Vintage #65 – Diz NÃO à droga!

A infância é das melhores fases da vida de um ser humano, onde vai receber todo o carinho paternal e, etapa a etapa, receber os ensinamentos sensatos da família, amigos mais chegados, com o intuito de crescer em muitos aspectos, seja emocionais ou profissionais para que esteja preparado/a para a luta que é a vida e tudo que engloba vive-la.

Isto devia de ser a regra e, acredito cegamente, que todos os progenitores desejam isso para os seus filhos, agora que é uma das missões mais difíceis do ser humano, disso não há duvidas!

Muitos obstáculos podem atravessar-se no caminho dos jovens e alguns que podem marcar uma vida. A droga é um deles, infelizmente é algo que tem vindo a vencer batalhas no dia-a-dia de muitos que já entregaram a vida a essa dependência.

Só no Brasil: O número de internações financiadas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) de dependentes de drogas ilícitas cresceu 128% nos anos de 2006 a 2012 e equiparou-se ao número de internações por dependência de álcool.

No wrestling existe ou pelo menos existiu, mais abundantemente esse artefacto viciante e destrutivo. Os anos 70 e 80 e inícios dos anos 90 foram “vizinhos” dos grandes atletas que são os wrestlers, seja de que companhia for e, muitas das vezes, ou quase sempre, não era controlado minimamente. Existem muitos tipos de droga e não vou estar a enumerar agora quais são, mas alguns deles faziam parte da rotina diária e, exemplos como os painkillers era um mau menor, apesar de serem nocivos ao sistema imunitário de todos eles. Drogas para aumentar a massa muscular era mais que evidente, pois vermos um Dinamite kid, que era um wrestler de dimensões bastante inferiores aos seus opositores e conseguir estar ao nível dos mesmos, obrigatoriamente teria que adicionar alguns quilinhos ou litros, (seja lá o que for) ao seu corpinho de 1,70. Era mesmo “dinamite” que ele tomava, analogias a parte…

Havia estas drogas no seio do roster das companhias, onde no balneário era o epicentro de tudo e, passava tudo as claras de muita gente, tenho quase tenho a certeza, pois era como fosse um analgésico restaurador de forças, para a odisseia que era lutar em variadíssimas cidades, semana após semana.

A cocaína era uma das drogas favoritas de muitos, com a sua presença abundante a ser “sentida” especialmente na vida pessoal e mais reservada. A cocaína era uma “sobremesa” para muitos onde destruiu a vida a inúmeros wrestlers, ora por overdose da mesma ou com a falência dos seus órgãos devido ao abuso e, para aqueles que sobreviveram diariamente, mais tarde teriam as consequências com a sua saúde a ficar limitada a tratamentos de desintoxicação entre outros tratamentos.

Loui Spicolli um lutador que nunca teve oportunidade para ir mais além…

Talvez não conheçam Loui Spicolli mas digo-vos que não era um mau performer em ringue e que nunca teve uma oportunidade para se mostrar na grande montra das companhias por onde passou, onde especialmente na WWF foi um jobber para outros wrestlers, infelizmente para Spicolli, foi uma das vítimas do abuso de drogas. “Partiu” novo demais onde não teve tempo sequer para sonhar em ser alguém no wrestling.

O move que viria a limitar Davey Boy, pois na altura do embate no ringue o mesmo tinha uma espécie de alçapão que não estava almofadado.

Nem todos tinham o caché de Hulk Hogan ou Randy Savage e de uma certa forma isso foi um dos factores para o exagero de combates de alguns lutadores. Davey Boy Smith, mais conhecido e imortalizado por British Bulldog foi um dos exemplos disso. Ele pertencia ao mid-card e enquanto Intercontinental Champion teve um excessivo números de combates para defender o seu titulo, consequência disso uma lesão cronica nas suas costas que levou a ficar dependente dos analgésicos para poder actuar de uma forma decente. A manutenção do seu físico não era só de ginásio e, isso era bem evidente. Infelizmente a decadência como atleta começou a ficar a vista de todos enquanto a sua passagem pela WCW (acompanhando Bret Hart) onde estava com enumeras dores na zona lombar. Um mal não vem só e num combate na WCW recebeu um move que o retirou praticamente dos ringues, a partir desse dia, Davey Boy foi um lutador decadente e sucumbiu como muitos da sua geração as dores, pelo motivo de recorrer a droga, sendo fatal.

http://youtu.be/xl6ZLhawpRA

Estes são alguns dos exemplos mais antigos, mas actualmente tivemos casos como o de Randy Orton, Rob Van Dam e o veterano Scott Hall entre outros, e estamos a falar de controlos mais precisos e exigentes que nem por sombras estavam ao nível dos efectuados anteriormente.

Isto do desporto tem os seus “quês” e é difícil de dizer que actualmente não existem no seio do mesmo, o uso de drogas estimulantes para o aumento da performances dos atletas, porque acredito que seja difícil de muitos conseguirem acompanhar um ritmo de uma época desgastante, seja no futebol, basquetebol ou no wrestling.

Acredito que estamos a caminhar para um uso saudável de vitaminas que somente criam benefícios aos atletas, porque é claro, que existe factores secundários, que proporcionam um maior rendimento, temos sim, é excluir a droga nociva ao sistema do atleta e outros da mesma família.

O wrestling teve e poderá ter outros casos que estão a vista de todos mas não será o único desporto, modalidade ou entretimento que serão expostos, pois o passado ninguém o apaga, o presente poderemos ser nós a escrever diariamente, e o futuro será o resultado de uma boa “escrita” do presente.

Com o objectivo de criar laços, muitos submetem-se a droga para serem incluídos e aceites no meio de todos e não é só no desporto que isso acontece.

Sejam Felizes e digam NÂO À DROGA!

This is Vintage

Sobre o Autor

- Autor da rubrica Vintage e escritor de algumas edições do Onde Andas Tu?, e play by play do PSN. Nascido a 7 de Dezembro de 1981, pertenço a uma geração onde os videojogos estavam a começar a desbravar barreiras inacreditáveis, onde 16 bits era uma loucura.Aficionado fervoroso de Wrestling e do glorioso Benfica.Orgulhoso por fazer parte de uma equipa talentosa, como o Wrestling PT.Segue-me no twitter e Facebook - ansnicola@iol.pt e canal Youtube,Daylimotion e sapo videos!

12 Comentários

  1. John_3:16 - há 2 anos

    Tocas aqui num assunto bastante importante, e nunca é tarde pra ler artigos sobre estes assuntos apesar de já sabermos algumas coisas, obrigado andré

  2. JoãoRkNO ® - há 2 anos

    Excelente , mensagem fundamental para toda a gente que pratica seja qual for o desporto , drogas podem ajudar na hora , mas terão repercussões num futuro próximo .

  3. JoaoFilipe - há 2 anos

    Randy Orton e Rob Van Dam?

  4. MR Perfection André Santos - há 2 anos

    Sim.Foram castigados por terem falhado em testes anti dopping há algum tempo. Especialmente o Orton já esteve no fio da navalha varias vezes. Penso eu que já falhou por 2 vezes o controlo, dando positivo.

  5. MR Perfection André Santos - há 2 anos

    Em 2012 no caso do Orton

    http://www.wrestlinginc.com/wi/news/2012/0721/554564/triple-h/

  6. Hildo - há 2 anos

    Excelente artigo, tema muito bom, e que nunca é bom saber demais sobre o mesmo, antigamente uns usavam para melhorar seu fisico para tentar obter algo a mais em sua carreira, mas casos como Randy Orton (que já esteve perto de ser demitido umas duas vezes) Jeff Hardy (mesma coisa que o Orton) já tinham carreiras consolidadas depois de chegarem a gloria maxima na WWE, enfim penso que é uma série de distúrbios e falta de informação pra entrar neste triste mundo.

  7. PedroSWWE - há 2 anos

    Belo artigo a realçar um dos problemas do wrestling, as drogas.
    A droga já levou a que a WWF quase fechasse portas, se não fosse Hulk Hogan a salvar Vince, provavelmente hoje estariamos a assistir à WCW todas as semanas, já matou vários lutadores, como Eddie Guerrero, e já fez lutadores com talento irem para a mó de baixo. Lembro-me do caso de Jack Swagger, bem recente, de 2013, em que ele teve um push enorme vencendo o Elimination Chamber e enfrentou Del Rio na WrestleMania. Tudo indicava que ele iria vencer na WM, mas como tomou drogas a meio da Road to WrestleMania, ficou sem o seu segundo título mundial. Este tema depois até foi bem realçado aqui no WPT com o “WEED THE PEOPLE”.

  8. Leonardo Trevisane - há 2 anos

    Ótimo artigo e bom assunto, infelizmente muitos entram neste caminho, uns dos motivos que tenho CM Punk como favorito é o modo de vida que ele leva, era bom de mais levassem também.

  9. This is VINTAGE! Incrível, André, uma grande mensagem contra as drogas. Podemos dizer “não ao vício e a dependência”, basta ver algumas das causas de vício a cafeína e a busca incessável pelo corpo perfeito… estes dois fatores eram característicos de Chris Benoit, analisemos o trágico final do mesmo… (R.I.P.)

  10. José Sousa - há 2 anos

    Bom artigo e mensagem. Ah para rematar devias dizer não se droguem, porque o cliente do Paul Heyman, Brock Lesnar que conquistou a “undeafeated Streak” na Wrestlemania também não.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador