Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Top Ten #97 – Legado do Fingerpoke of Doom

Bem-vindos a uma nova edição do Top Ten! Se estranham o tema, têm razões para isso. Não é qualquer um que se quer lembrar com frequência deste negro episódio na história do wrestling, quanto mais alguém que quer juntar dez episódios que remontem a ele. Ainda para mais, o título não faz todo o sentido, porque “legado” refere-se a algo que vem depois, que tenha sido influenciado por determinada coisa. E existem aqui coisas que aconteceram antes mas que possam lembrar um pouco o acontecimento. E até é preciso um esticão para encher dez posições. Mas como eu aqui no Top Ten não gosto de fazer coisas normais, segui para a frente com isto!

A partir do também infame segmento do Raw que viu Kane deitar-se para Seth Rollins, vejamos dez momentos que façam lembrar um dos mais infames episódios de todo o wrestling.

10 – Chris Candido vs The Dark Secret

https://youtu.be/_MosvMblyv8

Lembram-se de ter dito que a palavra “legado” estava bem torcida aqui, porque podiam existir coisas de antes? Pronto, fui até 1993 para resgatar esta pérola pouco conhecida. Na agora extinta Smokey Mountain Wrestling, administrada por Jim Cornette, deu-se uma daquelas bizarras estipulações de combate que obrigou Chris Candido a competir de fralda. Seria o primeiro dos seus problemas, quando viria a protagonizar este intenso e ultra-violento combate com o mascarado “The Dark Secret”. Não se aconselha este festival de porrada velha aos mais sensíveis. Isto bem podia ter estragado a carreira do pobre Dark Secret para sempre. Mas afinal bastou-lhe tirar a máscara e tornar-se o “Cowboy” Jesse James ou, mais tarde, o Road Dogg. Haja safanço para todos!

9 – Ivelisse Vélez vs Radiant Rain

Todos gostamos de wrestling feminino, certo? E todos gostamos da Ivelisse, pelo que nos lembramos ou pelo que vemos no Lucha Underground, para quem segue, certo? E se não conhecem a Radiant Rain – teve uma breve passagem na TNA como fã/stalker/valet de Bobby Roode em 2007 – deviam porque também iam gostar. E será que gostam de recriações do “Fingerpoke of Doom” na SHINE Wrestling entre estas duas lindas moças? Se calhar nem tanto. E a Ivelisse também o sabia, daí que se deitasse só para o isco e rapidamente apanhasse Rain num small package. Esta conseguiu sair e tiveram que fazer aquela coisa louca que é competir e lutar. Um FoD até nem é assim tão mau se houver um combate na mesma.

8 – Andre the Giant vs Hulk Hogan (Convidado especial: Ted DiBiase)

https://youtu.be/zIE8XvGVMbg

Vá, não só este caso clássico veio antes do Fingerpoke of Doom como não tem lá muito a ver. Ou nada. Mas não está aqui incluído só por eu ser parvo. Até pode ser um bocadinho, mas não só. Aqui o paralelismo é feito com o que aconteceu ao título Mundial. Uma entrega, um desprezo pelo título Mundial foi o que aconteceu no infame episódio da WCW. Neste caso inesquecível, ninguém se deitou para ninguém. Nem mesmo Hogan cujo pin lhe foi contado quando este ergueu os ombros antes. Andre the Giant venceu o título, não para se deitar, mas… Para vender o título a Ted DiBiase. Porque toda a gente tem um preço e Andre podia muito bem ter-se deitado ali no momento, mas nem sequer foi preciso. Ou então um dedo do DiBiase não o teria aleijado assim tanto como um do Hogan. E sim, note-se a curiosidade algo irónica de Hulk Hogan estar metido ao barulho na mesma.

7 – Austin Aries vs Bobby Roode

Talvez o melhor tipo de recriação possível seja um em que o infame acto não aconteça. Assim homenagearam o acontecimento Bobby Roode e Austin Aries numa altura em que eram parceiros conturbados e tinham que se enfrentar. Foram para o ringue convencidinhos de que o outro iria reconhecer que seria o melhor deitar-se. Dá-se o hilariante momento de ambos executarem o famoso “Fingerpoke” ao mesmo tempo sem reacção, repetidamente. Se na posição 9 afirmo que os melhores FoD’s dão-se quando ainda há um combate na mesma, melhor que isso só quando nem há FoD e fica apenas uma referência cómica e até degradante de tal episódio tão mal afamado. Mas tendo em conta que eram Austin Aries e Bobby Roode… Será que eles conseguiam um grande combate a partir do Fingerpoke of Doom só?

6 – Ethan Carter III vs Earl Hebner

https://youtu.be/fWSuRzqEnk4

Ainda na TNA, porque lá já muito se brincou com isso. Pelo meio da onda invicta de Ethan Carter III, já estava ele farto de derrotar grandes nomes potenciais como Norv Fernum, quando decidiu virar-se para lendas como o Shark Boy e o Curry Man – ai de quem se referir a algum grande wrestler que esteja por trás do Curry Man, é uma gimmick racista e nada mais, lembrem-se – e mais veteranos. Puxou a sua maior carta, um veterano já lendário que já trabalhara com as lendas todas: o árbitro Earl Hebner! Lá tolo era ele para andar à porrada com um lutador com o dobro do seu tamanho, mas o acordo seria este deitar-se para um pin árduo e duro de EC3 a ser contado pelo próprio filho de Hebner. Só mesmo para achincalhar. E é esse o tipo de combate que se consegue com Earl Hebner. A não ser que estejam a jogar Smackdown!: Here Comes the Pain. Ele aí dá-vos a sova da vossa vida!

5 – Kane vs Seth Rollins

https://youtu.be/ZYo_k7oItCI

Reparem que estão a tornar o Daniel Bryan no homem que faz referência a episódios esquisitos do passado, dos quais não se fala assim tanto. Há um tempo fez referência à Katie Vick e agora foi o primeiro a apontar directamente que o plano de Seth Rollins para Kane era uma recriação do “Fingerpoke of Doom”. Dou um pacote de bolachas água e sal a um leitor quando ele fizer referência à explosão da limusine de Vince. Uma garrafa de água extra se ele acusar o Paul London. Mas sim, aqui a quinta entrada fica reservada para o acontecimento deste Monday Night Raw que deu a ideia para este bizarro Top Ten. Kane bateu no fundo e deitou-se para Seth Rollins. Mas só depois de uma constrangedora sessão de strip e de deixar Rollins a dormir um sono com um Chokeslam – foi assim que ele lhe fez o pin. Não vi isto como um segmento que deixasse algum dos lutadores envolvidos bem visto. Muitos viram apenas ele a tentar bater Big Show na quantidade e rapidez de Turns.

4 – Tara vs Madison Rayne

Se perguntarem a fãs da TNA qual a sua pior fase, há uma grande percentagem que nem hesitará em dizer que foi aquela estranha fase que se estendeu até cerca de 2011, a segunda “run” de Vince Russo que nos trouxe autênticas confusões como os Immortal ou tentativas de homicídio em televisão. Também cometia proezas como ter um episódio do Impact a seguir ao Bound for Glory que conseguiu juntar por aí um quarto de hora de wrestling. E o que entrava nesse wrestling? Uma defesa do título por parte de Tara, que tinha vencido o título no dito PPV, contra Madison Rayne. No qual recriam o episódio e Tara se deita para deixar-se vencer e ceder o título a Rayne. Porque foi tão bom da primeira vez que fazê-lo outra vez, com outro título, só se podia classificar como uma ideia brilhante!

3 – Gunner vs Eric Young

https://youtu.be/NQoHvZ2F82Y

Lembram-se de eu ter dito que a TNA parecia gostar muito deste momento televisivo e da sua recriação? Bem, de onde conhecem estes dois atletas? Mais um caso, naqueles confusos anos, em que eles recriaram o horrível, com um toque de esperteza para o salvar. Envolvia o valioso e prestigioso TV Championship, como nós bem sabemos pela sua história, e Eric Young roubava-o a Gunner por pensar que o tinha vencido ao eliminá-lo de uma battle royal. Porque ele era doido, lembrem-se. Com Gunner a exigir o seu cinto de volta, Young propõe: ele deitaria-se no ringue, num combate com o título em jogo, para Gunner o recuperar/ganhar. O Fingerpoke of Doom é executado, Young vende como deve ser mas na hora do pin, lá saca do small package que lhe dá a vitória e o título. Moral da história: Eric Young, doido e com problemas mentais causados por bumps – essa era a imagem que a TNA queria dar da sua preocupação e zelo com a saúde das suas estrelas em TV, aparentemente – sempre era mais esperto que o Kevin Nash!

2 – Triple H vs Shawn Michaels

https://youtu.be/kT_9P5TQ9MI

Mais um caso que chega anteriormente ao Fingerpoke of Doom mas que foi dar a um caso semelhante. Mas este episódio já é mais defendido por fãs, incluindo eu. Antes que se apontem dedos por defender este momento como brilhante só porque foi na WWF em vez da WCW – como se eu fosse atrás disso – ou por envolver nomes como Triple H ou Shawn Michaels, eu explico o fantástico deste momento. Em vez de envolver os nWo numa altura em que já ninguém os queria, envolve os D-Generation X na sua melhor altura. Sgt. Slaughter obrigava-os a competir e todos sabiam que eles já eram parceiros e apenas estavam à espera do que eles iam tramar. Era um combate pelo título Europeu – com o qual se fartaram de gozar – marcado na noite, em vez de ser pelo título Mundial num main event cheio de hype. Não alterou grande coisa, apenas deu um segmento à DX. O “combate” que se deu foi muito mais engraçado. As promos emocionadas pós-combate têm que constar entre as melhores que alguém já deu. E era disto que se fazia ali por 1997!

1 – Hulk Hogan vs Kevin Nash

https://youtu.be/WhS4ZDnRqJQ

Olha, no shit! No Top Ten relacionado com o Fingerpoke of Doom, o primeiro classificado é o famoso Fingerpoke of Doom. E estavam todos vocês a pensar que fosse o Hell in a Cell entre o Undertaker e o Mankind, que foi um combate bem recheado de “fingerpokes” como bem se lembram. Como já todos conhecem a história e já a contei em todas as suas outras versões nas nove posições anteriores, até me vou focar noutros factos. Quem tinha a responsabilidade de impedir que isto acontecesse era Goldberg, mas tinha sido detido nesse mesmo episódio, como parte do plano conspiratório. Conseguiu sair e tinha a missão de chegar à arena a tempo. Tendo em conta que eles já tinham cometido o erro de mostrar o quartel onde ele estava como situado do outro lado da rua, ao tempo que ele demorou para não chegar sequer a tempo, temos que assumir que ele é o Zoro do One Piece e perdeu-se de forma incrível, o trânsito estava um horror para atravessar a estrada ou ele era um bocado para o estúpido. E lá permitiu que Hogan batesse Nash com um dedo – muitos consideram a queda de Nash como o maior bump que ele já deu em ringue – ganhasse o título e recuperasse os nWo quando já não tinham interesse. Dizem eles que foi assim. Eu ainda acho que quando o Hogan lhe tocou com o dedo, o Nash rebentou o quadrícepe!

E com estes dez casos de bizarro booking, constituí um bizarro Top Ten que espero que tenham gostado um mínimo para vos manter entretidos. Não foi dos mais fáceis de completar mas até é bem possível que tenha ficado algum caso de fora, nem que seja algum mais obscuro. Se o conhecerem, convido-vos a mencioná-lo. E quem sabe não tornarão a recorrer a isto no futuro. O que ainda planeio no futuro é andar por cá na próxima semana e espero que também cá estejam para o ver, depois de comentarem tudo o que quiserem acerca deste. Até lá, só espero que fiquem bem e que não se magoem como todos os cavalheiros e senhoras envolvidos nestes cenários. Uma boa semana a todos e um bom Extreme Rules!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

7 Comentários

  1. Vitor - há 2 anos

    O do HHH e HBK é lendário xD…

  2. Vinícius Nunes - há 2 anos

    Belo artigo, e sim, foi o maior bumbo da carreira do Nash… Que mito…

  3. Gonçalo "The best" - há 2 anos

    “muitos consideram a queda de Nash como o maior bump que ele já deu em ringue”
    hahahahahahha top! Excelente artigo!

  4. reigns one versus all - há 2 anos

    Gostei deste top ten,muito bom.
    O tema achei interessante,aquele do kane e do rollins foi das coisas mais estúpidas que já vi

  5. wwe - há 2 anos

    então é Aquele o famoso reinado do andre the giant, gostaria que falassem sobre ele, já ouvi falar que ele ficou 15 anos sem derrotas, so 1 pequennisimo reinado de wwe champion, como é possível?

  6. Dude - há 2 anos

    Fingerpoke of Doom: o episódio com história mais revisionista do wrestling.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador