Faz login e reduz a publicidade

Lutadores britânicos discutem sobre os contratos do WWE NXT UK

Desde que Triple H anunciou que a WWE tem como objectivo expandir a sua marca a um nível global, através da criação do NXT com várias localizações no mundo, tem crescido o debate se essa expansão será boa ou má para o mundo do Wrestling no geral.

No entanto, a discussão começou a ficar mais acesa quando começaram a surgir rumores de que grande parte dos lutadores do NXT UK tinham restrições nos seus novos contratos. Estes novos contratos, supostamente, têm restrições no que toca às empresas onde esses lutadores podem lutar ou mesmo contra quem podem lutar.

Existem também alguns rumores que a WWE tem o poder de comprar e fechar as suas empresas parceiras, como por exemplo a PROGRESS Wrestling.

Isto abre um debate interessante, pois existem pessoas que dizem que isto é simplesmente a história a repetir-se com Vince McMahon e Triple H a fazerem às empresas independentes aquilo que Vince McMahon fez nos anos 80 aos territórios americanos, quando levou grande parte das suas estrelas para a WWF.

Do outro lado existem pessoas que dizem que as restrições aos lutadores do NXT UK irá ser benéfico, pois irá criar oportunidades para que novas estrelas sejam criadas nessas empresas inglesas.

O debate já começou também a ser feito entre lutadores, tendo tudo começado com uma carta aberta do lutador Justin Sysum, que luta na World of Sport, e que já teve resposta por parte do trio de lutadores conhecidos como British Strong Style, Pete Dunne, Trent Seven & Tyler Bate.

Na carta Justin Sysum, fala da história da WWE tentar eliminar as pequenas promoções e de como estes novos contratos deixam uma grande incerteza em relação ao futuro das empresas independentes inglesas. O lutador fecha a carta dizendo que continuará a lutar para que as empresas independentes inglesas de Wrestling continuem a evoluir.

Quem não demorou muito a responder foi o atual WWE United Kingdom Champion Pete Dunne, que falou de como nos últimos 2 anos os elementos do NXT UK têm trabalhado para que as empresas independentes inglesas saiam também beneficiadas. Pete Dunne também falou de como há 12 anos, quando ele começou, não havia sequer a possibilidade de haver uma carreira e agora há.

Já Tyler Bate falou de como o NXT UK é uma grande oportunidade para os lutadores britânicos mostrarem o seu talento e que Justin Sysum não deveria acreditar em tudo o que lê.

Já Trent Seven foi um pouco mais agressivo, dizendo que que Justin Sysum deveria apagar o seu tweet e deixar de tentar ganhar a atenção das pessoas.

O tempo dirá qual das duas partes tem razão, mas também Will Ospreay falou do assunto sem o referir e disse de uma maneira bastante positiva, dizendo que trabalhar seja onde for é bom, que Wrestling é bom e que ele fica feliz por muita gente estar a ter uma boa carreira e a fazer bom dinheiro.

E vocês qual a vossa opinião sobre o assunto? Acreditam que este é só mais um plano da WWE para acabar com as pequenas empresas de Wrestling no Reino Unido? Ou acreditam que a WWE prefere que as empresas independentes do Reino Unido e outros locais no mundo prosperem?

2 Comentários

  1. Jefferson vanderlei há 1 semana

    Prosperem

  2. Kauê Silva há 7 dias

    Isso vai continuar sendo uma polêmica muito grande, tem o seu lado bom de fazer a WWE crescer na Europa, mas acho que exclusividade desses lutadores e lutadoras ao NXT UK e empresas parceiras é meio ruim ao wrestling, eles poderiam ter mais liberdade!

Comentar