Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Top Ten #73 – O Meu #SmackDown15

Bem-vindos ao Top Ten desta semana. Semana importante que passou, semana de aniversário. O agora menos relevante Smackdown completou 15 anos e com ele vieram muitas memórias do programa “B” da WWE, a antiga brand azul. Porque não também fazê-lo eu? Num programa com 15 anos, há muita coisa para atafulhar num ranking de 10 posições mas dou-lhe um toque diferente. É normal que me esqueça de momentos importantes e até nem é esquecer. Este é um ranking de grandes momentos mais pessoais.

É claro que não o posso basear apenas em coisas que vi. Não acompanhei os 15 anos e até acompanhei uma fatia pequena deles. Não podia fazer o Top Ten só com isso quando tenho conhecimento de muitas mais coisas que aconteceram e que me marcaram quase tanto como se os tivesse visto na altura. Daí que haja um tom pouco ortodoxo neste Top Ten, que o torne mais pessoal – momentos clássicos unânimes intercalam-se com outros momentos que talvez não vos saltem à memória logo mas que me marcaram mais pessoalmente. Celebremos estes 15 anos!

10 – Estreia de um gajo meio conhecido

http://youtu.be/10ivQ3ogO1M

Um momento importante na história do Smackdown em geral, que não acompanhei, mas que guardo com estima num tom retrospectivo de “quem diria”. Em 2002, Kurt Angle abre uma “open challenge” e vê resposta de um moço determinado com um penteado esquisito. O miúdo diz chamar-se John Cena e a malta ficou a pensar se voltaria a ouvir esse nome. Teve um bom desempenho contra o veterano Angle, que muito esforço fez para não lhe mostrar o devido respeito e o povo ficou a querer voltar a ouvir esse nome. Mal sonhavam eles que uns anos mais tarde, não iam poder ouvir esse nome a ser pronunciado nem ao revés!

9 – Happy birthday!

http://youtu.be/eeAVVzZuTqo

Todos nós concordamos nisto: ter uma data de gente às escuras a cantar-nos os parabéns é das coisas mais desconfortáveis que existe na vida. Ali ficamos especados com um sorriso amarelo, sem saber como reagir e a tentar engolir o constrangimento antes que ele nos engula a nós. Não há volta a dar. Mas talvez haja uma alternativa. Termos CM Punk a cantar para nós! Um dos momentos mais perturbadores mas também míticos e notáveis na história do Smackdown, que serviu de gota entre muitas para colocar CM Punk frente a Rey Mysterio na Wrestlemania. De que forma é que o Punk cantar os parabéns ao Mysterio podia intimidar ou provocar? Lá está, não foi a ele, foi à pobre filhinha pequena que não sabia onde se meter com o susto. Dos momentos mais caricatos e que melhor colocou CM Punk no estatuto de um grande Heel.

8 – Ainda gostamos dele…

http://youtu.be/BoRXf8ZYMqo

Uma Heel Turn quando bem feita pode ficar marcada para sempre e definir uma carreira. E quando querem mesmo elevar a fasquia para outros níveis, podem fazer uma bem bruta e temos conteúdo memorável. Quando é com um tipo tão fácil de gostar como é Eddie Guerrero, tem que se fazer algo muito forte para ter a certeza que a plateia se vira contra ele. E vem aquele momento em que se vira a Rey Mysterio da mais tenebrosa e psicótica das formas. Podia tê-lo atacado simplesmente. Mas não chegava para passar a mensagem, tinha que fazê-lo de forma bárbara, destruir-lhe a máscara, deixá-lo a sangrar. Se uma descrição não chega, talvez as reacções dos miúdos no público já falem por si. Até hoje, ainda das minhas Heel Turns favoritas.

7 – Lie, cheat, steal em tributo!

http://youtu.be/iNPXJmGxaBU

Aqui está um caso de um momento que talvez não seja dos que tenham mais bem guardados no vosso baú de memórias ou que não conste em listas de grandes momentos do Smackdown. Mas quando a brand azul ocupava a minha programação de Verão às sextas-feiras de manhã, este foi um momento que mexeu bastante com o mark em mim. E o mark em mim gostava bastante do Rey Mysterio – como todos os outros miúdos da altura – e estava bastante entusiasmado com o seu reinado como World Heavyweight Champion – sem noção da exploração que para ali ia por trás daquilo. Chegou a uma altura em que Rey estava tramado porque tinha que defender o título contra Mark Henry, que andava irritado, era assustador e fazia questão de nos lembrar regularmente que era o homem mais forte do mundo. E o Rey Mysterio era aquela pulga no ringue. Não havia hipótese. Isto até vir Chavo Guerrero dar uma ajuda e trazer uns joguinhos que aprendeu com o seu falecido tio: uma cadeirada barulhenta num canto, Mysterio deitado no chão como se tivesse sido atropelado por um camião e cadeira na mão de Henry. O árbitro faz as contas e desqualifica Henry, permitindo assim a Mysterio manter o título contra todas as probabilidades. E o mark em mim a markar-se todo.

Nota: Três posições seguidas com Rey Mysterio como integrante. Ele foi mesmo uma peça importante no Smackdown, especialmente para nós e para a miudagem que o acompanhou.

6 – “I am not Hulk Hogan, brother!”

http://youtu.be/HburE7g_tMg

Nem é preciso ser grande fã de Hulk Hogan para reconhecer que a sua fase mais tardia em que interpretou Mr. America foi hilariante. A feud com Vince McMahon não foi má e apenas ficou acidentalmente hilariante graças a umas calinadas que Hogan disparou numa promo que devia ser séria. Foi depois de ser despedido e recontratado como o anónimo mas não convincente lutador mascarado Mr. America que se deram os momentos mais engraçados. Nem se deu ao trabalho de mudar o tema de entrada, as taunts ou a moveset, apenas levava uma máscara a executar um pobre trabalho em cobrir-lhe a identidade. E Vince insistia que aquele era Hogan, apenas para este negar com potentes “I am not Hulk Hogan, brother!”. O grande momento, quando elas se deram, foi num teste com um detector de mentiras. O segmento já é hilariante mas o melhor de tudo? Hogan, perdão, Mr. America, conseguiu passar! Não melhora mais ainda? Vince decide fazer o teste! Infelizmente, novos conflitos afastaram Hogan da WWE e toda esta história ficou a meio. Podiam ter vindo mais coisas engraçadas.

5 – “I understand…”

http://youtu.be/Ybpeweuky8g
http://youtu.be/fSHSzRCLNVg

Mais um exemplo que se fica por ser mais pessoal que geral, envolve uma altura em que horários não favoráveis e um progressivo decréscimo no interesse nacional por wrestling fez com que eu parasse a minha assiduidade em seguir o produto. Mas sempre que tinha chance, lá dava uma espreitadela. Tive que o fazer numa altura em que havia algo que me interessava – uma rivalidade entre Edge e Undertaker, dois lutadores que admirava imenso e que ainda hoje permanecem firmes entre os meus favoritos de todos os tempos. Edge encontrava-se cheio de receio por encontrar Undertaker num Hell in a Cell e teve que recorrer a ajudas: o comentador Mick Foley. E Foley apenas lhe lembrou quem é que o podia ajudar. Edge. Não o Edge que andava aí mansinho a tentar ser um marido fofo para a Vickie Guerrero mas o Edge que teve um dos maiores combates Hardcore da história da WWE contra ele na Wrestlemania. E Edge entendeu. Se entendeu. Enquanto repetia essas palavras, destruiu Foley como só Edge, o Edge certo, conseguiria. E eu só não bati palmas porque… Nem sei, se calhar bati mesmo!

4 – No supermercado logo!

http://youtu.be/LKmUo9pTd3M

Momento mítico e hilariante. Clips como este são capazes de nos deixar paranóicos a andar num supermercado, sem saber as surpresas que nos podem aparecer ao virar da esquina. Booker T assim estava e com razão. Não tardava nada e tinha Stone Cold Steve Austin à perna a dar-lhe a maior e mais humilhante sova pública ali no meio de pessoas que levaram um espectáculo por cima dos bens para encher a despensa. Steve Austin sempre foi o rei de dar sovas nos sítios mais insólitos e longe de um ringue. Perguntem a Vince. Agora confesso, se soubesse que acontecia disto nos hipermercados aqui da minha zona, até ia ás compras muitas mais vezes!

3 – Bumps por quem devia ter reduzido os bumps

http://youtu.be/YYAOBlkq0F0

Olhando à personagem que se atira tão desalmadamente ainda nos dói mais. E já doía bastante sem isso. Um dos maiores momentos “holy shit” na história do wrestling televisivo, terá que contar como o momento mais “holy shit” de toda a história do Smackdown – juntamente, quiçá, com a seguinte entrada. E claro, com o Sr. Benoit. Apanhando a altura em que comecei a ver o Raw mas ainda não podia acompanhar o Smackdown, esta rivalidade entre Benoit e Booker T, com um estonteantemente importante United States Championship em comparação ao presente, a vir à baila, interessou-me… O clip do doloroso bump já era conhecido e era das principais imagens a encorajar a malta a ficar quietinha e a não tentar aquelas coisas em casa. No entanto o clip foi removido por incluir uma personagem imencionável. O que é pena porque as dores nas costas que este momento proporciona eram as ideais para deixar qualquer um a assistir sentadinho.

2 – E lá vai o ringue!

http://youtu.be/ne18pkjAEqI

Este sim é dos mais unânimes momentos da história do Smackdown e todos o recordam com um puto de 10 anos aos saltos histérico, que todos temos cá dentro, a manifestar-se no exterior. Só não está no topo porque quis guardar um derradeiramente pessoal. Mas podia estar. Um dos melhores momentos no ringue do Smackdown acaba por ser um que deixa o Smackdown sem ringue. Brock Lesnar. Big Show. Corda superior. Demasiados quilos. Má ideia. Ou excelente ideia. Assim que corpos atingem o ringue, o coitado não aguenta e morre ali debaixo dos dois gigantes. Daqueles momentos que dá para se ver muitas vezes. Levante lá o braço quem reproduziu o vídeo várias vezes seguidas. Não vale mentir e ficar só eu com o braço a doer.

1 – The Undertaker e Randy Orton

http://youtu.be/BixMkwQCNrA

Como disse, guardado para a primeira posição um acontecimento tremendo a nível pessoal e que não deixa de ser um grande momento na história do Smackdown. Não é um segmento, não é um combate, é toda uma história. Uma história que colocou Randy Orton em patamares quase inalcançáveis para muita malta jovem de hoje em dia e que me mostrou a grandeza desse senhor que é Undertaker. Mesmo com os momentos mais aparvalhados à volta do sobrenatural, como Josh Matthews possuído, ou termos acesso à visão de Randy do pai ensanguentado, não deixou de ser uma grande feud que para sempre me ficará na memória como um dos grandes momentos do Smackdown e uma das minhas feuds favoritas de todos os meus tempos a acompanhar wrestling.

E com estes dez grandes momentos da história do Smackdown, nem que seja só a minha, fecho esta edição do Top Ten que espero que tenham gostado e que tenha servido para recordações. E que se sinta um mínimo de variedade em relação àquilo que tem vindo a ser feito ao longo de toda esta semana com o importante aniversário do Smackdown. É claro que um tema destes é feito para vocês acrescentarem os vossos, sigam a mesma estrutura, grandes momentos históricos e pessoais. Vão lá desenterrar um momento que a malta não se costume lembrar mas que vos tenha feito markar que nem putos – especialmente se eram mesmo putos. O artigo é vosso e assim também será o próximo, pois planeio cá voltar. Até lá, portem-se bem e celebrem os 15 anos de Smackdown com muitas recaps do Raw!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

4 Comentários

  1. Pedrokayser - há 2 anos

    grande top ten ^^

  2. danielLP21 - há 2 anos

    WTF?!!! Como é que isto só tem um comentário?!! É o MELHOR Top Ten DE SEMPRE! Muito obrigado por recordares estes momentos arrepiantes. A SmackDown, independentemente do momento que está a passar, é um programa lendário.

  3. joaop - há 2 anos

    Devias era ver a filha do Rey agora…

    Alguem sabe se o ringue estava preparado pra se desmanchar??

    Gostei deste Top Ten… Gostei muito… Parabens!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador