Estamos a mudar o nosso site. Dá-nos a tua opinião no Facebook!

More Than Words #12 – Abuso do Poder

Kevin Owens e Sami Zayn vs Shinsuke Nakamura, Randy Orton e AJ Styles foi o main-event no último Smackdown e apenas estes cinco homens se podem classificar como lutadores de main-event no roster do Smackdown, nesta altura. No entanto em praticamente todos os combates entre estes cinco atletas, o protagonismo não está neles, está sim noutra rivalidade entre as duas figuras de autoridade do Smackdown Live, O GM Daniel Bryan e o Comissioner Shane McMahon.

Esta rivalidade, na qual os conceitos Face e Heel não estão muito bem definidos, tem o sido destaque no Smackdown Live nos últimos meses, ocupando inclusive um lugar superior face às rivalidades entre os superstars. Em todos os episódios do Smackdown, nos últimos meses, tem-se assistido sempre à mesma fórmula.

Abre sempre com uma promo de uma figura de autoridade ou do campeão da WWE, neste caso AJ Styles, de seguida é interrompido pela pessoa ou pessoas com as quais está em rivalidade e é marcado um combate no main-event entre os intervenientes desse primeiro segmento. Esta fórmula repetida em todos os episódios tirou a muitos fãs, inclusive a mim mesmo, o interesse em acompanhar a brand azul.

Para além desta fórmula repetida em todos os episódios, a rivalidade entre as duas figuras de autoridade do Smackdown tem feito com que muitos fãs fiquem menos interessados em ver um AJ Styles vs Sami Zayn, ou um Kevin Owens vs Shinsuke Nakamura, por exemplo.

O facto desta rivalidade entre Bryan e Shane McMahon ser a principal do Smackdown, faz com que os lutadores nela envolvidos, pareçam uns meros peões no jogo principal que pertence a Daniel Bryan e Shane McMahon. Esta rivalidade é indiretamente uma luta pelo controlo do Smackdown. Shane McMahon faz tudo para que Kevin Owens e Sami Zayn sofram e percam todos os combates até se fartarem e saírem da sua brand, isto porque Owens atacou violentamente o seu pai e porque ele e Zayn “custaram” o combate de 5 vs 5 no Survivor Series ao atacá-lo.

Daniel Bryan, por sua vez, acha que Shane está a deixar o lado pessoal subir-lhe à cabeça e que está a tornar-se num tirano, tal como o seu pai, o que deixa Bryan furioso, pois afinal de contas ele odiava a Authority que lhe custava todos os combates, assim como ele está a custar a Owens e Zayn. Esta rivalidade até é bastante interessante, o único problema é que está a ocupar um papel demasiado central em todos os episódios do Smackdown Live.

Para quê ver um Styles vs Zayn ou um Owens vs Nakamura, se toda a gente sabe que vai acabar com alguma interferência por parte de Shane ou de Bryan? Na minha opinião não vale a pena, porque isso retira não só qualidade ao combate, como também a importância aos superstars nele envolvidos.

Quando estreou, após o primeiro draft, o Smackdown era um show que valorizava os superstars envolvidos, através de excelentes combates e segmentos bem executados praticamente todas as semanas e cada episódio parecia novo e fresco, em que as duas horas passavam a voar, de tão bem organizadas que eram.

Cada superstar tinha um papel relevante no show, desde o campeão da WWE ao jobber de serviço, a verdade é que todos tinham um papel importante na brand e as figuras de autoridade respeitavam isso e só apareciam quando era mesmo necessário. Na altura havia combates pelos título quase todas as semanas e o investimento nesses combates era tanto que o Smackdown era já considerado por muitos como a principal brand da WWE ou o A-Show, termo usado na WWE.

Esse termo, tal como o slogan The Land Of Opportunity eram aplicados com razão, pois de facto o produto que o Smackdown oferecia era melhor que o do Raw e as figuras de autoridade davam oportunidades aqueles que se destacassem e não àqueles de quem gostavam mais.

Daniel Bryan e Shane McMahon não deviam ter o destaque têm, principalmente o último. O filho de Vince McMahon atualmente tem pelo menos dois combates por ano e é posto no mesmo pé de igualdade do que os seus adversários, que são lutadores treinados, que lutam todas as semanas.

Como é que um homem de 47 anos consegue estar de igual para igual com lutadores mais novos, fisicamente mais fortes e muito melhor preparados. Isto é apenas possível porque o seu último nome é McMahon. É certo que Undertaker até pelo menos aos 50 anos esteve de igual para igual com outros lutadores mais novos que ele, mas não vamos comparar os anos de experiência como lutador de Undertaker e de Shane McMahon.

O primeiro foi um dos principais superstars na empresa durante vários anos e já tem bastantes reinados na sua conta pessoal, enquanto que o segundo não tem sequer um quinto da experiência em ringue que Taker e praticamente todos os lutadores do roster atual da WWE têm. Eu não tenho nada contra Shane McMahon, eu acho que ele é um grande entertainer e consegue quase sempre proporcionar um bom combate através de todos aqueles spots arriscados pelos quais é conhecido. Mas ninguém pode negar que o destaque que ele tem tido e que podia ser dado a outros lutadores, é apenas pelo facto de ele ser filho do homem que manda naquilo tudo.

Se o foco que eles dão a Shane O’Mac fosse dado a um superstar do Smackdown, este problema já não existiria, pois Shane estaria a dar lugar a um lutador, de preferência mais jovem, que precisa realmente desse tempo de antena para se afirmar na WWE.

Em suma, o que eu quero dizer com tudo isto, é que as figuras de autoridade do SmackDown estão a retirar muito tempo de antena aos superstars e estão, em kayfabe, a abusar do poder que têm. O Smackdown Live no espaço de um ano passou de Land Of Oppurtunity para Land Of Tirany, em que o GM e o comissioner decidem o desfecho do main event e favorecem quem eles gostam mais.

E tu?

– O que achas do estado atual do SmackDown?

– Achas que Shane McMahon e Daniel Bryan estão a prejudicar o seu próprio show?

– O que tens a dizer sobre a rivalidade entre estas duas figuras de autoridade?

– O que farias para melhorar a brand azul?

Obrigado a todos os que leram este artigo, vemo-nos no próximo domingo, com mais um More Than Words.

Autor

- Grande fã de wrestling, especialmente WWE, os meus lutador preferidoa são: AJ Styles, Seth Rollins, Shawn Michaels, Edge e Daniel Bryan e tenho um canal do YouTube chamado Vr37 onde faço edições de wrestling.

9 Comentários

  1. Kick_Ass há 7 meses

    – O que achas do estado atual do SmackDown?

    Deprimente… visto a qualidade que tinha quando se iniciou a brand split.

    – Achas que Shane McMahon e Daniel Bryan estão a prejudicar o seu próprio show?

    Não, acho que o que prejudica o show é o booking preguiçoso que se instalou à alguns meses, até parece que os bookers do Raw foram trocados com os do Smackdown.
    Sem falar da saída do Miz do roster que foi em dúvida uma perda enorme para o Smackdown.

    – O que tens a dizer sobre a rivalidade entre estas duas figuras de autoridade?

    Não é má, porque até tem muito por onde se possa explorar com os intervenientes envolvidos, não só o Shane e o Bryan mas também com o Nakamura, Orton, AJ, Owen e Sami Zayn. Só acho que está a tirar muito tempo de antenas a outros lutadores que precisam dele, ou seja o show está demasiado focado nesta feud.

    – O que farias para melhorar a brand azul?

    Voltar as bases, recomeçar o que tinham começado no inicio da brand spilt, o Smackdown voltar a ser a Land of Oppurtunity que roubou o destaque e que foi o A-show da WWE uns bons meses.

    • Sim o Booking preguiçoso é o que está a prejudicar mais o Smackdown claro, mas acho que a rivalidade entre eles os dois está, como tu disseste, a tirar tempo de antena a outros, é essa centralidade na rivalidade que está a prejudicar o Smackdown, daí a pergunta.

      • Kick_Ass há 7 meses

        Sim sem dúvida concordo plenamente contigo.
        E já agora bom artigo 😉

  2. Anónimo há 7 meses

    Tirando o Main event repetitivo, nem acho que esteja assim tão mau. As tag teams, por exemplo, estão bem mais interessantes do que as da raw.
    No entanto, o torneio pelo US Championship está a revelar um pouco aquém das expectativas. Muito mal organizado e com pouco destaque. Parece que só serve para encher chouriços

  3. Anónimo há 7 meses

    Vasco, partilho na íntegra da tua opinião sobre o estado atual do Smackdown. Creio que o termo “Land of Opportunity” já não se aplica mais, com todos os shows semanais a centrarem-se no Bryan e no Shane. Para mim, a única explicação lógica de todo este tempo de antena que ele tem é o regresso do Bryan aos ringues. Para mim, o produto do Smackdown deixará de ter lógica se isto não acontecer. Com Sami, Kevin e AJ no panorama de Main-Eventer’s Event , porque raio é que fariam os shows semanais a centrarem-se em duas personagens que nem lutadores a full time são? Por muito que venham intervir com o tema da família McMahon, o único desfecho lógico é o que mencionei em cima.

    Bom artigo.

  4. Facebook Profile photo

    O main event do Smackdown está demasiado confuso, o que não me agrada, honestamente. É algo que já vem de trás, que envolveu primeiro o US Championship e agora o WWE Championship mas que envolveu sempre AJ Styles e Kevin Owens.
    Desagrada principalmente porque a História é confusa, não sabemos bem quem é o heel e quem é o face e não percebemos claramente qual o objectivo de todas as partes.
    Vejamos como tudo isto aconteceu: Sejamos honestos, se o Shane McMahon é o face, isto está muito mal feito, se é o heel, podia ser melhor. O Kevin Owens tem toda a razão quando diz que o Shane lidera uma conspiração contra ele. O Shane McMahon atacou o Kevin Owens no combate pelo US Championship e custou o titulo nesse combate no Summerslam. Podia passar como face, uma vez que ele avisou que se fosse atacado responderia, mas no Smackdown seguinte, intefere num combate onde não deveria estar, interrompe a contagem do árbitro especial (o Baron Corbin) e mais uma vez custa o titulo ao Kevin Owens. Como se não bastasse ainda ataca o Kevin Owens no Smackdown a seguir. O Vince McMahon aparece na semana seguinte a legitimar o ataque do filho e marca o combate do Hell In a Cell. Isto, para mim, legitima o ataque do Kevin Owens ao Vince McMahon, da mesma forma que os ataques que este sofria do Stone Cold Steve Austin. No combate em si, o Shane McMahon, com o combate ganho, sobe ao topo da jaula para atacar, porque sim, o seu atleta. O Sami Zayn aparece, esquece todo o passado recente e salva o seu amigo do ataque do chefe.
    De seguida, como se não bastasse o abuso de poder até aqui, o Shane McMahon ainda quer despedir o trabalhador que ele persegue e o colega que se colocou do seu lado. Não o faz graças a Daniel Bryan, que percebe o que se passa e se coloca do lado do Kevin Owens e do Sami Zayn. Depois temos o combate que o Shane marcar, tendo como objectivo abusar ainda mais do seu poder contra o KO. No meio disto tudo, temos o AJ Styles e o WWE Championship metidos numa embrulhada onde não deveriam aqui estar.
    Como é que o Shane McMahon pode ser o face e o Daniel Bryan o heel? Aliás, qual deles é o face e o heel? Porque raio agora o Daniel Bryan até marca combates handicap pelo titulo? É a storyline mais confusa dos últimos anos na WWE, a lembrar as storylines da TNA e que nos faz pensar que o Vince Russo estará escondido em algum escritório em Stamford a escrever o Smackdown. Mas uma coisa é certa, tenho muitas dificuldades em ver o Shane McMahon com um heroi no meio desta trapalhada absurda…

  5. Master of Chaos há 7 meses

    Um excelente artigo, Vasco. Bem sintetizado e vai justamente ao cerne da questão. É uma feud que está a me meter nojo já faz um tempo. AJ Styles há muito é o meu wrestler favorito, mas não se trata apenas dele, a brand por si acaba por perder a credibilidade, tal como o talentoso roster atual perde mais força conforme se acentua a rivalidade pelo controle.

    – O que achas do estado atual do SmackDown?
    O SmackDown era meu show preferido no início, mas tudo mudou logo nos anos 2012/2013, foi quando para mim, o show perdeu muito de sua credibilidade e já há muito não podia ser chamado de melhor brand da companhia. Admito que considero um verdadeiro avanço de uns tempos pra cá, mas atualmente, continua a ser um show fraco e que não me dá ânimo a assistir.

    – Achas que Shane McMahon e Daniel Bryan estão a prejudicar o seu próprio show?
    Sem sombra de dúvidas!

    – O que tens a dizer sobre a rivalidade entre estas duas figuras de autoridade?
    Não é a primeira vez que isto acontece ao longo da história da companhia, e provavelmente não será a última, mas para ser sincero, tal feud já passou do limite do razoável.

    – O que farias para melhorar a brand azul?
    Trazer mais destaque ao mid-card para desenvolvimento do restante do roster para um dia chegarem ao nível de estar presente no main-card. Claro, este é o caminho mais fácil de quem apenas acompanha, mas para mim é meio lógico. Se houvesse uma melhor construção das storylines do mid-card (ou mesmo do main-card), já seria de grande ajuda à brand.

Comentar