Wrestling, Diz Ele #26 – As 5 Maiores Falhas de Booking

Em primeiro lugar quero pedir as mais sinceras desculpas pela não realização do artigo a semana passada mas como sabem por vezes a vida pessoal e profissional fica um bocado atarefada. Bem de qualquer forma esta semana e à semelhança do que já vos fui habituando, ocasionalmente bem certo, trago-vos mais um TOP 5, baseado num artigo internacional, desta vez, incidindo sobre as 5 Maiores falhas de Booking na História da WWE.

É facto sabido aliás que a WWE tem falhado grandiosamente alguns “angles” ao longo dos anos. Pode e é bem certo que o é, a maior empresa de wrestling actualmente, é a mais rentável e a mais expandida pela superfície do globo, mas isso não significa que também já não tenha cometido graves erros. Afinal e como dizem, errar é humano, e em termos de gestão de empresas (e quem estuda disto porventura sabe do que falo) agradar a gregos e a troianos e tomar a escolha certa por vezes não é assim tão fácil quanto possa parecer, principalmente ainda com políticas pelo meio.

Sem mais demoras, eis as 5 Maiores Falhas de Booking, em nenhuma ordem em particular

5. Punt In the Head? Heel on the… Not

Num dos momentos mais surpreendentes na história da WWE, Randy Orton aplicou aquele mítico punt (que fez por momentos remontar aos tempos do Legend Killer) a Vince McMahon no final da RAW de 26 de Janeiro de 2009. Tal como já referi muitas vezes o público onde terminados “angles” são executados podem e devem contribuir em grande escala para os “turns” destes. Ora, o problema é quando o público digamos que troca as voltas á WWE, naquilo eu tomei a honra de denominar como “public turning botching moment”. Neste dia e nas semanas que se sucederam os fãs da WWE, em vez de detestar Orton, tornaram-no ainda mais popular naquilo que fez relembrar um Steve Austin da Era Moderna, vá!

Ora, em vez de tornarem Orton um claro baby face, a WWE manteve-o heel, e bem heel ao defrontar Shane McMahon quer na TV quer em PPV, por meses que seguiram.

Já ouviram falar em o público tem sempre razão? Curiosamente, o contrário sucedeu-se nos últimos 2/3 anos com Orton face e o público a implorar que este tivesse o seu “heel turn” e a WWE a insistir num comportamento babyface. Vá-se lá entender.

4. Are U Tough Enough?

“Enough is enough” Não não é um live moment de Donna Summer com Barbra Streisand que foi erro de booking da WWE, mas sim o facto de Daniel Puder, concorrente de Tough Enough, chocar o mundo ao quase obrigar Kurt Angle a desistir durante uma Smackdown em 2004, e apenas uma má-arbitragem permitiu a Kurt Angle sair com a sua honra (quase) intacta.

Puder acabou por ganhar um contracto com a WWE, ao vencer o “talent (not so much) show” e eis que o que seria perfeitamente lógico de acontecer, era, e o que todos vocês pensam neste momento… Maaaaas não!

De facto, a WWE acabou por mandar Puder para a então OVW, antes de libertarem-no de obrigações contractuais que é tão somente uma forma chique de dizer, vais para o olho da rua!

3. NEEEEEEEEXT!

A Junho de 2010, um grupo heel chamado Nexus teve uma das mais impressionantes estreias na história de wrestling, e incluo aqui toda e qualquer empresa mundial e nacional deste desporto. Sete estrelas do NXT de seus nomes Wade Barrett, Daniel Bryan, Michael Tarver, David Otunga, Heath Slater, Darren Young e Skip “Ryback” Sheffield interromperam o combate entre CM Punk e John Cena e violentamente destruíram o set todo do RAW dessa noite.

Arrepiante, dramático e genuinamente bem realizado e estruturado este é até hoje um dos mais consagrados e melhor desenhados finais de um show da WWE desde, bem, desde sempre.

No entanto com tanta estreia e com tanta qualidade no seu início, isto só poderia significar uma coisa… Mau final. E inevitavelmente foi isto que aconteceu precisamente quando a WWE decidiu colocar John Cena, durante os meses que se seguiram a destruir os Nexus, um a um, em segmentos e combates, um por um; e até ao final do ano, bem, Next…us!

Tudo isto contribuiu aliás para a grande temática, que apesar de não ser o que se discute aqui pode servir para vocês debaterem (na caixa de comentários que está por debaixo deste artigo) sobre o grande problema que se tornou ter John Cena como face da empresa, e como força demolidora de uma stable de sete homens furacão que viraram do nada, sete ratinhos de laboratório.

2. TVI

O título justifica-se quando em pleno Verão de 2001 temos um grande triângulo amoroso a ser formado entre Kurt Angle, Triple H e claro a bela e a maior “b*tch do wrestling profissional” Stephanie McMahon. E sim, isto teve de tudo, não fosse o calibre destas três individualidades o que se conhece: níveis de representação elevados, imensa química já que podia-se perfeitamente acreditar que Kurt e Stephanie estavam-se realmente a apaixonar e, por fim, um protagonista “coitadinho”, marido da dita cuja, Triple H.

E tudo ia bem realmente sendo que o perfeitamente lógico seria ter Stephanie a contribuir para o que os fãs já desejavam na altura que era ver Triple H face e tornar Angle um dos heels mais carismáticos e odiados pelos fãs da WWE. Até que… Num mítico Unforgiven, o triângulo amoroso foi-se. Triple H venceu de forma limpa Angle, permaneceu heel, e a história foi completamente esquecida, apagada dos registos da empresa. Puff…

Afinal quem levou com um par deles foi mesmo os fãs né?

1. Desastres de Invasão

Em 2001, graças à mítica compra da WCW por Vince McMahon este teve finalmente a oportunidade que tanto alcançava de se tornar, e em conjunto com a WWE, tornar-se a maior empresa do planeta, facto que se mantém até aos dias de hoje. Aliás não se viu mais nada semelhante às Monday Night Wars desde essa altura (com apenas, bem certo, um momento de história pseudo-quase a repetir-se quando a TNA anunciou fazer shows em directo à Segunda feira).

Bem, com isto, muitos fãs salivavam com as ideias de manchetes como Hulk Hogan vs Steve Austin ou Goldberg vs Undertaker e Eric Bischoff a aparecer e rivalizar com Vince McMahon, o seu arqui-inimigo de todas as horas era também uma hipótese verdadeiramente interessante. Quando a isto se junta a equipa, que até hoje se tornou uma das melhores ideias de sempre na gestão de negócios, Paul Heyman + ECW, tudo estava escrito para ser a melhor coisa na história.

Claro que isto não aconteceu. A companhia recusou que Hogan, Goldberg e Flair fossem envolvidos, embora todos eventualmente regressassem à companhia. Sem grandes nomes o “angle” planeado não fazia sentido nem parecia tão grande quanto era desejado na altura.

Facto é que, talvez pelas ideias egomaniacas de Vince McMahon a Aliança WCW/ECW demonstrou-se e foi representada como algo o mais fraco possível. Apenas é certo para reafirmar que a WWE detinha a hegemonia e os melhores talentos estavam lá. No entanto, e como é de conhecimento geral, há apenas um homem que era WCW e ainda não trabalhou para Vince e a WWE, e que há rumores (como há todos os anos) sobre o seu possível ingresso na empresa: Sting.

Bem, aliado a isto tudo, problemas de escrita à pressa; algo que vemos actualmente como todos sabem, não terá ajudado nada, com Kurt Angle a ter heels e face turns sucessivos durante todo o “angle”.

Teve a sua importância? Sim.
Poderiam ter feito algo brilhante? Sim.
Fizeram? Não!

E para vocês, quais as maiores falhas de booking? Que mudariam nos resultados finais? O que acrescentariam a outras histórias?

Bom debate, e até para a semana!

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling, Diz Ele”.

23 Comentários

  1. Coisa - há 3 anos

    Falha de booking?

    Terem passado o Khali para um tipico low-mid carder quando este tinha uma grande personagem e bastante credivel (tempos de 2007), é certo que o seu talento não é o melhor, mas mesmo assim…

  2. don_ricardo_corlone - há 3 anos

    As maiores falhas de booking, para mim, foram:
    1) O filho ilegitimo do Vince McMahon;
    2) O fim da storyline damorte do Vince McMahon uma semana depois de começar;
    3) A storyline do Muhammad Hassan interrompida a meio com o seu consequente despedimento porque sim.
    Há muitas outras mas de momento não me recordo de todas.

    • DirtCrit - há 3 anos

      a storyline do Hassan não te esqueças que foi simplesmente no local errado à hora errada. O 11 de Setembro tinha acabado de ocorrer e a gimmick pura e simples não veio na melhor altura! :O

      • don_ricardo_corlone - há 3 anos

        Essa é a maior desculpa esfarrapada que já li/ouvi e é a que todos usam quase a desculpar a WWE por um dos seus maiores disparates de sempre.
        Após o 11 de Setembro, 11 de Março e outros do género, existiram e existem centenas de filmes e séries centrados no terrorismo, mas a WWE não pode? Sejamos honestos, a WWE não teve foi tomates para enfrentar os racistas que atacaram a WWE por ter um personagem árabe!

  3. danielLP21 - há 3 anos

    Todo o ano de 2009 lol

  4. "The Game" - há 3 anos

    Para mim uma falha no booking foi aquela storyline do GM anónimo.

  5. Senshi - há 3 anos

    O filho da Mae Young e do Mark Henry…

  6. joao pedro - há 3 anos

    Falhas de booking? Hm..
    Drew” the chosen one” Mcintyre,
    A criação dos 3mb, que ainda não entendi para que servem.
    Ryback- parte 1
    Ryback-parte 2..
    Ryback-parte 3
    Wade Barret, barragem mandada a abaixo.
    Dolph Ziggler, se alguem foi vitima de booking este senhor está lá.

    • don_ricardo_corlone - há 3 anos

      Concordo com tudo. Gostei da ideia dos 3MB: uma stable que é na verdade uma banda de hard rock, com uma atitude de rockstar, sem um lider ou uma tag team definidos. Penso que teria tudo para resultar, infelizmente acabou por ser mais uma falha de booking, porque rapidamente desistiram deles e passaram a ser mal bokados e a jobbar para todos. Acaba por não ser nada actualmente e um desperdicio para o talento do Drew McIntyre.

  7. Rúben Rosa - há 3 anos

    Bem a Invasion é bastante obvia
    Mas se tivesse que dizer alguma das mais esquecidas, provavelmente a “Reboot” da WCW em 2000 na Era do Russo

  8. Cadu Ito - há 3 anos

    Bem, escolhas são escolhas cada um tem a sua… mas pra mim, não ter usado todo starpower não quer dizer que a Invasion seja mau, muito pelo contrário, nos meus 23 anos vendo wrestling considero top 3 das storylines que já assisti.

    A do NXT também foi muito boa, com um final ruim, até pode ser… mas houve muito piores como a do filho do McMahon por exemplo.

    Sobre a escolha nº2 creio que foi apenas para deixar Kurt Angle com cara de WCW, mas com certeza não foi um dos melhores modos.

    Bom tópico!

    • Chazz Princeton - há 3 anos

      Concorco contigo, eles fizeram o melhor com o roster que tinham. o pessoal queixa-se de nao ter havido os top da wcw contra os top da wwf mas esquecem.se que os top da wcw eram maioritariamente velhos (no business) que nao iam dar muito mais de novo ao business (ainda por cima todos com a mania, daí a wcw ter caído), e por isso o vince (como +é mais inteligente que as pessoas que acham que a Invasion foi um fracaço)em vez de usar esses, preferiu criar as proprias estrelas, preferiu meter a sua empresa over , que é o que qualquer homem de negocios faz. e mesmo a storyline, penso que foi bem construida, e escolheram bem a maior parte das coisas. claro que houve uns erros, como o do angle , isso sim… mas enfim. agora, a Invasion foi muito bem pensada porque criou/solidificou estrelas que o Vince sabia que estavam a fazer bem o seu trabalho, em vez de estar a criar Hulk Hogans e etcs, que ja pouco tinham para dar, e mesmo os que tinham (Booker T e DDP, por exemplo), tiveram as suas oportunidades. os main eventers da wcw que nao foram main eventers na wwe, so nao foram ou porque nao conseguiram, ou porque a wwe nao precisava, ou por ambos xD.
      mas enfim acho que ja me desviei do tema original.
      concordo com os teus outros dois pontos,
      cump’s

  9. Jabardo - há 3 anos

    DirtCrit, de realçar que na sua estreia, os Nexus eram 8, esqueceste-te do Justin Gabriel. Depois é que o Bryan “foi expulso” dos Nexus e regressou como parte da Team WWE no SummerSlam.

  10. The Unbelivable Man - há 3 anos

    Huh… bookings super fail? Ok, aí vai minha listinha:
    Evolution vs Mick Foley, poderia ter sido muito bem explorada, mas, infelizmente não foi;
    Exploração mal feita da feud Angle e Austin, sinceramente, até o “banho de cerveja” na The Corporation na Attitude, foi “reproduzida” com um banho de leite, com Austin de Corporation Champion;
    Corporate Ministry, fusão hiper ultra mega fail dos restantes da Corporation e o Ministry Of Darkness;
    Hardcore Championship. De grandes matchs, incluindo Kane vs Raven vs Big Show na X7, Steve Blackman vs Shane O´Mac (com spot de queda da stage e tudo xD), passou a ser um belt de palhaçada, depois da regra do 24/7. Por favor, uma title match num parquinho pra criança?

  11. Chazz Princeton - há 3 anos

    Uma grande falha de booking foi o Damien Sandow , que *supostamente* é superior intelectual a todos nos, ter cashado a mala de uma forma parva, porque sim, o Cena tinha acabado de voltar de uma lesao, e o Sandow acreditava que ele estava aleijado, entao porque é que nao foi inteligente como o Edge, e fazer o que qualquer pessoa faria, que era cashar depois da Elimination Chamber, ou depois de outro combate assim estrondoso? enfim…
    acrescenta esta na tua lista xD

  12. Johny Man - há 3 anos

    Falhas de Booking:

    1- Anonymous Gm – eu esperava uma grande story, porém essa story se foi expandido por meses e chegou a um momento em que já ninguém ligava nada pois o computador estava nos show’s mas n haviam e-mail’s, a melhor coisa dessa story foi só o Michael Cole.

    2- Wade Barrett/Nexus: Na altura dos Nexus o Wade deveria ter sido o WWE Champion, porém acabou por ser destruido pelo lutador do costume, John Cena,a partir dai nunca mais souberam o que fazer com o Wade, já ganhou o IC várias vezes, mas nada de mais.

    • Coisa - há 3 anos

      Em 2010 o wade tambem colidiu com o orton…

      escapar às duas principais caras da companhia nao é facil…

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador