Faz login e reduz a publicidade

More Than Words #7 – Uma Verdadeira Evolução

No passado dia 7 de dezembro fez-se história no wrestling, mais concretamente no wrestling feminino. Aconteceu o primeiro combate de wrestling feminino no Médio Oriente. Após o combate, Sasha Banks falou à imprensa e fez um discurso emotivo sobre a evolução do Wrestling feminino. E é sobre esta evolução que vou falar neste artigo.

O Wrestling feminino na WWE tem sido alvo de várias críticas neste último ano, o que é perfeitamente normal, pois foi um ano marcado por más decisões de Booking e combates desinspirados. O principal alvo deste problema foi Bayley, que este ano viu todo o seu ímpeto, com que vinha do NXT, desaparecer. Bayley fez parte de um forte candidato a pior segmento do ano, que levou a uma das piores rivalidades e combates do ano, contra Alexa Bliss.

Mas nem tudo foi mau no Wrestling feminino em 2017, afinal de contas este ano deu-se o primeiro Money In The Bank Match feminino, deu-se o primeiro Ladder Match feminino em anos no NXT, deu-se o primeiro torneio internacional de wrestling feminino e apesar de terem predominado combates cuja qualidade não foi a melhor, houveram combates de grande calibre ao longo do ano. E apesar das constantes más decisões de Booking, ninguém pode negar a grande evolução que o wrestling feminino teve estes últimos anos.

As mulheres deste desporto conseguiram fazer com que houvesse combates de wrestling, em vez dos desfiles de lingerie que aconteciam anteriormente, conseguiram fazer com que se valorizasse o talento, em vez do corpo, conseguiram acima de tudo provar que o Wrestling não era apenas um desporto para homens.

Tudo começou com Mae Young, Fabulous Moolah, Trish Status e Lita, que tentaram proporcionar aos fãs de wrestling mais do que desfiles de lingerie, tentaram proporcionar-nos bons combates, numa época em que lhes era apenas pedido que apresentassem algo sensual aos fãs. Este trabalho foi depois continuado pelas Four Horsewomen: Charlotte Flair, Sasha Banks, Becky Lynch e Bayley.

Estas quatro atletas, assim como Paige e Emma, através dos seus constantes combates de grande qualidade, puseram os olhares no wrestling feminino do NXT. Paige e Emma abriram as portas às Four Horsewomen que foram as grandes responsáveis pela evolução do Wrestling feminino. Charlotte Flair destacava-se não só por ser a filha do lendário Ric Flair, mas pela sua impressionante força e atleticismo. Sasha Banks destacava-se pela sua atitude, maioritariamente como Heel arrogante, função que desempenha tão bem. Becky Lynch pelo seu espírito de guerreira que nunca desiste e Bayley pelo carisma que transparecia em ringue, que fez dela um dos maiores, senão o maior fenómeno do NXT.

Cada uma brilhou à sua maneira, mas as 4 juntas abriram as portas a lutadoras que anteriormente nunca teriam chances de ser contratadas.

Uma rivalidade que marcou praticularmente está evolução do wrestling feminino, foi a que opôs Bayley a Sasha Banks. Bayley era a underdog perfeita, as crianças adoraravam-na, os adultos igualmente, ela era aquela lutadora que era impossível não simpatizar e toda a gente a apoiava. Sasha Banks complementava-a perfeitamente, ela era uma Heel natural, cada gesto que fazia mostrava uma arrogância e uma confiança que chegava a tornar-se fixe, completando toda esta personalidade com um enorme talento em ringue.

Estas duas atletas proporcionaram-nos dois dos melhores combates femininos de sempre. Estes dois combates mudaram por completo a perspetiva que muitos fãs tinham do wrestling feminino. Bayley e Sasha foram as protagonistas do primeiro iron- man match feminino em anos, cujos 30 minutos de duração do combate foram pautados por ação constante e por uma brilhante história contada. A história era bastante simples: Sasha Banks era a campeã, que sabia que era boa e que fazia questão de mostrar isso a toda a gente, Bayley era a desafiante persistente, que sonhava desde a sua infância em ser campeã e que queria provar a toda a gente que os sonhos eram possíveis de alcançar.

Uma história tão simples, tornou-se na melhor rivalidade feminina dos últimos tempos, isto foi apenas possível graças ao talento destas duas atletas que desempenharam os seus papéis de forma tão autêntica, que já não eram bem papéis, eram já personalidades que faziam muitos fãs esquecerem-se que isto era apenas uma história, alguns fãs já estavam tão investidos que era difícil de acreditar que era apenas uma história.

Bayley e Sasha Banks foram por isso as principais responsáveis por esta mudança do Wrestling feminino.

Graças a estas magníficas atletas, extinguiu-se o termo “Divas”, que foi substituído pelo termo “superstars”,que passou a designar ambos os sexos, extinguiu-se também o Divas Championship, que foi substituído pelo novo Women Championship, acabaram-se as lutas de lingerie e as contratações de mulheres com base no seu corpo e beleza, foi inaugurado o primeiro Money In The Bank Match feminino, vencido por Carmella e foi também criada a primeira grande streak de vitórias de uma lutadora feminina, Asuka, que desde a sua estreia ainda não perdeu nenhum combate.

É certo que nem tudo está bem na divisão feminina da WWE, muito pelo contrário, ainda há muitas coisas a melhorar e as mulheres ainda são mais desvalorizadas em relação aos homens, mas ninguém pode negar a enorme evolução que o Wrestling feminino sofreu nestes últimos anos.

Obrigado a todos os que leram este artigo e vemo-nos no próximo domingo, para mais um More Than Words.

5 Comentários

  1. juninho há 11 meses

    Otimo artigo e de fato emma , paige e a.j lee abriram as portas pra sasha, bayley, beckey , charlotte e foi graças a elas que elas tem o sucesso que tem , a wwe sabe disso, tanto e que na sua ultima promo a wwe citou isso na promo da paige , e uma pena a wwe nunca ter dado o devido valor a emma que uma grande wrestler que não foi valorizada pela wwe , agora parece que a wwe ta meio que querendo concertar os erros do passado já que a paige esta de volta e esta em paz com a empresa , tanto e que essa absolution meio que e uma stable que a paige criou pra fazer sua propria revolução já que ela deve ter engolido essa womens revolution , mais o fato e que divisão feminina precisava dessa reviravolta esta muito desgastada e combates repetitivos , e o proprios fãs clamavam o retorno da paige e estreia das iconic duos que obviamente não aconteceu , não sei porque , e a bayley se não abrir o olho vai ser demitida em breve acho que deveria voltar pro permarcer center treinar suas habilidades e sasha deveria da uma sumida da tv por um tempo ou ser draftada pro smackdown sua imagem esta muito desgastada , mais otimo artigo .

  2. Leleco há 11 meses

    Ótimo artigo. A divisão feminina da WWE vem crescendo aos poucos, e Isso é muito bom, as meninas tem capacidade de fazer combates tão bons quanto do meninos. Hoje a divisão está luxo perto do que era no passado, mas mesmo assim ainda tem muitas falhas e precisa de mudanças. Acho que o ano de 2016 foi um ano melhor que 2017 para as mulheres. Espero que em 2018 as coisas melhorem, que elas tenham mas visibilidade, feuds melhores e lutas temáticas, não seria nada mal combates como RR, elimination Chamber, TLC , entre outros. Espero que invistam em boas histórias e parem de fazer combates só pq sim, aleatórios. O SmackDown teve um péssimo ano, os reinados de Alexa, Naomi e Natalya foram péssimos, um pior que outro, não tiveram uma feud boa,uma história boa, só combates chatos, depois do LADDER match que teve um resultado péssimo, com um homem a tirar a maleta, a divisão do SmackDown despencou de nível. O RAW não fica muito atrás, o troca troca de título entre Charlotte e sasha foi ridículo, o reinado de Bayley e Bliss uma porcaria, muitos combates ruins e repetidos e imagens desgastadas. Sasha e Bayley são as que mas estão afetadas, a WWE não soube tratar elas como elas mereciam, Bayley perdeu seu encanto e Sasha virou uma fracassada que não consegue manter um título, triste! Agora com Paige,Asuka no RAW espero que em 2018 tenhamos uma evolução melhor, espero que voltem a apostar em Sasha e Bayley pois elas são muito talentosas. Quero ver lutas mas agrecivas e com emoção e Sasha, bayley, Asuka, Paige , Mickei podem nos proporciona isso. Eu vejo o RAW a frente do SmackDown e acho que em 2018 o RAW vai continuar superior. No smackDown não vejo muitas coisas passitivas pois eles só sabem tratar bem a Charlotte, o resto são todas fracassadas, bom, pelo menos essa é a imagem que me passa. A divisão do Sd é tão ruim que Riot Squad é uma cópia do Absolution, que é do RAW. espero que as coisas mude no smackDown, que eles possam reconstruir talentos e que nomes de peso entrem na divisão e que estejam em pé de igualdade com a Charlotte.

  3. BRUNOju. há 11 meses

    Gostei do artigo. Acho que desde a “Divas Revolution”, a divisão feminina vem subindo e se estabilizando como credível aos olhos dos fãs.

    Paige vs Emma foi realmente o START disso tudo, até porque, as mulheres estavam numa fase tão RUIM (Main roster) que o combate pelo NXT Women’s Championship virou um clássico.

    Por mais que eu não dou o mérito mais a uma do que a outra, acho que todas elas fizeram a sua parte e a história foi feita e NÃO SERIA feita se tivessem apenas Paige, ou apenas Sasha, ou apenas Emma e enfim. Orgulho dessas mulheres, e espero que tenhamos um 2018 ótimo para elas, com a primeira Elimination Chamber feminina, combates de qualidade na Wrestlemania e muito mais.

  4. Bruno xp17 há 11 meses

    Que testamentos que estes tristes fazem..

    • Se te estiveres a referir a mim como triste, olha primeiro para o comentário que acabaste de escrever. Se já sabes que não vais gostar destes “testamentos”, porque é que os lês?

Comentar