Wrestling For All #41 – ChickFight: Pioneira no Séc. XXI

Primeiro agradecer a todos que acompanham esse espaço, depois de um Royal Rumble bastante ruim, onde também não tivemos combates femininos e começo a Road To Wrestlemania de modo bastante negativo para a divisão de “Divas”, mas esse não é o assunto do artigo e não somente por isso que o Royal Rumble foi ruim, vários colegas aqui do site que entendem mais do assunto do que eu já deram as suas opiniões.

O artigo de hoje vou voltar a tratar sobre circuito independente, na verdade vou falar de uma empresa que surgiu antes da Shimmer e da WSU e que também tratava bem o wrestling feminino, o nome de tal empresa é ChickFight, alguns podem ter preconceito com o nome da mesma, fazer brincadeiras com o nome, mas garanto que a mesma tinha um formato bem interessante.

A ChickFight surge no dia 29 de Outubro de 2004 na cidade de Hayward na California, como parte do All Pro Wrestling’s Halloween, no seu primeiro evento contou com um torneio entre oito lutadoras para decidir a vencedora, alguns nomes bem conhecidos no dias de hoje, eles foram Cheerleader Melissa, Princess Sugey, Nikki Roxx, Candice LeRae, Hailey Hatred, Nene Kimura, Tiffany (Mexicana) e Christie Ricci. A primeira vencedora foi à lendária Wrestler Mexicana Princess Sugey (Sujei) que derrotou Melissa em uma Steel Cage Match,  atualmente Sujei continua lutando pelo Consejo Mundial de Lucha Libre (CMLL).

Vendo que o modelo tinha dado certo, após 6 meses resolveu fazer o ChickFight II, assim como na Shimmer, a ChickFight não tem nome especifico de evento sendo baseado somente no numero da edição. Nessa segunda edição também tivemos acréscimo de wrestler estrangeiras, nomes como Mariko Yoshida vindo do Japão e a vencedora da primeira edição Princess Sugey tentando “defender” seu reinado. Novamente Melissa conseguiu chegar a final, mas perderia para Yoshida, como sempre mantendo o grande nível de exibição, e trazendo nomes que dificilmente lutavam nos Estados Unidos.

O Terceiro evento teve novamente como vencedor Mariko Yoshida que venceu Mickie Knuckles, vale destacar a presença de Sara Del Rey no evento em uma luta com Melissa, sendo considerada uma das melhores do torneio, acabando com Double DQ. A partir da 4° edição a ChickFight sairia da “modesta” cidade de Hayward e iria para San Francisco.

Nessa 4° edição trouxe nomes que começavam a se destacar no circuito independente, como Mercedes Martinez, Rain, MsChif, Lacey , entre outras, a final foi entre Mercedes e MsChif, sendo que a Banshee venceu a luta e se tornou a campeã da 4° edição.

O interessante da ChickFight e que ela pegava o modelo de torneio de algumas empresas japonesas e aplicava no evento, All Japan Women’s Pro-Wrestling fez várias vezes esse tipo de torneio para decidir a principal campeã de seus títulos. A Chickfight vendia o Dvd´s através do seu site e também depois participando de sites de vendas de lutas como o clickwrestler.

O ChickFight V é considerado por muito um dos melhores eventos da empresa, tivemos a participação de Jazz e Yoshiko Tamura, outra lenda do Wrestling Japonês, mas não é por isso que o torneio foi marcante, na verdade foi pela vitória de Cheerleader Melissa na final em uma Falls Count Anywhere Match contra Jazz, ela finalmente vencia o torneio na sua cidade natal, depois de já ter perdido em 2 finais.

Na 6° edição tivemos a vitória de Daizee Haze, na verdade o grande destaque desse torneio foi a luta entre Haze e Melissa que durou cerca de 35 minutos e terminou empatada, sendo que a semifinal foi um triple Threat, onde Alisson Danger também participou, mas Haze ganhou a luta e foi para a final sendo campeã na luta contra Kaoru.

Vendo que a divisão feminina do circuito independente Inglês crescia com surgimento de bons nomes, o fundador Jason Deadrich e Melissa venderiam a empresa para um inglês, levaram o evento para Norfolk na Inglaterra, fazendo uma competição UK vs USA, a final foi entre Melissa e Eden Black, com vitória de Melissa.

As edições seguintes aconteceram em cidades da Inglaterra, e o formato de torneio só duraria até a 9° edição, sendo que a Wrestler Croata Wesna se tornaria campeã da 8° edição, onde tivemos lutas sem envolver o torneio, como vitória de Melissa sobre Eden Black, fazendo a Americana se tornar a primeira Transatlantic Women’s Champion. Na Nona e última edição do modelo de torneio a vencedora foi Kong.

Vendo que a formula de torneio estava desgastada, começaram a fazer shows normais, mas não obtiveram tanto sucesso, Melissa em Janeiro de 2008 sairia de vez da companhia por conflito de agendas, na época a mesma iria integrar o roster da TNA, com a grande estrela fora da companhia não conseguiu durar muito tempo parando os shows no final de 2008. Lembrando que pela empresa passaram grandes nomes do wrestler mundial.

Em 2011 a ChickFight voltaria a fazer um show com parceria do site Diva-Dirt, nesse show teríamos a despedida de Taylor Wilde do wrestling, quando a mesma foi derrotada por Alissa Flash (Melissa).

Mas porque a ChickFight não deu certo como a Shimmer ou a WSU? Em minha opinião o grande problema era a grande distancia de acontecimentos de um evento para o outro, por exemplo no começo fazia-se um show a cada 6 meses, depois ficou a cada 3 meses, mas desse jeito você não cria seu público. Não é igual a Shimmer ou WSU que lançam em média 1 show por mês. Outro grande problema foi insistir na formula de torneio, evitando de se construir feuds e também as mudanças frequentes de booking foram motivos para que a empresa não desse certo.

VÍDEOS

Cheerleader Melissa vs Rain: http://dailymotion.com/video/xkswv2
Cheerleader Melissa vs Wesna: http://youtu.be/swZ1EltSHpk
ChickFight 5 Preview: http://youtu.be/A-m4TTkkDw0
ChickFight Opening: http://youtu.be/jzWBzwnD_fs
ChickFight VI Preview: http://youtu.be/3lSvxz3lfDc

Sobre o Autor

- Escritor do artigo “Wrestling For All”.

8 Comentários

  1. AwesomeTheMiz - há 3 anos

    Grande trabalho, Roberto! É sempre bom estar a olhar o Wrestling for All, pois mostra que o Wrestling é realmente a todos e aqui sempre posso descobrir cada vez mais sobre as Indys mundiais, pois são nestes “pequenos” eventos que surgem os talentos das majories, e há muitos maiores talentos nas Indys por vezes.

    • Roberto Barros - há 3 anos

      Obrigado The Miz, sim são nessas companhias que surgem alguns bons nomes, e a ChickFight é um exemplo desses.

  2. akujy - há 3 anos

    ChickFight…Já lá vai algum tempo desde que ouvira esse nome. Mais um excelente trabalho, a demonstrar que o Wrestling For All já se tornou num espaço que não se pode perder. Continua o bom trabalho.

    • Roberto Barros - há 3 anos

      Fico impressionado de conhecer, não por duvidar de seus conhecimentos de wrestling, mas porque a maioria não conhece e agradeço pelo comentário.

  3. MR Perfection André Santos - há 3 anos

    Um trabalho impecável Roberto. Continuo a dizer que este espaço é essencial para o site, devido a aprofundares e abrangeres bastantes promoções independentes. Chick Fight desconhecia…valeu colocares os links ;)

    • MR Perfection André Santos - há 3 anos

      Roberto…Brutal os highlights do combate entre Wesna vs Melissa…Fuck Brutal my man!

      • MR Perfection André Santos - há 3 anos

        Tive que comentar outra vez: LOL! E a velhota que quase leva com uma cadeira….hehehehe Hardcore my friend!

      • Roberto Barros - há 3 anos

        Obrigado pelo comentário Andre Santos, essa luta entre a Wesna e Melissa e foda mesmo, na verdade é uma das melhores da companhia.

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador