O nosso admin está muito activo no Instagram!

Reality Check #17 – O Melhor de 2017

Boas pessoal, o meu nome é Luís Correia e sejam bem-vindos a mais uma edição do Reality Check aqui no Wrestling.PT.

Com 2017 mesmo a chegar ao fim decidi nesta edição eleger quais foram os melhores momentos que a WWE nos ofereceu durante este ano. Aviso desde já que vou apresentar esses momentos por uma ordem totalmente aleatória.

E começo precisamente por falar num momento que se sucedeu no início deste ano e foi a rivalidade entre Chris Jericho e Kevin Owens que se iniciou em meados de Fevereiro quando Owens se virou contra o na altura United States Champion Jericho durante o “Festival of Friendship”. Foi uma feud bastante intensa e que serviu para vermos o quão bom Jericho ainda é e o muito que este ainda tem para dar no mundo de Wrestling, tal como para vermos que KO é provavelmente um dos melhores heels dos últimos anos e que merece estabelecer-se como uma das estrelas principais da companhia.

No Fastlane vimos Kevin Owens a perder o seu Universal Championship para Goldberg após um reinado de 188 dias e foi precisamente com a interferência de Jericho que KO perdeu o seu título o que culminou num combate entre ambos na Wrestlemania 33 com o US Title em jogo. E então no maior evento do ano podemos desfrutar de um grande combate em que inevitavelmente Owens saiu como vencedor conquistando pela primeira vez na carreira o United States Championship e prosseguindo para um 2017 que lhe correu da melhor maneira possível.

Outro grande momento que decorreu em 2017 foi a reunião dos The Shield, desde que estes se separaram em 2014 que o WWE Universe aguardava para uma nova reunião de Ambrose, Rollins e Reigns e este foi o ano em que finalmente isso aconteceu. Em Outubro deste ano vimos então os The Shield de regresso de modo a entrarem numa rivalidade com o Intercontinental Champion The Miz e os The Bar e o que nos levou a ver os “The Hounds of Justice” a enfrentarem The Miz, Sheamus, Cesaro, Braun Strowman e Kane no TLC, combate em que os The Shield conseguiram sair vitoriosos.

Durante os seguintes meses continuamos a ver os 3 reunidos e no Survivor Series tivemos a oportunidade de vê-los num combate contra os New Day naquele que podia ser um dos melhores combates de Tag Team do ano e que no final de contas não desiludiu. E claro que não posso deixar de referir a edição do Raw em que Roman Reigns conseguiu conquistar o Intercontinental Championship e tornar-se assim num Grand Slam Champion, celebrando de seguida com os seus companheiros Seth Rollins e Dean Ambrose que na altura possuíam os Raw Tag Team Championship.

E já que falei nos New Day é precisamente sobre eles que vou falar e mais propriamente na rivalidade que estes tiveram com os Usos e que durou cerca de 6 meses, meses esses em que fomos constantemente presenteados com combates e momentos que nunca mais nos vamos esquecer. Além das sucessivas trocas de títulos que a meu ver foram bastante benéficas para ambas as partes, vimos também grandes performances por parte dos Usos que desde que fizeram um Heel Turn se encontram na melhor fase que já tiveram desde que estão na WWE.

Mas aquele que foi o melhor momento de toda esta feud foi o último combate que ambas as equipas tiveram num Hell in a Cell Match no PPV Hell in a Cell em que tivemos o prazer de ver tudo aquilo que poderíamos esperar ver. Toda a complexidade deste tipo de combate foi totalmente aproveitada e conseguimos ver que os New Day são sem dúvida uma das melhores stables da história da empresa e que enquanto se encontrarem juntos a divisão de equipas pode estar descansada, principalmente a do Smackdown que é onde Kofi Kingston, Big E e Xavier Woods se encontram.

Não podia deixar de eleger também o combate entre Finn Bálor e AJ Styles que se sucedeu no TLC e que apenas aconteceu devido à ausência de Bray Wyatt que era para ser inicialmente o adversário de Bálor no PPV de forma a concluir a rivalidade entre ambos que já durava há vários meses. Mas há males que vêm por bem e devido a tal ausência do “The Eater of Worlds” tivemos a oportunidade de ter um combate que há muito estávamos à espera e não fazíamos qualquer ideia que podia acontecer neste ano de 2017.

E o embate entre estas duas grandes estrelas não nos desiludiu e durante aproximadamente 20 minutos foi-nos possível observar quase tudo aquilo que podíamos esperar destes dois grandes atletas e ficou provado cada vez mais a qualidade de Bálor e a necessidade que este tem de ter um combate pelo Universal Championship o mais rapidamente possível, mas isso já é outro assunto que não me quero pronunciar. Além disso foi uma bela forma de catapultar AJ Styles para a rota do WWE Championship apesar da derrota com Bálor que já era mais que esperada.

E falando em Universal Championship não podia ficar de fora deste artigo Braun Strowman e tudo o que envolveu o “Monster Among Men” durante este ano de 2017. Este foi o ano da verdadeira afirmação de Braun e em que pudemos ver este grande atleta a ter as oportunidades que tem vindo cada vez mais a mostrar merecer e só fica manchado pelo facto de não ter conseguido capturar o Universal Title, mas sejamos francos e admite-mos que as oportunidades de isso acontecer eram quase nulas, isto devido ao facto de Lesnar ser o atual campeão.

Mas não foi só a sua rivalidade com Brock Lesnar que marcou o ano de Braun Strowman mas também toda a sua feud com Roman Reigns que se prolongou por largos meses e proporcionou-nos momentos fantásticos como aquele em que Braun virou uma ambulância ao contrário com o “The Big Dog” lá dentro e também o momento em que Reigns conduziu uma ambulância em marcha-atrás contra um autocarro de forma a tentar afetar Strowman que minutos depois já se encontrava fora do veículo. Mas o que podemos esperar é que de alguma maneira 2018 seja ainda melhor para Braun e quem sabe este consiga finalmente conquistar o Universal Championship sendo que tem já uma oportunidade de fazê-lo no Royal Rumble do próximo mês.

E claro que não podia faltar a divisão feminina nesta eleição de melhores momentos de 2017 e aquele que para mim foi a melhor coisa que podia acontecer na divisão durante o ano: o regresso de Paige. Paige é uma lutadora bastante popular entre o WWE Universe seja pelas boas ou más razões e a verdade é que já à bastante tempo que se aguardava pelo seu regresso e tivemos a oportunidade de presenciá-lo em Novembro quando trouxe consigo Mandy Rose e Sonya Deville do NXT de forma a criarem as Absolution que têm como objetivo destruir toda a divisão feminina do Raw.

A meu ver foi uma grande ideia por parte dos criativos da WWE trazer Paige de regresso juntamente com mais duas lutadoras vindas do NXT dada a necessidade de caras novas no roster feminino do Raw e nada melhor que conseguir mais três adições num curto espaço de tempo. Até agora e como esperado vimos Paige e o seu grupo a dominar completamente a maior parte das outras mulheres no Raw de forma a conseguirem de afirmar e quem sabe partirem para um 2018 absolutamente fantástico, sendo que o Royal Rumble Match feminino seria uma excelente forma para as Absolution começar o ano em grande.

E virando-me agora para os lados do Smackdown Live que por acaso tem tido poucos momentos falo-vos claro da conquista do WWE Championship no passado mês de Novembro por parte de AJ Styles e que se sucedeu numa edição do Smackdown em Manchester. Nunca o WWE Title tinha mudado de mãos numa edição da brand azul em solo estrangeiro e nada melhor que um nome como AJ Styles de poder fazer história dada a sua qualidade e tudo aquilo que já demonstrou merecer desde que chegou à WWE no passado ano de 2016.

Já era hora de Jinder Mahal ver o seu reinado como WWE Champion chegar ao fim pois duas vitórias diante de uma estrela como Shinsuke Nakamura já era demais e iria ser muito difícil de aceitar caso o “Modern Day Maharaja” conseguisse também defender com sucesso o seu título contra AJ Styles que desta forma começou e termina também o ano de 2017 como WWE Champion. Para 2018 espero que o reinado de Styles se prolongue por mais uns meses e que só termine, quem sabe, se tivermos então o seu tão aguardado combate contra Nakamura na Wrestlemania 34, algo que até me encontro confiante para que aconteça.

E termino este artigo falando daquele que para mim foi o melhor momentos que tivemos a oportunidade de assistir como membros do WWE Universe em 2017: o regresso dos Hardy Boyz na Wrestlemania. Tal como muitos de vocês cresci a ver esta grande Tag Team a competir e desde que ambos sairam da empresa que aguardava ansiosamente pelo dia em que podia vê-los de novo em ação num ringue da WWE e dado o sucesso que ambos estavam a ter na TNA que não esperava que isso pudesse alguma vez acontecer, mas aconteceu.

O seu regresso serviu também para elevar a Tag Team de Sheamus e Cesaro que a meu ver e a par dos Usos foram a melhor equipa deste ano e que mais apresentaram evoluções na forma como trabalham como equipa. Apesar de atualmente já não termos a oportunidade de ver Jeff e Matt a combater juntos certamente que o “Woken” Matt Hardy pode vir a ser uma das melhores coisas em 2018 e espero que quando Jeff consiga recuperar da lesão se junte ao seu irmão de forma a recriar os grandes momentos que tiveram durante a sua passagem pela TNA.

Faltarão certamente muitos momentos que nos marcaram como fãs de Wrestling em 2017 mas decidi eleger apenas 8 de modo a não prolongar mais o artigo e não vos maçar demasiado.

E tu,

  • Quais foram para ti os melhores momentos da WWE em 2017?
  • Qual foi o melhor combate que se sucedeu durante o ano?
  • Que lutador mais te conseguiu surpreender em 2017?
  • Acreditas que o ano de 2018 será melhor para a WWE?

Até para a semana. Fiquem bem!

Autor

- Acompanho Wrestling há mais de 12 anos e desde então não perdi a minha paixão por esta modalidade. Sou o autor da rúbrica semanal "Reality Check" onde discuto temas da atualidade da WWE.

1 Comentário

  1. Demon Assassin há 6 meses

    Grande artigo só diria que te esqueceste de outros dois o cena ter ganho o titulo mundial pela décima sexta e para o mim o melhor momento da wwe em 2017 foi a vinda deles a Lisboa ahhhha continua os bons artigos

Comentar