Vintage #45 – Um Renegado contra o Mal

Comecei a escrever esta crónica sem saber como a iniciar, sabendo que tinha que ter um início diferente, algo que marcasse a minha alegria por fazer parte deste projeto e também, ser mais um, que o faz “viver” e sempre crescer. Não o vejo só como um site, vejo-o como um espaço de convívio, de conversa, de “discussão de café”, e especialmente, de dedicação por parte de todos os intervenientes. Não sabia como começar esta edição, então a melhor maneira só podia ser a mais simples possível…

Bem-Vindos a edição 45 do Vintage, uma edição que vai falar em pinturas faciais, especialmente de um wrestler em particular. Esse lutador faz parte, de um grupo restrito de lutadores, que será conhecido como um dos melhores de sempre. Este rótulo não encaixa em qualquer um e, dificilmente, alguns conseguem ter a longevidade desta personagem, figura, Homem mas, principalmente um ÍCONE!

Falamos de Sting, um lutador intemporal, apesar de fazer parte do “Old Scholl” wrestling, mas sempre inovador. Inicialmente falei em pinturas faciais, um artefacto, que faz com que lutadores ganhem vida, ou seja, um pormenor, que é talvez o mais importante para lutadores que tem essa particularidade no Mundo do wrestling. Sting faz parte desse grupo, tal como os seus amigos de estrada desses tempos. Amigos como os Road Warriors, Ultimate Warrior entre outros, e certamente, sem essa “marca” de guerra, não teriam a notoriedade, nem a “vida” no wrestling que tiveram. Sting cedo adotou essa “característica” e o resto é fazer história…

Steven James Bourden de nome verdadeiro – nasceu no ano 1959, e cedo começou a fazer o que mais gostava, desporto . O surf também era parte integrante na sua vida, mas ele tinha projetos para ser alguém, por isso tentou ser actor mas, foi o wrestling que o levou a ribalta e ser “projetado” para fama. O seu carisma natural  arrastou multidões para a National Wrestling Aliance, onde enfrentou Ric Flair e outros nomes fortíssimos naquela altura. Para um rapaz de 17 anos(idade que eu devia de ter por essa altura), acompanhar a World Championship Wrestling, no fenómeno em Portugal chamado TV Cabo e ver as poucas aparições que Sting estava a ter, pois a sua personagem era de um renegado cedo de vingança, pelas ações de Hollywood Hogan e os seus seguidores do mal – New World Order. Essas pequenas intervenções deixavam-me com “água na boca” e com os olhos cintilantes. O descer do teto de uma arena, o bastão de basebol, o seu olhar, gabardina…tudo cativava e “deixava no ar”, que a qualquer momento, alguma coisa poderia acontecer.

Na edição de hoje recuamos novamente no tempo com a nossa máquina do tempo “Vintage”, para recordar 3 momentos, de Sting na WCW, momentos de pura magia sombria, de ápice de vingança e de ataques de Sting aos NWO.

“I´m Here to Fight!”

1996 Será um ano histórico para o wrestling, especialmente para a WCW. A formação dos NWO foi o marco mais importante, como a adição de lutadores de topo no roster da companhia de Ted Turner. Após um reinado de um ano de terror, e o roster “face” que tentava combater estes invasores quase todo aniquilado, um Homem tentava igualar as “odds”, apesar de ser só mais um…Talvez não o fosse, porque a sua personagem foi alterada, o “velho” Sting já não morava dentro do seu corpo, a rebeldia não existia na sua alma, havia só…vingança…

Sting começava a entrar no show Monday Nitro, de uma maneira peculiar. Descia “preso” a uma corda, para o factor surpresa ser uma vantagem para ele. O ano de 1997 marca as primeiras aparições deste “corvo”, egocêntrico mas objetivo, com a sua missão bem “desenhada” na sua mente. A NWO tinha ao seu lado o “Bad Boy” (mas inútil) da NBA Dennis Rodman, que acompanhava Hogan para o ringue, mas seria mais um nas mãos de Sting. A “cauda do escorpião” de Sting estava pronta para ser lançada, a quem aparecesse no seu caminho, mas este renegado, não esperava que os obstáculos se prostrassem a sua frente, ele próprio os enfrentava para marcar a sua posição.

Sting colocou-se ao lado daqueles que lutavam pela mesma causa, casos como “Diamond Dallas” Page ou Lex Luger, e foi a ajuda mais importante e decisiva que poderiam ter.

http://youtu.be/dcMHSvnbS28

“Sting DeathDrop”

Estávamos cronologicamente em 19 de Maio de 1997, numa das melhores fases da NWO, com varias vitórias importantes dos membros da stable mas, mais ainda, terem no seu seio, campeões. X-Pac era o actual WCW Cruiserweight Champion, os Outsiders (Hall e Nash) detinham os títulos de campeões por equipas e, o líder – Hollywood Hogan, pavoneava-se com o WCW World Heavyweight Title. A Stable estava forte e impenetrável, apesar de algumas tentativas de Lex Luger e Big Show (este ultimo expulso da stable), continuava a crescer com novos membros, e espalhava o “terror” e o medo, no roster da WCW.

Eram poucas as ocasiões que algum wrestler da NWO era atacado, sem que as “hienas” do grupo viessem ajudar, para “desmembrar” quem ousasse os enfrentar. Nesse dia 19, o porta-voz do grupo – Eric Bischoff, entra na arena sozinho, de uma maneira ousada, sem a companhia dos seus lacaios, sem estar ao seu lado o campeão Mundial e líder dos “Black and White”. Eric a cada passo que dá rumo ao ringue, vinha com a certeza que Sting não estava nas redondezas, que não desceria do tecto da arena, que não invadia o espaço onde estava. Só que muitas vezes, a certeza não garante segurança, e por vezes um erro, pode ser a queda…

http://youtu.be/1QMmmbNi7qs

“Sting Army”

Depois de um final controverso de combate, entre Curt Hennig e “Diamond Dallas” Page (onde o United States Championship estava em disputa) acerca da decisão do vencedor do combate, Pipper dirige-se para o ringue com o árbitro do confronto, para validar e atribuir a vitória para DDP. Algo que não veio a suceder, pois o grupo do mal e predadores habituais vieram tomar essa decisão a boa maneira da NWO. A diferença de braços e pernas era evidente, e Pipper e DDP seriam presas fáceis e a chacina começou…O público começa a “libertar” algumas vibrações de êxtase, alguma coisa está acontecer. É Sting…outro Sting…mais um…é um exercito deles!

Esta Armada, vem gerar confusão e também duvida no seio do grupo, que continuava a “castigar” Pipper e Page. Impossível não vibrar com o que acontece de seguida. Bagwell atinge com um soco num dos vários Homens mascarados de Sting. Este não caiu, não vacilou e ripostou deixando o grupo “4 Life” de uma maneira “4 scare”, incrível e “priceless” a reação de Hogan ao ver que o verdadeiro Sting esta a sua frente. Um momento que considero dos melhores da vida da extinta WCW.

http://youtu.be/bPfF1oawTrs

Este percurso é histórico, uma luta contra o mal, que pode ter um guião fácil e simples, mas que foi criado com uma genialidade única e original. Tal como Hogan foi a escolha mais certa para fazer o “Hell Turn”, também a escolha de Sting como o “salvador”, o cavaleiro que destruirá o mal ou o remedio que combate o vírus, foi a decisão mais única e épica de uma companhia de wrestling, que marcava o seu produto como nenhuma outra. Os dois enfrentaram-se no PPV Starcade de 1997, para o encontro final entra ambos, onde Sting saiu vencedor e tornou-se o novo WCW World Heavyweight Champion, infelizmente no dia seguinte o título ficou “Vacated”, devido a decisão não ser valida, pois Bret Hart não tinha “poder” para tal e, a contagem feita pelo árbitro anteriormente ser rápida demais.

Eu fui um dos que de uma certa forma “troquei” a WWE pela WCW, apesar de não deixar de ver  Stone Cold e HBK, entre outros. Agora é inegável dizer que Sting foi uma das personagens mais “ricas” e que contribuíram, para os fás se ligarem a esta “quest” pela vitória sobre um grupo “quase” invencível. The “Crown Sting”, “The Ícone” Sting, ou simplesmente Sting… um Homem que marcou a diferença!

Espero que tenham gostado. Tenham uma Semana Fantástica, e até ao próximo vintage, agora no wrestling PT.

Sobre o Autor

- Autor da rubrica Vintage e escritor de algumas edições do Onde Andas Tu?, e play by play do PSN. Nascido a 7 de Dezembro de 1981, pertenço a uma geração onde os videojogos estavam a começar a desbravar barreiras inacreditáveis, onde 16 bits era uma loucura.Aficionado fervoroso de Wrestling e do glorioso Benfica.Orgulhoso por fazer parte de uma equipa talentosa, como o Wrestling PT.Segue-me no twitter e Facebook - ansnicola@iol.pt e canal Youtube,Daylimotion e sapo videos!

26 Comentários

  1. DX Rules - há 3 anos

    Ano novo Artigo Novo xD

    és sem dúvida merecedor de fazer parte da equipa do WPT.

    Abraço!

  2. Franciscoxb - há 3 anos

    Exelente artigo.

    Parabens,pela tua promoção ao wrestling.pt

  3. Alberto Junior - há 3 anos

    bela cronica Andre Santos. realmente sting é um grande ícone do wrestling.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Para o primeiro artigo de 2014 e do Wrestling PT, tinha que escolher um wrestler que gosto muito e, especialmente numa fase em que adorei ver wrestling.

  4. José Sousa - há 3 anos

    Muito bem-vindo ao Wrestling.Pt André. Seja a forma como queiras ver esta nova fase, o teu espaço mereceu isto.

    Sting é um dos melhores de sempre da indústria por isso tenho uma admiração gigante por ele. O combate de sonho nunca aconteceu, ou pelo menos não aconteceu na altura certa, e tenho a certeza que agora não seria o poderia ter sido.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Obrigado José. Concordo com o teu comentario, mas por vezes as “coisas” não acontecem quando deviam.Vejamos se Warrior não tivesse lutado contra Hogan naquele tempo, decerto não teria o mesmo valor. Vamos aguardar…talvez…quem sabe…

      • José Sousa - há 3 anos

        Não irá acontecer. Deve ser Lesnar vs Taker ou Cena vs Taker.

  5. GonRodri - há 3 anos

    Muito bom artigo André!! O Sting tem uma gimmick muito esquisita, ainda mais q a do Taker!! Continua assim ;)

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Obrigado. Esta personagem do Sting, especialmente nos anos de ouro da WCW, foi inspirada no filme – “O corvo”, onde a personagem era Brandon Lee, talvez por isso ter tido o sucesso que teve e, ainda por cima ser Sting a representa-la.

  6. Dolph Ziggler - há 3 anos

    Parabéns pela “promoção” André :)

  7. danielLP21 - há 3 anos

    O segmento dos vários Sting’s extraordinário…

    Parabéns por fazeres parte do Wrestling.PT e espero aprender mais sobre a WCW devido aos teus artigos.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Obrigado Daniel.Tenho que confessar que o tema WCW vai ser muito explorado no vintage. A historia é tão rica em momentos épicos que são uma inspiração.

  8. FAlmeida_10 - há 3 anos

    Bom artigo André, e parabéns pela promoção ao WPT mais que merecida :)

    Tenho pena de não ter acompanhado a carreira toda do Sting, nomeadamente enquanto era parte do Roster da WCW, em que se opunha á NWO. E é preciso ter noção que o Sting foi um dos quais atraiu bastantes fãs para a TNA.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Obrigado. Sting consegue ser consensual. É um wrestler que especialmente na WCW foi a cara da companhia juntamente com Flair, entretanto veio Hogan e juntou-se 3 grandes wrestlers. Na TNA é inegável o seu contributo, especialmente nos primeiros tempos e agora na elevação de Magnus.

  9. Akujy - há 3 anos

    Grande André, a escrever um grande artigo sobre uma grande época. Como me lembro disto… tamos a ficar velhos, mas nem por isso com menos capacidades. lol. Parabens e bem vindo ao wpt, tu mereces.

  10. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Grande Kuj.Foram tempos brutais não foram? A WCW traz-me tantas recordações que muitas vezes passo o tempo no “you tube” a preparar os artigos.

  11. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    Excelente artigo, André!

    Se houvesse a Dream Match: Undertaker vs Sting em uma WrestleMania, para quem irias sua torcida?

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Sting sem duvida.Devo de ser dos poucos que não tem no TOP 20 Undertaker nas escolhas :)

  12. JoãoRkNO - há 3 anos

    Excelente artigo André, e já agora muitos parabéns por esta “promoção”, mas como sempre ouvi dizer, quem trabalha sempre alcança.
    O Sting era algo de fenomenal, as pinturas faciais adequavam-se perfeitamente á sua personagem, e o contributo á elevação da TNA, como empresa, foi extraordinário.

    Um pequeno aparte. Eu adoraria ver um Sting/Undertaker na WM, não pelo combate em si, porque duvido que fosse alguma coisa do outro mundo, mas sim pela feud. Two dark men´s, in one place, who will survive? Sem dúvida que seria marcante.

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Obrigado João pelas palavras e, mais importante, por comentares no vintage.Um combate de sonho mas que ficará só por isso?

  13. Catchphrase - há 3 anos

    Grande artigo André!!!
    Que este ano continues o belo trabalho de 2013

  14. Mario Magalhaes - há 3 anos

    Grande artigo André, Sting é um dos grandes superstars da história do Wrestling e muito bem-vindo ao Wrestling.PT.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador