Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Top Ten #72 – Partidas de Backstage

Bem-vindos ao Top Ten desta semana. Nem de propósito, após vos apresentar uma colecção de pérolas de Dean Ambrose quando ainda era Jon Moxley, ele fornece-nos no Raw um dos melhores segmentos de comédia genuína em muito tempo. Culminou numa bela partida a Seth Rollins que acabou pintando-o de verde. Partidas são sempre engraçadas quando bem feitas e já em ecrã as fizeram. Mas nem é disso que falo, que o WWE.com trate disso, farto estou eu de começar temas que eles acabam também por fazer, os copiões.

Vou mais fundo, vou ao backstage. Ou faz de conta, visto que isto são apenas histórias que se lêem. As histórias de backstage de partidas, aquelas a que chamam “ribs” são muitas e vão percorrendo por aí. Portanto, porque não listar aqui umas dez ordenadas? Atenção que isto varia de nível. Algumas são engraçadas e inofensivas. Outras são mais duras e vingativas. Outras também podem ser nojentas. Tudo para umas risadas para algum lutador aborrecido.

10 – O fetiche do Lex Luger

Comece-se logo por despachar um facto: Owen Hart era o rei disto. Mas era aquele que as pessoas, por um lado, temiam porque nunca sabiam quando ia ser a sua vez e, por outro, adoravam porque o tipo era criativo e engraçado. Com a pesquisa certa podia fazer-se um Top 10 só com partidas de Owen Hart. Inaugura-se logo a contagem com uma dos tempos em que este partilhava quarto com Lex Luger. Luger ocupado no chuveiro com a sua bagagem e roupas à mercê é demasiado tentador. Owen procede a pedir uma roupa interior emprestada a umas meninas que ali estavam no hotel, comprar mais alguma e tirar umas fotografias à sua própria zona inferior em trajes menores também. Para quê? Para encher a sacola de Luger, sem este suspeitar. No aeroporto é que elas se dão, quando é hora de revistar o saco de Luger… E o que mais encontram é cuequinha feminina aos montes e fotos estranhas de virilhas masculinas. Luger foi aos arames. Owen Hart desfez-se em riso. E nós, imaginando a situação… De que lado ficamos?

9 – Randy Orton, homem que leva coisas a bem

Uma história mais recente e também um pouco mais conhecida. Foi mais um acto de amuo do que uma partida e que já foi espalhado pelas interwebs de formas muito mais exageradas. Tudo porque Orton é daqueles mulherengos que não gosta de ouvir um não. Rochelle Loewen foi uma Diva de curta duração que não viu a sua carreira ir muito longe. Mas já deu para ter Randy a querer festa. Após a nega, Randy faz o que qualquer homem faria e amua, sabotando-lhe a carteira/mala. A versão confirmada pela própria Rochelle é de que ele apenas despejou uma mistela de produtos como cremes e óleos. Mais uma vez, atitude adulta. A versão mais extrema que circula entre internautas, que ainda é dada como a verdadeira e que a própria Rochelle diz que ele não o fez mas que até era menino para isso… É a de que deixou lá um belo de um presente seu… Fruto das suas necessidades digestivas. E preferimos pensar que não, que o Apex Predator não anda por aí a improvisar penicos em carteiras femininas. Mas só pelo sim e pelo não, aconselhava as actuais Divas a guardar os seus pertences bem guardados, enquanto o Viper andar por perto…

8 – Boa ideia: Chatear o Samoa Joe

Esta aqui pode ser um pouco cruel mas também engraçada e decorre em independentes. Steve Corino, Hamrick e Low Ki decidem matar o aborrecimento ao andar por aí a distribuir tabefes com fronhas de almofada molhadas aos talentos porque sim. Não sei o efeito mas agora também o quero fazer. Andaram nisso até Al Snow se prevenir e passar a perna a eles, mas eles não queriam ficar por aí e encontraram um grupo jeitoso a jogar cartas. AJ Styles, Christopher Daniels e Samoa Joe. Aj Styles? Porque não, já deviam ter feito a piores. Daniels? É sempre um rapaz bem humorado, não ia levar a mal. Samoa Joe? Oh meu Deus. Esse é que não era muito boa ideia. Como virar as coisas a favor? Chamando um lutador Britânico mais jovem para o fazer por eles. Não se especifica quem é, mas normalmente presume-se que seja o PAC. Vamos assumir que é, só pelo quão engraçado será imaginar um jovem Adrian Neville a fazer asneiras. Plano simples: eles tratam de Styles e Daniels, o pobre coitado fica com Samoa Joe, aos 3 fogem. Nem aos 3 nem aos 2, os matreiros simplesmente sentam-se num sofázinho descansados e observam o jovem a desatar ás sapatadas a Samoa Joe, até aperceber-se do estado de perigo em que estava a sua vida. Como isso não chegava, quando o moço fugia do irado Samoa Joe, algum dos três engraçados ainda faz questão de passar-lhe uma rasteira para este cair e explicar-se a Samoa Joe enquanto leva uma sova daquelas. Assim até dá vontade de tornar lutador e ir trabalhar para as indys!

7 – Todos gozam com o Coachman!

Pobre Coachman. Já gozavam pouco com ele em ecrã, quanto mais lá dentro quando ele era ainda recém-chegado. Tudo começou com um joguinho de apostas desportivas que criaram lá dentro, todo com o propósito de o tramar. Como bom fã de desporto que ele é, já sabiam que participava. Tudo para andarem a acusá-lo à polícia – que também entrava na brincadeira – de andar metido no jogo ilegal. Com detenção e tudo. A coisa aqueceu quando chegou a Vince, na tentativa de lhe pagar a fiança, apenas para este explodir em ira, dizer que estava por sua conta e ainda lhe atirar um par da sua roupa interior à cabeça. Só para humilhar um pouco mais. Coach não podia estar mais devastado e tudo por umas apostazinhas. Chega a altura de o levar à esquadra. Só que em vez da esquadra era a arena e em vez de ser recebido por mais polícias, foi recebido por toda a staff a rir-se desalmadamente do pobre jornalista rookie. Quem estava à frente na multisão e por trás disso tudo? Pois claro, Vince McMahon. E era esse o patrão que viria a ter!

6 – A trágica história da filha maneta

Um exemplo de uma partida de antigamente e com a sua certa dose de crueldade para com rookies novatos. E envolvendo a família Hart, sem ser Owen. Se fosse ele, se calhar era mais para a palhaçada do que para assustar propriamente. Aqui envolvia Bret e Bruce e quase mataram de cagaço um pobre novato desconhecido que nem sei se veio a tornar-se algum lutador notável. No entanto, a peça-chave nesta brincadeira é Bad News Brown. Olhem bem para ele. Digam lá se ele não é um tipo intimidador. E ele sabia-o. E o pobre moço também o sabia ainda melhor. Daí que tentasse o seu melhor para o agradar e cair-lhe no goto, desde a simpatia à graxa. Brown e os Harts que com ele viajavam toparam logo e tiveram uma ideia para fazer asneiras. Numa daquelas conversas “privadas” feitas para outros ouvir, Bret e Bruce discutem um prémio de piano recebido pela filha talentosa de Brown. O rookie ouviu isso – tal era a intenção – e viu a oportunidade da sua vida de cair nas boas graças do assustador wrestler. Dirige-se ao grandalhão e dá-lhe os parabéns pelos talentos da filha ao piano. Apenas para este arregalar os olhos e gritar furioso que era bem sabido que a filha dele tinha perdido as mãos num acidente e como se atrevia ele a fazer tal troça. Pobre rapaz, por pouco não desfaleceu ali. E já devia ter chorado muito e sujado a roupa interior quando os três brincalhões confessaram a brincadeira. Isso não se faz! Ou faz-se pronto, lá se devem ter divertido.

5 – Milky Boy Smith

Esta é referente ao backstage mais negro de antigamente e toca num assunto sensível que na altura era comum: esteróides. Era do mais comum tomá-los e neste caso até serviu para um “trollanço” bem feio. O lutador em causa é Davey Boy Smith que também não quis ficar atrás e recorrer a essas drogas, mas não fazia a mínima ideia como as usar. Podia ter tomado isso como sinal e simplesmente não o fazer mas o lendário lutador quis levar isso para a frente e, para isso, pediu ajuda ao seu parceiro de tag team Dynamite Kid, que ficou encarregue de lhe injectar a seringa no traseiro. E será que foi boa ideia? Davey, sem pista, achava que estava tudo bem e apenas estranhava porque é que no balneário era recebido pelos colegas com cornos e ruídos bovinos. Estava tudo tolo só podia, se perguntava ao Dynamite Kid e este só lhe dizia que estavam a meter-se com ele, não era nada. Foi através de confidências de esposas que chegou a verdade a Smith: Dynamite Kid andava a injectar-lhe… Leite. Puro e simples leite, nada de esteróides. Melhor que droga, mas andava lá o lendário lutador a competir com umas nalgas de leiteiro sem saber. As coisas viriam a azedar entre estes dois lutadores mas por outras razões mais pessoais, chegando a tornar-se enormes rivais na realidade. Mas não sei se o traseiro leitoso de Davey Boy Smith era assunto que viesse muito à baila.

4 – O guardanapo da morte!

Mais um exemplo de que Owen Hart era o rei das partidas inofensivas que só faziam um gajo rir-se e não faziam mal a ninguém. Envolvia um jovem Edge e spots combinados para um combate. Nesse combate, Owen teria que recorrer a tácticas Heel e utilizar uma arma em Edge. O futuro Rated R Superstar concordou e, sem saber que arma seria, fez o seu trabalho. Chegando ao combate, Owen utiliza o objecto forasteiro e Edge vende com toda a alma como era suposto. Owen esconde a arma debaixo do braço e cabe ao árbitro descobrir-lhe a arma que era… Um guardanapo. Um pobre guardanapo. E Edge ali jazia como se tivesse levado alguma cadeirada forte, tudo porque ele confiou em Owen Hart e vendeu como devia ser. Depois é que veio a risota!

3 – Fozzy: Os surdos são os que mais gostam!

Isto dava para uma boca fácil de que só os surdos gostariam dos Fozzy mas não, não é por aí. Isto envolve um serviço que existia nos telefones, para surdos, com intérpretes a ler frases escritas por remetentes surdos para o receptor. Não se usavam muito as SMS, parece. Mas Christian até foi o primeiro a tentar ser apanhado por isso, por Daivari, mas este topou e caiu-lhe logo encima por tentar pregar-lhe uma rib sendo apenas um rookie e ele um veterano. Antes que Daivari fosse intimidado, Christian, como o gajo porreiro que é, perdoa-o e pede-lhe ajuda para que o ensine a utilizar aquele serviço para pregar uma a Jericho. Agora é que vem a parte gira. Chris Jericho atravessou o momento mais aterrador da sua carreira quando começou a receber telefonemas de algum/a intérprete de uma suposta fã surda que adorava a música dos Fozzy. Só essa parte já era suficientemente perturbadora, mas piorou quando o fanatismo se tornou obsessivo e perigoso e a tal fã afirmava que eles foram feitos um para o outro. Era um tal de rir quando Christian apreciava ao longe um Jericho assustado ao telemóvel e a evitar atendê-lo. Até em autocarros diferentes, Christian via de um para o outro, quando paravam lado a lado, Jericho com ar de quem procurava um buraco onde se meter. As mensagens ultrapassavam o limite e já havia algo sobre enterrar-lhe uma faca no peito se ele se recusasse a ter relações com ela. Y2J até chegou a desabafar o seu medo e preocupação com o próprio Christian, sem suspeitar, sem que este cedesse. Chegou ao ponto de receber uma mensagem a dizer que sabia em que hotel ele estava e que ia ter com ele. Mais risota ao ver um Jericho cauteloso, cheio de medo, a olhar para todos os lados à espera de uma surpresa. Eventualmente Christian contou-lhe tudo e Jericho… Desfez-se em gargalhadas. Sempre é bom saber que tem um bom sentido de humor. Enquanto que algumas das histórias aqui presentes podem não ter total veracidade, esta foi contada pelo próprio Jericho no seu livro, logo pode considerar-se autêntica. Já a fã surda é que era outra história.

2 – Não foi a melhor sandes que comeu

Um sério aviso: a história que se segue é muito nojenta e espero que não a tomem muito a mal, que não estejam a comer alguma coisa ou que vos cause qualquer reacção mais extrema. Achei que devia avisar. Então agora já posso despejar a nojeira. Envolve Mark Henry e a sua altura de “Sexual Chocolate” nos 90. Uma altura em que ele, nem sempre, andava de bom humor e podia ser desagradável com as pessoas – conhecemo-lo como um indivíduo simpático, talvez estivesse em dias não. E esta história envolve crueldade da outra parte, não dele. Lá veio uma lesão que fez com que Mark Henry andasse de canadianas. E sempre que ia à casa-de-banho, a malta roubava-lha as ditas cujas. Até aí nada de extraordinário, uma partidita cruel e contínua. Mas depois Henry cometeu o erro: ameaçou fisicamente quem quer que o voltasse a fazer. Aquele balneário não ia levar aquilo muito a bem. E fazem a coisa mais difícil de aqui descrever e para vocês lerem: estão a ver o que se alegava que Randy Orton tivesse feito na mala da outra? Lá foi o X-Pac, que não tinha grandes problemas em ir à casa-de-banho em qualquer lado, fazê-lo… Na sandes de Mark Henry! Se ainda não levaram a mão à boca, a coisa piora: era suposto Henry ver e ficar chateado. Em vez disso, desata logo a comer e NÃO NOTA IMEDIATAMENTE! Eventualmente teve que notar, parar e vomitar aquilo que tinha comido. O insulto por cima da lesão? Assim que foi ao WC chamar o Gregório… Roubaram-lhe as canadianas outra vez. Oh, pobre Henry. Esta, por acaso, um gajo até fica a desejar que não seja verdade.

1 – Presentes do Mr. Perfect ao Ultimate Warrior

Ficou guardada para a primeira posição por ser uma das mais conhecidas e que também estabeleceu Mr. Perfect como um brincalhão de pouca confiança. Envolve nojeira como a da posição anterior, mas não tanto, aliás aqui até nem é nada em comparação à história anterior. Foi num episódio do Nitro em que Ultimate Warrior tinha que sair debaixo do ringue para surpreender os nWo. Tinha que lá ficar escondido até chegar a sua vez e, para não dar nas vistas ao público, tinha que lá estar desde o início. Coisinha mais secante que se possa imaginar. Mas Curt Hennig tinha que tornar a coisa mais “interessante”. E decide fazer as suas necessidades fisiológicas para dentro de um balde – mas esta malta ainda não ouviu falar em sanitas? – e escondê-lo debaixo do ringue. Para que se acrescente um pouquinho de mau ambiente e aroma pútrido ao aborrecimento de Warrior que dali não podia sair. Insuportável e também se alega que Warrior não tenha aguentado e tenha mandado a sua refeição de volta, com as náuseas, pelo menos uma vez. O alívio que deve ter sentido quando chegou a sua altura de sair… Já perto do fim do programa!

E com estas histórias – e sei bem que guardei a maior nojeira para o fim, logo peço desculpa por qualquer coisinha – concluo um Top Ten diferente mas que espero que tenha sido interessante e divertido de ler. Algumas histórias são nojentas, outras cruéis, outras simplesmente aparvalhadas e engraçadas. Talvez nem todas sejam verdade. São todas apanhadas de vários relatos existentes pela Internet fora, recolhidos de livros biográficos, entrevistas shoot, dirtsheets, etc. Achei que seria um tema engraçado de abordar, mesmo que não pareça um tema muito numerável, mas lá tentei fazê-lo. Espero que tenham gostado e espero que estejam abertos a partilhar outras histórias de “ribs” como estas que conheçam e que aqui não constem, pois a caixa de comentários também está aberta para vocês. Se ninguém na equipa do wrestling.pt me pregar uma partida feia, pretendo regressar na próxima semana. Até lá, portem-se bem e, tal como a acção em ringue… Não tentem isto em casa!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

5 Comentários

  1. Kurt Rocker - há 2 anos

    Algumas dessas já foram apresentadas no artigo Pensamentos #60 e na outra parte, mesmo assim algumas eu nunca tinha visto, e eu sempre gostos desse artigo sobre as partidas no backstage, então boa escolha!

  2. ygor - há 2 anos

    Excelente artigo e boa escolha.

  3. John_3:16 - há 2 anos

    Algumas já não me recordava.

  4. Vitor Oliveira - há 2 anos

    Vocês poderiam fazer uma matéria sobre as melhores lutas femininas da história

  5. Leonardo - há 2 anos

    como é que os DX não entraram nesta lista? xD

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador