Wrestling, Diz Ele #2 – Opiu et Vitium

Mais uma semana, mais uma edição de Wrestling, Diz Ele! E neste dia de aniversário, trago-vos um tema polémico, que sempre esteve na ordem do dia no mundo wrestling: dependência em drogas.

Actualmente, como muitos de voces constatam, a febre do wrestling que contagiou tudo e todos em pleno ano de 2006, passou; e agora, este desporto é visto pela sociedade em geral como uma “anedota”, “desporto para crianças”; “é tudo fingido”. Bem, mas se para Fernando Pessoa o poeta era realmente um fingidor, e tinha a dimensão que tinha, existe um aspecto no wrestling em si que não pode ser alvo de qualquer tipo de fingimento. A taxa de morte entre wrestlers devido ao consumo/uso de drogas é, preocupante. É demasiado elevado.

Sim, os resultados dos combates estão predeterminados. Os campeões podem ser determinados com semanas de antecedência (se nos esquecermos subitamente dos últimos tempos da WWE). E sim, os esforços de cada atleta em cada combate, ou fora deste, é desgastante, física e psicologicamente. 300 dias por ano (na maioria), sem qualquer época de descanso ou férias (na maioria), digressões mundiais, a lista continua e continua. Ocorrencia de lesões também é o “pão nosso de cada dia”, passo a expressão, e é aqui, meus senhores e minhas senhoras, que se encontra o problema. A generalidade dos atletas torna-se dependente de substâncias que anestesiam os efeitos de uma lesão, as dores musculares, os torcicolos… E isto se nos referirmos apenas ao uso de substâncias simples, porque também existem as misturas, e aqui o problema acresce. Qual será a legitimidade do uso de drogas? Será assim tão punivel o consumo dado o que referi previamente?

Como muitos devem-se lembrar, existem actualmente pelo menos dois casos alarmantes em termos de consumo de drogas. Falo claro está de Jeff Hardy e de Jack Swagger (o último caso conhecido por posse de droga ilegal). Não irei debater os temas e a personalidade delinquente de cada um, irei sim reforçar apenas o facto de que talvez não seja assim tão insensato referir que ambos, aquando do consumo, talvez necessitassem deste para aliviar pressões, psicológicas ou fisicas.

Não obstante, o fenómeno não é recente, nos anos 90, a WWE teve em mãos um escândalo de uso de esteróides em grande escala. Apesar dos testes, que eram supostamente feitos, era evidente que muitos atletas consumiriam “algo” que proporcionava tamanho fisico que não poderia ser atingido de outra forma. Hoje em dia, das duas uma, ou um atleta suporta uma elevada massa muscular ou então uma elevada massa de gordura que o permita ter o impacte necessário no mundo do wrestling. E é, precisamente, esse peso extra, quer seja músculo ou gordura, que faz com que o coração trabalhe mais rápido do que o suposto.

A material de Drogas é realmente subjectiva. Se por um lado é temida e condenada, por outro lado o seu consumo pode se encontrar plenamente justificado. A questão do rótulo de “coisa má” que lhe foi dado é que a leva a ser considerada e a ter um impacto e uma visibilidade tão dramática quanto tem hoje em dia. O facto de no seio da WWE esta matéria ser tão condenada deve-se, unica e exclusivamente, à proliferação do caso de Eddie Guerrero, à entrada na era PG e à sobreposta entrada de Linda McMahon no senado americano. Vale o que vale, uns contra outros a favor, mas a droga sempre existiu, sempre existirá, e o meio artistico/desportivo é rei em matéria de consumo de substancias psicotrópicas ou analépticas. As mortes jovens no desporto, não são unica e exclusivamente resultados causais do consumo de drogas, veja-se o caso de Owen Hart.

Assim que, antes de julgamentos, antes de criticas serem desenvolvidas, convém analisar os individuos em causa, avaliar as suas personalidades, escolhas, situações sociais em que se encontram; porque com a mesma facilidade que se critica um consumidor habitual/ocasional se pode criticar um não-consumidor, sendo o seu maior representante, a meu ver, no panorama actual, Phillip Jack Brooks.

Suposições e subjectividades à parte, eis os números minha gente, de mortes de alguns atletas bem conhecidos da praça, ligados ao não ao consumo de substâncias, com menos de 45 anos de idade.

Lance Cade – 29
Crash Holly – 32
Chris Von Erich – 21
Mike Von Erich – 23
Kerry Von Erich – 33
Test – 33
Yokozuna – 34
Brian Pillman – 35
Umaga – 36
Eddie Guerrero – 38
Davey Boy Smith – 39
Vivian Vachon – 40
Chris Benoit – 40
Rick Rude – 41
Miss Elizabeth – 42
Big Boss Man – 42
Earthquake – 42
Curt Hennig – 44
Bam Bam Bigelow – 45

Os números falam por si. As substâncias falam por si. A droga só tem o destaque que a sociedade atribui, tal como tudo o resto. Ressalvo apenas o facto de que as dependências não se criam sozinhas, é sempre preciso um sujeito predisposto, e uma situação em concreto.

Obrigado pela atenção, e até para a semana :)

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling, Diz Ele”.

8 Comentários

  1. MR Perfection André Santos - há 4 anos

    Gostei do artigo, mas há um aspecto a ter em conta, aqueles superstars que usam as drogas ou os chamados os “Painkilers” que é o que alguns tomam para “dominarem” a dor.Davey Boy é um desses casos devido a uma lesão antiga e que se agravou num combate na WCW fez com que ele tomasse em doses muito grandes.

    Agora o caso de Swagger, pelo menos o que é publico é um caso de marijuana, onde este talvez seja dependente como Hardy em drogas para “alegrar”.

    Portanto casos como Eddie e outros são drogas como os esteroides para aumentar a massa muscular, como foi o caso de Dinamite Kid que eram lutadores de estatura pequena e para se igualarem aos big boys tomavam esteroides.

    Bom artigo Parabéns!

    • DirtCrit - há 4 anos

      Sim sem duvida, e no primeiro caso é completamente legitimo o consumo. E até mesmo na situação para alegrar, onde é que isso é diferente da ingestão de alcool numa festa? De qualquer forma, o uso de marijuana a curto prazo provoca também aumento de frequencia cardiaca o que os pode ajudar em treinos. No último caso, é o que já foi abordado, a culpa dessa pressão é da empresa em si, unica e exclusivamente.

      Mas como disse a ultima decisão é sempre da pessoa.

      Obrigado :)

  2. danielLP21 - há 4 anos

    Excelente artigo!

    Parabéns pelo artigo e pelo aniversário :)

  3. José Sousa - há 4 anos

    Excelente artigo, e parabens:)

    Claro que concordo contigo, claro que temos que evitar o consumo de drogas pesadas em praticantes de Wrestling ou desporto, mas lá está é tão grave isto como numa saida morreres por consumo de alcool ou de drogas. Lá está a decisão é da pessoa e de aprenderes com erros ou não.

  4. ShowOFF-DZ - há 4 anos

    Grande artigo!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador