Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Top Ten #79 – Momentos Chocantes do Survivor Series

Sejam todos bem-vindos a um novo Top Ten. Espero que estejam mais calmos por esta altura. Que já tenha secado toda a roupa que teve que ir para lavar no passado fim-de-semana. Que o sangue já tenha recuperado a sua habitual temperatura. Que aquelas peças de mobília caras que destruíram já tenham sido reparadas ou substituídas. Que já tenham recuperado o ar e a fala. Porque já passou o Survivor Series e com ele levou um momento do caraças.

Pois é, parece que finalmente aconteceu. Uma das duas últimas coisas ainda por fazer na lista da WWE – a outra é colocar o Shockmaster no Hall of Fame – já se concretizou após tantos anos. O maior WWE Superstar a nunca ter constado na WWE, Sting, apareceu e rebentou com uma arena no Survivor Series. Não me dá melhor ideia que enumerar outros momentos de gelar o sangue e chocar o público. É de níveis diferentes, claro, nem todos causam aquele choque. Mas é aqui que a enumeração entra em vigor.

10 – Enterre-se o Undertaker

http://youtu.be/kZ0ICEETaBI

Decorria o Survivor Series de 2003 e culminava uma daquelas feuds que já sabemos que tem atenção e tem implicações altas por envolver quem envolve ali a dar cabo do corpo. Vince McMahon, ora nem mais. O patrão lá quis arranjar problemas com o “American Badass” Undertaker – o que nunca parece boa ideia – e meteu-se em alhadas quando calhou num combate “Buried Alive”. E já estava prontinho para engolir terra, não fosse a surpreendente interferência. O “irmão” de Undertaker, Kane, interfere a favor de Vince, ataca o motard e enterra-o qual cão a enterrar osso no quintal. Tem que se pegar no choque da surpresa da interferência, e apenas com isso fica aqui no fundo da tabela. Não choca mais porque já era a enésima rivalidade entre os meios-irmãos e até a parte do enterro já fazia parte da estipulação do combate de qualquer forma. Fica pela interferência e pela vitória de Vince. O melhor ainda estava para vir quando o American Badass “morreu” e regressou meses depois com a sua gimmick mórbida de volta!

9 – Traição de Owen Hart

http://youtu.be/atDEbd_oXcA

Decorria o ano de 1993 e tentava decorrer um Survivor Series que já tinha mais alterações que o estado do Big Show. Uma delas era no combate da família Hart que encontraria Jerry Lawler e três cavaleiros, a prosseguir a sua azeda rivalidade que começara nesse Verão. Mas Lawler envolveu-se num escândalo sexual e foi retirado e ignorado que nem Benoit. Considerasse-se isso para o momento chocante mas não, foi o que aconteceu no próprio PPV. Com a substituição por Shawn Michaels à última da hora o combate decorreu suficientemente bem, até Owen ser eliminado – o único dos irmãos Hart – por uma distracção acidental de Bret. Isto deixou o lutador enraivecido e amuado no seu regresso ao balneário. Quando a equipa ganhou, Owen surpreende todos os seus fãs ao mostrar hostilidade perante o irmão e até a atacá-lo fisicamente. A feud só se iniciaria a sério no início do ano seguinte – he kicked the leg out of his leg – mas estava aqui a semente de uma grande rivalidade e um momento que ficará nas memórias de todos os fãs dos Harts.

8 – Gobbledy Freakin’ Gooker

http://youtu.be/xh00VNHNB7o

Claro. Até o deixava em primeiro lugar de qualquer coisa. O que fosse. Qualquer tema, Gobbledy Gooker em primeiro. E conta como um momento chocante. Não digo que a audiência tenha deixado cair o queixo com a estonteante revelação de que um Guerrero vestido de peru saía de um ovo gigante que se encontrava na arena – daquelas coisas que precisam de explicar muitas vezes a pessoas que estão fora do wrestling e nem sabem bem como – por razões incógnitas. E depois desapareceu apenas para reaparecer de vez em quando como uma lembrança de uma terrível ideia. Mas acredito que tenha existido o choque só em pensar que eles tinham acabado de fazer aquilo que tinham acabado de fazer. 24 anos depois e o efeito ainda é o mesmo. Mas também… Única estreia de jeito que houve nesse ano!

7 – Believe in The Shield!

http://youtu.be/T8ukgZ8opBI

Haja algo do meu tempo para que eu possa dizer que markei que nem um pré-púbere. Num evento de 2012 que via CM Punk defender o seu longo reinado de respeito contra John Cena e Ryback, as probabilidades pareciam contra ele. E um pobre gajo aqui a ser o mero fã e a torcer por ele na mesma. Já seria suficiente para dar um salto ao ver que lhe deram a vitória, mesmo que da forma menos cheirosa. Foi ainda mais ao identificar os indivíduos integrantes e ao reconhecer a madeixa loira do NXT Champion, a expressão única do tipo de quem esperavam a estreia há eras e o Roman Reigns que também não me era estranho e tinha uma ideia dele. Aí é que foi quase de ir de cabeça ao tecto. Mas terão que me perdoar, porque como fã, são muitas as vezes em que fico com 12 anos com algo que aconteça. Mas olhem que isso é bom. E por falar em bom, assim nasceram os Shield, grupo que acabou em grande e antes que os estragassem. Haja bom gosto!

6 – “My client, Brock Lesnar!, etc etc”

http://youtu.be/NbbGE5dMvCM

Eles é que já nem se devem lembrar disto, amiguinhos que eles são agora. E talvez porque já passaram uns anitos e temos que recuar a 2002, quando Brock Lesnar ainda era o “Next Big Thing” e o mais jovem WWE Champion da história. E já era cliente de Paul Heyman que elevava-o a um estatuto de Heel monstruoso como só ele conseguiria. E os dotes atléticos de Lesnar ainda serviam para polir melhor a coisa. Estava a ser um reinado e pêras e Heyman sabia que tinha ali ouro. Mas quando Big Show lhe apareceu como adversário e o revolucionário da ECW ganhou miúfa, elas começaram a dar-se. Quando Lesnar consegue executar o F-5 em Big Show, o pin é interrompido por, nada mais nada menos que Paul Heyman que traíra o seu estimado cliente. Face Turn para Lesnar e pesadelos para Heyman. E choque para muitos. Avancem-se uns dez anos e já está tudo bem e Heyman já pode pronunciar o seu nome daquela forma que só ele bem sabe. Afinal ele é o 1 por trás do 1 em 21-1!

5 – A estreia do Morto!

http://youtu.be/u2VY4H_kEzQ

Nem vou retirar o que já disse, lá torço o braço para dizer que esta foi a segunda maior estreia do Survivor Series de 1990! Terá sido um choque assim tão enorme a estreia de um novo Superstar integrante na equipa de Ted DiBiase? Também se considera chocante a estreia de Kurt Angle? Afinal também ele estreou no Survivor Series. Mas claro que uma coisa nem anda perto da outra. Undertaker já veio com a ideia de ser o membro surpresa, um grandalhão que intimidasse e que deixasse uns quantos a engolir em seco. E isso para já não falar do tipo de gimmick que era. Um raro caso de recurso ao sobrenatural para criar um novo personagem surpreendente. Que tenha valido, nem que seja para o cagaço de alguns!

4 – Austin 3:16 says “I just got my ass ran over”

http://youtu.be/jsDhe2zJ_3k

Não digo que tenha sido um choque daqueles mas deve ter brincado um pouco com a preocupação das pessoas. E, admita-se, na altura não se estava à espera daquilo. E foi uma maneira bem original de arrumar um gajo, de modo a dar nas vistas, dar que falar e assustar um punhado de sensíveis. Estava Stone Cold Steve Austin marcado para competir pelo WWF Championship no main event do Survivor Series de 1999. Mas, maldita seja a sorte, encontrava-se lesionado para poder competir. Tiveram que dar asas à imaginação para amanhar uma maneira de o arrumar. Já tinham tido o Triple H a atacar The Rock – ambos integrantes do combate – durante uma entrevista. Não era difícil voltar a fazê-lo. E fez. Mas não foi isso que causou estragos. Foi quando Austin perseguia Triple H que… Um carro decide levá-lo pela frente, como se de um condutor desastrado do Grand Theft Auto se tratasse. É assim mesmo. Triple H foi o principal suspeito e tal deu numa rivalidade com Vince McMahon, o que apenas deixou a pensar… Então e Austin? O homem é atropelado e as coisas giram à volta de outros?

3 – The Rock sells out

http://youtu.be/s7dBPXYowGk

Não, não é nenhuma referência à sua partida para Hollywood e à sua vida de estrela de cinema de acção que substituiu o The Rock do wrestling pelo Dwayne Johnson da passadeira vermelha. Até porque nem me oponho a isso, se o gajo tinha jeito para a coisa e podia capitalizar, força. E se o problema fosse esse, também não fez a transição num Survivor Series. Foi muito antes disso, em 1998, numa edição diferente do Survivor Series que consistia num torneio pelo WWF Championship – era aí que consistia o conceito de “survival”, já que não havia combate tradicional de “tag team”. The Rock andava a ser tramado por Vince nas semanas anteriores, da mesma forma que já era pão nosso de cada dia para Steve Austin. Era um novo alvo para Vince, mas este não esqueceu Austin e conseguiu arrumá-lo do torneio. Na final ficou The Rock e Mankind. Dois que Vince desaprovava totalmente… Ou então não. Como referência ao evento do ano anterior, The Rock prende Mankind no Sharpshooter e… sem que Mankind desista, a campainha soa pela sua desistência. Familiar? Propositado. Vince e The Rock abraçam-se, chocando o mundo. Vince revela que foi tudo um plano para tramar Mankind e Austin outra vez, claro. Um outro “It was me Austin! It was me, all along!”, mas diferente. Aqui The Rock só era revelado como um aldrabão e lá começou a sua “Heel run” de sucesso.

2 – STING!

http://youtu.be/8akCUMyy_jU

O subtítulo desta entrada para a segunda posição é uma boa maneira de resumir o único pensamento que o cérebro conseguiu processar quando esta figura mítica apareceu pela primeira vez em décadas – desde sempre, porra – na WWE, para dar a vitória aos heróis e bons da fita. Mas isto interiormente. No exterior, muitos apenas conseguiram transmitir uma data de ruídos incoerentes que representavam a exaltação pelo que estava a acontecer. Claro que há quem não podia querer saber menos da vinda tardia deste senhor aos ringues da WWE, mas se pensarmos pouco nisso, reparamos. Molhou-se ali muita calça e escreveu-se ali um capítulo com cabeçalho grande na história da WWE. E era o que faltava. E aconteceu. E o segmento nem vale a pena estar a descrevê-lo porque ainda está fresco. E porque muitos de vocês já o tornaram a ver mais umas quantas vezes ao longo desta semana.

1 – Montreal Screwjob

http://youtu.be/4qWKl9wLS9U

Olha, não pode ser! Este episódio tão pouco falado no mundo do wrestling, algo que passou tão despercebido e que é tão esquecido nos dias de hoje. Vale mesmo a pena estar a contar a história toda, o que se passou e o que isto implicou? Ou já está mais que estabelecido como uma das matérias essenciais para quem vê wrestling há mais de umas semanas? Mas pronto, vai tudo: Bret Hart é Campeão, tem contrato com a WCW pronto a assinar, Vince promete deixá-lo manter o título no Survivor Series de 1997 mas ganha medo que este leve o cinto para a WCW e o humilhe, logo planeia um final com Michaels e Earl Hebner sem o conhecimento de Hart e manda tocar a campainha para a desistência de Hart perante o seu próprio Sharpshooter, aplicado por Michaels, sem ter desistido. Na sua terra-natal, em frente ao seu público. O gajo passa-se dos carretos, escarra na cara do patrão e vai embora. “Bret screwed Bret” e ele só volta passados muitos anos quando até se reconcilia com Shawn Michaels. E blá blá blá, já conhecem melhor esta história que a fundação do próprio país. Parece errado quando um acontecimento tão grande, que é o número 1 num ranking, seja abordado com tão aparente aborrecimento e despacho. Mas não é. Estão a ver o que faz uma coisa se tornar tão gigante e histórica?

E despachado já está este Top todo, o que indica que é a vossa vez. Muitos destes momentos podem-vos causar tanto choque como mais uma turn do Big Show e estão à vontade de se manifestar, apenas quis manter um conceito e encher as dez posições. Se há algo que vos tenha marcado mais – como a existência de um combate entre Eric Bischoff e Teddy Long neste mesmo palco ser real – apoderem-se dos comentários, como eu sempre gosto que façam. Isto é tudo vosso e, como tal, espero que tenha sido um tema do agrado. E espero que haja mais para vos tentar agradar na próxima semana. Assim o planeio. Boas entradas em Dezembro, com o Natal aí a aproximar-se cada vez mais. Portem-se bem e fiquem bem. Até à próxima!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

5 Comentários

  1. felipe - há 2 anos

    grande top 10 mas eu colocaria a estreia do taker em terceiro e o the rock se vendendo em quinto

  2. Superstars - há 2 anos

    Montreal Screwjob foi Genial daí que veio a Attitude Era. no mais volta undertaker http://www.youtube.com/watch?v=T4MhR5s07gc

  3. Vitor Oliveira - há 2 anos

    Ótimo artigo. Vocês do WPT poderiam fazer uma matéria sobre os melhores eventos PPVs de sempre (em termos de card)

  4. 434 Days - há 2 anos

    Bom Top com um número 1 óbvio e com bons momentos. Entretanto colocaria a aparição do Undertaker no SS de 2005 no top, que se não estou enganado foi um regresso inesperado.

  5. danielLP21 - há 2 anos

    É vergonhoso não estar aqui nenhum dos regressos do Edge… Shame on you!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador