Navega no Wrestling PT sem pop-ups

Lariato #4 – A História do Bullet Club (Parte 1)

O Bullet Club foi fundado em 2013 na New Japan Pro Wrestling mas Finn Bálor, então conhecido como Prince Devitt, estava longe de imaginar o fenómeno em que o grupo se tornaria.

O grupo que conhecemos como Bullet Club já viu várias lideranças desde a sua fundação, bem como muitas mudanças na constituição do grupo, maioritariamente por saídas de membros para a WWE, mas é certo que o BC nunca foi tão conhecido ou popular como é neste momento.

Nos próximos Lariatos poderás ver um pouco mais do que foi o percurso do Bullet Club no passado, o impacto que tem no presente e a importância para o futuro. Preparem-se, a história é longa e nesta primeira parte, poderão ler sobre a origem do Bullet Club e a liderança de Prince Devitt.

Bullet Club: As origens

Começar por onde? Pelo início obviamente.

Chocados? Sim, o logotipo do Bullet Club nem sempre foi o que vemos em milhares de t-shirts nos dias de hoje. E isto leva-nos ao início do grupo.

O Bullet Club nasceu em Maio de 2013, no Wrestling Dontaku, mas a construção que levaria ao nascimento do grupo mais conhecido no mundo do wrestling fora do “mundo WWE” começou algum tempo antes, em Fevereiro do mesmo ano.

Prince Devitt (que hoje conhecemos como Finn Bálor na WWE),na altura IWGP Jr. Heavyweight Champion, fez equipa com Karl Anderson e conseguiu uma vitória sobre Hiroshi Tanahashi (que era IWGP Heavyweight Champion) e o antigo parceiro de Devitt, Ryusuke Taguchi. Isto levaria a uma non-title match entre os dois campeões, onde Tanahashi saiu vitorioso. Devitt não aceitou bem a derrota, empurrando Tanahashi quando este o tentou ajudar a levantar-se. A atitude do IWGP Jr. Heavyweight Champion acentuou-se pela negativa, com faltas de respeito para com os adversários e parceiros nos tempos que se seguiram.

Taguchi parecia ser o único a escapar à mudança de Devitt, mas tudo mudou quando estes tentaram recuperar os IWGP Jr. Heavyweight Tag Team Championships em Abril de 2013. Após a derrota, Devitt atacou Taguchi e uma nova cara juntou-se a Devitt, King Fale, que atacou os campeões, Kushida e Alex Shelley, bem como o Captain New Japan que se encontrava junto ao ringue, tendo Devitt tirado a máscara a este último. Após o caos, Devitt fez uma curta promo onde se declarou o “Real Rock N’ Rolla” e apresentou o seu parceiro “The Underboss” Bad Luck Fale.

Maio não tardou a chegar e com isso o Wrestling Dontaku, onde Devitt e Fale fizeram equipa pela primeira vez, tendo derrotado Taguchi e Captain New Japan num combate de tag team. Mais tarde no evento, Tanahashi defenderia com sucesso o seu IWGP Heavyweight Championship contra Karl Anderson. Devitt e Fale dirigiram-se ao ringue para atacar Tanahashi mas Karl Anderson que começou por tentar impedi-los, acabou por trair Tanahashi e Devitte, Fale e Anderson atacaram Tanahashi e foram acompanhados por um quarto homem, Tama Tonga. Uma curta promo seguiu-se, onde se ficou a conhecer o nome “Bullet Club”.

O Bullet Club nasceu portanto a 3 de Maio de 2013. E desde então não parou, em conquistas e em crescimento. Sob a liderança de Devitt, o Bullet Club viu inclusivamente Tama Tonga a formar na CMLL no México o “Bullet Club Latinoamerica”, dando uma dimensão internacional ao grupo, onde o grupo conseguiu os CMLL World Tag Team Championships. Diga-se que esta participação na CMLL teve pouco sucesso.

O Bullet Club sempre foi ambicioso desde o início e à cabeça tinha Prince Devitt, que queria tornar-se o primeiro wrestler da história a ser simultâneamente IWGP Jr. Heavyweight Champion e IWGP Heavyweight Champion. Devitt nunca chegaria a concretizar o seu sonho, apesar das acesas rivalidades com Hiroshi Tanahashi e Kazuchika Okada.

Apesar do fracasso de Devitt no seu intento, o grupo continuou a crescer e o final de 2013 viu algumas novas caras serem adicionadas ao grupo: The Young Bucks (Matt e Nick Jackson) e o ex-WWE, Doc Gallows.

Os Young Bucks entraram como membros do Bullet Club no Super Jr. Tag Tournament, que venceram e no seguimento do qual se tornariam IWGP Jr. Heavyweight Tag Team Champions. Já Gallows, entrou na World Tag League a fazer equipa com Karl Anderson.

O duo ganhou o torneio e desafiaram com sucesso os Killer Elite Squad (Lance Archer e Davey Boy Smith Jr.) a de Janeiro de 2014, no Wrestle Kingdom 8, para se tornarem IWGP Heavyweight Tag Team Champions.

No mesmo evento, os Young Bucks defenderam com sucesso os Jr. Heavyweight Tag Team Championships num combate onde enfrentaram três outras equipas. O grupo só não foi 100% vitorioso porque Prince Devitt perderia o IWGP Jr. Heavyweight Championship para Kota Ibushi. Este viria a ser o último Wrestle Kingdom de Devitt na New Japan Pro Wrestling, mas desde a entrada ao combate (abrir links respectivos), ficou garantido que ia permanecer na memória dos fãs.

O ano de 2014 marcaria o fim do ciclo de Devitt na liderança do Bullet Club, com um desafio de Ryusuke Taguchi ao seu antigo parceiro para um combate no Invasion Attack em Abril.

O evento chegou e com ele o aguardado combate, onde Devitt pediu que não houvessem interferências a seu favor. No entanto, os Young Bucks várias vezes procuraram interferir e isso levou a um desentendimento entre os membros do Bullet Club, que acabaria com os Young Bucks a traírem Devitt.

Taguchi acabaria por sair vencedor e este viria mesmo a ser o último combate de Devitt na NJPW, tendo depois seguido caminho para a WWE onde se estrearia 2 meses depois. Ficou assim terminada a primeira liderança do Bullet Club.

Mais tarde no mesmo evento, um novo capítulo na história do Bullet Club se iniciaria.

Curiosidade: No seu tempo como líder do Bullet Club, Prince Devitt não só foi durante a maior parte do teu IWGP Jr. Heavyweight Champion, como isso levou a vários encontros com um futuro líder do grupo: Kenny Omega.

No próximo Lariato, poderás ler a segunda parte, com a chegada de nomes ilustres como AJ Styles e Kenny Omega ao grupo. Que achaste da primeira parte? Como sempre, o feedback é bem-vindo nos comentários!

Podes ainda consultar o Lariato anterior caso não tenhas lido, com a apresentação dos grupos da New Japan Pro Wrestling, bem como acompanhar o meu podcast, Canto New Japan, que sai todas as semanas.

10 Comentários

  1. Anónimo - há 4 semanas

    Excelente artigo, muito bom conhecer mais destalhes desse grande grupo

  2. The Demon Jorge - há 4 semanas

    Bom artigo. Já sabia algumas coisas da fundação do Bullet Club mas sem dúvida que este artigo me ajudou a perceber mais.
    Na altura não acompanhava NJPW, só WWE e quando vi o Prince Devitt, no caso do NXT, o Finn Bálor estrear se no NXT para mim era um perfeito desconhecido pois não sabia de quase nada fora da WWE.
    Em relação à traição podia ser algo mais dramático, como fazem nos últimos tempos, sendo que estavam a expulsar o líder (acho eu que essa foi a expulsão).
    Fico a aguardar pela parte 2.

    • Facebook Profile photo

      Miguel Gonçalves - há 4 semanas

      A maior parte das pessoas só se juntou ao barco pelo Wrestle Kingdom 10 e nem viram sequer a run muito boa do Omega como Jr na NJPW, quanto mais o Devitt como líder do BC.

      Comecei com estes artigos para serem opiniões mas artigos como este são acima de tudo informativos. Não foi exaustivo para não saturar de informação e passou o essencial.

      Foi uma grande reacção quando ele apareceu no NXT e nessa altura a NJPW não tinha nem de perto a cobertura ou a projeção que tem hoje.

      • The Demon Jorge - há 4 semanas

        Sim é verdade. Devo dizer que infelizmente apenas me juntei ao “barco” no WK10, e sem dúvida alguma queria muito ter me juntado antes e ter acompanhado tudo isso.
        Mas para compensar isso não falho nenhum main show em quase dois anos.

  3. Rui Portugal - há 4 semanas

    Curiosamente (ou não, porque foi a propósito do combate Styles v Bálor do último domingo) o Kevin Sullivan fala da origem do gesto a que os Bullet Club chamam “Too Sweet” no podcast dele (MSL & Sullivan) desta semana. Penso que falta aqui (ou virá no próximo artigo?) a relação óbvia e revivalista com a nWo, assim como o impacto de uma facção (maioritariamente) gaijin surgir numa companhia japonesa.
    De resto, pelo menos o que senti na altura era que seria um pouco um veículo para dar mais protagonismo ao Devitt para ajudá-lo a fazer a transição para os pesos-pesados. Da mesma forma que começas o artigo, duvido também que a NJPW imaginasse o fenómeno que aí vinha e o muito dinheiro que conseguiram e conseguem fazer com a marca, assim como uma grande habilidade para a renovarem.
    Já houve facções da NJPW que foram mudando de líder (origem dos Chaos e Suzuki-gun por exemplo) mas raramente duram tanto tempo e mantiveram a sua popularidade..
    Essa foto do Devitt com a viola, e também porque tem sido notícia aqui no blog, lembrou-me que até o JJ por lá andou…
    Infelizmente, tal como os nWo, a quantidade de gente que faz e fez parte do grupo só o torna menos especial, basta comparar com a facção mais popular hoje em dia, os LIJ, que parecem todos (bem, talvez o Bushi não tanto) superestrelas. Hoje em dia no Bullet Club, de forma propositada ou não, são os The Elite e o resto já são migalhas.
    Bom trabalho!

    • Facebook Profile photo

      Miguel Gonçalves - há 4 semanas

      Obrigado pelo comentário e por continuares a seguir os artigos!

      Em relação ao “Too Sweet”, deixei intencionalmente de fora até abordar a história do Cease and Desist na terceira parte, a liderança do Omega.

  4. juninho - há 4 semanas

    Um dos maiores da historia

  5. wesley - há 4 semanas

    Bom artigo,. A única coisa que tenho pra escrever mesmo é sobre a entrado do Balor, não sei se é por causa que to acostumado com a entrada dela na WWE, mas essa ai me pareceu bem ruim.

  6. KILL OWENS KILL - há 4 semanas

    Excelente artigo. Não sabia que o Finn também tinha sido traído, assim como o AJ, fica a dica aí pro Omega 😉

    Estou muito ansioso pelos próximos artigos.

Comentar

Editar avatar »