Equilíbrio de Forças na NJPW após a Tour New Beginning

Nesta tour da New Japan Pro Wrestling contávamos à partida com 2 grandes destaques: a guerra CHAOS vs Suzuki-gun (New Beginning in Sapporo) e os desafios aos reinados dos Los Ingobernables de Japon e a tentativa de reconquistar os títulos de trios (New Beginning in Osaka).

Foi dado a conhecer que os Bullet Club ficariam de fora destes shows depois de terem perdido todos os títulos que detinham no Wrestle Kingdom, assim como a derrota de Kenny Omega contra Okada na tentativa de ganhar o IWGP Heavyweight Championship.

À primeira vista, saíamos do Wrestle Kingdom 11 com os CHAOS e os Los Ingobernables de Japon com bastante ouro e portanto com bastante poder, pelo que se verificava um equilíbrio entre os 2 grupos.

CHAOS após o Wrestle Kingdom 11:

  • IWGP Heavyweight Championship – Kazuchika Okada
  • NEVER Openweight Championship – Hirooki Goto
  • IWGP Heavyweight Tag Team Championship – Toru Yano & Tomohiro Ishii
  • IWGP Jr. Heavyweight Tag Team Championship – Roppongi Vice (Beretta & Rocky Romero)

Los Ingobernables de Japon após o Wrestle Kingdom 11:

  • IWGP Intercontinental Championship – Tetsuya Naito
  • IWGP Jr. Heavyweight Championship – Hiromu Takahashi
  • NEVER Openweight 6-Man Tag Team Championships – Evil, Bushi & Sanada

Tínhamos portanto CHAOS e LIJ em destaque, com Bullet Club e os Sekigun (membros da NJPW, maioritariamente babyfaces que não se encontram associados a um outro grupo), a terem um papel secundário.

No entanto, no dia após o WK11, o New Year Dash trouxe-nos uns novos NEVER Openweight 6-Man Tag Team Champions com o trio composto por Hiroshi Tanahashi, Manabu Nakanishi & Ryusuke Taguchi a surpreender o trio dos LIJ:

O New Year Dash lançou também novos desafios aos 2 campeões de singles dos Los Ingobernables de Japon, com Michael Elgin a chegar-se à frente para desafiar Tetsuya Naito e o mexicano Dragon Lee a colocar em risco o ainda recente reinado da “Ticking Time Bomb” Hiromu Takahashi:

O evento viu ainda a vitória conquistada de Juice Robinson sobre Hirooki Goto num tag match (que viria a ser a base para o combate entre os dois no passado dia 5 em Sapporo):

Apesar de tudo isso, a maior novidade e surpresa foi o regresso inesperado de Minoru Suzuki e do seu grupo, Suzuki-gun, após uma ausência de 2 anos da empresa. O grupo destruiu todos os membros dos CHAOS, com Minoru Suzuki a focar-se em Kazuchika Okada e a deixar um muito sério aviso e uma intenção clara de conquistar o ouro de Okada:

Porém, as intenções de Suzuki não ficavam por aí, após revelar que o objetivo era levar o seu grupo a conquistar todo o ouro possível na empresa, com desafios imediatos aos 2 títulos de Tag Team dos CHAOS:

No essencial, as fundações para os shows de Sapporo e Osaka foram lançadas no New Year Dash.

Após tal domínio dos Suzuki-gun no seu regresso, seria de esperar que o grupo liderado por Minoru Suzuki trouxesse um verdadeiro abanão, senão mesmo uma revolução no equilíbrio de poder dentro da NJPW. Mas tal não aconteceu…

Os Suzuki-gun estavam a lutar em 3 frentes no New Beginning in Sapporo:

  • IWGP Heavyweight Championship – Minoru Suzuki a desafiar o campeão Kazuchika Okada
  • IWGP Heavyweight Tag Team Championship – Killer Elite Squad (Lance Archer & Davey Boy Smith Jr.) a desafiarem os campeões Toru Yano & Tomohiro Ishii
  • IWGP Jr. Heavyweight Tag Team Championship – Taka Michinoku & Taichi a desafiarem os campeões Roppongi Vice

Todos estes combates tinham algo em comum à partida: duelos Suzuki-gun vs. CHAOS. Mas contrariamente ao esperado, as semelhanças não se estenderam a resultados favoráveis aos Suzuki-gun, mas sim aos CHAOS, com o grupo de Minoru Suzuki a sair derrotado em todas as title matches.

Foi portanto uma derrota em toda a linha para Minoru Suzuki e os seus seguidores, que ao regressarem à NJPW falharam na sua demanda para conquistar ouro (pelo menos por agora).

Não se concretizou portanto aquilo que seria a “ameaça” dos Suzuki-gun destronarem os CHAOS em 3 frentes, em especial no IWGP Heavyweight Championship (principal título da empresa).

Os Suzuki-gun viram ainda El Desperado a ficar fora do show de Osaka por gripe e Lance Archer após o show de Sapporo a anunciar que estava lesionado e que precisava de ser operado, pelo que ficaria de fora do show de Osaka e dos próximos tempos na NJPW:

Isto levou o grupo a colocar Takashi Iizuka como parceiro de Davey Boy Smith Jr. na title match que voltariam a ter no New Beginning in Osaka (passado dia 11 de Fevereiro), mas a equipa improvisada acabou por também não ter sucesso.

Nem tudo é mau, até porque Yoshinobu Kanemaru e El Desperado chegaram-se à frente para desafiar os Roppongi Vice, pelo que os IWGP Jr. Heavyweight Tag Team Championships ainda podem futuramente vir a parar às cinturas de membros dos Suzuki-gun:

No entanto, o balanço é claramente negativo para os Suzuki-gun neste momento no que diz respeito aos objectivos iniciais do grupo.

Quanto aos CHAOS, por contraste, conseguiram defender os seus títulos da ameaça dos Suzuki-gun, com Okada, Yano/Ishii e os Roppongi Vice a serem bem sucedidos nas suas defesas. O grupo contou ainda com o sucesso de Hirooki Goto na sua defesa do NEVER Openweight Championship contra Juice Robinson, pelo que os CHAOS mantiveram todos os títulos com que entraram nesta tour, estendendo assim os seus reinados e mantendo a sua influência, numa tour que se adivinhava uma verdadeira ameaça para o grupo.

Por último, os Los Ingobernables de Japon, tiveram também uma tour muito bem sucedida, em particular no New Beginning in Osaka. Começariam por recuperar os NEVER Openweight 6-Man Tag Team Championships com o trio composto por Evil, Bushi & Sanada. O sucesso estender-se-ia a Hiromu Takahashi que num grande combate com Dragon Lee conseguiria também ele sair vencedor, defendendo o IWGP Jr. Heavyweight Championship com sucesso:

E para coroar toda a eficácia de resultados do grupo, também o líder Tetsuya Naito manteria nos Los Ingobernables de Japon o IWGP Intercontinental Championship numa defesa contra Michael Elgin:

Portanto, em termos absolutos, aquilo que se esperava que fosse uma tour que significasse efectivamente um New Beginning (um novo começo), na verdade acabou por se revelar uma manutenção do estado de coisas após o Wrestle Kingdom, com todos os títulos a ficarem exactamente onde estavam após a noite de 4 de Janeiro, com CHAOS e Los Ingobernables de Japon a manterem os seus títulos relativamente a essa altura (ainda que tenha havido uma “dança” nos títulos de trios).

Campeões após a Tour New Beginning:

  • IWGP Heavyweight Champion – Kazuchika Okada (CHAOS)
  • IWGP Intercontinental Champion – Tetsuya Naito (LIJ)
  • NEVER Openweight Champion – Hirooki Goto (CHAOS)
  • IWGP Jr. Heavyweight Champion – Hiromu Takahashi (LIJ)
  • IWGP Heavyweight Tag Team Champions – Toru Yano & Tomohiro Ishii (CHAOS)
  • IWGP Jr. Heavyweight Tag Team Champions – Roppongi Vice (CHAOS)
  • NEVER Openweight 6-Man Tag Team Champions – Evil, Bushi & Sanada (LIJ)

Os próximos tempos na NJPW prometem o regresso já anunciado do Bullet Club no final de Fevereiro, mais investidas dos Suzuki-gun (com Minoru Suzuki ainda com “unfinished business” com Okada) e a esperada New Japan Cup em Março que nos levará até ao início de Abril ao Sakura Genesis, em que o destaque irá para o combate entre o vencedor da NJ Cup e o campeão que este escolher desafiar (por tradição o IWGP Heavyweight Champion).

Talvez os próximos tempos tragam mudanças, ou pelo menos é expectável que tragam, dado que parece pouco provável que os CHAOS como facção babyface se consigam defender de 3 facções heel (Los Ingobernables de Japon, Bullet Club e Suzuki-gun), mas por agora, CHAOS e LIJ mandam na New Japan Pro Wrestling, com os seus representantes máximos Okada e Naito, respectivamente, à cabeça e a terem destaque máximo e a serem neste momento as apostas da empresa.

Sobre o Autor

Foto de perfil do Facebook
- Autor do podcast Canto New Japan.

13 Comentários

  1. Dragoking - há 8 meses

    Excelente resumo Miguel! Parabéns

    • Foto de perfil do Facebook

      Miguel Ambr0s3 - há 8 meses

      Obrigado ^^

      Tentei fazer algo o mais completo possível, embora tenha “ignorado” storylines como a do Shibata (que não era por um título da NJPW e portanto não entrava nas contas das influências dos grupos da empresa) e não tendo focado muito nos CHAOS, até porque o destaque maior nos últimos tempos tinha sido dado aos Suzuki-gun.

  2. KILL OWENS KILL - há 8 meses

    Post muito foda! Deu pra entender até um pouco mais de como funciona a NJPW, muito bom mesmo.

    Me agrada bastante essa “guerra” de Stables, é uma ótima característica para a New Japan. Concordo com o pessoal que comentou no post do último PPV da empresa sobre os Suguki-gun terem sido todos derrotados, mas devemos dar o benefício da duvida, pois está mesmo parecendo que vem algo por aí.

    Ansioso pelo retorno do Bullet Club, principalmente do Omega. Quero que eles voltem chutando tudo!

    • Foto de perfil do Facebook

      Miguel Ambr0s3 - há 8 meses

      Muito obrigado pelo comentário e pelo elogio!

      Na New Japan muitas vezes temos o equilíbrio de poder dos grupos por detrás das storylines entre personagens, portanto cada evento pode significar mudanças nessa dinâmica.
      Por exemplo, o ano passado nesta altura os Los Ingobernables de Japon eram apenas o Naito, o Evil e o Bushi e nenhum deles tinha qualquer título. É incrível ver o quão popular se tornou o grupo e com a popularidade veio a influência, seja nas vendas de merchandise (os LIJ estão sempre nos lugares cimeiros das vendas) ou nos títulos e na confiança que a empresa deposita neles.

      Pessoalmente fiquei desiludido com o que foram os resultados dos Suzuki-gun no New Beginning mas a verdade é que normalmente se a NJPW opta por algo que possa desiludir os fãs ou deixar algo aparentemente por “entregar”, é porque tudo isso fará parte de uma história maior lá mais à frente no ano (ou pelo menos é o que também quero acreditar).

      O Bullet Club vai ter de voltar em força, mas estou curioso como a NJPW irá lidar com 3 facções heel e a distribuição da influência e do destaque que dão a cada uma.

      Neste momento a única facção heel que tem títulos é os LIJ, pelo que o Bullet Club e os Suzuki-gun terão de começar a apresentar resultados.

      • KILL OWENS KILL - há 8 meses

        É interessante que muitos vezes o sucesso do grupo anda lado a lado com o sucesso do seu líder, aí é muito foda ver o caçada que esses grupos Heels fazem ao Okada e tals. Contudo, a parada mais sensacional na NJPW na minha opinião, é como essa mesmas Stables vilãs podem se enfrentar, sem parecer algo nada haver. As facções são muito bem caracterizadas e seria do caralho ver um LIJ VS BC ou BC VS Suguki-Gun. Muito bacana, esse ano tem tudo pra ser ótimo para a New Japan.

        Gostei muito mesmo desse artigo e se vou achar ótimo se quiser fazer mais desse tipo com essas análises, não precisa nem se limitar apenas na NJPW. Grande trabalho.

      • Foto de perfil do Facebook

        Miguel Ambr0s3 - há 8 meses

        O líder de um grupo é a sua peça principal, o que leva a que o sucesso ou insucesso dele afecte a imagem do grupo em termos de credibilidade aos olhos dos fãs. Por essa razão era impossível dizer que antes do WK os CHAOS eram um fracasso, dado que o Okada dominou a title picture do IWGP Heavyweight Championship por mais de um ano e ainda domina no presente, apesar de o resto do grupo só conquistar títulos através dos Roppongi Vice ou do Ishii muito esporadicamente.

        As guerras entre stables são algo muito interessante e dá aquela sensação de “competição de marcas” e da força que elas têm junto do público. Por exemplo, os LIJ têm sido uma enorme aposta da NJPW apesar de ser a stable mais recente da empresa.
        Além disso, alturas do ano como o G1 Climax potenciam combates entre membros da mesma stable (ex: Naito vs. Evil no ano passado) e são testes à solidez do grupo e aos indivíduos que podem ou não surpreender o líder se for um combate justo.

        O ano passado era um ano de grande desafio para a NJPW, depois da saída de talentos como o AJ Styles e o Nakamura para a WWE. Este ano é uma oportunidade de continuar a construir em cima da grande resposta que a NJPW deu em 2016 com push’s ao Naito e ao Omega em especial.

        Obrigado uma vez mais pelo elogio. Como tem sido boa a reacção, eu espero poder fazer esta análise periodicamente. Quero focar na NJPW porque é o produto que acompanho mais e por não haver muito sobre a New Japan na Comunidade.

  3. JoãoRkNO - há 8 meses

    Excelente Miguel, excelente. Este artigo deu para ver de uma forma mais realística e esclarecedora o funcionamento da New Japan. É um produto único, não comparável a TNA´s, WWE´s, ROH´s, etc etc.

    • Foto de perfil do Facebook

      Miguel Ambr0s3 - há 8 meses

      Obrigado!

      Os comentários são a melhor forma de medir o que é entregue no artigo.

      O booking da NJPW no geral é lógico e acessível para seguir mas tem sempre em conta o “poder” que é dado a cada grupo.

      Os CHAOS por exemplo estiveram muito tempo dependentes praticamente em exclusivo do reinado do Okada e agora controlam as duas divisões de tag team e têm o NEVER Openweight Championship. O mesmo se passou com os LIJ que dependeram muito tempo apenas do Naito para ter ouro no grupo.

      A New Japan é um produto diferente e também o dito “Strong Style” e os combates mais focados na psicologia não são a “praia” para muitos fãs. No fundo, o público New Japan acaba por ser uma porção muito pequena da Comunidade, seja em termos mundiais ou de língua portuguesa.

  4. The Demon Jorge - há 8 meses

    Grande artigo e muitos parabéns.
    Fiquei mesmo muito feliz quando vi este artigo sobre a NJPW uma vez que não é muito comum na comunidade.
    Sou um grande fã da WWE como quase todos nós aqui na comunidade, e foi devido à WWE que comecei a ver Wrestling, mas quase todos nós ao longo do tempo sofremos uma evolução na qual deixamos de ser apenas fãs da WWE e passamos a ser fãs de wrestling em si, e nesse momento começa a surgir o circuito independente. Quando sofri essa evolução descobri a NJPW e decidi dar lhe uma oportunidade. Felizmente o primeiro evento que vi foi o Wrestle Kingdom 10 e foi “amor à primeira vista”. Desde então tornei me um seguidor de NJPW e graças ao Dailymotion consigo acompanhar quase todos os shows. Continuo a ser fã incondicional da WWE, mas neste momento tenho de dizer que a minha companhia favorita é a NJPW que me conquistou com o seu booking altamente coerente (algo não muito recorrente na WWE) e por personagens únicas e wrestlers fenomenais como Naito, Okada e Omega.
    Sem dúvida que espero que continues a publicar sobre a NJPW e se possível com mais frequência uma vez que este artigo estava espetacular. E quem sabe poderíamos formar um pequeno “ninho” de fãs da WWE na comunidade. Cumprimentos, Jorge

    • The Demon Jorge - há 8 meses

      *pequeno “ninho” de fãs da NJPW na comunidade.

    • Foto de perfil do Facebook

      Miguel Ambr0s3 - há 8 meses

      Muito obrigado pelo comentário e pela opinião! É sem dúvida uma boa forma de ver que há interesse e que os artigos chegam a quem acompanha ou quer acompanhar mais NJPW!

      A New Japan não tem a atenção devida mas se a queremos divulgar mais, tem de se começar por algum lado, certo?

      Neste momento tenho um podcast sobre a NJPW, que anteriormente tinha o formato de artigo aqui no Wrestling.PT (se fores ver os posts da minha autoria encontras certamente), pelo que já há quase um ano que produzo conteúdo sobre a empresa.

      Eu passei a olhar para a NJPW muito por culpa da WWE e do quão desiludido eu me encontrava com o produto deles e acabei por experimentar ver o que se fazia no Japão e fiquei “agarrado”. Acabo por ver todos os major shows e até alguns “Road To” para estar o mais a par possível de tudo o que se passa.

      Quanto a continuar a publicar, estou a preparar um artigo sobre o Okada.

      A ideia é mesmo essa, criar cada vez mais interesse na Comunidade para que se siga a NJPW.

      Se todos os fãs tivessem uma mente mais aberta e saltassem por cima da barreira linguística e da menor acessibilidade do produto da NJPW face à WWE, não vejo porque é que não poderíamos ter internacionalmente uma Comunidade de fãs de New Japan muito mais vasta.

      Obrigado uma vez mais pelo comentário!

      • The Demon Jorge - há 8 meses

        Neste momento acompanho todos os major shows e respectivas roads to através do Dailymotion.
        Tal como tu, comecei a procurar Wrestling fora da WWE devido à minha paixão por esta modalidade, e claro, devido às já comuns frustrações de um fã da WWE. Graças a um vídeo do João Basílio, o primeiro show que vi foi o WK 10 e foi espetacular e talvez um dos melhores shows de Wrestling que vi desde sempre. Desde aí tal como tu fiquei agarrado à NJPW, e tornou se no meu produto de wrestling favorito (a magia de um booking coerente).
        Espero que continues os artigos, e que isto se torne semanal para trazermos esta fantástica companhia à comunidade do WPT.

      • Foto de perfil do Facebook

        Miguel Ambr0s3 - há 8 meses

        Concordo contigo e para mim em boa parte (com excepção do NXT praticamente e de boa parte do que acontece no SmackDown) a WWE tornou-se algo para que eu olho mais com a nostalgia de outros tempos mais satisfatórios para mim enquanto fã e ainda fico um pouco na expectativa de ver quando é que a WWE começa a usar realmente todo o talento que tem de forma eficiente.

        Não posso prometer artigos semanais para já, mas há ideias para alguns artigos, sim!

Comentar

Editar avatar »