!…

3 – Fandango

E depois de duas referências seguidas, tem que chegar a vez da sua própria entrada! FAAAN… DAAAN… GOOOO. Outro exemplo de um “estreante” com aspas muito grandes, pois ele já lá anda há um tempo. Mas… Até que ponto essa palavra mente? Quão relevante e importante era o Johnny Curtis? Lembram-se dele, sequer? Então retire-se o homem que fazia promos com trocadilhos e esfregava-se enquanto comentava combates – esta referência é para as 4 pessoas que ainda viam o NXT Redemption – e tragam um hilariante bailarino, de seu nome Fandango para arrancar reacções e criar um fenómeno mundial. Ainda hoje cantamos a sua música na cabeça, de vez em quando. E com certeza que quando vos convidam para o bailarico, esta música toca na cabeça e começam a fazer os moves dele! Quanto ao personagem, de quem sempre fui fã, não teve uma estreia pequena: foi logo na Wrestlemania, foi logo contra Chris Jericho e foi logo a vencer! Desde então nunca se estabeleceu com muita força mas vai estando sempre lá a dar sinal da sua graça… Veremos se em 2014 o “Fandango’ing” vai ter mais força…

2 – Curtis Axel

Outro que tal. Já aqui andava há muito tempo mas era como se não estivesse. Até já tinha sido Campeão de Tag Team, mas foi tão memorável como o segundo reinado de Tag Team do David Otunga – ui, era o mesmo! Mas temos que ter em conta uma coisa: só o tempo que uma pessoa perde a dizer “Michael McGillicutty” sem se enganar, dá para ele sair, ir para a TNA, passar por indys, andar desempregado por um bocado e regressar como um homem novo. Portanto pode considerar-se uma estreia pois Curtis Axel estreou em Maio de 2013 como um novo Paul Heyman Guy e não tardava nada e era Campeão Intercontinental. Algo impensável para um tipo como Michael McGillicutty, foi preciso “matar” esse e trazer o verdadeiro Superstar de 3ª geração, filho de Mr. Perfect, Curtis Axel. Finalmente dando o valor merecido ao rapaz que tem bastante talento, esperemos que com a sua emancipação de Heyman e a sua perda de título, 2014 não seja o ano de mais uma queda para Axel…

1 – The Wyatt Family

Evidente quem fica para o primeiro. Estes tipos vieram para partir tudo e para ter a plateia a adorá-los e a dar-lhes os maiores pops das noites, quando é suposto os sacanas serem Heels. Mas são bons em ringue e têm umas personagens do caraças, que é que se vai fazer? Após muita tormenta no NXT, lá vieram as vinhetas a anunciar a vinda de Husky Harris e mais dois companheiros muito bem-parecidos, como vocês sabem. Exacto, este também já não é nenhum estreante. Mas quem se lembra ainda do Husky Harris deve ser quem achou que a história dos Nexus não foi estragada. Agora como Bray Wyatt e com os seus irmãos ou seguidores ou súbditos ou coisos, Luke Harper e Erick Rowan, constitui aquela que considero a maior estreia de 2013. E não acho que seja um tiro muito de longe se disser que também serão dos maiores ao longo de 2014…

Para acabar o artigo, faço aqui duas menções honrosas: Big E Langston estava naquela, na lista dos “talvez”. Se eu não encontrasse gente para preencher as 10 posições lá aldrabava o sistema e incluía o Big E. Mas de facto, o homem dos seios grandes estreou-se em finais de 2012, por aí a umas duas semanas do final do ano. E é claro que foi ao longo de 2013 que ele se “formou”, mas a sua estreia ainda foi em 2012. Fica ali à porta. E como encontrei 10 posições, não foi preciso inseri-lo. A outra menção vai para Taryn Terrell que estreou-se em ringue e fez-se uma Knockout em 2013, mas a sua carinha bonita e notável já lá andava a arbitrar desde o Verão de 2012. A sua estreia em ringue pode só ter sido este ano, mas ela já fazia parte da família antes.

E então com as posições ordenadas, textos, menções honrosas e tudo mais, é normalmente aqui que estes artigos acabam. Vá, desta já não é uma situação de “se não incluir por me esquecer, não faz mal, vocês acrescentam”, aqui já é uma coisa mais objectiva, convém mesmo que não me tenha esquecido de ninguém, muito menos importante. Aí é que era à paulada. Mas os comentários estão abertos a vocês e espero que tenham gostado. Digam, da vossa alma, o que acham desta malta e falem dos vossos estreantes favoritos e dos futuros que lhes esperam. Eu ainda cá estou na próxima semana com mais assuntos reflectivos do ano de 2013. Até lá fiquem bem e uma continuação de boas entradas em Dezembro a todos.

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

13 Comentários

  1. JoãoRkNO - há 3 anos

    O Knux foi uma grande surpresa, acho que devia ter tido mais tempo de antena no mic, não era mau de todo.

    O EC3 é aquela base, enquanto não o colocarem em feud´s com alguém importante, para ele mostrar verdadeiramente o que é no ringue, esqueçam. Pode gabar-se muito de uma Streak destas pode.

    Gosto bastante do Fandango, encarna muito bem a personagem, e no ringue também faz performances com qualidade, vejamos a feud dele com o Jericho.

    O Curtis Axel… Nunca fui fã dele e duvido que algum dia seja. Ele nem é mau de todo no ringue, já fez bons matches com superstars de renome, mas a mim não me convence.

  2. Mr. Anônimo - há 3 anos

    Bom artigo!!! Para a próxima semana poderia fazer um top 10 melhores finishers do topo do corner, aqueles de terceira corda!

  3. alan RKO - há 3 anos

    Bom top 10 parabens ao autor

  4. alan RKO - há 3 anos

    Bom top 10, parabens ao autor

  5. Conspo - há 3 anos

    Ótimo artigo!Uma sugestão: Podias fazer um artigo sobre os maiores jobbers de sempre.

  6. Catchphrase - há 3 anos

    Discordo completamente com o 1 lugar devia lá estar o a futura cara do pro wrestling Hulk Hogan!XD

  7. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Bom artigo, e merecida posição para o Axel!

  8. Ideias para os teus artigos - há 3 anos

    Ideia: Top das gimmicks mais sobrenaturais…

    (Exemplo: Kane, Taker, Orton, etc)

  9. Carlosilva - há 3 anos

    Gostei das escolhas,só acho mal o Woods estar em 10º quando o homem só luta à 2 semanas xD.
    Los Matadores-Acho que têm uma gimmick estúpida,daqui a um tempo não vão passar de de um tag team jobber e comediante.
    Fandango-No inicio gostava bastante dele,achava a sua personagem interessante,apesar de foleira.Penso que se a Wwe lhe der uma oportunidade por um título menor como o IC,a sua personagem vai renascer.
    Axel-Teve um ano em peras,grande lutador,muito talento.Vejamos como corre o ano de 2014 sem o Heyman e sem o título IC.
    Wyatt Family-Adoro-os,faço das tuas palavras as minhas,nem vou acrescentar mais nada.
    (Não avalio os outros pk só comecei a acompanhar a Tna à 2 meses,e não tenho estado a par das Divas)
    E já agora deixa-me dizer-te que adorei a expressão que usaste para caracterizar o Big E,o homem dos seios grandes xD.
    Sugestão para o próximo top10,visto que os títulos se vão unificar:melhores 10 combates pelo undisputed wwe championship.
    ;)

    • Carlosilva - há 3 anos

      E já agora aproveito para deixar um R.I.P. em dois grandes Brians.
      Brian Griffin
      Brian O´Conner(Paul Walker)

  10. Senshi - há 3 anos

    Sim senhor muito entretido, gostei…

  11. (: - há 3 anos

    muito bom artigo do discordo do : Axel talento ? kkkkkkkk

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador