Wrestling For All #39 – Knockout Division em 2014

Primeiro pedir desculpa por não ter postado esse artigo semana passada, o meu computador quebrou e acabou que não pode escrever ele, agradeço a todos os comentários no último artigo.

Vamos ao que interessa como tinha falado no último artigo, essa semana irei comentar sobre a divisão feminina da TNA, o que podemos esperar do 2014 de uma companhia que sempre valorizou a divisão feminina, que  aprendeu a ver como parte relevante da companhia, mas primeiro fazer uma rápida retrospectiva de 2013.

A TNA no começo de 2013, já começava a ter o problema que se agravou no 2° semestre, o roster da divisão feminina era pequeno, e apesar de ter tido algumas boas feuds, com boas lutas acontecendo durante todo o ano, acabava que os nomes se repetiam. Por exemplo, vimos o nome da Gail Kim envolvida em feuds com todas as knockouts do roster.

O começo do ano começaria com Tara como campeã já carregando o Knockout Championship há alguns meses, mas logo em Janeiro ela perderia o título para Velvet Sky, que começaria seu 2° reinado como Knockout Championship.

Mesmo com a mudança de título percebíamos que as feud eram repetitivas, e aconteciam novamente em pouco tempo, inclusive a melhor feud da Knockout Division, foi sem valer o título, entre Gail Kim e Taryn Terrell, gerando duas lutas espetaculares.

Por sinal Taryn foi a grande surpresa do ano de 2013, ninguém esperava nada dela, sinceramente era um que de começo achava que ela era só mais uma cara bonita, que no máximo chegaria ao nível de uma Brooke, que vale ressaltar melhorou muito quando chegou na TNA, mas provavelmente seja a wrestler mais “fraca” do roster. Como já disse em alguns artigos passados, a TNA tem algo diferente no treinamento da divisão feminina, porque se você pegar Taryn da TNA com a Tiffany da WWE, você vai perceber a diferença, e não é só por causa de experiência.

Voltando a falar da feud Taryn e Gail Kim, ela foi construída durante meses, desde da época que Taryn era referee que as duas se desentendiam, com inclusive tendo contato físico entre ela, até finalizar a feud naquela Last Knockout Standing Match no Slammiversary, eu já perdi as conta de quantas vezes já comentei essa feud nesse espaço.

Saindo da melhor feud do ano na divisão feminina, voltamos ao título, Velvet Sky se machuca devido a um ataque de Gail Kim, e Mickie James começava a agir de modo diferente, depois de perder uma luta contra Velvet, mesmo atacando a perna machucada de Velvet várias vezes, naquele momento já falava que estávamos próximo a um heel turn de Mickie James, algo que não acontecia desde da feud com Trish Stratus, dito e feito, Mickie completa o heel turn e vence Velvet Sky. Mickie teve um reinado interessante e fez um bom trabalho como heel, mas não continuou na companhia, já que a TNA teve que cortas gastos e Mickie não aceitou a proposta feita pela companhia dos Carters e perdeu o título para ODB no Impact do dia 12 de Setembro.

Sem a renovação de Tara e Mickie James e com Taryn e Madison afastadas por causa de gravidez, o roster da divisão feminina ficou escasso, com somente 4 Knockouts para participar da divisão, e ainda duas (Brooke e Velvet Sky) envolvidas em outras feuds.

Mas em outubro uma nova wrestler estrearia, vindo da OVW e também ganhadora do Gutcheck, Lei’D Tapa faria seu debut atacando Velvet Sky, no Bound For Glory ela ajudaria Gail Kim a conquistar o título que pertencia a ODB e desde de então vem sendo a guarda costa de Gail. O que falar sobre Tapa ela é um tipo raro no wrestling feminino, ela tem físico para ser uma heel dominante, só acho que ela precise melhorar em ringue, às vezes ele é um tanto atrapalhada, no sentido de cometer alguns botchs, mas vem mostrando ser uma boa adição ao roster e vem fazendo um bom trabalho como heel.

Eu esperava agora dizer que acreditava que Gail Kim manteria o título até Taryn voltar, mas fui surpreendido pela vitória de Madison Rayne no Genesis, ainda mais depois do ataque antes da luta, achei que o ataque era para fazer com que a feud continuasse, mas foi o contrario, mesmo machucada e com interferência de tapa, Madison Rayne venceu a luta. Sobre o retorno de Madison, na verdade era bem esperado, para mim ela é uma wrestler em ringue bastante regular e prefiro ver a mesma no papel de heel, que foi quando seu personagem mais se destacou, tem um trabalho no micro muito bom, dentro de como se encontrava a Knockout division foi uma boa adição, só não acho que era o momento de tirarem o título da Gail, a feud podia ter durado um pouco mais com a vantagem de Kim.

Nesse tempo em que Gail Kim segurou o título, ela criou o open Challenge, para todos que quisessem desafiar ela, e se ganhassem teriam uma oportunidade pelo título, Candice Le Rae, Cherry Bomb e Hannah Blossom lutaram com Gail e perderem, as Blossoms abandonaram a TNA para investir em outras carreiras, e quanto a Candice e Cherry não ouvir nada em relação a um contrato com a empresa, e esperar para ver, mas adianto que em minha opinião Candice seria uma boa adição ao roster, já Cherry não acrescentaria tanto.

Agora falando do atual roster, temos no total 6 wrestlers, e analisando aqui, acredito que é o roster feminino mais fraco desde da criação da Knockout Division em 2007 , não que ele seja ruim, mas o nível da divisão feminina sempre foi muito alto e sinto nesse começo de ano o roster feminino estar devendo em relação aos outros anos.

Analisando cada nome, a única unanimidade é Gail Kim que é a maior nome da história da divisão, temos Brooke e Velvet Sky que como wrestler são bem regulares (para o nível da TNA), Tapa ainda estar em desenvolvimento e precisa melhorar condição técnica e ter um finisher melhor, ODB estar com um personagem cansativo e apesar de ser carismática, se saísse hoje não faria falta, já Madison é um bom nome para somar, mas também não é grande coisa, Taryn só deve voltar no meio para o fim de 2014, então até lá a divisão precisa de bons reforços.

Nós últimos meses se falou de vários nomes, alguns que criaram grande  expectativas como a nossa colega Portuguesa Shanna que vai participar de um dos shows da TNA na tour Europeia, ela seria uma ótima adição, sempre achei ela a cara da divisão feminina da TNA, e também nomes como a já citada Candice, Santana Garrett, e inclusive Mia Yim que participa da ROH frequentemente. Do outro lado fiquei assustado quando comentaram o retorno de Rosita, uma das piores wrestlers que passaram pela Knockout division, e desde que saiu não fez falta.

O que me alenta é que de acordo com alguns sites internacionais a TNA deu carta branca para Christy Hemme recrutar novos nomes para a divisão, e talvez essa seja uma boa notícia já que a mesma conhece muitas wrestlers do circuito independente e tem contato dentro dele, espero que ela faça boas escolhas.

A meu ver alguns retornos seriam interessantes, principalmente de nomes que não tiveram tanta oportunidade na TNA, como a Alissa Flash (Cheerleader Melissa), considerada a melhor wrestler de 2013, Sarita que ainda estar em ótima forma e vem fazendo lutas por todo mundo e quem sabe até Christina Von Eerie, que teve uma passagem muito rápida pela TNA. Eu tirei alguns nomes que a meu ver são quase impossíveis de retornar como Angelina Love, parece que ela não teve uma saída muito amigável da companhia, Mickie James e Tara que saíram recentemente da TNA.

O ideal seria ter um roster com pelo menos 10 wrestler ativas, porque se poderia criar feud diferentes, sem ficar se repetindo em uma frequência de tempo curta, porque se não vim nenhum reforço à tendência e que o nível de interesse para a divisão diminua, já que a feuds vão começar a se repetir.

Eu classifico o ano da Knockout Division em 2013 como bom, tivemos boas feuds, lutas e varias campeãs. Com as grandes mudanças que houve durante o ano de 2013 que já foram citados no artigo, 2014 tem que ser um ano de renovação, com a aparição de novos nomes e criação de novas estrelas, porque se continuar do jeito que estar à tendência e piorar, no sentido da rotatividade do roster.

Alguns tópicos que ainda podem ser explorado pela TNA com o roster atual é a continuidade da feud entra Gail e Madison, talvez com a Tapa lutando com Madison, e quem sabe uma traição da guarda costa de Gail, mas essas histórias não irão durar muito tempo, então é essencial que a TNA também se foque para reforçar a divisão feminina e aposte nela, algo que acontece desde da criação da Knockout Division em 2007.

Não posso me esquecer de mencionar um dos grandes eventos de 2013 para os fãs de wrestling feminino, o One Night Only: Knockout Knockdown, já citado diversas vezes em outros artigos meus, fazer um evento de 3 horas somente com wrestling feminino em uma major, foi algo bem corajoso, e para mim foi um dos melhores One Night Only, porque trouxe nomes do circuito independente para lutar contra as wrestlers da TNA e que resultou em várias grandes lutas.

GRANDES MOMENTOS EM 2013

TNA One Night Only : Knockouts Knockdown 2013: http://youtu.be/JsQrhvCdXn4

Gail Kim vs Taryn Terrell Ladder Match:

Gail Kim vs Taryn Terrel Last Knockout Standing Match Slammiversary: http://youtu.be/D9HPeM3LhgM

Mickie James Heel Turn: http://youtu.be/1YjFnXHX59M

Lei’D Tapa debut: http://youtu.be/Bo_1JSoCORo

PERGUNTAS

1 – Quais as suas expectativas para a divisão feminina da TNA em 2014?

2 – Quem gostaria ver reforçando o roster feminino?

3 – Você adicionaria mais algum grande momento da Knockout division em 2013?

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling For All”.

17 Comentários

  1. Gabhi - há 3 anos

    1-Minha expectativas são que esse ano a Divisão melhore e que adicionem novas Knockouts,pois a divisão feminina da TNA sempre teve várias lutas boas se igualando quase as lutas masculinas,bom inovando em matchs diferentes.Em 2014 espero que as knockouts estejam em maior número,ñ que isso importe muito,por que afinal mesmo a divisão feminina da TNA tendo 6 Knockouts,elas fazem lutas melhores que as das Divas da WWE.Que esse ano melhore bastante e que venha novos nomes para divisão.E que volte o Knockouts Tag Taam Champions.

    2-Eu gostaria que Sarita voltasse,pois ela era muito talentosa Taylor Wilde também,eu era uma grande fã delas,as duas tinha grandes talentos,era ótimo de ver uma match delas.
    São vários nomes que posso citar , como por exemplo,eu gostaria d ver a ex Diva Melina na divisão das Knockouts pois ela fez anos bons combates na WWE,e ainda acho que o nome dela deveria ser lembrado.Mas realmente como não acompanho muito lutas de circuitos independentes,não tenho como sugerir algumas lutadoras a mais.
    3-Para mim são dois os momentos mais marcantes da TNA Knockouts,a Ladder Match da Gail vs Teryl e o Hell turn da Mickie.Eu nunca avia visto uma luta envolvendo mesas e escadas entre wrestles femininas,para mim foi incrível e eu gostaria de ver mais vezes.Pois eu gosto quando a TNA investe em suas mulheres em matchs diferentes.

    • Roberto Barros - há 3 anos

      Obrigado pelo comentário Gabhi, sobre a qualidade dos combates desde da criação da Knockout division em 2007 a TNA sempre deu um certo destaque. Sobre Sarita seria um ótimo retorno, já Taylor Wilde se aposentou do wrestling há vários anos, Melina acho difícil vim, somente se tivéssemos a vinda de um Morrison para a TNA.

      Prometa que em 2014 tenhamos mais match desse tipo, como você falou.

  2. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    É, eu bem que vi que faltava um quadro Sábado passado…

    Excelente trabalho, Roberto! Faz uma excelente retrospectiva do ano passado das Knockouts e dá as medidas necessárias para uma divisão melhor neste ano.

    1. Expectativas para a divisão feminina da TNA em 2014?
    Melhoras. Não que em 2013 tenha sido ruim, mas espero mais reforços para as feuds não se tornarem tão repetitivas e desinteressantes. As Knockouts tem muita importância na TNA e em sua história na companhia.

    2. Quem gostaria ver reforçando o roster feminino?
    Mickie James e Tara, são dois grandes nomes de peso e de experiência, mas, até como está no artigo, as saídas recentes talvez adiem o meu desejo.

    3. Você adicionaria mais um grande momento das Knockouts em 2013?
    Sim dois:
    http://www.youtube.com/watch?v=O8pv5mv37kw
    http://www.youtube.com/watch?v=NKqx3IFCS3E

  3. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    1 – Quais as suas expectativas para a divisão feminina da TNA em 2014?
    Bem depois de ver o impact e com a vitoria da Maddison fiquei um bocado baralhado, pois pensava que Tapa enfrentasse Kim, mas o que espero é que a qualidade de combate e histórias se mantenha pois 2013 foi um bom ano.

    2 – Quem gostaria ver reforçando o roster feminino?
    Olha sinceramente não sei, em vários artigos destes hipóteses validas por isso qualquer uma com valor

    3 – Você adicionaria mais algum grande momento da Knockout division em 2013?
    Perfeito Roberto!

    Boa edição!

    • Roberto Barros - há 3 anos

      Obrigado Andre Santos, também fiquei assim em relação ao resultado do Genesis, inclusive tive que refazer parte do artigo.

  4. akujy - há 3 anos

    Bom artigo Roberto. Só quero dizer que não vou entrar – no que a contratações diz respeito – na febre de pedir que contratem a Shanna só pela sua nacionalidade. Isso para mim não tem qualquer interesse. Nada contra ela, nem contra o seu talento, nem sequer contra a sua contratação, só não gosto da moda de “chorar” pela Shanna como muita gente faz (e aqui não estou a falar de ti, Roberto) só porque é Portuguesa. Metade dos que fala nisso se calhar nunca a viu na vida, para além das imagens que aqui vão pondo.

    Gostei bastante do artigo e da análise que fazes e é sempre bom louvar a dedicação que vais tendo ao wrestling feminino. Também é sempre bom ver a TNA em destaque num artigo de vez em quando. Muito bem.

    • Roberto Barros - há 3 anos

      Akujy, eu entendo exatamente do que você estar falando, as pessoas nunca viram uma luta da Shanna e ficam torcendo por causa da nacionalidade, mas sinceramente acho isso bem normal, porque seria do mesmo jeito se fosse um lutador Brasileiro em uma grande companhia.

      Eu particularmente acompanho a carreira dela e gosto da habilidade dela em ringue, como no microfone, ela faria um ótimo personagem heel na TNA, tem um golpes bem interessante.

      veja uma luta dela akujy contra Emi sakura que é muito boa.
      http://www.dailymotion.com/video/x10pmw8

      E promo que ela fez provocando Angelina Love, quando ela lutaria contra Love.
      http://www.youtube.com/watch?v=C69is7rf41w

      • danielLP21 - há 3 anos

        Adorei a “promo”… WOW!

    • MicaelDuarte - há 3 anos

      Eu, por exemplo, sou uma das pessoas que adoraria ver a Shanna na TNA e, quando refiro isso, refiro igualmente o facto de ele ser “tuga”, mas não falo sem conhecimento de causa. Eu já vi tanto “promos” por parte dela, como uma bela dúzia de combates em que ela participou. Portanto, não estou apenas a dizer que quero que ela entre na TNA ou noutra companhia de relevo, apenas porque sim ou pela sua nacionalidade. Não sei se te referias (também) a mim, mas só me estou a defender.

      • akujy - há 3 anos

        Não, nao me referia a ti Micael. Que eu saiba nunca te considerei uma pessoa que fala sem saber de quê, pois não? xD Muito pelo contrário.

        PS: Excelente avatar!

  5. José Sousa - há 3 anos

    Exactamente a TNA precisa de reforços sinceramente na divisão feminina, ela está muito curta e isso vai acabar por saturar e muito a imagem de muitas das Knockouts.

  6. Robertto - há 3 anos

    1 – Quais as suas expectativas para a divisão feminina da TNA em 2014?
    Reforços, a divisão feminina está fraca, realmente estão repetitivas as lutas… seria interessante ver a Madison Rayne novamente como hell, assim a Roxxi (Nikki Roxx/Roxxi Laveaux) poderia fazer um retorno e confronta-la
    2 – Quem gostaria ver reforçando o roster feminino?
    Angeline Love (acho impossível mesmo ela retornar)…
    Roxxi (Nikki Roxx/Roxxi Laveaux).. gostaria do retorno dela, porém não tenho noticias sobre a mesma… nem sei se ela ainda está ativa. :s

    3 – Você adicionaria mais algum grande momento da Knockout division em 2013?
    Bom artigo, apenas!

    • Roberto Barros - há 3 anos

      Oi meu colega de mesmo nome, sobre Angelina Love como disse era um bom reforço, mas é quase impossível dela retornar, Roxxi ainda luta no circuito independente, inclusive na Shine, companhia somente de wrestling feminino é também seria uma ótimo reforço.

  7. JoãoRkNO - há 3 anos

    A divisão Tag e a Feminina são as que mais precisam de reforços de qualidade, mas acho que esta preciso dos mesmos urgentemente. A Shanna e a Angelina Love poderiam muitos bem serem dois nomes a relançar esta divisão outra vez, mas no caso da Angelina parece-me completamente impossível.

  8. Jorge Rebelo - há 3 anos

    Roberto não tenho muito a acrescentar. A divisão feminina da TNA voltou a mostrar o seu valor em 2013, sobretudo por ter sido capaz de criar tão bons momentos, com tantas saídas, lesões e imprevistos que resultaram num roster muito reduzido. Obviamente que 2014 terá de trazer muitas novidades, não só em storylines, mas sobretudo em caras novas.

    Análise excelente Roberto e sublinho a importância que o Wrestling For All tem no panorama dos artigos de opinião do WPT. Espero que continues este trabalho brilhante Roberto.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador