Esta quarta-feira, a Ring of Honor anunciou que vai passar por um processo de reestruturação no primeiro trimestre de 2022 e foi noticiado que a promotora despediu todos os seus lutadores. Já esta quinta-feira surgiram novidades.

Segundo Dave Meltzer no Wrestling Observer Radio, a Ring of Honor vinha a perder dinheiro nos últimos anos e por isso não vai ter mais lutadores sob contrato em 2022. Irá sim trabalhar como se fosse uma promotora independente, contratando os lutadores apenas para as datas dos seus eventos, pelo que irá ter um roster mais variado.

Quanto ao programa televisivo da Ring of Honor, irá continuar a existir, mas agora sem terem lutadores sob contrato, será interessante ver como a empresa conseguir gerir e manter as suas storylines.

O jornalista também apontou um detalhe interessante: se a Ring of Honor não vai ter lutadores sob contrato, sujeita-se a que a WWE, AEW ou qualquer outra empresa acabe por contratar os seus campeões e não vai haver muito a fazer por parte dos responsáveis da promotora, se isso acontecer.

Por fim, Justin Barrasso do Sports Illustrated apontou que a biblioteca da Ring of Honor a partir de 2012, que pertence à Sinclair, está à venda pela melhor proposta. No entanto, Bryan Alvarez do Wrestling Observer veio desmentir.


Tens esperança que a Ring of Honor consiga regressar em força em 2022 ou estamos perante o fim da mesma?

5 Comentários

  1. El Cuebro4 semanas

    O que sei sobre isso é que a ROH despediu muita gente boa, a começar por esses caras da foto, os Briscoes, uma das melhores duplas desses últimos tempos do pro-wrestling, também as stable que dominavam o show, como a Violence Unlimited que contava com o Brody King e o Chris Dickinson, dois grandes heavyweights, também a Facción Ingobernable que tem um bicampeão da marca o Rush, que é um wrestler incrível, também seu irmão Dragon, ou Ryu, Lee, o pais deles Bestia Del Ring e ainda um veterano de respeito da marca que é o Kenny King e ocasionalmente ainda poderia ter tido o Andrade, também devo citar a Foundation que conta com talvez o maior nome da ROH ainda por lá, Jay Lethal, também um ótimo wrestler que mostrava que talento e tamanho não são nada equivalentes como a WWE acha, esse é o ótimo Jonathan Gresham, na stable ainda tem o Tracy Williams um wrestler de muita técnica, e ainda cito a stable que tem o Shane Taylor como seu líder, mais os SOS Kaun e Moses, e também logo quando a empresa vinha reconstruindo sua divisão feminina com nomes como a Maria Kanellis, Chelsea Green, Angelina Love e Mandy Leon, Allysin Kay e por aí vai, eu espero que a empresa possa se achar como uma indy novamente, só resta saber o que será dos títulos e do futuro, seria interessante ver uma parceria com a AEW, algo semelhante ao que a GCW está fazendo!

  2. Anónimo4 semanas

    Vai ser interessante ver como vão funcionar dessa maneira, tanto pode correr bem, como não. Mas espero que as coisas lhes corram bem no futuro.

  3. nzo4 semanas

    Já que os melhores superstars do ROH foram demitidos eles podem ir pra outras empresas de wrestling onde se dariam bem como AEW , NJPW , INPACT WRESTLING , e até mesmo na WWE ( se forem bem utilizados )

  4. Victor Silva4 semanas

    Que pena que a crise financeira atingiu imenso a ROH, não sei qual são os planos da AEW com a Forbidden Door para 2022, mas seria interessante se o Tony Khan considerasse um acordo para haver a troca de talentos e dar uma força a Ring Of Honor afim de beneficiar ambas, muitos lutadores da AEW já passaram por lá. Acho que seria viável se a possível parceria com a Impact realmente terminou

  5. Carlos4 semanas

    Seria interessante a WWE comprar a empresa