Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

Wrestling, Diz Ele #47 – Money In The Bank ’14

Ora bem mais uma semana de Wrestling Diz Ele, e esta semana, tal como já vos habituei, uma análise extensa, par e passo com o PPV do último domingo, Money in the Bank. Objetivos principais: retomar a excelência de PPVs e ultrapassar um Payback algo morto.

Ora bem, o Pre-show começou com o painel de comentadores algo “renovado” sob a lideração de Renee Young (que substitui Josh Matthews, entretanto despedido no findar da semana passada), Booker T, Christian Cage e Alex Riley. O painel procedeu a rever tudo o que iria acontecer de combates no PPV. De resto, de destacar os números estatísticos que estão à volta do PPV de Junho da WWE, e que dá nome a um dos combates mais intensos e atleticamente dotados da WWE (assim como as primeiras aparições de algum tempo de CM Punk, ainda que de costas). O curioso deste PPV é que temos dois combates Money in the Bank, um pelo Título Máximo da WWE e outro por uma oportunidade de se tornar campeão num futuro próximo. Para resumir: um PPV de mudança de maré.

Pois bem, números e comentários à parte, este pre-show não primou por nenhum combate (talvez por isso Summer Era vs Layla tenha ficado para o main-show e os Títulos de Tag Team terem sido defendidos no main-show também), mas sim por uma promo de Daniel Bryan. Fora alguns momentos, não aconteceu nada de novo ou que os fãs já não soubessem. De destacar apenas Bo Dallas a aparecer e ainda Bryan a afirmar que um dia “alguém irá aparecer e limpar o sorriso da cara de Stephanie McMahon”. CM Punk thoughts anyone?

Bem e pelo pre-show está tudo. Eis agora o que interessa mais.

A VT inicial contou com belos momentos e foi das melhores VT’s creio que a WWE já proporcionou este ano, com um desfecho que resume bem o que se tratou neste PPV: quem tornar-se-á o futuro? Pois bem e feitas as saudações iniciais, eis que o primeiro combate se iniciaria.

The Usos vs The Wyatt Family

E os Usos são os primeiros homens da noite a dirigirem-se ao ringue, naquele que é um combate entre atletas que já se defrontaram 500x mas que desta vez contam com os Títulos de Tag Team em jogo. De seguida Harper e Rowan entraram no ringue ao som de nova batida e com a criança do Extreme Rules em pano de áudio de fundo antes do clássico follow the buzzards. À mais de 100 dias campeões, e depois de derrotarem os New Age Outlaws, Jey Uso começou o combate com Luke Harper, de forma bastante rápida e com tags sucessivos. O combate sucedeu-se com a Wyatt Family a utilizar a força e agilidade características e não usuais para homens da estaturas deles, e os Usos a utilizarem a capacidade atlética e rapidez para tentar contra-atacar e esbater a diferença de “poder”. Verdade seja dita, estas duas equipas são, agora que os Shield se desintegraram, os New Age Outlaws estão fora de cena, são o que de melhor a WWE pode oferecer actualmente, e isto ficou denotado neste combate.

De destacar ainda a capacidade física e a boa combinação de movimentos de Jimmy Uso que teve oportunidade de singrar sozinho no combate, com tempo de homenagear ainda o seu pai, e ex-atleta da WWE Rikishi. Posto isto o combate rapidamente acelerou com os Usos a não conseguirem dar conta do recado à velocidade técnica de Harper (principalmente) que inclusive desferiu dois suicide dive nos irmãos legítimos e ainda um double cruxific powerbomb nos mesmos. Como resposta, os Usos não se fizeram tardar e isolaram Rowan para um double superplex. De qualquer forma, posto isto, e após uma sequencia de dois Diving Splashes os Usos reteram os Títulos de Tag Team. Pontos a reter disto tudo: a Wyatt Family apanha mais uma derrota; os Usos saem por cima com uma vitória merecida, bem lutada e a mostrar porque são os melhores do mundo na cena deles; um combate de Tag Team a lançar e a colocar o Money in the Bank com a fasquia elevada para o resto da noite.

Combate: 17/20

De seguida, a WWE optou por um recap na separação dos the Shield seguida de uma promo de Dean Ambrose, a primeira da noite.

Segmento: 19/20

Paige vs Naomi

paige

Surpreendentemente a WWE apostou no combate das Divas para o segundo combate da noite, naquele que é capaz de ser o desafio mais técnico e aliciante de Paige no main-roster até agora. Paige seguiu-se a Naomi nas entradas, e o combate iniciou e revelou desde cedo a capacidade de ambas as atletas. Naomi a desferir logo desde início um vaulting body press para fora do ringue (algo raro nas Divas) e o combate a prosseguir com alguns bons momentos técnicos, com apenas um botch de Paige/Naomi a acabar por interromper o clima do combate. Cameron apresentou-se contraproducente no combate, “á la tuga que não passa na Copa”, mesmo após Naomi aplicar o Rearview em Paige. Ora foi esta mesmo que após reverter uma manobra de Naomi aplicou um modified impaler DDT para a vitória e para reter, mais uma vez, o Título das Divas. De realçar: Naomi a mostrar-se uma das melhores Divas atuais da WWE; Paige a manter as vitórias com poucas manobras e com pouca visualização de repertório técnico que todos os fãs do NXT sabem que ela tem; e as Funkadactyles têm aparentemente o tempo contado.

Combate: 14/20

Os comentadores mandaram o main-show para o painel de comentadores com Christian, Alex Riley, Booker T e Renee Young. Já dei a minha opinião sobre este momento nos PPV’s no fim dos mesmos, surpreendentemente, no início do show creio que é uma melhor aposta, ainda que, mais uma vez, não defenda a inclusão nos mesmos, pelo menos com a estrutura que detém. Após algumas pseudo-perguntas e pseudo-análises a WWE voltou a mostrar a VT de números estatísticos do combate Money in the Bank, que já foi referido no início do artigo.
Segmento: 13/20 (mais do que nos outros PPV’s por desta vez ser uma boa inclusão em termos estruturais e não antes de um main-event que rompe demais com o formato)

Damien Sandow vs Adam Rose

E eis que um dos males em termos estruturais deste PPV começa a surgir que é, o de possuir histórias desinteressantes e mal construídas ou à pressa, e rivalidades sem sentido como é esta mesmo. Sandow vs Rose seguiu-se ao combate das Divas, com as habituais promos de Sandow, a gerar algum heat pelo público de Boston e ainda Rose a ter uma boa reacção, talvez a melhor em PPV’s até agora. O combate seguiu normal e infelizmente foi demasiado cómico para o meu gosto e o exemplo perfeito de como destruir um atleta na pessoa de Damien Sandow. Adam Rose servirá aparentemente para todos os buries que a WWE fará e a prova disso foi este combate, ganho por Adam Rose exactamente. Infelizmente para a WWE este combate simplesmente não deveria ter acontecido num PPV como o Money in the Bank. A ideia pode ter sido boa, mas nem todas as intenções deveriam ser realizadas.

Combate: 7/20

Posto isto, e após publicidade à WWEshop, JBL, Jerry Lawler e Michael Cole falam e anunciam que Bad News Barrett não vai poder lutar no Contract Money in the Bank Ladder Match, assim como quanto tempo estará fora de ringues. Os outros participantes deste combate seguiram-se em promos de 30 segundos típicas. A meu ver, foi uma boa jogada da WWE esta, curiosa e atípica na empresa.

Segmento: 16/20

WWE Money In The Bank Ladder Match

Lillian Garcia deu as regras do combate e os participantes seguiram-se para o ringue, na ordem referida no título prévio. O combate começou com Ambrose e Rollins a envolverem-se de imediato, ainda antes da campainha soar naquilo que era de prever. E a velocidade inicial do combate é memorável com Rollins a ser atirado sobre a bancada de protecção e Kofi Kingsotn a andar por cima de escadotes contra RVD e Swagger. Facto é que ter RVD e Kofi Kingston e Seth Rollins num combate deste só poderia dar em momentos highlight reel, e a prova disso mesmo seguiu-se vezes sem conta: exemplo 1 – Ambrose manda Kingston para fora do ringue atirando-o do escadote, sendo que este no percurso de cair salta nas cordas para um crossbody nos atletas fora do ringue; exemplo 2 – Ambrose aplica um double-arm hip toss num escadote em Rollins; exemplo 3 – RVD aplica um Rollin Thunder em Rollins deitado sobre um escadote na primeira corda; exemplo 4 – Jack Swagger aplica um Powerbomb do escadote em RVD; exemplo 5 – Ambrose aplica um Superplex do Escadote em Rollins. Mais à frente do combate, Ambrose foi retirado do combate devido a uma eventual lesão no braço e a partir daí parecia que Rollins ganhava até ser interrompido por RVD e Kofi Kingston.

Mas a partir dai os exemplos continuaram: exemplo 6 – back body drop de Kofi Kingston em Rollins de cima de um escadote para outro escadote, naquele que foi a meu ver o momento do ano até agora em termos de combates e sem dúvida futuro nomeado para os Slammys; exemplo 7 – Zig Zag de Ziggler num escadote. Na recta final, Rollins impediu Ziggler de ganhar com uma cadeira no tornozelo onde Swagger aplicou um Ankle Lock segundos antes, sendo que este foi de seguida impedido por um regresso de Ambrose que com uma cadeira teve a sua vingança merecida. Isto até Kane aparecer do nada e impedir que Ambrose ganhasse com um Chokeslam e um Tombstone Piledriver o que relançava o combate mais uma vez. Segundos depois, Kane segurou o escadote e Rollins tornou-se o mais recente vencedor do contrato, válido por um ano, por uma oportunidade pelo Título Mundial de Pesos-Pesados da WWE. A reter: Rollins, Kingston e RVD são excelentes atletas e este último ainda tem muito para dar à WWE sem dúvida absolutamente nenhuma, e quem diz à WWE, diz ao wrestling profissional; Ambrose a destacar-se num combate atípico para o estilo que possui; no final do dia, a WWE destacou o futuro e Ambrose e Rollins foram perfeitos nessa função. Por fim, Triple H e Stephanie McMahon desceram à plateia e congratularam Seth Rollins.

Combate: 18/20

Bryan Saxton deu uma entrevista a Randy Orton de seguida sobre o próximo combate Money in the Bank, desta vez pelo Título que jurou que ia sagrar-se campeão.

Segmento: 14/20

RybAxel vs The Golden Brotherhood

Após o frenesim que foi o combate anterior, Ryback e Curtis Axel desceram ao ringue seguidos daquela que eu acho a equipa mais interessante e possivelmente refrescante na WWE. Em primeiro gostava de dizer que desculpem me lá mas acho a personagem de Stardust, a nova gimmick de Cody Rhodes, uma das mais interessantes actualmente e o melhor é que ele faz melhor papel como Stardust que como Cody Rhodes, somente. O combate serviu para isso mesmo e enaltecer Stardust. O combate prosseguiu normalmente e típico de um combate Tag Team com Rybaxel a dominar Goldust a meio do combate apenas para tudo se revirar novamente com a entrada de Stardust. Stardust aplicou Cross Rhodes ou, neste caso, Cross Dust, em Ryback sendo que Axel impediu a vitória da equipa dos douradinhos Iglo. Pelo menos nesse instante já que depois de alguma confusão intra-Rybaxel, Stardust com um schoolboy pin em Ryback ganha o combate. Posteriormente, Axel passou-se e atacou Stardust apenas para receber um flapjack-onto-DDT da irmandade dourada.

Combate: 14/20

Bray Wyatt é o cabeça-de-cartaz da promo para o Battleground do próximo mês da WWE e foi isso mesmo que a WWE trouxe, uma promo “á la Wyatt Family”.

Depois de um recap sobre a rivalidade entre Summer Rae e Layla, com Fandango à mistura, o mesmo foi entrevistado por Saxton, numa típica entrevista à Monday Night RAW/Friday Night Smackdown.

Segmento: 5/20

Rusev vs Big E

rusev

E de seguida, um rematch do que se passou no último PPV com Rusev e Lana a serem os primeiros a se deslocarem para o ringue, seguidos de uma promo mais que apropriada e bem executada de Lana. Big E seguiu-se-lhe, pró-americano mais uma vez, e conseguiu a vantagem no início do combate. Sou da opinião que Rusev poderia brilhar desde que lhe tirem de uma vez desta rivalidade com Big E e parta para algum Título Secundário da WWE, ou seja, o que Rusev necessita é de uma história credível e rápido. Este, ainda assim, é capaz de ter sido o combate mais longo de Rusev e onde este “sofreu” mais. De destacar ainda um combate equilibrado entre ambos, com um Spear entre cordas para fora do ringue de Big E em Rusev (pela segunda vez após o Payback). Ainda assim, Rusev aplicou o Acolade, apesar de Big E praticamente ter-se conseguido safar da manobra, num determinado momento.

Combate: 12/20 (acima dos 9.5 do Payback)

Mais uma vez, a WWE voltou ao painel de jurados após um “intervalo”, e mais uma vez, repito, paragens antes do main-event não. De qualquer forma, se tivermos em conta que já foi realizado um no inicio do PPV, tenho que admitir que desta vez, e neste formato, até pode ter funcionado. Ainda assim, este é um conceito que creio que a WWE terá de repensar, eplo menos em termos estruturais, e ter cuidado de quando o coloca.

Segmento: 13/20 (igual ao anterior em termos de pertinência de perguntas e os atletas eram os mesmos comentadores, portanto, a mesma pontuação)

De seguida, Stephanie McMahon deparou-se com as Bella Twins, e foi a ocasião mais que perfeita para a WWE voltar a mostrar o grande momento da semana passada com Stephanie a roçar-se na lama. Como fã, devo confessar que Brie Bella vs Stephanie McMahon para o Summerslam seria um grande advertisement, mas pronto.

Segmento: 14/20 (se não fossem as performances das Bella Twins…)

Summer Rae vs Layla (árbitro: Fandango)

layla

Bem, eis o combate do género “não sabemos o que vamos fazer e como o Bryan está no pre-show ora pumbas”. Summer seguiu-se a Fandango e Layla (com uma máscara sabe-se lá porque). Lillian Garcia com um pequeno botch e o combate iniciar-se-ia. Bem em termos técnicos, já sabemos o que esperar de um combate neste contexto, mas valeu pelo alívio cómico-sensual de ambas as Divas para com Fandango. De qualquer forma, e pela primeira vez na noite, cânticos de CM Punk fizeram-se ouvir (o que deve ser um remarco para a WWE, visto que por algum motivo houve abertura para os fãs começarem sequer). Layla aplicou um high kick e a música antiga de Michelle McCool soou para uma vitória de Layla.

Combate: 5/20

E mais uma VT, possivelmente a última com um recap do último combate da noite – o Money in the Bank Ladder Match.

WWE World Heavyweight Championship Ladder Match

cena

Antes dos participantes, a Autoridade – Triple H e Stephanie McMahon – deslocaram-se ao ringue para assistir ao combate bem perto do ringue. Os participantes desceram ao ringue pela ordem em que estão no título e eis que o combate começou. De destacar que este combate tem três indivíduos que necessitam de recuperar o mojo de outros tempos como Bray Wyatt, Randy Orton e Alberto Del Rio; dois membros da Autoridade Randy Orton e Kane; três futuros da WWE Cesaro, Bray Wyatt e Roman Reigns; e quatro da velha guarda Kane, John Cena e Sheamus e Randy Orton. De qualquer forma, o combate prosseguiu de forma mais parada que o anterior mas ainda assim bastante concentrado e intenso, com as rivalidades a denotarem-se desde cedo. Sem qualquer dúvida este foi um combate mais pausado com Kane a dominar nos primeiros instantes, e com a Autoridade/Roman Reigns a denotar-se como a história principal. Aparentemente, Randy Orton lesionou-se a meio do combate (ao levar acidentalmente com um escadote na cabeça a meio de uma queda) ainda antes de John Cena voltar a ter a primazia do combate até ser interrompido por Cesaro, altura em que o combate começou a acelerar. Ora a reter, apenas o facto de que este combate viveu muito mais da história e das rivalidades entre os indivíduos e de uma tensão e ansiedade crescentes do que o outro combate. Assim, falamos de menos “high-flying” e mais técnica e força.

Ainda assim, tivemos momentos interessantes como um spear fenomenal de Reigns em Kane, e uma encruzilhada de escadotes cruzadas de Reigns que deram um belo momento de televisão principalmente com Cesaro e Sheamus no cimo destes. Pois bem, este combate teve direito a tudo, Chokeslams, Superman Punches, Brogue Kick, Celtic Cross, Impaler DDT, Spears, Spider Moves e ainda um belo momento com John Cena e Roman Reigns face-a-face, ganho por Reigns aparentemente após um spear. De seguida ainda de destacar um Sister Abigail de Wyatt em Orton para deleite dos fãs, embora pouco duradouro após um enzuguri de Alberto Del Rio; de seguida Sheamus aplicou Brogue Kick e “fez-se” aos títulos sendo interrompido no entanto por Cesaro que lhe aplicou um uppercut e um Neutralizer. Posto isto, um Orton bastante sangrento apareceu do nada e aplicou um RKO num Cesaro a cair do escadote, num grande momento deste combate. Reigns parou Orton e foi parado por Kane e tal como no primeiro combate, Kane parecia que ia entregar os Títulos a Orton até que John Cena parou ambos com um AA, subiu o escadote e tornou-se Campeão da WWE pela 15ª vez.

Combate: 16/20

Muitas questões se levantam daqui, e como tal, esta semana a WWE vem apresentar um produto mais uma vez renovado. Se foi um PPV de surpresas? Não. Seja como for, existem aspetos a reter:

1. WWE a não permitir a Paige, ou Paige a não demonstrar o potencial que se verificava no NXT, daí as reações não tão efusivas.

2. Bray Wyatt e a Wyatt Family a perder novamente.

3. Usos, Dean Ambrose, Seth Rollins a meu ver a saírem por cima neste PPV mostrando uma grande capacidade técnica e entrega fora do normal.

4. John Cena campeão pela 15ª vez enquanto plano B da WWE para aguentar a lesão de Daniel Bryan, o que foi uma jogada segura dado que com a saída de CM Punk, Cena é quem vende mais a par de Bryan.

5. PPV algo esquecível, e nem por sombra de dúvidas memorável com muitas pontas soltas, nada orgânico e dinâmico-causal.

Posto isto, vamos a contas, no todo aplicando 75% aos combates e 25% aos segmentos eis:

Money in the Bank: 12/20

(reparo: a média deste PPV foi de 13.0125 enquanto que no Payback praticamente chegava aos 14, apesar de ambos terem sido conotados com 13/20. Em termos aritméticos podem ser semelhantes, em termos de qualidade já há que atender ao número de combates nos PPV’s, bem como ao efeito geral do PPV que é claramente distinto. Deste modo, e devido a achar que exceto o combate pelo contrato Money in the Bank o PPV desapontou, retirei um valor pelo efeito geral no público + efeito surpresa + qualidade geral).

Que acharam deste Money in the Bank? O que alteravam? O que mudariam se vos fosse dada a oportunidade de falar?

Até para a semana :)

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling, Diz Ele”.

15 Comentários

  1. John_3:16 - há 2 anos

    O unico resultado que eu esperava e nao se concretizou foi a layla ter ganho a summer mas pronto, de um modo geral o ppv foi muito bom.

    • DirtCrit - há 2 anos

      achaste que o PPV foi muito bom? A meu ver foi demasiado previsivel, sem impacto, sem surpresas, com combates muito de qualidade semanal, e com apenas um combate mais de excelência que foi o Contract Money in the Bank Ladder Match e o combate pelos Títulos de Tag Team logo no início…

      • John_3:16 - há 2 anos

        Eu gostei do ppv mas respeito que tenhas achado isso

      • DirtCrit - há 2 anos

        eu também respeito a tua opiniao logicamente! Mas por exemplo comparado com a pós-RAW e com o Extreme Rules passado acho que pecou em defeito!

      • John_3:16 - há 2 anos

        Mas achei este raw melhor que o money claro

  2. Rapaker - há 2 anos

    A este PPV dava 15/20.
    Pelo o que vi so o combate da Layla vs Summer Rae e Damien Sandow vs Adam Rose estavam muito abaixo do que foi o PPV.
    De resto, promos e combates a grande nivel.

  3. Tiago Cena - há 2 anos

    Um bom PPV a meu ver,os combates tiveram imensa qualidade,excepto combates a eu ver patéticos layla vs Summer Rae e Damien Sandow vs Adam Rose mas de resto otimo

  4. Hildo - há 2 anos

    Foi um PPV previsível. A meu ver apenas 2 combates de boa qualidade, Usos vs Wyatt Family e MITB pelo contrato.
    Eu daria mais tempo para a Paige mostrar o seu valor no ringue…. Se bem que agora com essa rivalidade com a AJ, espero que a WWE deixe ela mostrar mais, pois tem tudo pra ser uma feud excelente.

    • DirtCrit - há 2 anos

      Concordo contudo o que disseste! E acrescento, com esta RAW vai ser curioso ver como Paige se dará como heel e talvez se bem jogado veremos mais do arsenal da rapariga. Pareceu pelo menos com o que ela mostrou em simples minutos do combate. Quanto a AJ, jogada inesperada e brilhante da WWE, e sem dúvida, a utilizar os beneficios de que todo o Universo da WWE sabe que ela e CM Punk estão noivos para a tornar babyface. Apenas lógico, mas belo move da WWE. 5 ***** a meu ver!

      • Hildo - há 2 anos

        Exatamente! Bela jogada da WWE, espero que dê uns 10 minutos para o combate delas no Battleground/ Summerslam , vai ser bem interessante acompanhar a feud entre essas duas.

  5. DirtCrit - há 2 anos

    Eu ainda acrescentava Big E vs Rusev e mesmo RybAxel e Stardust e Goldust a esses lotes. Mesmo o MITB pelos Títulos não foi nada de por aí além :/

  6. Julio - há 2 anos

    PPV previsível bem parecido com o PayBack e digo mais só 3 combates foram bons
    Usos vs Wyatt Family a luta da Mala e Paige vs Naomi que foi um combate bom de Divas. Acho que você viu a RAW a AJ retornou e possivelmente vamos ter AJ vs Paige.

    • DirtCrit - há 2 anos

      Sim vi, e concordo com o que disseste! AJ vs Paige e especialmente com um aparente double-turn de AJ e Paige, talvez as coisas fiquem melhores para Paige, e para a divisão Feminina! A ver :)
      A bem dizer, o pós-RAW teve tudo o que este PPV não teve: fator surpresa, falta de previsibilidade e bons momentos ao longo do show.

      • Julio - há 2 anos

        As Raws pós PPV tão cada vez melhores

  7. Tunes9 - há 2 anos

    Bom artigo, uma análise interessante, Parabéns! DirtCrit. :-)

    Concordo com praticamente tudo, muito bom.

    Quanto às perguntas:

    Que acharam deste Money in the Bank?

    Eu gostei, mas foi um PPV algo previsível e faltou alguma emoção, tirando os combates principais, o resto foi “entulho”, mas gostei dos combates MITB, do Usos vs Wyatts e do combate de “Divas”, a Naomi surpreendeu-me, eu já gostava dela e achava que era uma excelente atleta, mas gostei da sua prestação, a Paige cumpriu bem.

    O que alteravam?

    Fácil, não punha o Cena a vencer, eu sei que é a melhor escolha para um reinado curto, mas se pudesse alterar, escolheria o Reigns ou Cesaro, mas aceita-se, depois tirava alguns combates do card (Layla vs Summer Rae e Adam Rose vs Damien Sandow), de resto, não mudava mais nada, aliás, talvez desse os títulos de Tag Team aos Wyatts, mas devem vencer noutro PPV.

    O que mudariam se vos fosse dada a oportunidade de falar?

    Basicamente o que disse na pergunta de cima, não estou a ver mais nada de especial, se calhar punha o DBryan a falar no inicio do PPV e o combate Layla vs Summer Rae no pré-show.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador