More Than Words #63 – Fora Da Caixa

6 meses 2

Na história da WWE o que nunca faltou foram personagens doidos varridos, completamente loucos da cabeça, capazes das coisas mais macabras possíveis. Desde Brian Pillman, a Mankind, a Goldust, a Boogeyman, enfim… existiram ao longo da história da WWE inúmeros personagens que de facto não batiam bem da cabeça e por isso eram fonte de entertenimento para muitos fãs. No entanto, de há uns anos para cá, desde que todos os nomes que referi acima desapareceram do mundo do wrestling ou que simplesmente deixaram os ringues, a verdade é que surgiram várias tentativas falhadas de criar personagens fora da caixa e uma das que salta mais à vista foi a de um homem que neste momento está de saída da WWE, Dean Ambrose.

A WWE tentou passar a imagem de Dean Ambrose como um homem imprevisível, lunático, capaz de tudo menos o que estás à espera, no entanto acabou por falhar redondamente nesse departamento. As coisas estavam bem encaminhadas, assim que os Shield implodiram, Dean foi de facto um lunático na feud inaugural contra o Rollins, mas rapidamente essa gimmick perdeu o efeito, Ambrose tornou-se no oposto do que a sua gimmick representava, tornou-se previsível. Mesmo com todas as tentativas por parte de Michael Cole e do resto da mesa de comentadores de realçar a sua impresivibilidade, a verdade é que não existia nada para realçar, aquilo que fazia em ringue era tudo menos isso. Nada do que este fazia em ringue era impresível, aquilo que ele fazia nos The Shield, deixou de fazer, ele próprio tinha um ar cansado, de quem já amou mais o que faz, Dean Ambrose era um lunático porque os comentadores o diziam a toda a hora, não pelas suas ações. Não me levem a mal, eu gosto bastante do Ambrose e gostei bastante da sua carreira na empresa de Vince, quem dera a muitos terem o seu palmarés, mas como Lunatic Fringe, como doido varrido, deixou muito a desejar. Ambrose era simplesmente estranho, mas era uma estranheza que nos punha a rir e só era levado a sério quando se tornava sério e quando mostrava a sua faceta humana e não foram assim tantas vezes quanto isso.

A única coisa de imprevisível nele era o booking, tanto estava à porrada com o Lesnar na WrestleMania, como estava no Kickoff a lutar com o Baron Corbin.

Contudo, Ambrose não foi o único personagem fora da caixa que a WWE quis construir, há outro personagem que muitos apelidavam há uns anos, antes do mau booking, como o próximo Undertaker e esse personagem era Bray Wyatt. Digo era, porque certamente já ninguém pensa isso. Wyatt foi-nos introduzido como um líder de um culto, de uma “família”, andando sempre acompanhado de dois, mais tarde três, gigantes barbudos, que obedeciam cegamente às suas ordens. Até aí tudo bem, este Wyatt tinha pernas para andar e era certamente um personagem fora da caixa, desde a entrada aos maneirismos, o ex-Husky Harris reinventou-se completamente e os fãs ficavam de queixo caído a fitá-lo. Os mesmos fãs ficaram de queixo caído quando uns anos mais tarde, derrota após derrota, sempre com feuds aborrecidas, com um discurso que só assustava por já não ter coerência, Bray Wyatt estava completamente enterrado, depois de perder o WWE Championship (Sim, ele chegou a ganhá-lo), Wyatt desceu e desceu no card, até chegar a um ponto que não havia opção se não sair da programação. Mais uma tentativa falhada por parte da WWE, de construir um personagem fora da caixa, lunático e que pudesse ser levado a sério como tal.

Portanto, a WWE falhou na construção de dois personagens que eram concebidos como lunáticos e como totalmente imprevisíveis, Dean foi prejudicado pela inconsistência do seu carácter e Wyatt pelas constantes derrotas e falta de investimento de que foi alvo, no entanto enquanto que o primeiro já se despediu e está prestes a sair, o segundo acabou de regressar e atrevo-me a dizer, embora possa estar a precipitar-me, melhor que nunca. No passado Monday Night Raw, após semanas com apenas com uma vignette bizarra, que nada prometia, Bray Wyatt voltou aos nossos ecrãs com um segmento que nada, nem ninguém esperava. Regressou com outro físico, com outra roupa e apresentou uma espécie de programa infantil bizarro. Este segmento, foi simultaneamente uma das coisas mais interessantes e assustadoras que já assisti. A forma como Wyatt falava com as crianças, as suas “fireflies” num tom que lembra o mais psicopata dos psicopatas, o riso macabro quando pegou na motoserra, o pormenor das luvas (heal and hurt), tendo ele ouvido a última antes ter “morto” o seu antigo eu, tudo neste segmento me colou ao ecrã, não consegui tirar os olhos do que quer que seja que tenha sido aquele segmento e mal posso esperar para ver uma continuação.

Tenho saudades desta família, tinham os seus conflitos, especialmente com a estética, mas eram uma família unida.

Isto é algo que nunca vimos no wrestling, é algo completamente inovador, ninguém ficou indiferente a Wyatt na passada segunda-feira, o mesmo Wyatt que as pessoas há uns meses saltavam as promos e soltavam um – Oh, não! Lá vem ele outra vez. Ainda é muito cedo para se saber se isto vai resultar, tudo estava bem encaminhado quando Wyatt se reinventou pela primeira vez e deu no que deu e para além disso,  o ditado não diz que é à segunda que resulta, no entanto este foi um passo na direção certa, pôs as pessoas a falar de um homem que já estava esquecido e ultrapassado e Wyatt está mais assustador do que alguma vez esteve como líder de um culto, resta saber se a companhia está disposta a investir. Calculo que a iniciativa tenha sido do próprio Wyatt e que tenha sido ele a trabalhar no segmento que vimos e se de facto isso se confirmar, seria uma pena a companhia não o apoiar, pois pode sair daqui algo que vai pôr muita gente a falar, não só fãs, como pessoas que simplesmente ouvem falar e espero que isto sirva de plataforma para Wyatt voltar à ribalta.

Portanto, a WWE tem a chance de conseguir construir um personagem totalmente fora da caixa, um psicopata que mete medo sem efeitos especiais, não pode é caír nos erros do passado, se é psicopata e imprevísivel não pode estar a fazer comédia, nem perder contra todos os que o enfrentam. Este tipo de gimmicks, se é que existe um tipo, não é nada fácil de bookar e é muito fácil de não resultar, a WWE já provou o quão fácil é, mas o que é certo é que o segmento da semana passada pôs toda a gente a falar, rendeu mais de 2 milhões de visualizações e houve um consenso da maioria quanto à vontade de ver mais. A receção foi um sucesso, resta ver se a continuação segue o mesmo caminho.

Será indicado o logótipo que está no canto inferior direito? Eu não sou pai, mas aconselho a quem for que monitorize bem a utilização do tablet por parte dos filhos, eles que fiquem apenas pelo SmackDown.

Obrigado a todos os que leram este artigo, espero que tenham gostado e volta para a semana com mais um More Than Words.

2 Comentários

  1. nekas6 meses

    perda terrivel do ambrose sair e nao tao entusiasta do barbas entrar…..mais uma vez safa se o show devido aos enormes talentos frescos vindos do nxt…;)

  2. João Ruiz6 meses

    Quanto a mim, a wwe matou a personagem do Ambrose na altura em que este perdeu para o Triple H e de seguida deu a machadada final com o Lesnar. A rivalidade foi bem construída com o Ambrose a passar a imagem de indestrutível e tudo mais, o combate é que estragou tudo com um Ambrose a ser uma presa fácil e a perder facilmente. Este foi o momento que a wwe deu cabo da personagem e nunca mais a conseguiu recuperar. Deu inclusive o título ao mundial ao lutador, na noite em que os três Shield foram campeões, mas a credibilidade ja não estava lá, a credibilidade ficou toda naquela derrota com o Lesnar.
    Quanto ao Bray Waytt, não é um dos melhores lutadores que a wwe tem, mas a forma como ele interpreta as personagens é fantástica, e o wrestling tem espaço para isto tudo, para bons lutadores, boas personagens, etc, etc (sou fã do Miz e não é certamente pela forma dele lutar)… lembro-me bem de quando o Waytt apareceu e se especulava que ele poderia ser o novo Undertaker, no combate que eles tiveram na Wrestlemania até cheguei a pensar que era uma passagem de testemunho, mas não, a wwe enterrou o Waytt com derrotas atrás de derrotas até tornar o que poderia ser uma das caras da companhia em nada. Espero que desta vez seja diferença e possam explorar tudo aquilo que ele tem para dar, ganhamos todos com isso.

Comentar