Estamos a mudar o nosso site. Dá-nos a tua opinião no Facebook!

10 Momentos Doentios de Randy Orton – Top Ten #239

Bem-vindos a um novo Top Ten, que nem o calor me impede de vos trazer mais um destes e de ter mais uma ideia para vos apresentar. Se não é aquele número ridículo e estonteante de edições que já existem que me intimida e me impede, também não será o calor, lido bem com esse.

A quem parece que o calor parece ter afectado e subido à cabeça é ao nosso amigo Viper, o retornado Randy Orton. O rapaz pifou. Mas isso se calhar tem mais a ver com ele mesmo e com as vozes que ouve na cabeça e mais não-sei-o-quê. O certo é que ele já está meio tolo outra vez. E calha que até é assim que a malta mais gosta dele. Serve e torna pertinente recordar dez momentos mais doentios, perturbadores, sádicos e diabólicos da carreira de Randy Orton. De diferentes níveis e categorias, tudo provas de que este aqui não joga com o baralho todo.

10 – Randy e a cor

Este é para abrir e não é daquelas demonstrações de sadismo daqui do predador que gosta de apanhar pessoas de surpresa. Nem é algo físico. Mas agitou muita água só com aquele microfone, instrumento que domina q.b. mas que ainda o acusam de sobreuso na criação de bocejos e botões de avanço. Eu até gosto de o ouvir se ele tem algo bom a dizer.

Acontece que ele aqui tinha algo de muito mau a dizer, mas era de fazer ouvir-se. De fazer barulho. Desconheço as tendências políticas de Randy, não sei se ele votou num certo WWE Hall of Famer para a presidência. Mas disse aqui umas cenas que até são capazes de agradar a muito desse povo que por ele votou. Acompanhado pelos seus Legacy, visitou o VIP Lounge de MVP e lá encontravam-se o anfitrião, Kofi Kingston e Mark Henry. Todos esses três Superstars têm algo em comum. Já os conhecem, já devem saber bem que não serão as capacidades atléticas ou os estilos em ringue. É outra coisa.

E é uma coisa delicada que Randy fez questão de mencionar que era um factor que fazia com que eles não pertencessem ali, mas sim… Lá para fora… Pelas ruas. Numa vida que MVP já praticou realmente. Pronto, com isso, já 50% dos Evolution deram promos racistas e Randy, em personagem claro, causou polémica. Não fez algo de sádico, mas por vezes para chocar pessoas não é preciso mexer-se muito…

9 – A ver se serve de kryptonite…

Não falo de nenhuma participação de Randy Orton na banda desenhada, muito menos nos filmes, até porque o único ex-membro da WWE, e até mesmo dos Evolution, que teria algo a dizer em relação ao assunto, não anda por esses lados porque faz cenas no Universo Marvel e não no que está em questão no título.

Com um título que atentos e desatentos identifiquem como referente ao Super-Homem, também não precisam de ser os maiores detectives para decifrar que não é preciso tirar Orton do Universo WWE para o fazer encontrar-se com um Super-Homem. John Cena, bons tempos em que ele era isso e andava tudo farto dele, lembram-se? Encontros entre John Cena e Randy Orton, raríssimos esses. Ou então já eram o pão nosso de cada dia e era preciso fazer alguma coisa diferente de vez em quando.

E como Randy já é um indivíduo, vá… Diferente, por si só… Era ele que ia fazer algo diferente. Como descobrir, qual bom explorador que ele é, como controlar a pirotecnia no palco. Para usar em Cena, que colocaria sobre as saídas do fogo. Não ia ser bonito se Cena não fugisse, realmente. Tentativas de homicídio em TV ou PPV? Aqui o menino Orton já o tem riscado da lista.

8 – Rapta-se o pai

Olha, é uma ideia. Quando alguém me estiver a chatear muito a cabeça, rapto-lhe o pai e pronto. Ficamos quites. Aqui não posso apontar muito o dedo a Randy Orton pela sua… forma diferente de pensar. É que até nem foi ele que começou. Foi outro tão ou mais tolo que ele. Kane. Um gajo que se calhar até dava para também fazer um Top Ten marado sobre ele, quem sabe…

Kane e Randy Orton rivalizavam e Kane achou que uma boa maneira de o atiçar era provocando o pai, o também já bem conhecido “cowboy” Bob Orton Jr. Isto é capaz de desconcertar qualquer um. Mas Orton é um gajo de postura. Isto é, é tão ou mais tolo, logo é de reacção rápida. Logo trata ele de raptar o pai de Kane, Paul Bearer, ele que já deve ter sido mais resgatado que a X Division na sua vida e carreira.

Lá está, mais uma vez, esta é uma entrada suave para Randy Orton. Ele fez aquele acto pouco simpático. Mas mesmo assim, na hora de acabar o serviço… Foi o próprio Kane a congelar o pai, potencialmente assassinando-o pela terceira ou quarta vez em televisão. É Randy, isso não o afecta muito. Tenta a mãe. Ou tenta sabotar-lhe o mandato, isso é que vai ser tramado!

7 – Piromaníaco?

Já parece aqui haver um padrão. Na entrada anterior, o piromaníaco era outro. Na anterior a essa, era o próprio Randy a querer fazer um churrasco a partir de outro homem. Nesta entrada, novamente Randy a brincar com lavaredas. E o curioso, não será a última vez que haverá disso aqui. É, arde-se muito neste Top Ten, deve ser do calor.

Aqui Randy antecipava um bizarro combate na Wrestlemania no qual bicharada era projectada no ringue e um ainda mais bizarro combate num casebre, onde Randy encontrou um rival para a vida num frigorífico. Se formos a ver, esses devem ter sido os actos mais grotescos dessa história, mas a vítima aí se calhar até éramos nós. Aqui tem que se considerar o acto criminoso de Randy Orton que não podia provocar Bray Wyatt com um simples “sou melhor que tu.” Tinha mesmo que lhe pegar fogo à casa.

OK, era um barraco. E aquele sítio era esquisito e de pouca confiança, não parecia um sítio convidativo. E aquela cadeirinha, então… Mas era uma propriedade do desgraçado do homem que, lá porque era esquisito, também tem o direito à sua posse. Randy não quer saber. Pega-se fogo ao barraco, ainda se faz pose à frente do incêndio. Quando o Triple H te entrou pela casa dentro a fazer estragos, também não gostaste pois não?

6 – Que estouro!

Uma entrada já bem mais forte e violenta. Mas inadvertida. Ou descuidada, vá. A pobre vítima foi Cody Rhodes que, irritante quanto a sua personagem supostamente fosse na altura, não merecia uma daquelas. O rapaz ia quinando ali. Mas é assim mesmo a natureza violenta de Randy Orton, tinha que recorrer a alguma coisa extra para a pancada.

E tinha a campainha. Aquilo é bem pesadote, tem que se mandar com jeitinho porque este é o desporto do “fingir que dói,” vamos lá com calma. Mas o Viper devia querer mesmo assinalar alguma coisa e queria que o povo ouvisse e queria mesmo tocar a campainha. Não devia ter o martelinho à mão e teve que improvisar com o que tinha mais perto. Lá teve que recorrer a algum porta-chifres. E atacou o pobre Cody com a campainha, de forma stiff, abrindo-lhe a cabeça e deixando-o a desvairar enquanto se banhava no seu próprio sangue. Para dizer, ainda por cima disso, que era um sacana doentio, acrescentou um insulto à injúria, com o acto da toalha.

Foi um acidente mas um tremendo acidente. No mais próximo que se pode arranjar de vantagens – qualquer coisa que não seja relacionado com a cabeça repleta de pontos de Cody – será o quanto isso contribuiu mais para a imagem selvagem de Orton. E a forma como desencadeou a feud com muito mais faísca. Se calhar até fez de propósito, só por isso! Como um bom profissional!

5 – Eddiexploração à bruta

Sim, não há inocentes no meio disto. OK, os integrantes estavam lá mas a fazer o que lhes mandavam. O que pretendo dizer é que nem os bonzinhos que usavam o nome do recentememte falecido Eddie Guerrero para o bem estavam correctos. Bem sabemos o quanto se arrastou o seu nome por aí para criar histórias quando se devia querer dar paz e sossego ao homem.

Mas para o lado bom também tinham que explorar o lado mau. Que é quando usam o seu nome da pior maneira possível para ficarmos a odiar alguém, possivelmente ainda mais. E quem é que havia de fazer isso? Claro que tinha que ser o menino que se gabava, na altura, de matar lendas, a não estar cá com escrúpulos para fazer declarações mais polémicas sobre uma que por acaso não foi ele – até porque, felizmente, ele tinha limites e nunca o fez literalmente.

Claro que tinha que ser o menino Orton a abusar do nome de Eddie Guerrero para esfregar a sua morte na cara de Mysterio e ainda lhe afirmar que ele não estava propriamente a descansar em paz num certo sítio e era capaz de estar noutro do lado completamente oposto. Simpatias que ele tinha, por norma, a dizer. Devia estar cheio de amigos.

4 – Saco de pancada oficial

Por acaso não é exclusividade de Randy. Reconhecem o senhor aqui encima e podem verificar logo que é o Sr. Cena. Pai do nosso Cena conhecido que não conseguimos ver. Ao velhote, esse toda a gente o vê bem porque quando lhe acertam com um pêro, acertam-lhe bem, é mesmo de quem está a fazer pontaria.

Mas pronto, como disse não é exclusivo. Já toda a gente bateu no pai do Cena. Se calhar nós é que não nos lembramos, mas já houve a situação em que qualquer um de nós também lhe tenha dado na boca, sem realmente sabermos. É um senhor muito espancável aparentemente. Outros Superstars como Edge já se podem gabar de ter deixado um carimbo no Sr. Cena. Portanto o acto de Randy de atacar fisicamente um senhor de meia-idade, a pender ao idoso até podia ser mais doentio se não fosse tão comum.

Mas como podemos ver neste ranking… O gajo é tramado. Até nisso tinha que se destacar dos outros e foi ele quem já deu uns tabefes ao pai do eterno rival… Mais que uma vez! Se calhar vamos a ver e até é passatempo! Podia ser pior… Podia dar-lhe para dar porrada em velhos. Espera aí…

3 – Orelha fora

Vá, devo dizê-lo de uma vez, já vi dos combates mais violentos da WWE antiga, já vi os de outras companhias, já vi ECW, já vi as maluqueiras pontuais do Lucha Underground, espreito a CZW de vez em quando. Já estou algo calejado a alguma da violência mais gratuita que se faça por aí em ringues. E devo dizê-lo. Este momento teve que ser o mais gráfico que já vi em TV da WWE.

Ainda recente, é proveniente do seu confuso regresso em que atacou Jeff Hardy no Extreme Rules e esperou para o Smackdown para dar explicações… Ou então não, para nos deixar com mais questões. E com uma tremenda sensação de dor mesmo que alheia. Eu não tenho alargadores, nem sequer uma única orelha furada mas aquilo doeu-me como se as tivesse. Ou como se estivessem a arrancá-las, que parecia a intenção. Estava a reagir como o público, aquela pobre juventude agarrada às próprias orelhas.

Foi doloroso. E bruto. Randy Orton a usufruir dos buracos mais alargados nos lóbulos de Jeff Hardy para esgaçar e fazer o público que assistia comprimir o esfíncter. Sabíamos que estávamos perante um renovado Orton sádico. O pior é que esse era o sinal de um bom Orton. Querem ver que nós somos piores que ele?

2 – Mata-se o bicho…

Eu já disse, umas entradas acima, que isso de tentativas de homicídio em TV, não são tão extraordinárias como deviam ser. Especialmente aqui para o menino Orton quando ainda era um jovem telhudo, que precisava muito da ajuda do pai, e que andava numa brincadeira de “matar lendas.” Calhou-lhe assim uma lendinha um bocado maior que a encomenda. Undertaker.

Esse ainda o fez passar umas negras. E não só a ele, perguntem ao Josh Matthews, um mero terceiro no meio disto tudo. Se temos um gajo que faz Orton ter visões macabras e consegue com que nós sejamos capazes de ver o que ele vê… Sabemos que a situação é séria. Eu não ia querer estar num Hell in a Cell com o senhor da roupa preta. Mas mais sarilhos vieram daí. Como por exemplo, em Outubro de 2005, quando se enfrentaram num Casket Match.

O papá foi essencial nisso e conseguiram prender o grandalhão assustador no caixão. Então e depois? Bora matá-lo! Assim é capaz de não chatear mais! Após umas machadadas ao caixão, o jovem mentalmente são decide pegar fogo àquilo com Undertaker lá dentro. Coisas que se aprendem na escola. Pareceu satisfeito. Ou, pelo menos, despreocupado. Para a situação que era. Tentar homicídio em TV já o fez mas é coisa de menino. Estar convencido de que o conseguiu e estar feliz por isso… Isso já é mais à Orton…

1 – Querida Stephanie

Este até é um dos momentos favoritos de muitos fãs do Randy Orton e que até consideram representativos dessa faceta de Randy. Foi também dos últimos suspiros da WWE antes de reformular um pouco o seu conteúdo. Não haveria deste tipo de agressões mais à frente. Nem mesmo à Stephanie McMahon que, por acaso, é capaz de ter andado a pedi-las muitas vezes.

Não deixa de ser um caso curioso por estar na primeira posição apesar da sua leviandade. Stephanie McMahon já levou muitas vezes, lá rija é ela. No entanto esta foi uma pancadaria muito significativa e o que pudemos obter deste segmento foi: esta era uma Stephanie diferente mais vulnerável, aquele DDT pode muito bem ser considerado como mais uma tentativa de homicídio pela forma como foi vendido, a reacção de Triple H, forçado a assistir contra a vontade… O que Randy faz logo a seguir, que está aqui retratado… Tudo óptimo.

Isto fez parte da rivalidade com Triple H e não deixa de ser curioso olhar para este caso, para estes limites a ser ultrapassados, para este escárnio todo… Quando uns anos mais tarde seriam todos amigos e membros de uma facção juntos. Assim até parece um DDT mais leviano outra vez. Mas na altura deu molho. Depois era ver o Triple H a invadir-lhe a casa. É assim, Randy… Assedias e atacas as mulheres dos outros… Depois queixas-te que o café tem formigas…

Por aqui fico com um tema que espero que tenha agradado a fãs de Randy Orton e não só. Foi uma listagem e destaque de momentos que fazem de Orton o Superstar favorito dos seus fãs e são aqueles momentos-chave que costumam satisfazer os fãs que por vezes se aborrecem de outras facetas suas mais… Saudáveis. Um pouquinho só. Por isso é que, como já disse, quando ele faz uma dessas, o pessoal até fica contente. O que eu também já disse, somos piores que ele.

Agora é a vossa parte, fãs e menos fãs de Randy, comentar estes momentos, o que acharam deles, o que se lembram, o que acham dele no geral e quanto beneficia disto, algum momento mais que aqui falte e que consideram essencial. Eu sei que o calor veio com a força toda mas é só teclar meia dúzia de coisas, isto deu mais trabalho a mim. Mas eu estou-vos sempre agradecido na mesma. Ainda há energia para mais na próxima semana, a ver se sou a vossa leitura de praia, seus molengões. Até à próxima e, para os sortudos que as desfrutem, boas férias!

Autor

- Escritor do artigo “Top Ten”.

4 Comentários

  1. Facebook Profile photo

    O Randy Orton é melhor assim, sádico e violento. O Randy Orton como face, acaba sempre por cair na monotonia e perde-se. Como heel, é um dos melhores de sempre. Gosto quando tocam em temas polémicos, falta é a coragem da WWE em enfrentar as criticas daqueles que permitem tudo em séries e filmes, mas que no que consideram falso, já não admitem. O racismo é sempre um tema interessante e que deve ser usado mais vezes, desde que bem contada e com o final que merece, não pode ser com o Triple H a derrotar o Booker T, por exemplo. O melhor Randy foi o último, aquele que reformava adversários com um pontapé na cabeça. Pontapé que era feito de forma segura, mas proibido mesmo assim, mal. Como é o não atacar mulheres. A Stephanie hoje, pode tudo, sem qualquer sentido nunca leva. Não faz sentido, mesmo com a agenda da WWE. Mas enfim…O número 7 deveria ter ido mais longe, deviam ter avançado com uma história com o Randy Orton mesmo sob o poder do Bray Wyatt e, só lá para o Summerslam, ele acordava. Mas lá está, foi a pior altura que me lembro da WWE, em termos de storylines, tudo feito em cima do joelho até ao Survivor Series desse mesmo ano e um Bray Wyatt cada vez com pior tratamento. Quanto ao número 5, não foi só o Orton, foi um período algo negro da WWE, que se fartou de fazer dinheiro às custas da morte do Eddie Guerrero. Por fim, quanto ao número 2, uma questão e uma opinião. Se o Undertaker é o homem morto, podemos mesmo considerar isso como uma tentativa de homicidio? Foi uma boa feud e muito se poderia destacar, como o RKO à pobre da Stacy Keibler, que até era a namorada dele na história.

  2. A personagem do Randy tem sofrido de um constante desgaste ao longo desta década, principalmente devido aos períodos como babyface mas no seu melhor o gajo é simplesmente incrível. Belo Top Ten!

  3. Rui Ribeiro há 2 semanas

    O Randy Orton de 2005 a 2009 era simplesmente incrivel. Um dos melhores heels de todos os tempos na minha opinião. A partir daí como babyface a sua personagem decresceu muito, tornou-se bastante boring (mesmo a sua fase como heel entre 2013 e 2015 foi fraquinha).
    É muito bom ver o Orton heel sádico de volta.

    Excelente artigo.

    • marcio há 1 semana

      Ate era fixe um Randy Orton assim, sádico e violento nao so como heel mas como seria fixe como babyface ao estilo de dexter morgan

Comentar