Top Ten #86 – Grandes Spots do Royal Rumble

Bem-vindos a mais um novo e fresco Top Ten que sai numa altura em que ainda se ressaca de um dos maiores eventos do ano: o Royal Rumble. Que conta com o combate mais imprevisível e entusiasmante do ano, com 30 homens a evitar serem atirados para o exterior do ringue. E muitas loucuras fazem eles para evitar esse ocorrência. Ou muitas loucuras acontecem quando não conseguem evitar essa ocorrência. Ou simplesmente, muitas loucuras acontecem e pronto! Por vezes num mero spot ja há um espectáculo inteiro e é nisso aí que me foco neste Top Ten. Porque o título ainda não dava bem a entender isso.

São vários de todo o tipo de spots, todos diferentes. E claro, são só 10. Com certeza que faltarão muitos mais momentos épicos. Não incluí entradas surpresa porque não me quis focar nisso, senão enchia a tabela disso. Talvez um Top Ten só disso a algum momento. Para já, recordem estes momentos e adivinhem já quem é o indivíduo com mais presenças!

10 – Santino para a Wrestlemania!

http://youtu.be/zn1dmxoIGiw?t=7m3s

Na maior Royal Rumble da história, a incluir 40 Superstars, quiseram brincar um pouco com a atenção dos espectadores. E nem sequer é algo referente ao número de wrestlers com que se ocuparam as 40 posições, nem mesmo à eliminação acidental de Alex Riley – mas essa também foi boa. Foi mesmo ao pormenor da saída de Santino Marella. Uma das estratégias mais inteligentes e próprias para um Heel, calhou a Santino sem querer, quando este leva um banano e rebola para o exterior, saindo pela corda de baixo. Passou tempo suficiente para o povo se esquecer dele e aceitar Alberto Del Rio como o vencedor, mas o “Milan Miracle” vinha pronto para mais um milagre e ainda conseguiu enterrar a “Cobra” na garganta de Del Rio, enquanto a plateia ia ao rubro. Ninguém acreditava que ele fosse ganhar… Mas todos acreditavam que ele fosse ganhar. Daquele tipo de momentos que ele viria a repetir na Elimination Chamber do ano seguinte. Del Rio acaba por atirá-lo por cima da corda também e permanecer o vencedor como ele afirmava ser o seu destino. Não ganhou mas foi um grande momento para o homem que ainda detém o recorde da participação mais curta!

9 – Uma eliminação que dói mais

http://dai.ly/x5aypm

Qualquer eliminação dói. É ver o sonho de ir ao main event da Wrestlemania cair com mais força que o próprio corpo. Imaginem estrelas do calibre de um Curt Hawkins ou um Trevor Murdoch ou até um Danny Basham a verem que não serão eles a encabeçar a Wrestlemania. Mas de vez em quando até pode doer um pouco mais. Na participação de Sabu, este decidiu ser Sabu e abrir uma mesa no exterior porque sim. Apenas para ser ele mesmo a entrar por ela dentro, sendo eliminado com um Chokeslam. Não é esse o momento destacado nesta entrada, mas fica aqui a menção honrosa, foi um bom spot. Porque prefiro debruçar-me sobre uma eliminação dolorosa que não precise de armas ou objectos alheios. Taka Michinoku é o nome do talentoso lutador Japonês que desfrutou de algum sucesso moderado nas camadas mais baixas do midcard pelo final de 90s, início de 00s na WWE. E ficou com uma valente dor de cabeça durante semanas após esta eliminação em que dá um beijo nada simpático ao chão. A regra diz “deve tocar com os dois pés no chão para ser eliminado”. Não está escrito no livro que o cérebro deve ser projectado para o interior da testa e ser virado do avesso para tal. Mas Taka só é eliminado dessa forma.

8 – Salvem o Matt Hardy!

É algo que imaginamos a ser feito actualmente por um grupo como os Kingdom, que mantêm a sua adoração por Matt Hardy na Ring of Honor, com Michael Bennett, Adam Cole e Matt Taven a representar o grupo e Steve Corino a acrescentar o ouro nos comentários. Mas já há uns bons anos, na WWE, e nos tempos da “Mattitude”, que Hardy já tinha um lacaio para lhe andar a lamber as botas e ficar com o nariz preso na sua cavidade traseira. Shannon Moore, nos seus primeiros passos na WWE. Faz de tudo pelo seu amo Matt Hardy, incluindo… Usando o próprio corpo para evitar que Hardy toque o chão e seja eliminado! Kofi… Vê lá se tens uma conversinha com os teus amigos dos New Day para um deles fazer uma destas, senão daqui a nada ficas sem ideias!

7 – Eliminação à Bushwacker!

http://youtu.be/YApAUrGsQmY?t=2m17s

Um Bushwacker tem que manter sempre a sua classe e postura de um Bushwacker, mesmo a ser eliminado do combate Royal Rumble em que apenas dura 4 segundos! Foi o caso de Luke Williams que ficou com um dos momentos mais hilariantes para si: dirigindo-se ao ringue na sua mítica forma de caminhar “trademark”, entra num ringue bem recheado de “star power” e é imediatamente atirado para o exterior por Earthquake… E em nenhum momento perde a postura. Como se nada se tivesse passado, continua com a sua caminhada e sai da mesma forma que entrou, parecendo pouco afectado com a sua não-participação no combate. Como roubar o show em 4 segundos seria uma boa lição dada por Luke Williams dos Bushwackers.

6 – Asas para o Kofi Kingston

Nem sequer é preciso ou ele já as tem e nós não as vemos. Falei-vos de um senhor que ia aparecer aqui várias vezes e acho que perceberam logo quem seria. E ainda para mais, spoilei quando o mencionei na posição 8. Mas aqui está a sua primeira aparição, visto que não quis juntar todas numa, são spots diferentes. Esta é a sua mais recente – na altura em que escrevo isto, quando isto saiu é possível que ele já tenha inventado mais uma – e envolve um Rusev muito gentil. Numa quase-eliminação como é hábito com Kofi, Rusev consegue apanhá-lo e… Muito cuidadosamente o pousa na barreira, porque esse seria o primeiro instinto de qualquer um. Fechemos os olhos a isso, já sabemos como o nosso wrestling funciona. O resto cabe a Kofi, confiar no seu atletismo e dar um pincho de respeito de volta ao ringue. E consegue, porque é o Kofi Kingston e é a Royal Rumble e bem sabemos que esse é o evento em que ele pode brilhar e ter relevância a sério… Por algum tempo. Acaba eliminado na mesma. Pobre Kofi.

5 – Só pode haver um vencedor. Ou dois.

http://youtu.be/soJhHsBhI6I

A história consegue repetir-se, nem que seja sem querer. Em 2005, Cena e Batista acabaram no chão do exterior ao mesmo tempo, quando dizem as más línguas que era suposto o Batista ganhar regularmente e o final foi botchado. Se isso não fosse botch suficiente, foi preciso vir o Vince emendar e rebentar os dois quadrícepes no processo, a mostrar ao Kevin Nash como se faz isso à homem. Mas esta não foi a primeira vez, tal já se sucedera na edição de 1994, um ano em que se consta que existissem bastantes dúvidas em relação a quem seria o vencedor. Logo, fez-se à bruta: ganham os dois. Bret Hart e Lex Luger ficam no final a disputar a vitória e num momento de caloroso amor em que se abraçam com tanta vontade, na verdade era apenas para assegurar que ambos caíam no exterior ao mesmo tempo. Até calhou bem e ficou aquele resultado com uma co-vitória. O passo lógico seria uma Triple Threat na Wrestlemania, mas em vez disso optaram por dois combates num processo tão confuso que tinha mesmo que ser a WWF na primeira metade dos 90s a fazer uma dessas.

4 – Mais um uso para uma cadeira

http://youtu.be/c4oJUpt5x4c

O título é em referência àquele uso extra que dão a uma cadeira de aço que substitui na totalidade o seu uso original. Por vezes fico com a impressão de que se disserem a um wrestler que ele pode usar aquela cadeira para sentar-se, ele apenas conseguirá arregalar os olhos em espanto, tanto é o seu gosto e hábito em usá-la para dar um jeito às costas do adversário. Mas claro que tinha que ser o nosso amigo Kofi Kingston a arranjar um uso novo. Não foi com as de aço mas foi pedindo uma emprestada ao JBL, uma cadeira mais confortável, almofadada, com rodinhas e tal. Que desse jeito para o que ele queria. Usá-la como “pogo stick” para voltar ao ringue sem tocar no chão, após safar-se da eliminação às custas das costas largas do Tensai. Kofi na Rumble, nem é preciso dizer mais nada.

3 – O novo Spider-Man

http://youtu.be/_v6A2x01yu4

Se calhar seria uma melhor opção, em vez da mais divisora franchise “The Amazing Spider-Man”, se substituíssem Toby McGuire por John Morrison para novos filmes do Spider-Man em que ele só faz coisas destas. Nem tem enredo nem nada, só anda aí a empoleirar-se. Na mesma Rumble que Santino quase ganhava e que incluía mais Superstars que o costume, queriam ver-se livres de John Morrison mas este faz uma à Kofi e utiliza o seu atletismo para impedir de tocar no chão, ficar pendurado na barreira e saltar da mesma para os degraus para retornar ao ringue. Até se consta que ele é que fosse ter os momentos à Kofi antes do Kofi se ainda lá estivesse, mas acabaram por ter que o substituir por outro de dotes atléticos acima da média. Assim até vale a pena deixar o Batista empoleirar-se na Melina, se ele consegue empoleirar-se assim numa situação destas para brilhar e roubar o espectáculo por um momento!

2 – Mãos =/= Pés

http://youtu.be/aGEo2tLCOBI

Claro que faltava uma das artimanhas do Kofi Kingston e a primeira é sempre especial. No ano de 2012, quando se achava que não se ia conseguir amanhar uma tão boa como a de Morrison no ano anterior, as coisas parecem acabadas para Kofi Kingston que já está a ver o chão e já com as mãos nele. Miz faz o que qualquer um faria e atira-lhe as pernas para o eliminar, o que resultaria se fosse qualquer outro. Mas como era o Kofi, ele simplesmente usa as mãos como qualquer outro usaria os pés e decide caminhar com as mãos até aos degraus para retomar aquilo que estava ali a fazer. Como se nada fosse, todos o fazem, não se lembram de ver o Khali a fazer isso? Como em todas as situações, ele acaba por ser eliminado de qualquer forma… Mas não naquele momento! E com uma Rumble já passada… Que mais é que ele inventou?

1 – Shawn Michaels já fazia coisas dessas

http://youtu.be/GLlqsqqABe4

Muitos podem dizer que há aqui momentos mais “OMG” que estes, mas aqui estou obviamente a pegar em impacto histórico. Esta vitória de Shawn Michaels ainda permanece como um dos grandes momentos na história da Royal Rumble e um episódio a negrito na carreira de Hall of Fame que é a do Heartbreak Kid. E foi aqui que começou toda essa brincadeira do “both feet must touch the floor” em que podem ser criativos nas formas de se salvar o couro neste combate. Neste caso, apenas um tocou no chão e Shawn Michaels nunca foi oficialmente eliminado, apesar de Davey Boy Smith já estar a celebrar. Ainda mais fácil para HBK o arrumar e sagrar a vitória para si. Das maiores vitórias na história da Rumble num dos primeiros spots criativos de salvar da eliminação, seguindo as regras à vista. Um momento que já tem que estar riscado do livro do Kofi Kingston. Mas nem fez mal, ele passou logo para as mãos.

E com estes dez grandes momentos fecho o Top Ten e passo-o a vocês. Acrescentem outros grandes spots que façam da Rumble tão excitante e que vocês se lembrem bem, vos tenha marcado e que não conste neste Top Ten por esquecimento ou falta de espaço. Façam lá nota dos momentos que possam ter acontecido na Rumble de ontem que já tivessem estofo para constar aqui. E aproveitem a pica toda do pós-Rumble para comentarem isto à vossa maneira. O plano é estar cá na próxima semana com mais qualquer coisa para falar, convém não falhar. Até lá fiquem bem e que tenha sido uma boa Rumble, sem grandes desilusões e muitos grandes momentos!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

7 Comentários

  1. Diogo Teixeira - há 2 anos

    Excelente artigo, um tema mesmo a calhar.
    Os momentos do Kofi são sempre geniais, o meu preferido é o que ele anda com as mãos em vez dos pés, mas mesmo assim acho que prefiro a do Morrison, foi completamente inesperada e não é qualquer um que faz aquilo.

    A do Santino foi sem dúvida como tu descreveste, ninguém acreditava que ele ia ganhar, mas todos acreditavam que ele ia ganhar. Naquele momento, vê-lo a regressar e aplicar a Cobra ao Del Rio, tudo era possível, mas infelizmente não foi desta que o Santino teve p seu momento.

    Continua com os excelentes artigos, uma boa semana para ti

    PS: Em relação à Rumble não ter muitas desilusões, isso é que já é outra história …

  2. Sorlei Rui Oltramari - há 2 anos

    Bom artigo, Chris!

  3. Don_Ricardo_Corleone - há 2 anos

    Este ano o Kofi não teve um grande spot.

  4. Inzayn - há 2 anos

    este ano os melhores spots foram do bryan… dropkick no wyatt e rusev, e td o k se seguiu de resto nada de especial…
    tenho saudades qd um superstar entrava e começava a dar finishers em td o k mexesse, o edge a spearar td, o kane, o orton… este ano foi mesmo zero

  5. Mário Camacho - há 2 anos

    Destacaria ainda aquela clothesline do Snitksy no Paul London, vendida como ouro: https://www.youtube.com/watch?v=tUB5L20tlFg

  6. Eu - há 2 anos

    Bons videos. Pela lógica do nº1 os wrestlers saiam do ring ao pé coxinho e odiam andar lá fora. Também não acho muita piada quando eles saiam por entre as cordas do meio, não são eliminados e andam lá fora, como o Bryan, Wyat e Rusev ontem ..

  7. danielLP21 - há 2 anos

    Excelente Top Ten.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador