Faz login e navega sem pop-ups

More Than Words #15 – Receio e Ceticismo

Depois de um Royal Rumble cheio de emoções e de surpresas, um dos tópicos mais falados, foi a chegada de um novo membro ao roster da WWE. Após a inauguração de um combate inédito, o Royal Rumble feminino, ganho pela Empress Of Tommorow, Asuka, houve um acontecimento posterior à sua vitória, quando esta se estava a preparar para escolher o título pelo qual queria lutar na Wrestlemania, que foi talvez o momento mais marcante de todo o pay-per-view, que foi a chegada de Ronda Rousey à WWE. Este acontecimento já estava previsto desde a sua aparição na Wrestlemania 31, em que esta esbofeteou Triple H e Stephanie McMahon, mas a verdade é que muitos fãs não acreditavam que, talvez o nome feminino mais sonante dos desportos de combate, acabasse por ser contratada pela WWE. Aliás muitos deles nem acreditavam que Rousey alguma vez trocaria o octógono pelo ringue de wrestling. Mas a verdade é que isso aconteceu e estou ansioso para ver como é que ela se adapta ao wrestling e como é que a WWE a vai utilizar.

Contudo, apesar da reação positiva de muitos fãs à sua estreia, esta foi simultaneamente alvo de muitas críticas pelo facto de muitas pessoas considerarem que a sua estreia descredibilizou as outras 30 lutadoras que competiram no Royal Rumble e pelo acharem que  ofuscou de certa forma a vitória de Asuka. “Ainda para mais ela não é uma wrestler”. Foi o que muitas pessoas disseram. Na minha opinião esse é o argumento mais esfarrapado que podem arranjar, porque é que uma lutadora com passado nas indies ou numa empresa de wrestling japonesa, tem toda a credibilidade do mundo quando se estreia na WWE e uma lutadora que vem de um dos desportos mais violentos do mundo, com um considerável reportório de vitórias e com um estatuto que muitos wrestlers invejam ter, é criticada por ofuscar as outras? Se esta fosse a estreia de Asuka na WWE, provavelmente ninguém a criticava e muito bem, mas como é uma lutadora proveniente de outro desporto que não o wrestling tem menos mérito que as outras…

Na minha opinião, alguns fãs de wrestling são muito preconceituosos com lutadores que não dedicaram as suas vidas inteiras ao wrestling, que não são os chamados Indie Darlings, com os quais eu não tenho absolutamente nada contra, aliás, muitos dos meus lutadores preferidos podem ser englobados nessa categoria. O que eu quero dizer com isto, é que os fãs muitas vezes reagem de forma menos positiva quando a WWE contrata atletas de outros desportos ou reagem com ceticismo quando vêm algum wrestler, cujo única formação de wrestling vem do WWE Performance Center, a pisar os ringues pela primeira vez. Eu acho que todo esse perconceito é fruto das más experiências que a WWE tem tidos com estes atletas. A que me salta mais à memória, é o caso de Enzo Amore, que apesar de ser um excelente Talker, foi condenado pelas suas péssimas capacidades em ringue. Outro exemplo é o de Mojo Rawley, que vem do futebol americano e que ainda hoje não é aceite por muitos fãs, pois apesar de mais talentoso que Enzo, não apresenta nada de especial em ringue.

Apesar da má experiência que a WWE teve com Enzo Amore e das dificuldades que está a ter com Mojo Rawley, a verdade é que também existem experiências positivas, a prova disso é um dos participantes do controverso Tough Enough de 2016. Quando Patrick Clark, conhecido por ser o único que sabia alguma coisa de wrestling no reality show, foi contratado pela WWE, muitos fãs ficaram céticos face às suas habilidades em ringue. E a verdade é que com um começo que não parecia muito promissor e com uma gimmick que tinha tudo para dar errado, o atual Velveteen Dream tornou-se num dos wrestlers com maiores pops dentro do NXT e com uma habilidade em ringue que Enzo Amore ou Mojo Rawley sonhavam alguma vez em ter. Num roster que conta com indie darlings como Johnny Gargano, Adam Cole e Aleister Black, Patrick Clark, contra todas as adversidades conseguiu impôr o nome Velveteen Dream no NXT e na WWE.

Voltando à situação de Ronda Rousey, muitos fãs temem que ela, por ter a reputação que tem, vai lhe ser dado mais destaque do que a muitas lutadoras que estão no ramo do wrestling há anos e anos. Mas esse fãs têm que ver que Rousey é só um dos nomes femininos mais influentes do desporto nos últimos anos e que não passa de uma atleta qualquer. É certo que lutadoras como Natalya, Alicia Fox ou Mickie James, que já andam nisto há anos, merecem mais destaque do que aquele que têm, mas é preciso ver que a WWE para além de uma forma de entrenimento, é um negócio e neste momento não há nada melhor para o negócio do que ter, a talvez mais celébre lutadora da história da UFC, a ter um lugar de destaque na WWE. Para além do mais, os anos de carreira e experiência que muitas lutadoras atuais têm, Rousey teve-os noutros desportos e alcançou feitos que muitas atletas sonham em alcançar. A par de Asuka, Ronda Rousey é talvez a atleta mais credível da WWE atualmente, porquê? Porque ela conseguiu singrar num desporto enormemente competitivo e de extrema violência, se isso não dá credibilidade, não sei o que é que dá.

Os fãs da WWE têm que perceber que a WWE é acima de tudo um negócio e muitas vezes o melhor para o negócio vai para além dos indie darlings e muitos deles têm que abandonar o preconceito face à chegada de atletas que não vêm do wrestling ou que não tem experiência na modalidade, é preciso esquecer as más experiências e ter confiança nas capacidades dos treinadores do Performance Center. E para aqueles que dizem que a estreia de Rousey ofuscou as restantes lutadoras, dêm uma vista de olhos à sua carreira e a tudo o esforço que fez para estar no patamar onde está e secalhar vão perceber que ela não veio ofuscar ninguém, muito pelo contrário, veio acrescentar prestígio e credibilidade a uma divisão que bem precisa.

Por fim, para concluir o meu ponto de vista, acho que todo o receio e ceticismo que muitos fãs sentem ao ver atletas sem nenhuma experiência em wrestling, a ser contratados pela WWE é uma reação normal, muitos fãs não se conseguem distanciar dos maus exemplos que a WWE tem tido. Contudo não é necessário apontar logo o dedo, a dizer que A, B ou C  roubou o protagonismo a outros mais experientes e que já lá estão há mais tempo, é preciso ver que muitas vezes não se ofusca nada, mas sim acrescenta-se valor a alguma coisa.

E tu?

– O que achas da contratação de Ronda Rousey por parte da WWE?

– Achas que a sua estreia ofuscou as outras lutadoras?

– Para ti quais são os casos de mais sucesso do WWE Performance Center?

– O qur tens a dizer acerca da contratação de atletas de outros desportos?

Obrigado a todos os que leram este artigo, vemo-nos no próximo domingo, com mais um More Than Words.

8 Comentários

  1. guilherme dos santos cunha há 3 meses

    Quero ver a rounsey lutar logo

  2. É uai há 3 meses

    Ótimo artigo Vasco!
    Também concordo com o teu pensamento e acho que Ronda veio para dar mais prestígio ás Womans

  3. Anonimo há 3 meses

    – O que achas da contratação de Ronda Rousey por parte da WWE?

    Acho uma enorme contratação aliás só colocaria duas wrestlers da empresa num patamar semelhante ao dele e quando digo semelhante digo a credibilidade para enfrenter a Ronda e serem levadas minimamente a sério: Asuka claro e Charlotte Flair devido a todo o grande trabalho que o booking da wwe tem feito por ela. Aliás quando pensa na wrestlemania e no combate feminino de destaque só consigo imaginar esses três nomes. Não é por agora do nada virarem a Sasha heel que alguma coisa vai mudar. Defendo construçoes a longo prazo e sem duvidas que partindo dessa maxima so as 3 citadas tem condiçoes para oferecer um combate que venda no geral e nao venda apenas por se tratar de nomes que os fas gostam.

    – Achas que a sua estreia ofuscou as outras lutadoras?

    Muito sinceramente acho que não. Aparecesse ou não já se sabia que só charlotte e asuka a podem confrontar fruto do mal booking da empresa com as restantes. Aliás vou até mais longe e digo que apenas a Bliss foi ofuscada pois claramente das quatro no ringue era disparada a menos credivel. Tudo bem é heel covarde mas faltou qualquer coisa que a tornasse mais credivel nao desconsiderando o excelente trabalho que tem vindo a realizar. Talvez ache é que poderiam ter guardado a estreia para o raw pois mais surpresas era o que a rumble feminina nao precisava em detrimento da masculina que fora o rey nao teve qualquer surpresa.

    – Para ti quais são os casos de mais sucesso do WWE Performance Center?

    Brawn Strowman sem duvidas para mim já é uma certeza e uma estrela. E isso dos indie darlings é uma grande treta. Se sou fã de wrestling e comecei a ser foi pelas excelentes historias e rivalidades que me conseguiram contar e nao por wrestling tecnico até porque quando comecei a gostar isso passava-me totalmente ao lado. Também é verdade que os lutadores devem ter qualidades mas para isso nao precisam de vir das indies nem perto disso nem oferecer wrestling com essas carateristicas. The Rock e Stone Cold são disparados os maiores da historia e nao se destacavam por aí alem dentro do ringue.

    – O que tens a dizer acerca da contratação de atletas de outros desportos?

    Parece-me excelente. Todo aquele que demonstrar o investimento no futuro mereceu a oportunidade e mesmo os que falharem podem muitas vezes ficar a deve-lo ao booking da empresa. Só não concordo é com a introdução de atletas de outros desportos em part-time a não ser para ter rivalidades com lendas, nomes com star power e em grandes ppvs até porque nao existir credibilidade nenhuma em construir uma rivalidade entre um nome desses e um wrestler que aparece nos shows todos pois isso levaria o publico a pensar que a valorização daquele embate só provinha de uma das partes.

    • Exato, o storytelling também é muito importante na WWE, por isso é que há muitos indie darlings que estão perdidos no card da WWE atualmente. Falta-lhes personalidade e capacidade de storytelling, que nas indies não se considera tão importante.

  4. wesley há 3 meses

    Ótimo artigo, concordo com absolutamente tudo.
    Na minha opinião a Ronda é uma das melhores coisas que aconteceu na WWE em anos. Ela irá trazer muito fãs para empresa e também mais credibilidade para divisão feminina. E o impacto da estreia dela foi enorme, principalmente aqui no Brasil, pois não me lembro da WWE ser tão comentada aqui quanto agora, a imprensa toda está comentando sobre, os sites que antes debochavam da WWE, agora fazem matérias explicando como é o pro wrestling, e muitas pessoas ficaram curiosas para assistir a WWE.
    Sobre as reclamações dela ter ofuscado a Asuka acho uma grande hipocrisia dos fãs, pois quando o Adam Cole estreio depois do Drew ter conquistado o título, ninguém ficou dizendo que ele ofuscou o Drew, mesmo a WWE ter dado mais destaque a isso do que a luta em si. Mas como você citou, talvez foi somente por ele ser um indie darlings.
    muitos superstar atuais estão provando que não é necessário passa pelas indys para ser um bom wrestler. A exemplo da Charlotte e Bayley (a última teve algumas lutas nas indys antes da WWE, mas ela veio fazer nome e ganhou respeito como performasse na WWE). Ambas para mim estão fácil no Top ten da história da divisão.

    • Obrigado;) Esta estreia causou um enorme impacto na WWE. E agora talvez mais fãs comecem para a divisão feminina com outros olhos. E lá está, na estreia no Adam Cole ninguém disse que ele tinha ofuscado o McIntyre, não percebo o porquê de acharem isso da Rousey.

  5. Ronda merece é uma lutadora real,na WWE tem muita inveja, quem faz muito sucesso é crucificado.

Comentar