Wrestling, Diz Ele #55 – O que o NXT tem de melhor!

A WWE bem o diz, e pelo que temos vindo a ver é bem capaz de ter razão. O futuro é agora! E foi esse mesmo o som que quebrou qualquer barreira e parede da Full Sail University, onde normalmente o NXT é gravado, e onde, na passada quinta-feira os talentos do NXT deram o seu melhor para mostrar que o novo slogan da companhia acenta que nem uma luva. Esta semana, trata-se de falar exactamente disto, do Nxt.

Como muitos têm dito, nos últimos tempos a WWE tem oferecido um produto algo deficietário onde o único programa que vale verdadeiramente a pena assistir é o WWE NXT, às quintas-feiras, no WWE Network (yeah right), por apenas $9.99. Ora, o NXT como sabem passou de uma ideia algo ridícula de reality-show sem qualquer ponta de reality/talento, e má executada, para uma das melhores coisas que alguém como Paul Levesque podia ter pensado (aliado ao Performance Center). No fundo, os talentos que passavam na já extinta FCW – Florida Championship Wrestling – passam actualmente para o Performance Center e de seguida para o NXT e só depois para o main roster da WWE.

Claro que tudo isto não veio sem polémica e em 2013, alguns wrestlers que foram despedidos vieram a público afirmar que algum treinador do NXT assediava sexualmente os talentos femininos (ai ai Trent Barreta, abriste a boca para que?), sendo que outros acabaram por afirmar que Bill DeMott utilizava expressões homofóbicas, partindo paus nas costas dos atletas em desenvolvimento e inclusive, retirar uma arma durante os treinos. Se isto foi apenas algo infundado por talentos maldispostos e com vontade de vingança, ou se era efectivamente a realidade, provavelmente não se saberá, mas publicidade é de facto, publicidade.

E de facto, mal por mal, facto é que o NXT actualmente tem um roster que por si não dá a mínima hipótese a qualquer outra companhia de wrestling profissional. Este roster em si já deu provas a 27 de Fevereiro no primeiro especial de duas horas – o NXT Arrival – que foi criticamente aclamado por toda a comunidade e críticos de desporto, ao que se lhe sucedeu mais duas edições do NXT Takeover.

Pois bem, na quinta-feira passada, a segunda edição ocorreu e são muitas as conclusões e os atletas que se esmeraram e possivelmente abriram os olhos a muita gente. Vamos lá fazer o countdown do que conclui.

1 – Divisão de Tag Team

A Divisão de Tag Team da WWE, no main roster, prende-se com um Big Show/Mark Henry que já nem sei se ainda fazem equipa visto que o enfoque tem vindo a ser colocado em Rusev vs Henry; na Wyatt Family, que também está fora do baralho e tem vindo a ser massacrada pelo booking; os Usos, actuais campeões de Tag Team; Goldust e Stardust, que são das melhores surpresas que a WWE poderia ter dado, e que ao contrário de muitos, eu defendo como sendo das melhores coisas que poderia ter acontecido aos dois elementos; Slator Gator e Los Matadores que nem sequer se destacam na divisão, quanto mais competir pelos Títulos. Pois bem, posto isto no NXT existem cinco equipas que eu acho que vêm eventualmente ajudar e muito na Divisão de Tag Team. Em primeiro falo de Vaudevillains e os Les Legionnaires, que para mim têm as gimmicks perfeitas e que podem fazer destes daquelas Tag Teams à “old-school” que toda a gente adorava e ainda hoje nos relembramos (La Resistence, LOD, e afins…). Mais ainda, é de estacar a equipa de Big Cass e Enzo Amore que têm das melhores reacções pelo público do NXT e que bem trabalhados podem ser outro caso de sucesso e ainda logicamente Lucha Dragons e os Ascenscion. Os primeiros, acredito que são uma autêntica lufada de ar fresco no wrestling profissional da WWE, mas por outro lado sinto ainda uma quebra de ligação entre fãs e eles próprios, no sentido em que falta algum carisma vá; algo que Viktor e Konnor têm mais do que em demasia. Já todos o sabem, e todos o querem, ambos têm de dar entrada no main roster o mais breve possível, e aqui as possibilidades são mais do que imensas.

2 – Main-Event Status

Eu ainda sou de opinião que existe muito que a WWE tem de trabalhar a nível criativo. E goste-se-ou odeie-se eu acredito que a nível criativo a WWE tem de se aproximar mais da realidade e da essencialidade do que é a vida para tornar as histórias mais credíveis. Cada atleta acaba por ser um ator, tão simples quanto isto, pelo que cada um tem um papel que acaba por desempenhar de forma mais ou menos exemplar. E é nisto que a WWE falha, porque não consegue criar histórias perfeitas entre os diversos atores a maioria das vezes. E é por isto, que depois acabamos por ter atletas como Cesaro, Paige, Bray Wyatt e a Wyatt Family, que acabam por singrar no NXT mas que depois ao passar ao main-roster e main-event acabam por falhar, não por incompetência dos mesmos, mas por entre o NXT e a RAW/Smackdown existirem pontes que a WWE ainda não conseguiu quebrar ou descobrir quais são sinceramente. Isto, aparentemente pode estar a tentar ser quebrado com os talentos do NXT a aparecerem nos episódios da RAW (se tal se vier a confirmar), ainda que isto tem de ser bem executado ou pode não trazer rigorosamente mudança nenhuma. E será possivelmente este problema que Sami Zayn, Adrian Neville, Tyler Breeze e Tyson Kidd terão. Este útlimo por exemplo, chegou a ser retratado de determinada forma no main-roster para nas quintas-feiras ser quase que a face do programa e isto simplesmente NÃO FAZ SENTIDO NENHUM!! Os outros atletas são talentosos, sem dúvida, senão não estavam na posição em que estão mas isso não é nenhum impedimento para se ser abafado na WWE.

3 – Divas Divas Divas

Aqui é onde a WWE deveria avançar de forma mais segura. Sim, poderia ser mais rápido mas a Divisão das Divas já teve/tem erros o suficientes para lidar com mais fracassos. Paige começou mal e isso foi um grande abre-olhos para a WWE, que apenas começou a encarrilhar outra vez quando AJ apareceu (por graças a Deus). Deste modo, todas as divas da WWE cumprem o seu propósito, as Bellas estão na melhor fase da vida delas, Eva Marie cumpre o propósito de não saber lutar e toda a gente saber disso (Candice Michelle da nova década), Natalya é a veterana que toda a gente sabe que eleva toda a gente quando devia ser ela o destaque; e afins… Pois bem, Charlotte já se sabe que irá tornar a Divisão mais interessante, e possivelmente Bayley e Sasha Banks serão as próximas, mas tirando isto onde estão as opções? Não há. E é aqui que a WWE tem de investir, a ROH tem sido altamente licitada pela WWE quase, pelo que organizações como a Shimmer deveriam estar a ser altamente procuradas pela WWE. Existem determinados vícios das independentes é certo, mas para isso a WWE construiu o Performance Center e tem o NXT. Seja de que forma for, um destaque apenas para Bayley que mostrou quinta passada que é mais do que uma bubbly face, e deu um autêntico show contra Charlotte.

4 – Os outros casos

Depois, por fim, temos de tudo. Temos casos como Mojo Rawley, CJ Parker, Tye Dillinger e Wesley Blake que eu acho que dificilmente serão ou terão uma boa jornada na WWE, mas temos casos também em que eu tenho algumas reservas a não ser que tenham a gimmick certa, a entrega perfeita, e a sorte necessária sem qualquer dúvida. Desta forma, penso que os mais sortudos serão possivelmente Bull Dempsey e, após quinta-feira e de forma surpreendente, Baron Corbin. Pois bem, para além destas forças pesadas, há ainda que a atender aos outros casos, bem maiores e com possivelmente mais impacto se se derem bem com os ares da WWE, e com o “engolir o saco” da WWE. Falo claro de Kevin Steen (que pode ser uma coisa se manter a maioria dos seus moves e outra coisa se não manter praticamente nenhum), Prince Devitt (que pode ser uma coisa se manter aquilo que lhe é característico ou outra coisa se tal não acontecer) e por fim Kenta, ou desculpem, Hideo Itami que passou para um ring name tão complicado que até à Wikipedia tive de ir confirmar. Logo por aí é lógico algo: a WWE quer afastar a ideia de Kenta já ser um atleta consagrado internacionalmente, apesar de saber que a própria figura de Kenta vai trazer mais audiências e números à WWE, mas que ainda assim será de agora em diante um produto da WWE. Uma coisa é certa, e segundo os mais recentes rumores, o rapaz está a tentar.

Pois bem, e é isto, a mais pura das verdades, e o que o futuro nos trás. É promissor? É! É preciso trabalho interno? É! E muito poderia ser feito sem grandes custos.

That’s the truth, até para a semana ;)

Sobre o Autor

Foto de perfil de Facebook
- Fundador e administrador do Wrestling.PT. Acompanha a modalidade desde 2005 e pratica no Wrestling Portugal desde 2008.

17 Comentários

  1. CarecaPT - há 2 anos

    Só espero que não estraguem o Kevin Steen

  2. Roberto "THE VIPER" - há 2 anos

    Belo artigo :)

  3. DirtCrit - há 2 anos

    Muito obrigado :) Amanha vê o Perguntas e Respostas :)

  4. Insane Dwane - há 2 anos

    O que mais me deixa chateado é o facto de a WWE poder evitar todos ou grande parte dos problemas que nos faz odiar a forma como eles estão a gerir as coisas.
    Vejam as Divas por exemplo. O que é que alguem como a CAMERON (que já agora tentou um pin nas costas da Naomi) está a fazer na WWE? Porque motivo não podemos ter combates como Bayley vs Charlotte no Main Roster?
    Outra coisa. Qual é a logica de fazer um combate entre o Rollins e o Reigns dias antes do combate no NOC?
    ISTO É RIDICULO.
    Agora vejam o NXT. Pegaram no Sin Cara e melhoram-no, fizeram o melhor main event do ano em qualquer PPV de 2014 na WWE.
    Eu vejo NXT como a nova e mais promissora fabrica de wrestling do mundo.
    Se eu tivesse de escolher entre começar no MNR e começar no NXT, eu escolhia o NXT.

  5. Flávio Bruniera - há 2 anos

    Boa análise, Dirt!

  6. Hildo - há 2 anos

    Excelente artigo. o Roster do NXT é de fazer inveja a qualquer compania, a qualidade é excelente, estão muito bem servidos, pena que nem sempre as coisas sai em perfeição, e a WWE por vezes estraga uma boa gimmick….

    • DirtCrit - há 2 anos

      É como em tudo, há vezes em que tu a cozinhar a comida sai boa, outras vezes ou sai mal passado ou sai cozido demais :/

  7. IMTH3L3G3ND - há 2 anos

    Aplausos para este rapaz. GRANDE artigo :D *clap* *clap* *clap*

  8. DirtCrit - há 2 anos

    Ai é que está. Passa-se algo de muito errado com o booking do main-show porque ate um squash no Takeover sobrepos-se a alguns combates sem nexo que a WWE faz nos shows semanais de segunda e sexta. Quanto a Cameron, tem de haver sempre Divas que não saibam o que fazem, nao nos vamos esquecer que é um produto de entretenimento que a WWE procura.
    Falaste no Sin Cara mas outro exemplo é Tyson Kidd por exemplo que está melhor no NXT do que alguma vez teve no main.show, desde pelo menos quando estava na Hart Dynasty…

  9. filipe - há 2 anos

    faltou falar de Emma… o que aconteceu a rapariga?!? Onde está aquela que teve um excelente combate de 10 min com paige no nxt?!? e perdeu-se outra diva com talento..

    O mais importante que tem de ser feito como mencionaste é a ponte entre nxt e “wwe”. Fazer com que as pessoas vejam nxt e que conhecem os lutadores qd subirem… o que aconteceu a Big E? Nunca se viu o 5 count dele .. Bo dallas teve de começar de novo… etc etc… sami zayn apesar do talento imenso se nao for bem introduzido vai ser mais um para elevar os meninos bonitos de Vince… A estreia de sami zaym até é simples: feud logo com Cesaro para mais combates de 5* e o publico fica a adora-lo… Neville so o estilo o pessoal fica louco.. Breeze tb será complicado singrar… Vince é um gajo complicado que so vê Cena a frente…

  10. Don_Ricardo_Corleone - há 2 anos

    Não concordo muito em alguns pontos. O NXT inicial tinha talento, tinham outros piorzinhos ou sem talento nenhum mas tinha talento, alguns que não foram aproveitados como deve ser, a ideia nem era má mas foi mal executada com aqueles desafios idiotas. Esgotou depressa principalmente quando as temporadas tinham pouco tempo entre si e quando vimos o Wade Barrett e os Nexus serem enterrados pelo Cena e a WWE a não saber o que fazer com o Kaval. A partir daí é que foi sempre a cair e nem a WWE sabia muito bem o que fazer com aquilo. Ainda sim o talento estava lá em nomes como Wade Barrett, Daniel Bryan, Kaval, Curtis Axel, Heath Slatter, Justin Gabriel, Husky Harris (Bray Wyatt), AJ Lee, Kaytlin, Johnny Curtis, Derrick Bateman, ou Conor O’Brian.
    Também não concordo que aquilo seja bom para o Cody Rhodes ou minimamente interessante, mas isso é outra história.
    Por fim, não é que a WWE falhe na transição. O que acontece é que a WWE está numa grave crise de criatividade no roster principal, além disso o Vince McMahon claramente está velho de mais para este trabalho e desiste deles demasiado facilmente, muda de ideias cada vez que vai à casa de banho e ainda temos os tradicionais problemas de um mid-card sem credibilidade, Divas ao Deus de ará, um main event congestionado e uma enorme incompetência em dar credibilidade aos seus wrestlers e consequentemente em criar estrelas.

    Não há duvidas que a equipa criativa do NXT é mil vezes superior à do RAW e Smackdown e aí reside o principal problema.

    Com tanto talento que vejo no RAW com Bray Wyatt, Roman Reigns, Seth Rollins e Dean Ambrose, juntando aos bons main eventers já existentes como são o Daniel Bryan e o Randy Orton, contando com o Brock Lesnar apesar de aparecer quando lhe apetece, vendo o talento do NXT em main eventers natos como são o Tyson Kidd, Tyler Breeze, Adrian Neville e Sami Zyan, a WWE tem de pensar na brand split, ou irá desperdiçar muito talento, como sempre.
    Bom artigo.

  11. DirtCrit - há 2 anos

    Quanto ao NXT inicial, foi o que defendi no artigo, os atletas que entram na WWE tem de ter alguma coisa, senão não punham um pé que fosse lá dentro não é? Agora, acho que comparado com o produto do NXT de agora, acho que os talentos que se vê são em muito superiores e têm mais capacidade de se mostrar e treinar como deve ser. Agora, como bem disseste, sem qualquer sombra de dúvida, a crise de criatividade é enorme no roster principal, e é por esta razão mesmo que acho que há grandes problemas de transição. Senao repara, no NXT tens uma equipa criativa que aparentemente sabe o que faz, e se a do roster principal não continua o trabalho e opta por fazer outras coisas (como casos de Big E ou Bo Dallas, ou como referi, o caso de Tyson Kidd que às segundas era esquecido e as quintas era, supostamente, o atleta mais perigoso do NXT) isso acaba por prejudicar.
    Defendes a brand split então?

    • Don_Ricardo_Corleone - há 2 anos

      Acho que a WWE está a entrar numa fase em que tem enorme talento, sem a brand split não sei como a WWE poderá funcionar sem desperdiçar todo esse talento mantendo os main eventers que tem e ainda recebendo os que estão à porta. Não acredito muito mas para ter a capacidade de ter todo este talento a funcionar e aumentar a sua qualidade não vejo outra alternativa que não o brand split e a separação dos WWE World Heavyweight Championship.

  12. John_3:16 - há 2 anos

    Gostei do artigo parabéns DirCrit.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador