Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Top Ten #95 – “Markanços” da WrestleMania 31

O Top Ten regressa e dou-vos as boas-vindas neste clima pós-Wrestlemania que já vai acalmando. Ainda trago algumas pingas de toda aquela exaltação que possa ter havido após um evento bastante entretido, completo e surpreendentemente bom especialmente dada a pobreza da sua construção. Daí que acredite que eu fazer uma contagem a destacar os maiores momentos de “mark out” da Wrestlemania apenas serve para mais uma recordação e não mesmo para lembrar o que aconteceu, acho que foi suficientemente memorável para isso. Vejam lá se também reagiram a cada um destes:

10 – Um “Yes!” de Hall of Fame

Há que salientar que este é um momento épico dependente de outro momento épico que entra numa posição muito mais privilegiada nesta contagem, como seria óbvio de esperar. Mas há um certo gosto em ver a malta que definiu e deu forma ao wrestling como o conhecemos a dar as suas aclamações aos melhores dos dias de hoje. Foi o que aconteceu a Daniel Bryan, que devia ter o mark dentro de si aos saltos, quando foi congratulado por Pat Patterson, Roddy Piper, Ricky Steamboat, Ric Flair e Bret Hart, numa ordem com uma certa cronologia para que a malta gaste o ar em pops. Um “Yes!” colectivo por uma data de Hall of Famers enternece mas até acaba por ser Ron Simmons a ficar com a cereja do topo do bolo, à sua boa e velha maneira. Primeiro “Damn!” que recai sobre ele mesmo?

9 – O Cena a fazer cenas

Tremendo fã da entrada de Rusev. Ri-me tanto como qualquer outro ser humano com o patriotismo da plateia que rapidamente se torna numa onda de vaias quando vem o homem que está a representar o seu glorioso país. Sem problemas com a vitória de Cena. Adepto da ideia do título receber uma valente elevação ao encontrar-se na posse de alguém que já teve cintos maiores por 15 vezes. Mas o que é mesmo fixe no meio disto tudo é a ideia de lembrar as pessoas que o Cena é um wrestler que faz coisas de wrestler. Eles permitem que a gente se esqueça, há que reagir quando o pulha salta para a segunda corda, lança-se para trás para Rusev e apanha-o numa espécie pouco ortodoxa de Cutter ou Jawbreaker, surpreendendo tudo e tudos com algo a que se pode chamar de “Springboard Stunner” se ficar mais bonito. Sempre fã do Cena fazer mais manobras. Principalmente quando elas até são todas bonitas!

8 – A atitude de Roman Reigns

Não, Reigns não estava no seu território. Era um público hostil que o esperava e ele não ia ouvir uma grande festa ao chegar. Até se alega que existiam miúdos fãs de Reigns que até queriam torcer por ele mas eram abafados e intimidados pelo volume dos apupos. Acontece. Logo havia uma missão por cima da sua missão: a de convencer. E a melhor maneira seria torná-lo super-heróico e destruir a besta Brock Lesnar com três ou quatro dos seus signature moves seguidos, saindo como um underdog imbatível, certo? Em 1987, talvez. Hoje em dia, só o vaiavam mais alto. Logo o melhor é dar-lhe algo que o torne interessante e confesso ter ficado rendido à sua atitude desafiadora de quem está a levar o enxerto de porrada da sua vida e ainda se ri. Quando o então Campeão lhe desata ao estalo e ao soco e este só se ri e pede mais, confesso o meu agrado. Sei que não foi assim com todos, mas sou um gajo muito mais fácil de agradar, sei disso, que vou eu fazer. Muito mais interessante de ver do que torná-lo no Cena com um cabelo muito melhor. Mesmo que até já hajam muitos pontos nesse factor.

7 – Undertaker de volta e com bom aspecto

Não é o Undertaker de há uns anos atrás mas o ser humano não consegue fazer reversões temporais, logo não é exclusivo do Undertaker, nem ele tem realmente poderes sobrenaturais que o impeçam do inevitável envelhecimento. Mas, mesmo padecendo desse mal comum que é a idade e, tendo ele uma profissão que o deixa vulnerável a um desgaste e consequente aceleramento desse processo, ele ainda vai andando, à rasca e aparecendo como pode e quando pode. Mas à medida que o tempo passa, vamos esperando cada vez pior do “Dead Man” e, a certo ponto, alguém já estaria à espera que viesse um octogenário de canadianas e a necessitar de alguma máscara de oxigénio. Talvez tenha chegado ao exagero, ainda para mais com a porrada que levou há um ano atrás. E afinal até veio com bom aspecto, com forma física suficiente para um combate decente e saiu menos desgastado e mais pronto para outra do que noutras vezes. E continuava aterrador para quem estava a ser desafiado por alguém que queria ser o “New Face of Fear”. Um ponto “mark out” extra para aquele spot “olhos nos olhos” com o mais famoso “sit up” de morto e a actualmente mais famosa “ponte”…

6 – Aquele RKO…

Será que se vai esgotar? Quando pensamos que Randy Orton não arranja maneira de sacar de um RKO mais belo que outros espectáculos que ele já deu num só move, ele apresenta algo novo. Apanhar alguém vindo do ar com a manobra é sempre bonito de se ver, mesmo que já várias vezes feito. Agora resta apenas ser criativo na concepção dessas quedas do ar. Puxar alguém duma escada, apanhá-lo e assassiná- lo daquela forma… Sim, ele já o fez e foi excelente. A seguir? Tirá-lo de outros moves? Um CurbStomp? Claro que dá, vejam a forma como o Seth Rollins levanta voo e aterra de trombas numa espectacular amostra de mais um RKO. O raio do finisher ainda há de entrar no Hall of Fame por si só…

5 – A imposição de Damien Mizdow

Claríssimo estava que isto ia acontecer. E também se tornava claro que ia acontecer na Wrestlemania, já que não se construiu a rivalidade para culminar lá, fez-se para começar lá. Com ambos na Battle Royal, o cenário não era assim tão difícil. O que mais se esperava era talvez que fossem eles os dois finalistas e que Miz fosse suficientemente pomposo para pedir que o seu assistente se retirasse para lhe dar a vitória. Assim Mizdow ganhava e era um duplo momento “mark out”. Não foi o caso e a vitória de Big Show até deve ter sido dos momentos menos “mark out” que se deram. Preferiram apenas interromper o trabalho de equipa contra Big Show dessa forma, deixando apenas Mizdow como finalista com as probabilidades contra si. Mas estava o caos instalado entre ele e Miz e já isso sabe pela vida! Se ele ganhasse, sabia pela vida mais uma vitória, mas a vida já não é mau!

4 – Daniel Bryan no topo outra vez

O tal momento que condicionou o que abriu este Top Ten. Para todos aqueles Hall of Famers felicitarem Daniel Bryan, ele tinha que ganhar primeiro. Não ia ter muita lógica eles estarem a dar-lhe a conversa toda enquanto o R-Truth era o Campeão. Até porque também não tinha grande lógica o R-Truth ser Campeão. O que origina isto são coisas simples que formam um aglomerado ou uma bola de “mark out” em vez de um mero momento. O combate que roubou o espectáculo, destacado por muitos como o melhor da noite, com certeza, com belezas de spots – o termo “beleza” é abstracto aqui, talvez ser arremessado por uma escada dentro não seja muito bem descrito como “belo” – e que acaba com Daniel Bryan a sair vencedor, mais uma vez, com um público a celebrar daquela forma que ele tornou tão característica sua. E isto depois de um festival de cabeçadas, como é que se ignora isso? Sabe ainda melhor sabendo o quão mal Bryan começou na Wrestlemania, a ver o seu combate retirado do card para “dark match” ou a perder em ridículos segundos, e como ele agora sai desse evento como um Campeão que roubou o show para si. Afinal talento e trabalho compensam!

3 – Rock & Ronda

Nem só de combates se faz uma Wrestlemania e eles só têm que saber como fazer um segmento, mesmo que seja um pouco longo. Ainda para mais, havia um combate entre Bray Wyatt e Undertaker por acontecer e estava a custar a anoitecer – e devia ter guardado para a primeira posição a entrada de Wyatt, com uma lanterna à luz do dia, mas agora já foi. Logo trazem a Authority para meter nojo, o que é sempre eficaz porque poucos sabem fazê-lo melhor que eles. Agora para o pessoal se passar da mona, é trazer um gajo que é sempre bem recebido, mesmo quando deixa de o ser e é perdoado depressa. Lá vem The Rock equilibrar as coisas e lançar um punhado de piadas todas infantis à sua moda e que a malta vai sempre gostando. Para o fritanço geral, foi o momento em que The Rock recorreu a uma força feminina para fazer frente à agressão de Stephanie McMahon. E como a Eva Marie não devia estar disponível, foi buscar à plateia outra senhora bonita, atlética, forte, talentosa e popular. Ronda Rousey pisa o ringue da WWE, ameaça ficar com o braço de Stephanie para ela e deixa o tease para voltar àquele ringue um dia. Isto até dá bons sonhos…

2 – nWo vs DX

Vamos ser honestos: em termos de combate de wrestling, o encontro entre Triple H e Sting vai do fraquíssimo ao nulo. E justifica-se pelo seu propósito ser outro: um “mark out fest”. Afinal o que Sting disse que não estava lá pela WCW anda ali perto da valente treta porque este combate foi mesmo WWE vs WCW e toda a sua estrutura foi a representar as velhas Monday Night Wars. Como principal ponto alto é então a colisão que já parecia tão distante entre a principal força rebelde anti-sistema de cada uma das companhias: os nWo a embater com os DX. É daqueles momentos em que um gajo esquece-se da idade que tem e nem se importa com isso, é markar que nem tolo. Pode variar-se os níveis, dependendo de quem seja. Eu, por exemplo, saltei mais alto para o Shawn Michaels, mas isso é de esperar no meu caso. Mas já depois do caos instalado ainda exploram a batalha das armas e confundem aqueles que apostavam com segurança na vitória de Sting – pronto, lá me incluo eu – ao dar a vitória a Triple H. Um outro momento a ter em conta como um dos maiores deste “markanço” total de combate/segmento que isto foi – incluam-se também as entradas nisto – é o final com o aperto de mão. Não só é um respeito sempre bonito de se ver, uma prova de que aquele conflito não era pessoal – os Kliq estavam divididos em dois grupos e Shawn Michaels ainda no dia anterior tinha estado a introduzir o Kevin Nash no Hall of Fame – mas também vejo ali assinalado o fim definitivo desta brincadeira das Wars. Pelo menos até à próxima vez em que se lembrarem de mandar postas à WCW. Mas um bonito fim.

1 – SETH ROLLINS!!

Nem preciso de título melhor que esse. E não sei se este meu espaço pseudo-jornalístico pode servir de espaço para terapia ou confissão de momentos embaraçosos pessoais mas cá vai. Muito falo sobre os encantos de ficar um puto autêntico a ver um bom evento de wrestling e o bom que isso é para a apreciação do mesmo e realmente tive uma tremenda quebra de idade assim que a Wrestlemania chegava ao seu fim. Assim que Seth Rollins faz o cash-in, com sucesso, e se torna o WWE World Heavyweight Champion, desato aos saltos como se a minha sanidade mental fosse alguma coisa do passado duvidoso, perco o equilíbrio e embato contra uma porta. E sim, isso aconteceu-me genuinamente. Nunca poderia inventar isso, é a minha imagem aqui em causa, porque havia eu de inventar isso? E acho que já explica bem a situação e justificação de primeira posição, até porque também acho que se lembram bem do momento para estar aqui a descrevê-lo. E sim, entretanto já recuperei, já me acalmei, já voltei à chatice dos iniciais 20s. Se calhar até estava melhor antes, para ser sincero.

E aqui deixo enumeradas as razões por eu ser um dos muitos fãs convencidos com a Wrestlemania 31. É claro que respeito qualquer oposição ao evento que tenham, mas há que admitir que desta vez já não facilitaram quanto às chances de haver razões de queixas e grandes ondas de críticas. Continue isto assim e temos uma WWE com melhor cara! Lá qual seja o futuro e trajecto deles, devo andar por cá na mesma e já para a semana é para vos trazer mais um Top Ten. Até lá comentem este. Sei que falar da Wrestlemania 31 não é assunto novo de conversa, mas comentem o que está aqui, nem que seja asneiras – como fui eu capaz de inserir um move do Cena ou não inserir a fantástica performance musical? Está tudo ao vosso critério. Isto é sempre mais vosso que meu e assim o pretendo. Até à próxima semana e tenham cuidado com os pós Primaveris que trazem as alergias!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

25 Comentários

  1. Stone Cold - há 2 anos

    Compreende-se o primeiro lugar pelo impacto e proporções e analisando friamente é mais que justo e merecido. Mas na minha opinião o 2 e o 3 foram os melhores.

  2. reigns one versus all - há 2 anos

    Mais um top ten muito bom,desta vez sobre a WrestleMania 31
    Concordo com os mo!então que referenciaste,só não concordo na ordem que os colocaste,mas o que interessa é que ta lá tudo.

  3. *best in the world* #BrandSplit# - há 2 anos

    Melhores momentos para mim, foi RKO do Orton e o embate entre Undertaker e Bray Wyatt, principalmente aquele momento em que olham um no outro fazendo as suas “manobras” do medo.

  4. José Sousa - há 2 anos

    Eu não tenho medo de o dizer que levantei-me e “semi-executei” o Curb Stomp com o Rollins. E parecia um tolinho a festejar a vitória. Acho que por termos espaços de opinião não deve afectar o facto de podermos admitir momentos em que nos tornamos fãs comuns.

  5. MicaelDuarte - há 2 anos

    Sempre a trazer artigos muito bons.

    Na minha opinião, o RKO podia estar numa melhor posição, enquanto nWo vs DX teria ficado mais atrás (devo ser dos poucos que não achou piada a isto, mas entendo a importância que os fãs dão ao que se passou no combate).

    O teu “desabafo” no 1º lugar, ahahahah! Deixa lá, não deves ter sido o único xD

    • Sergio Fantastico - há 2 anos

      Deixe de besteira só por ter o Kevin Nash já devia ser o primeiro da lista só não foi porque o Rollins fez o que fez.

      • danielLP21 - há 2 anos

        Que besteira? Ele não pode ter a opinião dele? Ai o caraças.

      • Enigmaticharisma - há 2 anos

        Fora qualquer um ter o espaço para dar sua opinião aqui nesse artigo, eu realmente concordo com Micael, não por não ter gostado desse segmento, mas ele foi tratado em má hora, eu ouvi a Theme da NWO, mas só percebi que eram eles alguns instantes depois, acho que a WWE falhou no começo deste embate e também na parte que o HBK estava no ringue, para que não filmar o HBK que já havia entrado no ringue, e todos pela crowd já sabiam que lá ele estava, e esperar até o Sting se virar para poder o mostrar a aplicar rapidamente um Sweet Chin Music ?
        Outro ponto que eu odiei foi o horário da Mania, que estragou todas as entrances e seus efeitos luminosos, e até “nãão luminosos” como os de Wyatt, Undertaker, Sting e o que melhpr seria visto a noite, Triple H como exterminador ..

      • MicaelDuarte - há 2 anos

        Sérgio Fanático, tens toda a razão… Aliás, digno de 1º lugar é o momento em que o Kevin Nash leva uma Clothesline do Billy Gunn e vende dores na perna.

      • Sergio Fantastico - há 2 anos

        Daniel acho mais que claro que isso não se trata de opinião e sim de evidencia, Micael quando você for um wrestler profissional com anos de experiência e com varias lesões você vem me falar alguma coisa sobre vender

  6. RFBM - há 2 anos

    eu trocava o move do cena e punha a powerbomb do harper ao ambrose

  7. PedrKo - há 2 anos

    Tenho de admitir que também fiquei “eléctrico” com a vitória do Rollins, depois de o ver sofrer aquele RKO (que na minha opinião devia estar melhor colocado ranking) pensei que para ele a wrestlemania tinha acabado, mas felizmente estava enganado!
    Eu não colocava a manobra do Cena, porque se fosse um Ziggler, um kidd ou um Stardust a efectua-la seria uma manobra “normalíssima”.
    O segmento do Rock não foi mau, mas foi demasiado comprido, cheguei a ter a ideia que ele estava a encher chouriços.
    De qualquer forma gostei do ranking e gostei desta WrestleMania

  8. Jonh #1 - há 2 anos

    Parabéns esta aqui um bom artigo, e um top 10 que é sempre bom recordar.
    Começo por dizer que achei esta Wrestlemania muito boa gostei de todos os combates mais uns em particular mas no geral gostei de todos.
    Em relação ao teu top 10 concordo com todos, mas discordo quando dizes que o combate entre o Sting e o Triple H em termos de combate de wrestling foi fraquissimo pois acho que tanto como o Triple H e Sting estavam numa boa forma e fizerem um bom combate, então com a participação dos
    nWo e os DX ainda foi melhor e aquele super kick do Shawn Michaels no Sting foi muito bom, mas opiniões são opiniões e devem ser respeitadas.
    Em relação ao top 1 é realmente merecido pois o Seth Rollins merecia ganhar o titulo mais que Romains Reigns pois tem evoluído de uma maneira incrível, é um heel excelente e foi e é uma boa aposta da WWE e confesso que realmente gosto cada vez mais do Rollins .Resta-me dizer que adorei esta Wrestlemania e espero mais um excelente top 10 na próxima semana.

  9. 3:16 - há 2 anos

    Não gostei mt dessa WM pelo fato do cena ter ganho(Pf fans de cena n xinguem nos comentarios)seria bem melhor se a streak do rusev acabasse na summerslam por alguem que tem patriotismo tipo JS.
    WM 9.5/10

    • MrCareca - há 2 anos

      nao gostaste muito e mesmo assim das 9,5 em 10 =P fixe…eheheheh mas ya, eu gosto bue do rusev e acredito que ele ficava bm ate ao ss com o titulo…

  10. Wrestling Life - há 2 anos

    Adorei esta Mania e teve muitos momentos de mark sem dúvida.

    Gostei e concordo na maior parte com o teu Top pondo apenas o Stunner do Cena em 2º e o resto descia um lugar. É pela forma como o Cena executa aquilo como se fosse a milésima vez que faz um reversal daquele estilo mas na realidade é algo novo. Para mim passava a ser o finisher dele xD

  11. danielLP21 - há 2 anos

    Muito bom xD

    A porta ficou bem?

  12. João Paulo - há 2 anos

    Mais um ótimo Top Ten

  13. dealer666 - há 2 anos

    No meu entender o 6º deveria ser o 1º, porque aquele rKo do Randy Orton foi o ponto de viragem para a sua vitória sobre o atual WWE World Heavyweight Champion (Seth Rollins ) que para mim têm um titulo comprado com o seu grande trunfo ( Money in the bank ) o qual foi conseguido por um ato de traição contra aqueles que considerava serem os seus ” irmãos de guerra ” , ou seja, os membros do The Shield .

  14. Dolph Ziggler - há 2 anos

    Só metia o RKO ao Rollins mais à frente no top.

  15. Don_Ricardo_Corleone - há 2 anos

    Concordo, só acho que a Wrestlemania deveria ter acontecido uma hora depois da que começou se custa tanto assim a anoitecer para aqueles lados. É que as entradas do Sting, do Triple H, do Undertaker e do Bray Wyatt ficaram um bocado estragadas por ter sido à luz do dia.

  16. Gman - há 2 anos

    Esse move do Cena foi surpreendente, ver o cena inovando e dando bons combates pode trazer a sua boa popularidade de volta.

    Foi a melhor WM que vi ao vivo (vejo desde 2012) e não teve um ponto baixo, bos combates, ótimo entretenimento e algo que falta para WWE ao meu ver ultimamente(embora venha realmente melhorando, sou daqueles que acredita que a WWE esta verdadeiramente fazendo um bom trabalho a todos os lados) imprevisibilidade, se todos os PPV e ate as raws tenham 1/3 de imprevisibilidade dessa mania, os veria todo dia que passassem.

    Ótimo artigo.

  17. Maur - há 2 anos

    Excelente artigo! Esta WM31 teve… como posso dizer?… “encantamento” o suficiente para fazer vários adultos barbados ao redor do globo “markarem” bonito. Eu fui um deles, com certeza.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador