A All Elite Wrestling realizou este domingo, dia 30 de Maio, no Daily’s Place em Jacksonville, na Flórida, o seu segundo pay-per-view do ano, a terceira edição do Double or Nothing.

O AEW Double or Nothing foi transmitido na FITE TV. Subscreve aqui!

Resultados

– NWA Women’s World Champion Serena Deeb venceu Riho (Buy-In)
– “Hangman” Adam Page venceu Brian Cage
AEW World Tag Team Champions Young Bucks (Matt & Nick Jackson) venceram Jon Moxley & Eddie Kingston
– Jungle Boy venceu Casino Battle Royale
– Cody Rhodes venceu Anthony Ogogo
– TNT Champion Miro venceu Lance Archer
– Britt Baker venceu AEW Women’s World Champion Hikaru Shida
– Darby Allin & Sting venceram Scorpio Sky & Ethan Page
– AEW World Champion Kenny Omega venceu PAC e Orange Cassidy
– Inner Circle venceram The Pinnacle (Stadium Stampede Match)

Vídeos

Watch Wrestling

Report

– NWA Women’s World Champion Serena Deeb venceu Riho (Buy-In): O combate do Buy In começou com Riho a tentar usar a sua velocidade, mas a agressividade de Serena Deeb foi demasiado para a primeira AEW Women’s World Champion. Assim, a NWA Women’s World Champion começou o seu domínio, fazendo da perna esquerda de Riho o seu alvo.

Serena Deeb dominou durante vários minutos, sendo que Riho teve de sobreviver a vários golpes, sendo que um Double Foot Stomp da terceira corda ajudou a equilibrar este combate.

Os minutos finais foram extremamente equilibrados, com as duas lutadoras a quase vencerem por várias vezes, mas no final, Serena Deeb ter feito do joelho esquerdo de Riho o alvo do seu ataque provou ser uma estratégia acertada, pois acabou por aplicar a sua versão do Tequilla Sunrise, chamada Serenity Lock, e venceu Riho.

– “Hangman” Adam Page venceu Brian Cage: Neste opener do main card, “Hangman” Adam Page entrou com tudo para se vingar de Brian Cage e usou a sua maior velocidade para ter algum ímpeto. O problema é que a força de Brian Cage é incrível e este fora do ringue apanhou “Hangman” em voo e atirou-o contra o ringue, e assim começou a dominar. “The Machine” foi dominando o combate, a questão é que Adam Page é um dos lutadores mais resistentes da AEW e foi sobrevivendo e também usando a sua incrível agilidade para um lutador do seu tamanho.

Os minutos foram passando e a agressividade e as quase vitórias foram aparecendo por parte dos dois lutadores, sendo que o equilíbrio foi incrível. No final, Ricky Starks e Hook tentaram ajudar, mas Brian Cage não quis e essa distracção foi o suficiente para que “Hangman” Adam Page vencesse com a sua Buckshot Lariat.

– AEW World Tag Team Champions Young Bucks (Matt & Nick Jackson) venceram Jon Moxley & Eddie Kingston: Jon Moxley e Eddie Kingston nem deixaram os Young Bucks acabar a sua entrada e tivemos uma brawl desde o primeiro segundo, e foram os dois candidatos principais que dominaram estes minutos, ainda antes do combate começar.

Quando o combate começou de forma oficial, Jon Moxley e Eddie Kingston continuaram a usar a sua agressividade para dominar. Ainda assim, os Young Bucks usaram a sua maior experiência como equipa para isolar Eddie Kingston e assim terem algum controlo deste embate.

Quando Jon Moxley conseguiu entrar em ringue, este virou o combate a seu favor, mas só até quando Karl Anderson, que foi atacado por Frankie Kazarian, e Luke Gallows vieram para perto do ringue, criando uma distracção para que os Young Bucks usassem o seu spray para controlarem o “Death Rider”.

Os Young Bucks dominaram Jon Moxley durante vários minutos, apesar deste estar a sangrar de forma abundante, sendo que este quando finalmente fez o tag a Eddie Kingston, este veio com tudo para o ringue e entrámos numa fase incrível do combate, sendo que as duas equipas mostraram toda a sua qualidade e vontade de vencer.

Depois de várias e incríveis false finishes, Eddie Kingston e Jon Moxley não aguentaram mais. Quatro BTE Triggers seguidos no ex-AEW World Champion foram “suficientes” para os Young Bucks reterem os seus títulos.

– Jungle Boy venceu Casino Battle Royale: Christian Cage, Matt Sydal, “Powerhouse” Hobbs, Dustin Rhodes e Max Caster foram os primeiros lutadores a entrar nesta Casino Battle Royale e o combate abriu com “The Natural” a querer ensinar um pouco de humildade ao lutador dos Acclaimed depois do sua promo inicial.

Já “Powerhouse” Hobbs e Christian Cage começaram a lutar desde o primeiro segundo, continuando a sua rivalidade, sendo que Matt Sydal foi o primeiro lutador a ser eliminado.

Já depois de Max Caster ser eliminado, os cinco lutadores seguintes a entrar em ringue foram Matt Hardy, Isiah Kassidy, Preston “10” Vance, Nick Comoroto e Serpentico, sendo que este último foi rapidamente eliminado. Dustin Rhodes usou a sua veterania para eliminar Preston Vance e Nick Comoroto, mas este último atacou “The Natural”.

Os lutadores seguintes a entrar foram Brian Pillman Jr., Griff Garrisson, Colt Cabana, Anthony Bowens e Penta El Zero Miedo. Já com Colt Cabana, Anthony Bowens e Griff Garrisson eliminados, tivemos a entrada de Jungle Boy, Marq Quen, Aaron Solow, Evil Uno e Lee Johnson. Aaron Solow e Lee Johnson acabaram por ver a sua rivalidade a prejudicá-los, pois Matt Hardy eliminou-os em menos de nada.

Já com Penta El Zero Miedo e Evil Uno eliminados, “Powerhouse” Hobbs e Christian Cage entraram de novo em ringue e o “Instant Classic” eliminou o seu rival. Matt Hardy e os Private Party atacaram Christian Cage e Jungle Boy, até que tivemos a entrada do lutador mistério, que foi Lio Rush, que virou o combate do avesso até ser eliminado por “Big Money Matt”.

Matt Hardy e os Private Party continuaram a dominar, isto até Christian Cage e Jungle Boy fazerem equipa e eliminarem os Private Party, sendo que Matt Hardy foi também rapidamente eliminado.

Os últimos dois lutadores foram Christian Cage e Jungle Boy e os dois deram tudo para vencer, sendo que Jungle Boy usou a sua velocidade para sobreviver à ofensiva do “Instant Classic” e assim o jovem lutador venceu esta Casino Battle Royal. No final, os dois cumprimentaram-se, com Christian Cage a mostrar respeito pelo jovem lutador.

– Cody Rhodes venceu Anthony Ogogo: Os dois lutadores tinham duas estratégias bem distintas, Cody Rhodes queria fazer Wrestling, já Anthony Ogogo só queria usar os seus strikes para dominar e foi o lutador olímpico que conseguiu ter o ímpeto. Ainda assim, o combate foi bastante equilibrado, sendo que Cody Rhodes conseguiu usar a sua experiência para também dominar o combate.

Com os dois lutadores já com as costelas lesionadas, as quase vitórias foram começando a aparecer, sendo que Anthony Ogogo só não venceu com dois socos porque o “American Nightmare” tinha a sua mão debaixo da corda.

No final, Cody Rhodes conseguiu sobreviver e acertou o seu Vertabreaker para assim vencer este combate.

– TNT Champion Miro venceu Lance Archer: Lance Archer entrou com tudo e deixou Miro em dificuldades desde o primeiro segundo, sendo que fora do ringue o “Murderhawk Monster” fez Miro atravessar uma mesa. No entanto, foi também fora do ringue que o “Best Man” conseguiu inverter o ímpeto e assim começar a dominar Lance Archer.

Ainda assim o equilíbrio foi incrível neste embate entre gigantes, sendo que quando Jake “The Snake” Roberts tentou vir ajudar o seu cliente, tivemos o TNT Champion a pegar no saco com a cobra e a atirar para longe do ringue.

Nos minutos finais a agressividade foi aumentando, sendo que depois de várias quase vitórias, tivemos Miro a colocar o seu Game Over e Lance Archer acabou por desmaiar. Assim, o búlgaro reteve o seu TNT Championship.

– Britt Baker venceu AEW Women’s World Champion Hikaru Shida: As duas lutadoras entraram com vontade de terminar o combate cedo, mas nada feito, sendo que Hikaru Shida entrou melhor neste embate dominando durante alguns minutos, sendo que foi fora do ringue que a Britt Baker virou o combate a seu favor.

Britt Baker dominou de forma bastante agressiva durante alguns minutos, sendo que essa agressividade trouxe um lado também bastante agressivo por parte da campeã e tivemos então uma guerra no ringue. As false finishes foram aparecendo, sendo que Rebel quase ia custando o título à sua amiga Britt Baker.

No final e com as lutadoras a sobreviverem a tudo, desde Curb Stomps a joelhadas incríveis, foi Britt Baker que fez Hikaru Shida desistir com o seu Lock Jaw e assim tornou-se a nova AEW Women’s World Champion.

– Darby Allin & Sting venceram Scorpio Sky & Ethan Page: Darby Allin e Sting entraram com tudo, sendo que fora do ringue até vimos Sting a voar como se estivesse nos anos 80.

Dentro do ringue, Darby Allin & Sting conseguiram baixar o ritmo e mantiveram o domínio neste combate de equipas, sendo que foi preciso alguma batota para que Scorpio Sky & Ethan Page conseguissem isolar Darby Allin e assim finalmente conseguirem ter algum controlo neste combate.

Scorpio Sky & Ethan Page mantiveram o ímpeto do seu lado durante vários minutos, sendo que foram aproveitando para provocar Sting, sendo que “All Ego” aproveitou e atirou o ex-TNT Champion para o meio do público.

Quando Darby Allin conseguiu alguma ofensiva e fez o tag a Sting, o “Icon” entrou com tudo e decidido a virar o combate do avesso, e foi isso que aconteceu, sendo que os quatro lutadores acabaram por decidir mandar as regras ao ar e dar tudo para vencer.

No final, Scorpio Sky e Sting estavam no ringue e parecia que o primeiro ia conseguir usar a sua velocidade para apanhar o Hall of Famer, mas no final e com o Scorpion Death Drop, o “Icon” venceu este combate.

– AEW World Champion Kenny Omega venceu PAC e Orange Cassidy: Kenny Omega e PAC quiseram despachar Orange Cassidy e lutar sozinhos, mas “Freshly Squeezed” decidiu que este era um combate digno do seu esforço e teve algum ímpeto. Ainda assim, PAC acabou também por ter algum ímpeto, mas uma Triple Threat é sempre uma confusão e o campeão também dominou.

No meio do caos que é um combate com esta dinâmica, foi mesmo AEW World Champion que teve um pouco mais de ímpeto, mas é impossível alguém ter o controlo a 100% num combate assim.

Com o passar dos minutos o cansaço foi aparecendo e as quase vitórias também, sendo que os três tiveram hipótese de sair deste Double or Nothing com o AEW World Championship, em especial Orange Cassidy, quando quase venceu o combate por três vezes, sendo que Don Callis roubou o “Freshly Squeezed”.

Quando PAC parecia que ia vencer, Kenny Omega decidiu que era boa ideia atacar o árbitro e assim pôde usar todos os seus títulos para atacar o britânico. Ainda assim, no meio desta confusão, Orange Cassidy acertou mais um Orange Punch e parecia que ia vencer de vez, mas Kenny Omega com um Crucifix Pin vindo do nada reteve o seu título.

Antes do main event, Tony Schiavone foi ao ringue e anunciou Mark Henry como o comentador do AEW Rampage, novo programa televisivo que irá estrear no próximo mês de Agosto.

– Inner Circle venceram The Pinnacle (Stadium Stampede Match): O Stadium Stampede abriu com o Inner Circle a fazerem uma entrada incrível e estes começaram a perseguir MJF, que se escondeu na sua limusine, o que abriu espaço para que os restantes membros dos Pinnacle aparecessem num jipe e assim começasse a guerra.

Já com MJF a fugir de Chris Jericho, a luta aconteceu por todo o estádio e vimos os mais variados objectos a serem usados como arma, sendo que até os treinadores dos Jacksonville Jaguars ajudaram o “Le Champion”.

Jake Hager e Wardlow tentaram impor o seu físico um contra o outro, tendo até lutado dentro de um congelador, sendo que o lutador dos Pinnacle mostrou mais uma vez toda a sua potência.

Já Sammy Guevara e Shawn Spears também foram lutando um contra o outro, sendo que a agilidade do “Spanish God” ajudou-o a levar a melhor, pelo menos até ir de cabeça contra a porta da garagem, mas continuou na luta, isto até o “Chairman” algemá-lo.

Os FTR e Santana & Ortiz entraram num clube de música e decidiram espancar todas as pessoas que lá estavam, sendo que Tully Blanchard acabou por servir um copo aos quatro lutadores, antes deles voltarem para a guerra.

Isto enquanto Konnan já estava a meter música e também a equilibrar as contas ao dar conta de Tully Blanchard. Já depois de termos visto algumas garrafas a voar, Santana e Cash Wheeler acabaram por entrar num elevador e voltámos à guerra entre os dois grandalhões do grupo, onde vimos Jake Hager a fazer Wardlow atravessar uma estante.

Na zona dos escritórios, tivemos MJF a fazer do braço lesionado de Chris Jericho o seu alvo preferencial e o jovem lutador quase venceu este combate para os Pinnacle. Já com MJF a sangrar depois de ter atravessado uma porta de vidro, Chris Jericho arrastou o seu rival para o Daily’s Place e os dois lutaram no meio do público.

Shawn Spears, que já estava a fugir dos motoqueiros, acabou por também fugir de Sammy Guevara, que estava num carro de golfe e atropelou assim o seu rival, fazendo lembrar o que sofreu no ano passado.

Já no ringue da AEW, Shawn Spears e a sua cadeira quase venceram o “Spanish God” por várias vezes, mas no final Sammy Guevara sobreviveu e acertou o seu 630 e venceu este Stadium Stampede Match, para assim os Inner Circle poderem continuar juntos. O show terminou com uma grande reação do público.


O que achaste deste AEW Double or Nothing?

23 Comentários

  1. Que seja um grande PPV malta

  2. El Cuebro2 semanas

    Adam Page o próximo contender ao World Title? E bem que poderíamos ter tido Serena vs Rosa vs Kamille por esse título hein!

  3. Kay Orton2 semanas

    amigos e amigas, falando SÉRIO !!!!

    a fan base e fãs absurdamente chatos fazem qualquer um perder o interesse em saber o que acontece na AEW, inclusive eu fui uma dessas pessoas.
    mas é INEGÁVEL que o que essa empresa e seus empregados fazem é BOM PRA CARALHO e sempre tentam sair do clichê do Wrestling da WWE.

    eu amei tudo que aconteceu nesse show

  4. Joelson Souza Ribeiro2 semanas

    Foi massa no final, a luta do chris Jericó e o público cantando Song. Do chris foi top demais ce tá doido.

  5. Kaiser2 semanas

    Show muito muito bom, eu daria 9/10, só não dou 10/10 pela luta do Cody, que não foi nada de especial e para mim perdeu o homem errado, e pela Miro/Archer que ficou a dever um pouco.

  6. Que vibe boa! Que show incrível! que presença imponente do público! Foi sensacional! Agr é esperar a coleguinha copiar e colocar o público de volta também hahahahaha hoje não teve Gif da Shotzi.

  7. Rafael2 semanas

    Boa noite. Foi um PPV muito bem conseguido pela AEW, há que dar os parabéns a uma empresa tão recente, em que por norma entrega um produto com tanta qualidade semana após semana. E penso que o melhor está para vir mesmo, a AEW com fãs, é sem dúvida um show ainda mais atractivo.
    Como fan de wrestling desde 2003 até 2008 (altura em que para mim, a WWE deixou de entregar qualidade), sem dúvida que neste momento, o único produto que sigo e que me atrai é a AEW.
    Maiores destaques positivos para mim vai para o combate dos Young Bucks vs Moxley & Eddie, foi um óptimo combate, apesar que leis de tag… Simplesmente não existem.
    Destaco sem dúvida Sting, palavras para quê? Um senhor do wrestling, em que se apresentou muito bem, depois de 6 anos. Destaco a vitória do Jungle Boy, num combate pouco ou nada organizado, e super estranho, com eliminações bizarras, e um “joker” que pouco ou nada acrescentou, valeu uma boa vitória do miúdo.
    Cage vs Hangman foi um óptimo combate, espero que seja o virar de página para Cage, porque acredito que ele consiga ser um baby face brevemente.
    Em relação a todos os outros combates, foram bons no geral, apesar que o combate do Cody vs Ogogo pouco me disse, como o combate do Miro vs Archer, foram qb, apesar de não terem atraído muito a minha atenção.
    Alguns reparos, achei que o Christian teve pouco hype na sua entrada, com lotação cheia.
    Entendo toda a situação, mas penso que o DON merecia uma representação bem melhor.
    No fundo, foi um excelente PPV, de uma promotora que tem muito para crescer, e com os fãs acredito que vá crescer ainda mais rápido.

  8. Rafael2 semanas

    Esqueci de referir, que o final deste PPV foi simplesmente fantástico, com a vitória do Inner Circle, e com todos os fãs a entrarem no clima, foi sem dúvida um bom momento da AEW. Um abraço a todos.

  9. Seja bem vindo grande Henry e Lio Rush!

  10. Gostei:
    – Hangman Page vs Brian Cage abriu o show e de que forma! Uma luta de grandalhões com acrobacias incríveis. O público estava interessadíssimo e os 2 aproveitaram isso. No entanto, houve algumas falhas.
    – Moxley & Kingston vs Young Bucks pelos AEW Tag Team Titles e, a partir do momento em que viu-se a ovação que Moxley & Kingston receberam, sabia-se que ia ser especial. Young Bucks mais uma vez a exagerarem como heels, mas isto até funcionou com o público! O público esteve super interessado aqui, o que deu mais entusiasmo ao combate, algo que não se via há algum tempo. Combate que recomendo a ver
    – Casino Battle Royal e, provavelmente, a melhor Battle Royal da AEW até hoje, que produziu uma estrela, Jungle Boy! Sim, ele já fez parte de grandes combates, mas esta vitória é o que vai lançar ao topo. A battle royal avançou storylines atuais, e não ignorou anteriores. Apesar da estreia de Lio Rush, ele botchou o seu finisher não 1, mas 2 vezes, continuando a maldição imposta por Matt Sydal. Acredito que o Christian a vencer era o plano original, mas o Jungle Boy foi surpreendente e até gostei mais desta escolha.
    – Miro vs Archer foi divertido, mas teve pouco tempo. Ambos mostraram paixão, cumpriram o que tinham a cumprir e mereciam mais tempo. O Miro a atirar a cobra foi bem feito. Era só mesmo + tempo.
    – Shida vs Baker pelo AEW Women’s Championship e isto é o fim perfeito para o reinado da Shida, com ambas a matarem-se. O público demorou a ficar interessado, pois já estavam mortos, mas o combate arrancou quando eles ligaram. Ambas as mulheres trabalharam bem e a Shida mostrou um novo lado dela. No entanto, houve alguns botches.
    – Sting & Darby Allin vs Ethan Page & Scorpio Sky, no 1º combate de Sting em 6 anos, e raios, o velhote ainda aguenta. Todos os 4 estiveram bem e o Page & Sky fizeram bem o papel de heels. Darby continuou com os seus spots de doidos e o Sting fez-me lembrar o Sting da TNA, quando ainda lutava frequentemente. Ótimo.
    – Omega vs Cassidy vs PAC pelo AEW Championship e era o que se esperava, grandeza. Desfrutável do início ao fim! Não importa se acham que o Cassidy devia estar no main event, ele foi o face perfeito aqui e o público inteiro estava a apoiá-lo. PAC fez bem o papel de tweener e Omega também o papel de heel. O fim pode ser algo exagerado mas não se pode culpar, sendo que é o 1º PPV com arena cheia, natural que exagerem. Algumas falhas no início foram compensadas pelos minutos seguintes em que os 3 combinaram muito bem. Recomendo a verem
    – The Pinnacle vs Inner Circle e tal como ano passado, é subjetivo se gostaram do Stadium Stampede. Mas foi super divertido. Sim, há algumas falhas, como quando os FTR e Santana & Ortiz desapareceram por quase 10 minutos, mas é difícil de bookar isto e a menor quantidade de câmaras ajudou imenso. Houve comédia, ninguém saiu fraco aqui. Uma forma divertida de terminar o show!

    Não Gostei:
    – Cody vs Anthony Ogogo, e isto era um combate super previsível á partida, portanto esperava-se um double turn na tentativa de surpreender. Mas não, aconteceu exatamente como se previa. Não foi mau, mas também não foi bom. Bastou. O Cody pareceu até algo xenófobo para com os Britânicos. Mas isso só foi uma impressão minha, posso estar errado.

    Overall: 8/10. A AEW entregou mais um PPV, com vários combates de qualidade, bem feitos e um público incrível. No entanto, o show pareceu algo arrastado e alguns combates tiveram tempo a mais, tempo que podia ter ajudado, por exemplo, Miro vs Archer. O ponto mais baixo do show é Cody vs Ogogo, que não foi suficiente para a feud que tiveram a construir e o Ogogo não sai daqui mais estrela do que era antes.

  11. Minun2 semanas

    Vamos lá, assisti o show inteiro e tenho culhão para dar palpites:

    Foi um excelente show, eu falei que ver o público naquela maneira me desagradava um pouco, pois a situação do vírus não é de total segurança, mas esqueço que praticamente só o Brasil está no fundo do poço ainda.
    Pra começar um o Buy-In e sinceramente não vejo nada de especial da Serena Deeb, desde que estava na WWE na verdade, ela é só mais uma lutadora e quem estragou o espetáculo mesmo foi a Riho, que tem moves interessantes e é de tempos o meu pódio de lutadoras favoritas da AEW.
    Vou pular combates chatos, Adam Page sendo Adam Page e o Brian Cage sei lá, nada de especial.
    O combate de duplas não me surpreendeu, foi bom não minto mas eu já vejo esse mesmo estilo do Young Bucks a anos e Mox com o Kingston não parece uma tag interessante de início, mas depois que foi pegando ritmo melhorou, poderiam muito bem deixar esse combate mais pro meio do show.
    O Cassino Battle Royale só me agradou no final, Jungle Boy é mesmo um dos melhores lutadores da empresa, tem agilidade, tem frieza para enfrentar o Christian frente a frente e ganhar, e o final com o público a cantar a música tema dele foi de arrepiar.
    Cody e Ogogo eu esperava muito mais, não sei se é o amadorismo do campeão de bronze olímpico ou se foi o Cody que não se entregou ao combate, já vi melhores como Dustin e ele ou o combate contra o MJF.
    Miro e Lance Archer foi a mesma coisa que ver Rusev vs Big Show ou Rusev vs Great Khali (não estou dizendo que esses combates aconteceram, mas é a mesma coisa, Rusev vs um cara gigante e ruim), o Archer é pouco veloz, é um cara imponente que não se ajuda e o Rusev é o Rusev.
    Finalmente um combate legal e divertido, D.M.D merece esse título desde o primeiro dia que pisou na AEW e a Shida estava espetacular, os moves delas são ótimos e é muito ágil também, mesmo com uma muletada na cara a Baker não desistiu e ganhou a bagaça, incrível.
    Combate que deixou a desejar foi o de Darby e Sting, não sei se é por causa do Sting já ter 60 anos nas costas e ele sempre faz as mesmas coisas ou o fato dos oponentes não serem os melhores, eu adorava Ethan Page no The North e o o Scorpio no SCU, mas eles juntos não são legais, não combinam muito e nem nada do tipo, só foi um combate de duplas normal, o Darby fez o combate inteiro solo praticamente.
    Vocês podem me xingar, mas o título mundial foi um combate daora com uma retenção meio chata, o Cassidy só tomou sova o combate todo, queria mais dele por ser um dos meus favoritos na empresa e o PAC se entregou demais sendo que nem precisava de tudo aquilo. O Kenny quer se livrar do The Cleaner mas esse personagem não quer se livrar dele, é o mesmo personagem que ele fazia a três anos atrás na NJPW, muda por favor.
    O combate final eu não tinha já visto no ano passado?? a, foi uma releitura igualzinha, não sabia desculpa.
    Eu iria dar 6 de 10 mas é pouco, por causa do Jungle Boy eu vou dar 7,5 de 10. É isso e bom dia.

  12. Facebook Profile photo

    Apesar de não ser o maior fã da aew, tenho de admitir que este ppv foi excelente. O grande fator diferenciador foi obviamente a crowd (a falta que faz) mas os combates também foram bastante bons. Apenas não gostei da quantidade já habitual mas ainda assim absurda de false finishes, especialmente quando tivemos para ai 3 ou 4 piledrivers no show inteiro e todos levaram kickout. O maior destaque vai para os inner circle, temos aqui uma stable babyface incrível, mas isso e normal tendo em conta que o jericho esta la. Alem disso, e impossivel nao ficarem over quando tem uma entrada daquelas, meu deus que entrance mais badass, incrivel. Excelente show, 9/10.

  13. Facebook Profile photo
    Hugo2 semanas

    De longe o melhor PPV do ano até agora! Na minha opinião meteu a Wrestlemania no bolso. E atenção que não sou AEW Mark, acompanho sempre tanto a WWE como a AEW, mas isto sim foi um grande PPV praticamente de início ao fim e claro que ter o público de volta faz mesmo muita diferença.

  14. BRRM2 semanas

    PPV mesmo muito bom apesar de ter caído um pouco de qualidade ali pelo meio. Agora até me faz confusão ver tanta gente junta e sem máscara mas não há nada como ver um belo evento de wrestling com o público “on fire”.

    Serena vs Riho – pre-shows não deviam ter combates tão bons como este. Estiveram as duas mesmo muito bem e a Serena, de um modo particular, esteve brutal ao apresentar-se com uma nova atitude para vender a frustração causada pela derrota e lesão sofridas no último combate contra a japonesa.

    Hangman vs Cage – combate muito bem trabalhado e a saída do Brian do Team Taz parece cada vez mais evidente…

    Bucks vs Moxley & Kingston – mais um ótimo combate cheio de emoção e storytelling de qualidade

    Casino Battle Royal – não gosto e provavelmente nunca vou gostar do conceito deste combate, há sempre demasiada confusão. Só o final é que se pode destacar daqui.

    Cody vs Ogogo – foi razoável. O Anthony claramente ainda tem que melhorar mas nota-se bem o potencial dele.

    Miro vs Archer – estava à espera de melhor mas já foi bom. Agora gostava era de ver uma rematch com mais tempo e talvez com alguma estipulação.

    Baker vs Shida – pode-se dizer que foi bom mas não o suficiente para chegar ao próximo nível (o que coincide com a minha opinião sobre a maioria dos combates da Hikaru e do reinado dela em si). Vitória super merecida da Britt

    Sting & Darby vs Sky & Page – combate bastante agradável e o Stinger apresentou-se em excelente forma, adorei vê-lo assim

    Omega vs PAC vs Orange – um slow-burner com uma reta final incrível

    Inner Circle vs Pinnacle – foi bué entertaining e, sem dúvida, melhor do que o Blood and Guts mas acho que podiam ter dado um pouco mais de destaque para os FTR e Santana & Ortiz. Mas ya, de resto foi brutal

  15. Grande PPV, gostei de ver a AEW a dar grandes vitória ao Sammy e ao Jungle Boy
    Não gostei do Cody vs Agogo, em primeiro era escusado fazer disto um USA vs UK, e já sabemos quando é assim ganha sempre o USA, depois o combate foi um pouco secante e o Agogo, apesar de bons pormenores, foi derrotado quando acho que deveria continuar como um tipo dominante, espero que consigam dar a volta a esta situação
    Miro vs Lance Archer deveria ter tido um pouco mais tempo
    Destacar também o Sting, incrível o que um tipo com 62 anos consegue ainda fazer

  16. Sw2 semanas

    É isto AEW. É isto que a gente quer. Topppp

  17. Excelente PPV da AEW (já é candidato a melhor do ano, a meu ver)! Os fãs fazem a diferença em muitos casos e este Double or Nothing 2021 foi excelente não só pela ação dentro do ringue como também pelo estado eufórico da arena. Logo no Buy-In deste evento, belo combate entre Serena Deeb e Riho (nem parecia um típico bout de pre-show pela sua longevidade e qualidade).
    Seguiram-se momentos e confrontos bastante bons (sinceramente não houve nenhum match que tenha sido mau), sendo que destacaria: o outfit de Brian Cage; a gear de Cody Rhodes; os grandes pops para “Hangman” Adam Page, Jon Moxley & Eddie Kingston, Jungle Boy, Britt Baker, Darby Allin & Sting, Orange Cassidy e Kenny Omega; a emoção de Hikaru Shida ao ver tantos fãs; o abraço sentido de Tony Schiavone à Doctor; o público a cantar “You still got it” para o “Icon” que se mexeu lindamente e teve uma performance notável para a sua idade; todos os title matches foram porreiros (particularmente o combate pelos títulos de equipas entre Young Bucks e Moxley & Kingston – match of the night, para mim); os aparecimentos surpreendentes de Lio Rush e Mark Henry; e mais um ótimo Stadium Stampede Match com a entrada espetacular do Inner Circle, cameos engraçadas e vários spots brutais.

  18. Jerry Tyler2 semanas

    Nada me tira o fato do Ethan Page ter saído da divisão de duplas da TNA pra ser colocado na divisão de duplas da AEW, e o Scorpio Sky sair da SCU, ganhar o anel do Sonic e voltar pras duplas com o Ethan Page kkkkk

  19. Anónimo2 semanas

    Foi um bom PPV. Bom combate entre o Adam Page e Brian Cage. O combate entre a HIkaru Shida e Britt Baker, teve os seus bons momentos, mas com alguns botchs pelo meio. Bom combate entre Omega, Pac e Orange. O combate entre os Inner Circle e Pinnacle, foi divertido e agradável de ver.

  20. Cebolinha de Moicano2 semanas

    A crowd é realmente a essência do wrestling, sem ela fica igual a futebol sem bola.

  21. DaniFixe2 semanas

    É de mim ou o combate dos Young Bucks teve momentos de paródia ao Hulk Hogan e Randy Savage?