Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Contacta-nos!

Vintage #28 – WWE Judgment Day 2000

Quarta-feira já é um dia habitual aqui no site Universo, é o dia de relembrar grandes momentos de Wrestling. Depois do feedback que tive na edição 26, decidi, devido aos comentários positivos, fazer aleatoriamente, estas revisões e analises de PPV antigos.

Desta vez vou atribuir valores (0 a 20) ao PPV e a cada combate.

Hoje vamos analisar o PPV Judgment Day do ano de 2000. Grandes combates estavam anunciados no card, com a cereja no topo do bolo marcado para o fim, o combate de 60 minutos Iron match, entre The Game Triple H e The Peoples Champion, The Rock.

Este PPV foi realizado em 21 de Maio de 2000, na cidade de Louisville, Kentucky, na arena Freedom Hall tendo na capa do poster Kane, apesar deste ultimo não entrar no evento. O card anunciado tinha muita qualidade, para além do combate principal que mencionei anteriormente, o destaque também ia para os vários combates por equipas, como o confronto entre os Too Cool (Scotty 2 Hotty, Grand Master Sexay, Rikishi) e a Team ECK (Edge, Christian, Kurt Angle), ou os Dx contra os Dudley Boyz. Outro destaque vai para o combate entre os especialistas em manobras de submissão, Jericho contra Benoit, num submission match.

WWF Judgment Day 2000

Os combates anunciados eram os seguintes:

– Six-man tag team match – Too Cool (Scotty 2 Hotty, Grand Master Sexay and Rikishi) Vs Team ECK (Kurt Angle, Edge and Christian)
– Triple threat match (WWF European Championship) – Eddie Guerrero (with Chyna) Vs Perry Saturn Vs Dean Malenko
– Falls Count anywhere match – Shane McMahon Vs The Big Show
– Submission match for the WWF Intercontinental Championship – Chris Benoit Vs Chris Jericho
– Double Tables matchD-Generation X (Road Dogg, X-Pac and Tori) Vs The Dudley Boyz (Bubba Ray, D-Von) 
– Iron Man match for the WWF Championship with Shawn Michaels as the special guest refereeTriple H (with Stephanie McMahon-Helmsley) Vs The Rock

Too Cool Vs Team ECK
Six Man Tag Team Match

Quando existe tanto talento num roster de uma companhia, que era o que acontecia nesta altura na WWE (vamos identificar assim, apesar nesta altura ser conhecida como WWF) alguns lutadores para fazerem parte do evento, são colocados noutras rivalidades. É caso deste combate inicial, especialmente na equipa ECK, onde as individualidades, eram tão espetaculares e carismáticas que foram colocados num combate secundário.

Outros tempos, onde havia só um título principal. O WWE Title era o Saint Gral, mas, neste caso, apesar de ser um combate onde nenhum título estava em jogo, tinhamos a dupla campeã de tag team Edge e Christian e o único campeão olímpico Kurt Angle.

A equipa adversária era os Too Cool, constituída por Scotty 2 Too Hotty e Grand Master Sexay, filho do mítico Jerry Lawer e, o gigante Rikishi. Incrível a popularidade deste últimos, se fizermos uma comparação a uma equipa como os Tons of Funk atualmente, verificamos que estes últimos estão a anos-luz dos Too Cool.

A promo inicial de Edge e Christian era já conhecida, a 5 seconds of pose, mas, neste caso, com mais um membro, o patriota Kurt Angle. Eles fazem esta promo de uma forma irreverente, fazendo uma sátira aos habitantes da cidade de Kentucky, com as vestes típicas e o tipo de música daquela região. Um momento divertidíssimo e hilariante, vermos Angle no meio destes dois é surreal.

Um combate que teve a duração de 9 minutos e 46 segundos e foi bastante intenso, com um domínio inicial dos Too Cool, um domínio bastante improvável, porque os intervenientes eram os mais fracos da tripla.

Era incrível a popularidade deles, eram os verdadeiros enterteiners, conseguiram ofuscar a dupla também popular E & C, porque Angle era odiado, talvez fosse isso que tivesse virado o público contra.

Vários pins foram efetuados e, quando entrou Rikishi foi o ponto maior do combate. Um superpesado que mexia-se como uma pluma, lembrando o grande Yokozuna. Aplicando manobras devastadoras, virando o combate que estava a ser dominado pela equipa ECK.

A vitória foi dos Too Cool, acabando o combate com a dança já conhecida, mais uma vez realço que comparar esta equipa ao Tons of Funk é quase incomparável. De salientar que este combate teve como arbitro T.Long.

Nota – 14

Eddie Guerrero (with Chyna) Vs Perry Saturn Vs Dean Malenko
Triple threat match (WWF European Championship)

Eddie Guerrero era o atual campeão Europeu e com uma gimnick muito engraçada, acompanhado pela nona maravilha do mundo Chyna, estes dois tinham uma parceria espetacular e bastante cúmplice. Chyna era a “mamazita” de Eddie, onde passavam para os fás a sensação de uma relação estranha, pois ela tinha aquele ar másculo e, era bem maior do que Eddie, talvez fosse isso que fizesse o grande sucesso deles.

Dean Malenko era o Light Heavyweight Champion, muito o que era na WCW, ou seja Cruiserweight. Este titulo nunca teve muito significado e, estranha a utilização do mesmo na WWE. Malenko nunca foi um prodígio no micro mas no ringue era um lutador muito bom.

Perry Saturn, nunca tinha ganho nenhum cinturão na WWE, era um lutador bastante agressivo mas, nunca foi um lutador com o It Factor. Foi um bom mid-card na WWE.

Estes três lutadores tinham muito em comum, treinavam juntos, percorreram a estrada juntos, e juntamente com Chris Benoit, fizeram parte da stable de Radicalz.

Mas, neste combate, três deles eram adversários, num combate que teve uma aliança entre Saturn e Malenko mas, que foi muito curta, pois Saturn atacou mal teve hipóteses. Neste tipo de combate é um por si e, basta um sofrer um pin para haver um vencedor, ou seja, Eddie, o campeão atual pode nem perder para ficar sem o seu European Title.

Com uma duração de 7 minutos e 57 segundos, teve alguns momentos intensos, com uma duração razoável, pois este tipo de combate, na minha opinião, não é muito eficiente para cativar uma plateia, devido a alguns erros de manobras aplicadas. Este combate, teve momentos desses, apesar no fim, houve dois grandes moves de Malenko e Saturn em Eddie, onde foi dos melhores momentos do combate.

Com a vitória de Eddie, com ajuda da sua “mamazita”, ele reteve o seu título, apesar de um fim bastante controverso, pois o árbitro viu a interferência de Chyna, onde atacou Malenko com o seu “ramo”, mas as regras deste tipo de combate permitem isso.

Nota – 11

Shane McMahon Vs The Big Show
Falls Count Anywhere Match

Outra hora aliados, agora rivais, Shane e Big Show tiveram um feud entre eles. Rivalidade essa que surgiu devido ao combate realizado na Wrestlemania 2000, entre Triple H, The Rock, Mick Foley e o próprio Big Show. A particularidade desse combate, foi, que cada uma das superstars tinham um McMahon no seu canto e, do lado de Big Show estava Shane.

O gigante foi o primeiro a ser eliminado, durou pouco tempo a sua participação no Main Event da Wrestlemania, a partir daí a relação entre os dois azedou, havendo este combate entre os dois.

Um combate de 7 minutos e 12 segundos, que podia ser um massacre para o corpo de Shane e, de fato, de início, assim o foi. Um castigo nas mãos deste gigante não deve ser fácil, logo nesta fase de Show, que estava no pico de forma, com uma massa muscular e peso ideal.

Apesar de o filho prodigo de Vince ser um ex. European e Hardcore Champion, de nada podia fazer para se debater contra este gigante. Show cedo iria terminar o combate aplicando o seu finisher característico, o Chock Slam mas, a estipulação protegia Shane, não é a toa que a WWE coloca estas estipulações, muitas vezes assim o faz, para haver uma intervenção exterior para virar as odds.

Foi o que aconteceu neste combate, inicialmente foi Big Boss Man, aliado da Corporation a intervir mas sem êxito, sendo também devastado por Show, com um Powerbomb fulminante.

Se um não conseguiu fazer o serviço, será melhor chamar dois, bem…dois e meio, pois Trish Stratus também entreviu juntamente com Albert e Test, mas sem sucesso. Show dizimava tudo que aparece-se a frente mas seria difícil suportar esta diferença de números.

Show sai derrotado, num combate emocionante, com um final muito característico nas derrotas dele, o uso de adereços pelo adversário para sair derrotado. Mais recentemente perdeu o seu World Heavyweight Title para Alberto Del Rio da mesma maneira.

Nota – 14

Chris Benoit Vs Chris Jericho
Submission match for the WWF Intercontinental Championship

Estão preparados para 13 minutos e 27 segundos de combate intenso e bastante técnico? Bem, então vejam este combate, que foi o segundo título dos três a ser defendidos neste PPV. Foi anunciado como sendo o combate entre a manobra Walls of Jericho contra o Cripler Crossface. Esta rivalidade aconteceu devido ao ataque brutal de Jericho a Benoit, marcando severamente a face deste último.

Estes dois former WCW superstars, elevaram o título Intercontinental, bons tempos onde este mítico trofeu, era defendido por grandes lutadores. Um combate muito aguardado pelos fás, pois ambos os intervenientes tinham muito apoio e eram muito respeitados na indústria.

A entrada de Y2J na arena foi tremenda, com o público a ir ao rubro, anunciado por The Fink, esse mítico ring announcer, mostrou que o apoio era todo para ele, pois na entrada de Benoit, a reação foi diferente, muito mais fria, ou seja, a plateia estava do lado de Jericho.

Três dias antes, num combate contra Hardcore Holly, Benoit foi atacado brutalmente, deixando lesionado numa perna. Começou o combate com um handicap maior, e isso era uma vantagem para Y2J.

Cedo, começaram a escolher partes do corpo, para serem mais massacradas, para mais tarde aplicar a manobra de submissão. Um combate que estava a ser bastante intenso, apesar de ainda estar no seu início, onde se desenrolou fora do ringue, onde o uso de alguns objetos, como os degraus, foram uma vantagem, para massacrarem ainda mais o adversário.

A perna de Benoit era um alvo mais que obvio e, Jericho aproveitou-se disso, apesar de muitos contra-ataques de Benoit. Um combate, que era NDQ, mas o adversário podia “livra-se” das manobras de submissão, recorrendo a corda do ringue, na minha opinião erradamente.

A manobra que ditou a vitória de Benoit, o seu finisher Crossface, foi fulcral, o árbitro ditou o fim do combate, apesar de Jericho não ter desistido.Y2J perdeu os sentidos depois de três Crossface seguidos.

Um combate entre dois grandes lutadores técnicos, com grande reação no público.

Nota – 17

D-Generation X Vs The Dudley Boyz
Double Tables match

Um combate de duplas com uma estipulação bastante rara, um combate de mesas duplo, onde quem sofresse a manobra numa mesa era eliminado, mas teria que ser a dupla ao mesmo tempo. De um lado os especialistas neste tipo de combate, os Dudley Boyz e, do outro, a irreverencia dos DX, acompanhados pela belíssima Tori, que na RAW antes do PPV, derrubou Bubba Ray em cima de uma mesa.

Depois das entradas peculiares, especialmente as de DX, o público não tinha um preferido na minha opinião, ou seja, a escolha para quem vencia, no duelo de favoritos era muito difícil.

Com o domínio inicial dos Dudleys, os DX viram se forçados abandonar a arena mas, foram logo impedidos pelos seus adversários. Mais tarde o ímpeto inicial, foi acabado. Bubba Ray ficou obcecado por Tori, levando a uma distração e a vantagem logo virou de lado. Vantagem que durou pouco, depois a Hot tag de D-Von no seu companheiro de equipa, logo se viu quem era a melhor equipa no ringue.

As mesas entraram em jogo e, quando não se esperava uma manobra numa mesa, Road Doag aplica o seu finisher, o Pumphandle falling powerslam em D-Von, em cima de uma mesa. Mais tarde X-Pac, também sentiu a madeira nas suas costas, até o árbitro foi atacado, em cima das mesas deixando “inconsciente”.

Com a vitória quase certa dos Dudleys, Brisco, o atual Hardcore Champion e Special Enforcer da Corporation entreviu no combate para virar o ímpeto vitorioso dos antigos pupilos da ECW.

Tori quase era destruída com um Powerbomb numa mesa, com os números a serem bastante desvantajosos para os Dudleys a vitória foi para os membros dos DX. Um combate que durou 10 minutos e 50 segundos, com bastante emoção, com as mesas só aparecendo no final do mesmo.

Nota – 14

Triple H VS The Rock
Iron Man match for the WWF Championship with Shawn Michaels as the special guest referee

Chegamos ao Main Event do Judgment day, o combate mais esperado pelos fás, com uma história bastante boa em redor do combate. A rivalidade McMahon Helmsley e Rock culminou num embate de 60 minutos entre Triple H e The Rock, com The Game no início deixando de parte todos os membros da família McMahon de fora, pedindo a todos para abandonarem o ringue, porque ele ia mostrar que era capaz de derrotar Rock sozinho.

O árbitro convidado era HBK, regressado de uma lesão grave, ele ia ser imparcial, apesar do seu passado com este papel ser bastante controverso.

Aconselho bastante a ver este combate que teve emoção até ao fim, deixo-vos o resultado do combate, e uma galeria de fotos do combate.

Resultados:
0-1- The Rock Pinfall Triple H com um Rock Bottom ao minuto 10:42
1–1- Triple H Pinfall The Rock Com um Pedigree ao minuto 25:28
2–1-Triple H Pinfall The Rock com um inside cradle ao minuto 26:27
3–1-Triple H Pinfall The Rock com um Pilledriver ao minuto 32:23
3–2-The Rock Pinfall The Rock com um DDT ao minuto 40:35
3–3-The Rock Disqualification Triple H desqualificado com o uso de uma cadeira ao minuto 43:43
4–3-Triple H Pinfall The Rock depois de ser desqualificado ao minuto 44:08
5–3-Triple H SubmissionThe Rock depois de um sleeper hold incapacitando Rock ao minuto 47:28
5–4-The Rock Count out Triple H sofreu uma contagem depois de um Pedigree numa mesa no minuto 56:09
5–5-The Rock Pinfall Triple H depois de um Peoples Elbow ao minuto 58:03
6–5-Triple H Disqualification The Rock desqualificado depois da intervenção de Undertaker ao minuto 59:59

Fotos

Um PPV com grande qualidade, ao main event dou nota 20, pois o combate foi brutal e tivemos um regresso de Undertaker! Uma assistência de 16 mil pessoas estiveram presentes neste grande PPV!

Espero que tenham gostado até ao próximo vintage! Tenham uma semana fantástica!

Full Show

Sobre o Autor

- Autor da rubrica Vintage e escritor de algumas edições do Onde Andas Tu?, e play by play do PSN. Nascido a 7 de Dezembro de 1981, pertenço a uma geração onde os videojogos estavam a começar a desbravar barreiras inacreditáveis, onde 16 bits era uma loucura.Aficionado fervoroso de Wrestling e do glorioso Benfica.Orgulhoso por fazer parte de uma equipa talentosa, como o Wrestling PT.Segue-me no twitter e Facebook - ansnicola@iol.pt e canal Youtube,Daylimotion e sapo videos!

15 Comentários

  1. PunkGuy - há 3 anos

    Bom artigo , André. O PPV foi bastante bom , boa escolha.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Obrigado, escolhi este PPV, porque a história ao redor é muito semelhante a de agora, ou seja havia uma faction que dominava o panorama, e quem fosse contra, era um alvo abater!

  2. José Sousa - há 3 anos

    Uma palavra que puto de PPV. Agora a sério, espectacular. Vejam tudo mas sobretudo vejam Jericho vs Benoit simplesmente fantástico.

  3. danielLP21 - há 3 anos

    Grande escolha André!

    Nos últimos meses, tenho visto todos os shows possíveis da Attitue Era, por ordem cronológica, como se estivesse a ver os shows na altura. Neste momento, vou no ano de 1999 e, por isso, ainda não cheguei a este PPV.

    Porém, já vi este PPV antes, porque é dos mais históricos da WWE. 2000 foi um grande ano para a WWE, até agora só vi os PPV’s mas faço ideia os shows semanais…

    Adorei o Benoit vs Jericho e, claro, o main-event.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Obrigado Daniel!

      Sem duvida!,Concordo contigo o ano de 2000 foi um clássico para a WWF/E.Eu vejo o PPV todo, só ontem é que acabei o artigo, já de noite.

      Vejo PPV todo e depois faço o artigo,tive a ver o main event, simplesmente brutal, como o combate jericho e benoit.Um combate para o Intercontinental title, que nesta altura tinha toda atenção, coisa que não acontece agora mas, o proprio world Title não o tem!

  4. R8cha - há 3 anos

    Bret Hart não gostou da tua pontuação ao main-event. xD
    Agora a serio, tempos brilhantes da WWE que dava-se ao luxo de ter estrelas de enorme calibre no mid-card e a abrir os shows, e mesmo assim conseguir gerar opiniões do publico para todos eles. Coisa que falta hoje em dia…há pessoal no mid card com enorme qualidade que quando entra na arena, o publico parece que faz uma pausa para fazer um chichizinho

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      O teu comentário não podia estar mais correcto, talvez um chichizinho e um…!
      Como dizes tempos brilhantes!

  5. FAlmeida_10 - há 3 anos

    2000 é capaz de ter sido um dos anos de ouro da WWE. Realço o Benoit vs Jericho. Excelente artigo André!

  6. LuisMPBO - há 3 anos

    Bom artigo. Como já disse da outra vez, gosto deste formato e, se fizeres mais, acho que deves sempre continuar a optar por PPV´s secundários (qualquer um menos SummerSlam, Royal Rumble, Survivor Series e Wrestlemania), pois não têm tanto destaque e alguns deles são tão bons ou melhores como os PPV´s principais desse mesmo ano.

    Bem, não tenho muito para dizer, destaco apenas, obviamente, Benoit vs Jericho (que série de combates fantástica que estes dois tiveram) e o main event.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Obrigado Luis, a ideia é mesmo essa, não fazer os major PPV.Dar destaque alguns secundários que já não existem

  7. akujy - há 3 anos

    Mais um bom vintage. Gostava de ver uma análise tua ao NYR 2006, um PPV que acabou por ser marcante, mesmo não sendo um dos grandes, especialmente pelo choque do 1º cash in alguma vez realizado. (penso que foi o 1º de sempre, s não me falha a memória)

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador