Top Ten #37 – Os Future Endeavored de 2013

Mais um! Bem-vindos ao Top Ten desta semana. O reflexo que trago para esta edição consiste em más notícias e não me refiro a más gimmicks – referência ao Bad News Barrett, vêem? – é mesmo a más notícias que lutadores tiveram este ano. Ou lá há alguma situação em que foi o próprio que pediu. Mas recordemos lá estes nomes que constaram nas duas principais companhias. E façamos com saudade… Quando é caso para isso.

Pormenor: muita gente foi com as trouxas este ano e não dá para os incluir todos, mas lá seleccionei alguns que considerei importantes para uma lista de dez. Outro pormenor: a WWE até nem despachou muitos este ano e até foram bonzinhos. Já a TNA… Aquilo é que foi uma limpeza! Recordem lá:

10 – Joey Ryan

O potencial estava lá. Mas o potencial foi embora porque não arranjaram o que fazer com ele. Popularidade, polémica e um bizarro Gut Check levaram-no à companhia. Aí pouco mais fez para além de tentar capturar o título da X-Division, os títulos Tag Team numa parceria bizarra com Matt Morgan e alguns segmentos cómicos. E nem foi tudo feito este ano. Podíamos ter tido mais memórias de Joey, mas resta a sua atitude, as suas poses, a sua personagem… o combate de Knockouts arbitrado por ele… Pouca coisa. Quando lá veio a altura da limpeza… Não pouparam o pobre… Algo contra bigodes?

9 – Crimson

Honestidade acima de tudo: não fiquei com pena. Era tão fã dele como sou do Garrett Bischoff, espero não ser necessário mais nada para a referência. Não sei se os fãs da TNA ficaram assim com tanta pena também. Toda a gente lá dentro, se calhar, nem se lembrava dele. E foi com as malas, sem fazer grande fartura este ano. Aliás… Alguém se lembra de algo que ele tenha feito? Tenho uma ideia de ele ter aparecido uma vez a reclamar que já foi invicto e agora via o Impact Wrestling em casa, ou algo do género. Eh pá, acontece. Olhando pelo lado positivo, também não me lembro de muitas derrotas que ele tenha tido este ano…

8 – DOC

Se já foram apresentadas 3 posições e ainda estou de volta da TNA, já deve dar para perceber que no que diz respeito a despedimentos, a companhia secundária foi a dominante. E este que aqui apresento foi uma surpresa, porque via potencial nele, tinha a impressão de que lá dentro gostavam dele e começava a envolver-se numa história que parecia ter potencial. E assim, sem avisar, fazem-lhe a folha e lá vai o Luke Gallows para o Japão, porque é melhor que a fila do desemprego. Não foi um caso como os dois anteriores, este estava bem activo, teve um bom ano até à sua dispensa, e via-se um futuro – uma Face Turn parecia estar ao virar da esquina. Mas pronto, fica aqui a prova, de que ninguém tem o lugar garantido… Quem tiver que ir, vai!

7 – Matt Striker

Vá, para manter algum balanço, introduzir alguém da WWE. Alguém que, estranhamente, fiquei a sentir falta, mesmo que ele já mal aparecesse. Reduzido a ocasionais entrevistas de backstage e a comentador num programa visto por cerca de seis pessoas, podia já considerar-se que era “como se ele já não estivesse lá”. Mas eu gostava do tipo. Passou de lutador a comentador a comentador secundário. E ele nunca foi mau em nenhum dos trabalhos que fez, mas lá se fartaram de tê-lo a ser o “butt monkey” da empresa e dispensaram-no. Não tardou nada, estaria a comentar e a participar num evento da Family Wrestling Entertainment, onde pôde desabafar um pouco. A gente cá fica a sentir a falta dos seus comentários inteligentes e do seu pobre estatuto de saco de porrada.

6 – Tara

Uma grande perda para a divisão feminina da TNA. Mas ainda teve um bom momento antes de abandonar. Acabou o ano de 2012 como Campeã das Knockouts e foi assim que entrou em 2013, até Fevereiro, quando perdeu o título para Velvet Sky. Infelizmente, isso marcaria o seu desaparecimento e o seu uso viria a tornar-se mais raro e frequentemente aparecia com a infeliz aliança com Jessie Godderz, lutador que estimo imenso, como podem imaginar. Andou nisso até Julho deste ano, o que assinalou um meio ano assim-assim para Tara, que começou em grande mas caiu no desuso muito rapidamente. O seu legado, experiência e eterno talento em ringue é que ninguém o tira. E, quem sabe, ainda voltamos a ver uns belos de uns Widow’s Peaks a ser distribuídos em TV!

5 – Matt Morgan

Já o mencionei aqui e devem ter pensado que, realmente, ele também já foi à vida dele. E foi. Pouco tempo depois de ter regressado de mais uma dispensa. À tantas ainda volta mais uma vez por uns meses para tornar a ir. Regressou no último trimestre de 2012 e aliou-se a Joey Ryan. Com essa aliança entrou em 2013 mas em nenhum momento foi assim tão longe. Teve momentos altos mas o seu booking foi confuso. Parecia que o queriam vender como uma enorme ameaça, mas não pareciam estar a esforçar-se muito para isso. Teve um combate com Sting com uma oportunidade pelo título Mundial em jogo e perdeu após desmaiar perante o Scorpio Lock, recusando-se a desistir. Isso fá-lo parecer um indivíduo forte, determinado e duro. Mas isso era enquanto ele lá estava, porque ainda faltavam as semanas em que não aparecia ou em que simplesmente “limpava os erros de Hogan” e oferecia os seus serviços na luta contra os Aces & 8s, sem nunca conseguir alguma coisa. E o seu último combate foi uma derrota. Uma severa inconsistência. Agora já não está com a família TNA, mas quem sabe se ainda volta. Ou, como já se falara antes que a WWE gostava dele, ele aparecer noutro sítio…

4 – Mickie James

Eu avisei que isto ia estar cheio de TNA e, se ainda se lembram do ano, já estavam à espera disso. E também houve muito nome grande que foi cortado. Como é o caso de Mickie James que, não só era uma das Knockouts de topo, como também era a Campeã das Knockouts quando soubemos da sua demissão. O seu contrato chegava ao fim assim que dava o seu cinto a ODB num bom combate e Mickie James ausentou-se levando um bom ano na bagagem. Marcado por uma notável Heel Turn que fez a vida negra a Velvet Sky e lhe permitiu conquistar o título, foi um ano com frutos. E saiu ainda como uma lutadora de topo. Pouco depois já foi vista a visitar as meninas do NXT e algumas amigas que deixara na WWE. As especulações começam logo e o povo quer Mickie James em 2014 em algum lado!

3 – Ted DiBiase

Agora damos mais um saltinho até à WWE e vamos de encontro a um indivíduo que, se já não se lembravam que foi despedido este ano, é porque já não se lembravam que ele ainda lá andava. Não teve grande ano, o seu regresso foi tão bem tratado como o lixo varrido para debaixo do tapete e o efeito foi praticamente o mesmo. Mal se viu, mal se falou nele e mal dava para lembrar que o rapaz já tinha sido Campeão Tag Team. Ficou de novo o nome para o seu pai, o Hall of Famer, e o filho até nem parece querer muito com o wrestling. Pode sempre fazer filmes, já há planos para o Marine 4?

2 – Devon

Duas razões para esta saída ter impacto: Devon não é um original da TNA mas já é da casa. Já lá estava há muitos anos, não foi dos nomes jovens que elevou a companhia e a carregou, mas esteve lá sempre a ver de perto, juntamente com o seu parceiro; foi um dos alicerces para a elevação de uma divisão Tag Team na TNA e se alguém tinha saudades de vê-lo em acção, havia um ringue onde ele costumava praticar, juntamente com o seu parceiro. A outra razão: quantas vezes vimos Devon e Bully Ray separados? Não em termos de equipas, porque andaram muito tempo separados e já muita turra deram eles. Dentro de uma companhia, quantas vezes vimos um contratado e o outro não? Dá-se agora e dá-se a curiosidade: Bully Ray foi capaz de se reformar tão bem como um lutador a solo, que a ele já nem lhe faz diferença. Já Devon, temos que esperar por 2014 para saber as suas andanças…

1 – Hulk Hogan

E foi este o maior nome a fazer as malas para ir embora. E também que causou o maior impacto. Acho que é evidente que esse impacto foi causado pela falta que vai fazer, pela sua influência no produto. Porque era essencial e uma peça que ainda tinha tanto para dar e que trazia audiências ao Impact Wrestling… Ou então porque já foi tarde e a boa gente que via nomes a ser cortados por razões financeiras só queria que pusessem este porta fora que poupavam suficiente para dobrar os salários a todos. E porque já não há muita paciência para Hogan. Pronto, está dito. Sei que restam fãs que sentirão a sua falta e respeito isso. Mas já não vai cedo e há muita gente de acordo com essa ideia. A pior parte… É que parece que do outro lado andam a ver se o trazem de volta… E como são meios tolos, ainda vai ser para o ter a competir, porque sabemos a forma impecável em que ele está. Vamos ter mesmo que levar com a Hulkamania por mais tempo…

E foi esta a lista de indivíduos que não lidam com o desemprego da mesma forma que nós. Sei que ficaram muitos a faltar porque, lá está, a TNA deu-lhe um desvaste que parecia o Game of Thrones. Ficam as menções honrosas. Deixei de fora alguns casos da WWE que foram despedidos mesmo no início do ano, logo retirou-lhes um pouco da relevância, como foi o caso de Eve Torres ou Trent Barretta. Na TNA ainda houve alguns felizardos do Gut Check que não tiveram muita sorte e ainda estou confuso em relação à X Division. Não resta lá quase ninguém daqueles que lá andavam por altura do Destination X, mas foi de uma forma que nem sei se eles estavam realmente contratados ou se apenas agendados como nas indys. Rob Van Dam e Derrick Bateman também saíram das suas companhias mas já arranjaram posto, diga-se que foi uma troca. E uma menção especial para Kassius Ohno que, apesar de ter sido notável e de nos ter doído um pouco na alma, queria incluir apenas casos do roster principal – senão aí é que dava para fazer um Top 30 ou 40 ou sabe-se lá.

Agora é a vossa vez de se manifestarem em relação a este assunto, a despedidos que não constem aqui que achem que seja relevante mencionar, o que achavam destes lutadores que já não competem mais no mesmo sítio ao final do ano e que futuro lhes prevêem ou gostavam de ver. Simples como o costume. Para a semana, verei se tenho tempo de aqui estar, é tempo de festa e resta-me desejar-vos umas boas Festas, que as passem da melhor forma possível e que supere as vossas expectativas. Se só nos virmos em 2014, então umas óptimas entradas e que 2014 humilhe 2013. Feliz Natal a todos!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

14 Comentários

  1. JoãoRkNO - há 3 anos

    Excelente Top 10, mas discordo no que dizes sobre o Crimson.

    É verdade que este ano veio ao Impact apenas uma vez perder para Joseph Park, muito por culpa dos problemas atuais da empresa, mas achas mesmo que ele é assim tão dispensável? Eu vejo um grande futuro nele, ele é um complete package, excelentes ring skills, boas mic skills, aparência de Main Eventer, etc, etc.

    Teve aquela undefeat streak que acabou assim do nada, muito devido ao excesso de histórias que a TNA tinha na altura, um erro colossal no meu ponto de vista, mas ele merece uma oportunidade, e reafirmo, uma oportunidade para mostrar aos fãs o que vale. Para mim, o Crimson vai ao encontro do Magnus, devido serem ambos bastante jovens, e os dois com potencial para vingar no ME, para serem o futuro da empresa.

    Mas são opiniões, nem todos podem gostar do mesmo não é verdade ? xD

    • Frederico_WWE - há 3 anos

      Olha sempre fui da opinião e disse o já há uns tempos que o Crimson é extremamente “overrated”… é evidente que poderei ser criticado porque bem sei que muita gente gostava imenso do Crimson e com toda a legitimidade gostavam… mas quanto a mim ele não vale o que pintam.

      Não será por acaso… digo eu que ele foi nomeado pelo “Wrestling Observer Newsletter Awards” como o tipo mais overrated de 2011 há frente de nomes como o Mason Ryan… embora isso seja completamente discutível… mas ou seja Crimson tem um “push” demasiado grande e concebido cedo demais.

      Sinceramente mais “overrated” do que o Crimson só mesmo o RVD se quisermos olhar para os últimos anos da TNA.

      • JoãoRkNO - há 3 anos

        Sim, eu percebo o teu lado, concordando quando dizes que teve um push cedo demais. Foi um começo e peras, que acabou de uma forma inesperada, andando agora perdido na OVW. Apenas acho que, a par do Magnus, o Crimson seria um bela aposta para o futuro, só isso.

      • FranciscoAP - há 3 anos

        Sem dúvida que o Crimson teve um push demasiado cedo… Aliás, toda a sua estadia no roster principal foi algo digno de “main-eventer”: streak, 1º lugar nas BFG Series, campeão de equipas, etc… Foi um exagero e justifica essa nomeação. Além de que toma dimensões quase anedóticas quando ele foi despachado à grande para a OVW como se nada fosse. Contudo, vejo um grande potencial nele para um dia ser, de facto, “main-eventer”.

    • FranciscoAP - há 3 anos

      Ele se calhar só vê TNA há um ano e pouco e, sendo esse o caso, não o condeno por meter o Crimson naquele lugar. Para quem só viu o que o Crimson fez na TNA este ano, que foi uma aparição e um combate a jobbar, é difícil tirar grandes conclusões…

      • JoãoRkNO - há 3 anos

        Por acaso não Francisco. Tive a sorte de puder acompanhar toda a undefeat streak, desde o Joe até ao Storm. Mas como já tiveste a oportunidade de ver, aprecio bastante o trabalho dele quer dentro, quer fora do ringue, achando apenas que seria uma mais valia para o futuro.

      • FranciscoAP - há 3 anos

        Estava a falar do autor do artigo :)

      • JoãoRkNO - há 3 anos

        Ups, sorry xD

      • Frederico_WWE - há 3 anos

        Pois isso é verdade… em 2013 até fará sentido ele estar neste Top Ten.

  2. FranciscoAP - há 3 anos

    Bom artigo. De facto, a TNA este ano não dá hipóteses no que toca a despedimentos, foi um ano cheio nesse sentido.

    Quanto ao top em si, tirando a questão do Crimson, concordo mais ou menos com a ordem em geral. O 1º lugar é indiscutível, foi um enorme alívio para todos e acho

    • FranciscoAP - há 3 anos

      *e acho que é quase anedótica a melhoria de qualidade dos iMPACT’s desde que o Hogan e o Bishoff saíram. Não sei se punha o Devon ou o DiBiase tão acima no top, principalmente quando este tem nomes como a Tara ou, lá está, o Crimson.

      E é isto, feliz natal também para ti e para os teus.

  3. danielLP21 - há 3 anos

    “programa visto por cerca de seis pessoas” Ahahahahah!

    Excelente Top Ten, mais uma vez. Incrível como continuas a conseguir arranjar temas todas as semanas. Muitos parabéns e continua assim!

  4. Biblas - há 3 anos

    Acabaram com o Top 10?

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador