Faz login e reduz a publicidade

More Than Words #48 – Sem Rumo

Dezembro acabou de começar, mas a época em que a WWE deixa de parecer querer saber das suas storylines já há muito que dura. Já é habitual, depois do Survivor Series, a WWE “arrefece” o seu produto até à época do Royal Rumble. E isto não é algo mau, ou pelo menos não devia ser, os superstars não podem estar sempre ao seu mais alto nível, precisam de alguns meses menos intensos (que mesmo assim acabam por ter uma intensidade brutal) e nem todos os eventos podem ser tratados como especiais, tem de haver uma época de descanso.

O problema é que esse descanso poderia ser mesmo um descanso, por exemplo umas férias? Não sei, provavelmente só uma sugestão patética… Mas poderia muito bem haver um período de descanso de um calendário tão duro como é o da WWE, não só por causa dos superstars, que beneficiavam de um mês sem ter que ir de costas ou de cara ao tapete, mas também por causa de nós fãs, que beneficiávamos de um hiato que realmente fosse um hiato, em vez de termos um mês em que claramente tudo serve para encher chouriços até a meados de Janeiro.

O Último Raw foi a prova disso, o episódio da semana foi um insulto a qualquer fã de Wrestling. Eu mesmo comecei a ver uma versão resumida do episódio e dei por mim a passar tudo à frente porque nada me interessava e o resumo tinha cerca de 20 minutos.

Desde a saída de Reigns que a Brand Vermelha tem estado numa trajetória descendente e na semana pesada atingiu o solo. O campeão é outra vez a mesma pessoa de quem as pessoas passaram um ano a queixar-se e com razão, o programa é dominado pelo mesmo conjunto restrito de pessoas que têm sempre o mesmo conjunto restrito de combates, os dois nomes que supostamente deviam ser o destaque do programa e que deviam estar a proporcionar-nos uma rivalidade acesa como a que já tiveram há três ou quatro anos, estão sujeitos a diálogos completamente artificiais, a divisão de equipas é uma anedota sem piada nenhuma e a divisão feminina, por mais que Rousey tente, também não vai por bons caminhos.

Resumindo, desde que o Golden Boy da WWE, a próxima cara da companhia, Roman Reigns teve que infelizmente se ausentar dos ringues, a WWE ficou completamente à nora com o que fazer, ficou tão à nora, que teve a excelente ideia de dar um push a alguém que cometeu já mais do que um erro, sendo que o último, por acaso, acabou por condicionar um dos combates que mais tempo passou a ser promovido e que os fãs mais queriam ver.

Senhoras e Senhores, apresento-vos o A-Show da WWE…

Nunca gostei muito de Nia Jax em ringue e ainda não gosto, mas até achava que esta funcionava como força demolidora capaz de varrer o plantel todo se fosse preciso, contudo esta sempre mostrou sinais de insegurança em ringue, e o mais recente e polémico incidente foi apenas mais um desses sinais.

Esta situação de Nia Jax foi igualzinha à de Brie há uns meses atrás. Ambas são conhecidas pelo seu historial de erros em ringue, ambas já lesionaram mais do que uma lutadora e ambas apenas cometeram erros, que é verdade, acontecem no Wrestling. Mas tal como Brie não foi promovida por nocautear Liv Morgan, Nia Jax também não o devia ser por ter partido o nariz a Becky Lynch, não digo que lhes deveriam ser atribuídos castigos, mas uma promoção nunca seria a solução.

Mas a WWE não pensa da mesma maneira, eles acharam que a solução era não só promovê-la como ainda aproveitarem o facto de os fãs a odiarem por ter lesionado uma das maiores estrelas da WWE neste momento, para gerar heat.

No entanto há vários tipos de heat, ao bom e o mau e aquele que Nia Jax tem gerado cai na segunda categoria. Para além de ter cometido este erro que gerou uma onda de raiva e indignação no fãs, esta não possui talento que consiga atenuar tais sentimentos e a WWE está a pôr o dedo na ferida ao colocar Nia na posição em que está. Portanto, Nia Jax cometeu um erro com graves repercussões, que cancelaram um combate de extrema importância e no entanto a WWE conseguiu cometer um erro ainda maior, que foi aproveitar-se desse erro para algo que com toda a certeza afirmo que não vai funcionar.

O mais surreal nisto tudo é que Nia Jax continua a ser melhor e mais carismática wrestler nesta foto.

Esta situação de Nia é a que mais controvérsia tem gerado, mas não é a única que nos mostra que nos mostra que a WWE deixou de ter rumo após a saída de Reigns, basta olhar para estado dos babyfaces na brand vermelha desde a sua saída ou para a falta deles.

O Raw é completamente dominado por heels e para lhes fazer frente temos Seth Rollins, que neste momento está completamente focado em Ambrose e nada mais, o Monster Among Men Braun Strowman, que está agora afastado dos ringues devido a lesão e que no TLC vai ter um combate com Baron Corbin, em que no caso de ganhar vai ter a oportunidade de perder pela 2345ª vez consecutiva para Brock Lesnar, temos o sempre sorridente Finn Bálor, cuja gimmick é ser o primeiro campeão universal, sorrir, perder combates importantes, sorrir, servir de saco de pancada e não sei se já disse, sorrir. E temos ainda Elias, que recente virou face e que desempenha muito bem esse papel, mas que infelizmente não tem o star power dos três superstars que referi anteriormente. É muito bom no que faz, mas não chega para vencer a equipa criativa que o controla.

Portanto, a WWE está neste momento a dar destaque a uma lutadora que tem já um “cadastro” preenchido de erros e a mencionar um desses erros vezes sem conta para gerar heat, está a estabelecer um programa dominado por heels, quando não sabe estabelecer babyfaces para os combater e para além destes factos que eu já referi, está ainda a afundar a divisão de tag-teams com um sentido de humor que provoca mais o choro do que o riso, a bookar sistemáticos combates de tag-teams na divisão feminina, em que as participantes são sempre as mesmas, que não têm a sorte de se chamarem Ronda Rousey e a destruir por completo um show que já foi bom, mas que já não me lembro de ter sido. E eu sei, acabei de escrever mais um artigo sobre o estado lastimável em que o Monday Night Raw se encontra, mas quando um programa consegue sempre arranjar de forma de se superar pela negativa, não dá mesmo para ignorar.

Acabo este artigo com uma bonita imagem daquilo que Vince McMahon tem feito a todos aqueles que ainda assistem o Monday Night RAW.

P.S – Ah! E não se esqueçam, nesta foto está o primeiro campeão universal. Estou-vos a avisar porque eu tenho me esquecido ao longo dos últimos dois anos, não sei porquê.

Obrigado a todos os que leram, peço desculpa por mais um desabafo, prometo que é o último deste ano, até porque este está a acabar e vemo-nos para a semana com mais um More Than Words.

4 Comentários

  1. Sou do Russo há 2 semanas

    Concordo com tudo… e creio que este foi talvez o pior monday night raw que já tenha assistido…

  2. Ismael Flores Goulart há 2 semanas

    Não é surpresa a WWE usar um acidente para dar enfase em um heel é só lembrarmos o próprio Seth Rollins que quando quebrou o nariz do Jonh Cena fizeram até uma camiseta para dar enfase ao fato. Claro que não estou comparando Nia Jax com Seth Rollin porque seria injusto com ambos, mas sim o marketing da WWE.

  3. J. Gustavo há 1 semana

    Independente de Roman estar ou não no Raw, acho que nada salvaria essa chatice, esse programa precisa urgente de ter seu tempo de duração reduzido

  4. rxxon valdez há 1 semana

    Alguém viu o campeão vitalício ( BL )por aí e seu empresário: a baleia neocid????Eles não apareceram de novo. Mas não nos esqueçamos: tudo que está ruim ainda pode ficar pior. Não aguento mais esses dois tipos de chanchada.

Comentar