Top Ten #49 – Os ícones menos icónicos da WrestleMania

Bem… Vai tudo anexado no mesmo. As boas-vindas a mais uma edição do Top Ten e um pedido de desculpas pela minha ausência. Foram umas semanas mais atribuladas que o que eu esperava, que quase parecia que eu estava em plena Road to Wrestlemania. Antes fosse. Umas experiências de trabalho menos boas retiraram-me bastante tempo e horas de sono e dificultou-me a participação nestes meus trabalhos escritos que eu tanto estimo. Mas agora já estou de volta e tenho a Wrestlemania já passada. Só não quis deixar para trás os temas que já tinha em mente…

Ora é de Wrestlemania que falamos, então? “Showcase of the Immortals” como lhe chamam. O palco onde se criam lendas. Momentos lendários que criam as ditas lendas. O sonho de qualquer aspirante, desde miúdo a graúdo que lute em pavilhões pequenos… Ou até mesmo graúdos que já constem na WWE e esperem pela sua oportunidade. A Wrestlemania é o maior palco do ano e os imortais é que o pisam. Vimos a figura mais importante da Wrestlemania a ver o fim da sua streak e também recordaremos o homem que a quebrou como sendo o tal. Vimos Daniel Bryan vencer a batalha contra a autoridade e sair por cima de tudo e todos para finalmente se instalar no topo. Vimos Cesaro cimentar o seu legado. Lendas a ser feitas. Pois… Quando é. Como em tudo, também há casos em que recuamos no tempo e olhamos para Wrestlemanias antigas e vemos alguns dos Superstars que venceram combates no grande palco… E mal sabemos quem é.

Sejam uns do passado que nem conhecemos ou alguns mais recentes de quem não tenhamos uma boa imagem. Aqui apresento dez notas de rodapé no que diz respeito a vencedores na Wrestlemania.

10 – The Headbangers

Estes até são lembrados nos dias de hoje e ainda tiveram uma carreira de quatro anos na WWF. E até chegaram a ser Campeões de Tag Team, sendo esse mesmo o seu momento Wrestlemania, na Wrestlemania 13, em 1997, onde venceram um Fatal 4-Way de eliminação de tag teams – onde é que vimos isso há pouco tempo? Mosh e Thrasher, a dupla de metalheads que não representava fãs de música pesada assim tão bem, ainda chegaram a ser vistos como uma pobre versão dos Rockers e não conseguiram manter-se over ou lembrados sequer. Pior que isso: a estima que a própria WWE tinha por eles. Apenas foram incluídos em listas de “piores Campeões” ou de Superstars que lá andaram por demasiado tempo. Futuros Hall of Famers, para sempre lembrados como imortais vencedores na Wrestlemania… Ou então não.

9 – Dino Bravo

Um caso de um lutador que podia ser um ícone, se conseguisse manter-se tão recordado como outros colegas do seu tempo, com quem até chegou a rivalizar. A sua presença nesta tabela poderá incomodar algum fã de wrestling antigo e com um certo purismo do wrestling das décadas de 70 e 80. Mas a questão é essa… Talvez seja necessário esse purismo para conhecer bem Dino Bravo, o único WWF Canadian Champion da história. A sua passagem pela WWF não foi curta, os seus rivais não foram fracos – enumeram-se nomes como Don Muraco, Ultimate Warrior ou Jim Duggan – e até nem teve poucas passagens pela Wrestlemania. Mas o seu historial no evento não é dos melhores, contando apenas uma vitória contra Rugged Ronnie Garvin na Wrestlemania V. Da quarta até à sétima contam-se derrotas com Don Muraco, Jim Duggan e Kerry Von Erich. E apenas uma vitória que não foi suficiente para carregar o nome do “Canada’s Strongest Man” ao presente e elevá-lo a nível de Hall of Famer. Poderemos ainda ver um ressuscitar do seu legado, 21 anos após falecer? Ou cairá numa obscuridade superada apenas pelo seu Canadian Championship que mal durou?

8 – The Great Khali

Um caso de alguém que conhecem bem e que até é o caso mais recente que aqui se encontra. E não é apenas um caso odioso de “é um cepo”. Todos sabemos que Khali foi inicialmente vendido como uma aterradora ameaça e agora serve para segmentos de comédia. E muitas paragens na sua carreira fazem com que nem seja um participante tão regular na Wrestlemania. Conseguiu a vitória logo na sua primeira, a Wrestlemania XXIII, com uma vitória sobre Kane. Desde aí apenas soma uma vitória na Wrestlemania XXVII, numa “dark” battle royal que ninguém viu. Depois somou derrotas na Wrestlemania XXVIII, onde fazia parte da “Team Teddy” e agora na Wrestlemania XXX onde fez parte da battle royal em memória a Andre the Giant. E vai servindo para pouco mais que “gajo grande que parece uma ameaça em battle royals” ou gajo para segmentos parvos. Ainda é activo, mas duvido que seja recordado no futuro como um ícone. No melhor dos cenários, será apenas lembrado como o Great Khali…

7- Bad News Brown

Sim, já havia um Bad News antes do Barrett. Bad News Brown é um exemplo de alguém que foi uma explosão de potencial que foi a lado absolutamente nenhum. Apresentou-se com uma personagem aparentemente tweener mas que atraiu atenção por isso mesmo. Era um tipo que não estava lá para falinhas mansas, tanto atacava Faces como Heels e era, muito pura e simplesmente, um badass. Até tinha uns certos traços de Stone Cold antes de haver Stone Cold. E parecia que ia encaminhado para ser o primeiro main eventer ou até Campeão da WWF de raça negra. Mas só parecia. Durante os seus dois anos na WWF, Brown teve feuds com grandes nomes com Roddy Piper – com quem empatou na Wrestlemania VI – Jake Roberts e até mesmo Hulk Hogan pelo WWF Championship. Pelo meio, ainda venceu uma battle royal na Wrestlemania IV, o que ainda permanece como o seu principal “Wrestlemania moment”. Brown abandonou alegadamente por falsas promessas de torná-lo o primeiro Campeão negro da história. Podia ser material de Hall of Fame mas deixaram-no escapar. Agora é lembrado como potencial desperdiçado, quando é lembrado sequer. Em 2007, morreu com um ataque cardíaco aos 63 anos, deixando um legado respeitável mas que podia ser muito mais lembrado…

6 – The Barbarian

Se a equipa dos Powers of Pain já não é das mais recordadas, não é o The Barbarian a solo que consegue ser citado hoje em dia como um dos grandes. Podia ser grande e com Bobby Heenan a servir-lhe de manager, mais ainda. Conta-se como seu maior momento a vitória sobre Tito Santana na Wrestlemania VI e uma feud com Big Boss Man. Pouco tempo lá ficaria até saltar para a WCW e começar um período de alternação – voltaria à WWF em 1994 e já em 1995, voltaria à WCW. Em nenhuma das situações conseguiu elevar-se muito ou sair da cepa torta. É possível que o reconheçam já pela imagem mas é um pouco difícil “The Barbarian” subir ao cimo de qualquer conversa sobre wrestling e os seus grandes nomes…

5 – The Mountie

O Montreal Screwjob é apenas uma das muitas razões para que os Canadianos hoje pudessem detestar a WWE. Mas vá lá, que nunca os levaram tão a sério. The Mountie é um exemplo de uma gimmick que joga com uns belíssimos e exemplares estereótipos de Canadianos. A parte curiosa deste veterano é que ele até nem teve uma carreira pequena na WWE, ainda teve títulos e até podia ser lembrado hoje. Se mantivesse uma gimmick e se… O pessoal se lembrasse, também. Começou com o seu verdadeiro nome, Jacques Rougeau e, juntamente com o seu irmão, brindou-nos com os Fabulous Rougeaus, em 1986. Somariam uma derrota na Wrestlemania III, mas ainda conseguiriam um reinado como Campeões muito curto, mais à frente. Até teve feuds com grandes equipas como a Hart Foundation ou os Rockers. Mas em 1991, viu-se a solo como The Mountie, uma gimmick de… Polícia “Mountie” Canadiano. Com isto conseguiu uma vitória sobre Tito Santana na Wrestlemania VII, um reinado como Campeão Intercontinental pouco recordado nos dias de hoje e pouco mais. Tinha que ser remodelado como apenas Jacques, juntar-se a Pierre e ter o grande Johnny Polo como manager para ganhar algum ímpeto como integrante dos Quebecers, Campeões de Tag Team por três vezes e com quem somou mais uma vitória na Wrestlemania X. Mas nada que tire o “The Mountie” do baú de “tesourinhos deprimentes” da WWE, no que diz respeito a gimmicks…

4 – Butch Reed

Até fez uma carreira jeitosa mas não propriamente na WWF. Lá até se estreou promissor, quando obteve a sua primeira e única vitória na Wrestlemania, contra Koko B. Ware, na Wrestlemania III – fez parte de um grupo prestigioso limitadíssimo de lutadores que derrotaram o Koko B. Ware. Desde aí, viu-se em vários incidentes que “cancelavam” feuds. O reinado como Campeão Intercontinental de Honky Tonk Man, inicialmente ia para ele, mas alegadamente um “no show” por parte de Reed cancelou o plano. Em seguida, já tinha uma feud pronta com Billy Graham, de quem antecipavam um regresso, mas a condição física do “Superstar” não permitiu que a feud se concretizasse. Daí para a frente, Reed não conseguiu engatar em algo e ia ficando na mó de baixo, sendo o primeiro lutador eliminado na primeira Royal Rumble da história – isso até é um feito importante – e eliminado na primeira fase do torneio pelo título na Wrestlemania IV. Se verificarem a história do senhor, vêem que ele até fez muito e até foi grandinho. Mas não na WWF e fez-se noutros territórios. O seu nome e “Wrestlemania” nem costumam andar muito juntos…

3 – One Man Gang

Eu sei que todos preferíamos o “One Man Band”, mas para já, temos que nos contentar com o “One Man Gang” que brindou os ringues da WWF na segunda metade da década de 80, fazendo pouco mais que derrotar jobbers e perder para as estrelas. Até parecia um tipo importante, se virem a primeira Royal Rumble da história, sendo um dos dois finalistas no ringue, eventualmente perdendo para o muito mais bem recordado e celebrado Jim Duggan. Depois disso apenas conseguiu uma vitória sobre Bam Bam Bigelow na Wrestlemania IV, para avançar no torneio pelo título, mas acabaria por perder para Randy Savage – ao menos perdeu para o vencedor. O que não lhe fica tão bem é saber que a sua única vitória se deu por contagem. A gimmick acabou por ser retirada mas, sabendo o que viria a seguir, mais valia nem mexer. One Man Gang transformou-se em Akeem, um lutador “Africano”, que mesmo sendo branco, tinha segmentos com um sotaque estereotípico e rituais de tribos Africanas a decorrer atrás. Se quiserem acusar a WWE de racismo, utilizar Akeem é fácil demais, procurem antes um desafiozinho…

Nos seus dois anos com uma gimmick polémica e embaraçosa, ainda constou em mais duas Wrestlemanias – uma em Tag Team, com Big Boss Man – os Twin Towers – na Wrestlemania V, onde derrotaram os Rockers e uma derrota para o seu ex-parceiro Big Boss Man na Wrestlemania VI. E hoje, que seja imortalizado com uma estátua e uma battle royal em sua memória…

2 – Corporal Kirchner

Este indivíduo que mais podia parecer alguma personagem saída de uma caixa de cereais era, na verdade, uma gimmick séria baseada no background militar real do lutador Michael Kirchner. E ainda teve a honra e privilégio de competir na segunda Wrestlemania de sempre. Não só competiu como venceu e derrotou logo um nome como Nikolai Volkoff!… Num “Flag match”. Por muitos problemas que vejam em Wrestlemanias mais recentes, estejam gratos por já não marcarem lá mais Flag matches. Kirchner lá venceu e pouco mais fez para além de ganhar má fama por ser um lutador “stiff” e testar positivo nos testes de drogas, que lhe retiraram o emprego na WWF. Podia ter tido mais um “Wrestlemania moment” em 2001, na Wrestlemania X-7, participando na “Gimmick Battle Royal”, para a qual foi fortemente promovido. Mas nem nisso apareceu. Uma lenda na história da WWE.

Nota: Ainda conseguiu algum sucesso no Japão como Leatherface, utilizando a gimmick baseada no personagem Freddie Krueger, do filme “Texas Chainsaw Massacre”. E até lá ia arranjando polémicas com shoots em combates hardcore…

1 – Haiti Kid

Se estão confusos a perguntar-se quem raio é este indivíduo… Não se preocupem, não estão sozinhos. Se ficaram entusiasmados por serem grandes fãs e chateados por ter ficado com o primeiro lugar num “Top Ten” destes… Lamento avisar que esse já é um caso mais singular. Mas este protótipo de Hornswoggle já venceu um combate na Wrestlemania, sim. Foi na Wrestlemania III que, ao lado de Hillbilly Jim e outro lutador anão Little Beaver – que podia partilhar este lugar com Haiti Kid, mas é uma espécie de lenda no wrestling “dwarf” Canadiano – categoria muito específica, eu sei – e eu gostei tanto deste – para derrotar a equipa de King Kong Bundy e os seus anões Little Tokyo e Lord Littlebrook. Tudo lendas da Wrestlemania, como podem supôr. Haiti Kid, o meu escolhido, esteve do lado vencedor dessa épica batalha destacada na Pro Wrestling Illustrated como pior combate do ano. E foi essa a sua carreira na WWF, basicamente – por acaso até esteve no canto do Mr. T no seu combate de boxe com Roddy Piper na Wrestlemania II, e esse até é um momento lendário. Mas agora pergunto eu… Onde está o lugar no Hall of Fame para este senhor?

E foram estes dez ícones tão incontornáveis como os últimos anos da WCW que vos pude apresentar. Espero que tenham gostado e que tenham aprendido algo. Ou, pelo menos, que tenham ficado minimamente confusos. Para além da habitual opinião sobre o artigo, pergunto-vos se conheciam todos os cromos desta caderneta – para além do Khali, claro. E se conhecem mais algum “grande” nome vitorioso na Wrestlemania. Era um tema pendente que tinha para antes da Wrestlemania, daí que talvez pareça um pouco deslocado. Para a semana regresso, talvez com algum tributo a Ultimate Warrior, e depois vejo se ainda há restos de temas relacionados com a Wrestlemania, para compensar o tempo perdido. Mas volto! Até lá fiquem todos bem!

R.I.P. Ultimate Warrior

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

9 Comentários

  1. Dcastanho - há 3 anos

    pelo menos sabemos que ouve pelo menos meia duzia de canadianos que tiverem sucesso (Edge,Y2J,Hart Family)
    Bom artigo acho que a espera valeu a pena.

  2. Chopper - há 3 anos

    Antes de mais gostei muito do Top Ten. Sempre o li e acho que consegue meter um humor aí para o meio muito bom. De seguida uma pequena correcção:
    “Nota: Ainda conseguiu algum sucesso no Japão como Leatherface, utilizando a gimmick baseada no personagem Freddie Krueger, do filme “Texas Chainsaw Massacre”. E até lá ia arranjando polémicas com shoots em combates hardcore…”

    O senhor pode ter lutado com o nome Leatherface, no entanto é impossível a gimmick basear-se no Freddy Krueger do “Texas Chainsaw Massacre” já que o pobre Freddy faz parte do “Nightmare on Elm Street”, poderia era ser baseado no próprio Leatherface que é a personagem principal do “Texas Chainsaw Massacre”.
    Espero que tome isto como um elógio e uma pequena correção.Cumprimentos.

  3. Mindfreak - há 3 anos

    Bom artigo!

    Só uma pequena correção , no filme Texas Chainsaw Massacre o assassino chama-se Leatherface. O Krueger não entra nesse filme e sim no Nightmare on Elm Street. Então eu acho que a gimmick do Kirchner no japão foi mesmo inspirada no Leatherface (até pelo nome).

    Seja como for, bom artigo!

  4. rodrigomcb99 - há 3 anos

    Bom artigo
    Na ultima edição do Countdown que passa na WWE Network o Mountie foi colocado como 6° pior gimmick da história

  5. Hildo - há 3 anos

    Bom top.. onde desconhecia a grande maioria de que você colocou.

  6. Chris JRM - há 3 anos

    Bem… Obrigado a todos pela correcção!
    Mesmo que eu já conheça bem as duas personagens e as distinga, troquei-me completamente e se calhar nem notava se não me tivessem avisado! Ainda para mais, já tinha dito o nome da dita personagem, mas foi meter o Krueger, porque… Ainda estou com falta de sono? Nem sei :P

    De qualquer das formas, obrigado às duas correcções! :)

  7. João Ccruz - há 3 anos

    Eu acho que seria fixe,na proxima edição tenha ver com o Ultimate Warrior.
    Os melhores combates ou mais inorgânica es da sua carreira…

  8. Dr.Thuganomics - há 3 anos

    Sem duvida que para mim o top ten é o melhor artigo do ptwrestling

  9. Dr.Thuganomics - há 3 anos

    Só metia aí nesse top o Big Show mas de resto está ótimo como sempre

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador