Faz login e reduz a publicidade

More Than Words #33 – Dois Universos Diferentes

Neste momento assistir a um episódio do SmackDown Live, depois de assistir a um do Monday Night Raw, é mais ou menos como assistir a um Manchester City vs Manchester United depois de ver um Boavista vs Tondela – duas equipas portuguesas –  a diferença é cada vez mais abismal. A cada semana que passa é cada vez mais difícil ver as três horas de duração de um episódio da brand vermelha, ao passo que na brand rival, o SmackDown Live, as duas horas são bem preenchidas e dão gosto de ver, pelo menos para mim. Não sei se é o número de horas que faz a diferença, ou se é o modo como são abordados ambos os shows, mas a verdade é que neste momento é clara a diferença de qualidade entre os dois.

Nos últimos dois anos, desde a brand split em 2016, o Raw e o SmackDown seguiram caminhos completamente diferentes, o Raw sempre foi a brand mais ligada ao entertenimento e à parte mais teatral do Wrestling e sempre foi considerada por Vince McMahon, como a brand principal onde estão a maior parte dos superstars mais “acarinhados” por ele, aqueles com mais perfil de superstar do que de wrestler e por isso o Monday Night Raw sempre foi palco das principais storylines da companhia e sempre foi a brand à qual a WWE deu mais destaque.

O Smackdown por sua vez, sempre foi o “underdog” das duas brands e como tal, tem sido a brand mais acarinhada pelos fãs, que cada vez mais, reforçam que o Smackdown devia ser o A-Show da WWE em vez do Raw. De há 2 anos para cá, a Brand Azul tem optado por valorizar o wrestling em detrimento dos segmentos – que mesmo assim ainda são bastante regulares – e talvez por isso seja mais apreciada pelos fãs.

Mas apesar desta grande diferença na abordagem das duas brands, por parte da WWE, nada justifica o enorme desnível do produto que ambas as brands oferecem, é incrível ver como é que dois programas televisivos, organizados pela mesma companhia de wrestling, com um formato semelhante e com wrestlers que já tiveram em ambos os shows, conseguem causar-me emoções tão diferentes. Enquanto que um episódio do Monday Night Raw, mesmo apenas vendo um resumo de 20 minutos no youtube, consegue fazer com que eu dê por mim a distraír-me com outra coisa qualquer, tornando-se apenas barulho de fundo, um episódio do SmackDown Live faz-me perceber o porquê de eu gostar de wrestling, aliás, talvez agora, se não fosse pelo SmackDown Live, o único show da WWE que eu assitiria era o NXT, o que é triste, pois a brand vermelha tem mais do que talento no seu roster para ser um programa agradável.

A principal razão apontada pelos fãs e não só, para esta diferença de qualidade entre ambas as brands, é a diferença de uma hora, enquanto que o Smackdown tem duas horas, um episódio do Raw são três. Na minha opinião, este aspeto não justifica a diferença de qualidade entre as duas brands, pois acho que mesmo apesar de três horas para um programa televisivo ser um bocado excessivo, acho que se essas três horas fossem ocupadas corretamente, isso não seria grande problema.

Quando eu digo corretamente, refiro-me a menos segmentos This is your life, a menos sessões terapêuticas entre superstars, a menos comédia mal feita e a menos combates cujo único propósito é encher chouriços. Se as três horas semanais do Raw não fossem ocupadas com este tipo de segmentos, talvez estas fossem mais fáceis e agradáveis de assitir e se calhar se deixassem os wrestlers serem aquilo que foram no NXT ou se os deixassem pelo menos, ser seres humanos, talvez as três horas fossem mais proveitosas. Mas não, em vez disso, numa só brand, temos Finn Bálor e Baron Corbin a “brincar” com casinhas de crianças, Bobby Roode como Babyface, que nem é preciso dizer mais nada, Sasha Banks e Bayley, duas das pioneiras da Women’s Revolution, a comportarem-se que nem duas adolescentes dos Morangos Com Açúcar e os Revival a terem a mesma credibilidade do Main Event, o programa da WWE que ninguém vê. É assim tão difícil ocupar as três horas, ou pelo menos duas delas, com algo que de facto entretenha os fãs e não os faça sentir torturados ou frustrados com o que estão a ver?

Já o SmackDown Live, pelo menos de há duas semanas para cá, tem sido um programa bastante agradável de assitir e à exceção da destruição de Asuka, que agora parece estar a ser restaurada, os wrestlers e as storylines têm tido um desenvolvimento interessante e ao contrário do Raw, têm tido espaço para brilhar. Podem dizer que o facto de serem menos horas facilita ou que o facto de o roster contar com a maior parte dos fan favorites também ajuda, mas é inegável que neste momento as duas horas do smackdown têm sido muito melhor distribuidas. Para começar, o campeão está presente, só isso já é louvável, depois, até mesmo os personagens mais ridículos como R-Truth conseguem brilhar, sem causar momentos embaraçosos aos que estão a assisir e o mais louvável de tudo é o facto de todos os wrestlers do plantel terem um propósito e não andarem lá só por andar e a terem combates para encher chouriços, todos têm storylines, umas piores que outras, mas todos têm algum propósito naquilo que fazem.

E o melhor disto tudo, é que dentro das principais storylines, não há nenhuma que possa ser considerada a principal, pois o facto de serem todas tão bem construídas, faz com que seja dificil classificá-las por nível de importância.

Provavelmente agora estão a pensar que sou só mais um hater do Monday Night Raw, e que por isso tenho o SmackDown em demasiado boa conta, mas não, eu reconheço as suas falhas e talvez há duas semanas atrás, eu nem sequer estaria a pensar em escrever este artigo, mas tal como reconheço as suas falhas, também reconheço as suas melhorias e a verdadade é que o SmackDown tem melhorado e muito nas últimas duas semanas, ao passo que o Raw tem estado igual ou pior. Isto faz-me imensa confusão, como é que um plantel recheado com os melhores wrestlers e entertainers do planeta consegue ser aborrecido e cheio de falhas? É impressionante o facto de um mau booking consegir prejudicar até mesmo os melhores dos melhores, é também impressionante ver a diferença entre dois episódios de programas semelhantes, que conseguem fazer parecer que estamos a assitir a dois universos diferentes, mas que na verdade são chefiados pela mesma pessoa, que nada faz para os tentar aproximar.

Obrigado a todos os que leram este artigo, espero que tenham gostado e vemo-nos daqui a duas semanas, peço desculpa pela inconsistência – mas não consigo escrever o artigo no próximo fim-de-semana –  com mais um More Than Words.

10 Comentários

  1. Anonimo há 5 meses

    Mais respeito pelo Boavista quarto grande portugues disparado unico campeao portugues fora os 3 grandes e o belem na era dos dinossauros

  2. Anônimo há 5 meses

    Tondela é mt melhor que o Boavista vão ver esta época

  3. PedrKo há 5 meses

    Só posso concordar.
    3 horas de raw é muito tempo, ainda por cima quando temos de levar entre outros com a B-Team, Mojo, Adam Rose ou No way Jose não sei bem, a campeã feminina é uma piada, o Roman Reigns está no main event há muuuuuito tempo e…… não temos campeão principal.
    Mesmo que se fizesse um resumo daquilo que realmente importa a Smackdown seria superior

    • Obrigado, é de facto um absurdo 3 horas semanais de programa, ainda para mais da forma como são preenchidas, o SmackDown beneficia de ter menos uma hora, o que torna menos desgastante e ainda por cima preenche essas duas horas, pelo menos na minha opinião, de forma muito mais eficiente e produtiva.

  4. The Boss há 5 meses

    Poucas vezes vi tanta verdade num artigo.
    Texto pequeno, com um conteúdo enorme. Parabéns.

  5. y2jean há 5 meses

    Excelente artigo. A wwe tem sido muito desleixada, preguiçosa OU são incompetentes mesmo…
    Nada contra lesnar, mas ele não é eterno, quem será o próximo a carregar título? Roman Reings ? Tudo bem, nada contra, mas do jeito que está, não consigo enxergar a WWE preparando adversários credíveis para enfrentá-lo, Vejo ela usando todos os meios possíveis para mantê-lo no topo, como derrotas injustas (no greatest RR) usando lashley para mantê-lo na perseguição ao universal title. Tenho certeza que ele vencerá no SS, Braun irá lhe tirar o título via cash in, fazendo com que ele continue no páreo. Pois a WWE não o coloca no topo, mas deixa ele numa espécie de busca implacável, quando ele tá chegando, surge alguém e atrasa ele talvez na wrestlemania isso acabe de vez…

    • Obrigado, quanto ao Brock Lesnar, é quase certo que ele perde o título no SS, mas é a WWE por isso não quero estar aqui a lançar prognósticos. E o Lesnar é o Lesnar, ele pode perder o título à vontade, que quando voltar de certeza que estará entre os candidatos principais pelo mesmo.

  6. Júnior 007 há 5 meses

    Pra mim Randy Orton e Paige estamos salvando o SmackDown .

    No caso do RAW precisa de uma reformulação principalmente no seu booking talvez por exemplo alguns lutadores como o Roman reigns darem uma sumida por um tempo da tv pra descansar a sua imagem no caso do Seth Rollins vai heel e ser draftado pro SmackDown , Sasha Banks e Bayley também suméria com as duas por um tempo .

Comentar