Reality Check #5 – The Bulgarian Brute

Boas pessoal, o meu nome é Luís Correia e sejam bem-vindos a mais uma edição do Reality Check aqui no Wrestling.PT.

Esta semana venho-vos falar de Rusev, o lutador búlgaro do Smackdown que se encontra indiscutivelmente na pior fase da sua carreira desde que chegou à WWE.

Em 2014 vimos a estreia de Rusev no Main Roster, este que tinha tido uma passagem de pequena duração no NXT que começou no ano anterior. De início o atleta búlgaro não se conseguiu afirmar com uma personagem específica, mas tal viria a acontecer quando adoptou Lana como sua manager e iniciou uma jornada de destruição total, tendo inclusive vencendo nomes como Xavier Woods, Kofi Kingston e Sami Zayn, competindo também com o na altura NXT Champion, Neville.

Nos seus primeiros meses no Roster principal, Rusev apresentou uma personagem de anti-americano e teve várias feuds num curto espaço de tempo, nas quais saiu sempre vencedor e serviu para este ganhar cada vez mais relevância e se afirmar como um dos mais dominantes Superstars que pisavam aquele ringue. Rusev venceu nomes como R-Truth, Jack Swagger, Mark Henry e Big Show e mostrou assim a sua dominância em apenas 6 meses após ter chegado ao Main Roster.

Tudo isto levou a que, no dia 3 de Novembro, Rusev derrota-se Sheamus num combate que foi para o ar depois de mais uma edição do Raw e conquista-se o United States Championship, o primeiro título do búlgaro desde que chegou à empresa. Este título viria a premiar o domínio do búlgaro desde que se apresentou ao WWE Universe e este viria então a defender o título por várias ocasiões contra Sheamus, Jack Swagger e John Cena, conseguindo chegar à Wrestlemania 31 como campeão.

Mas infelizmente John Cena viria a capturar o título no maior evento do ano, num combate que apenas veio a comprovar as indiscutíveis qualidades de Rusev e a necessidade deste continuar a ser um dos nomes mais relevantes da empresa nos meses que se iriam suceder. Demorou perto de 1 ano para Rusev sofrer a sua primeira derrota por pinfall no Main Roster e num combate em que era mais que evidente que Cena iria capturar o ouro, dada a gimmick de anti-americano que Rusev possuía e a necessidade desta ser finalmente confrontada num palco como a Wrestlemania e por um dos nomes maiores da WWE.

Infelizmente após ter falhado re-capturar o United States Championship de John Cena, Rusev começou a ver o seu papel a ser denegrido e a andar meio que perdido no Roster e começando rivalidades de pequena duração que em nada o beneficiaram, nem a si nem ao seu adversário. Rusev viria a terminar a sua parceria com Lana, começando depois a adoptar uma gimmick de búlgaro, entrando com a bandeira do seu país natal, tentando o mais rapidamente possível voltar a ganhar o impacto que tinha tido aquando a sua chegada ao Main Roster.

Mas Rusev viria a lesionar-se o que o fez ficar afastado por algum tempo, ainda por cima quando este iria ter uma oportunidade pelo Intercontinental Championship. Mais tarde, Rusev viria a tentar reconciliar-se com Lana, mas sem sucesso, tendo mais tarde conseguido com que Summer Rae fosse a sua manager e ajuda-se o atleta búlgaro a voltar novamente a colocar o seu nome na ribalta, mas sem sucesso. Este acabaria então por entrar numa rivalidade com Dolph Ziggler que culminou num combate no Summerslam que acabou por não ter vencedor, tendo Rusev se lesionado mais uma vez num curto espaço de tempo.

Pouco após o seu rápido regresso aos ringues, Rusev se juntou então a Sheamus, King Barrett e Alberto del Rio na então conhecida League of Nations, que pretendia causar um impacto imediato na WWE, ajudando Vince McMahon na sua batalha contra Roman Reigns. Esta parceria entre os 4 atletas estrangeiros acabou por não ter sucesso e estes acabaram por se separar poucos meses depois, apesar de estes conseguirem uma vitória diante dos New Day em plena Wrestlemania 32.

Mas esta separação só veio a demonstrar que Rusev apenas precisava de si e das suas inegáveis qualidades para obter sucesso na WWE, e tal veio-se a comprovar pois ainda em 2016 conseguiu entrar na rota do United States Championship, que na altura se encontrava na mãos de Kalisto. No Extreme Rules, o “Bulgarian Brute” viria a conquistar o ouro pela segunda vez na sua carreira e prometia conseguir dar tanto prestígio a este como conseguiu na primeira vez que o teve em 2014.

Mas, para tristeza da maior parte do WWE Universe, seria Roman Reigns a entrar na rota do título e a ser o que iria tentar vencer o US Title a Rusev, o que inevitavelmente todos sabíamos que iria se suceder, mais tarde ou mais cedo. O lutador búlgaro, ao contrário do que se pensava, conseguiu manter-se como campeão no Summerslam diante do “The Big Dog”, mas a rivalidade acabaria por continuar e viria Roman a sair como campeão no Clash of Champions, o primeiro PPV exclusivo do Raw após a nova brand extension.

No Hell in a Cell, vimos Rusev a ter direito à sua desforra pelo título num Hell in a Cell, mas este não teve sucesso na tentativa de voltar a capturar o United States Championship. Pela terceira vez desde que chegou ao Main Roster, o “Bulgarian Brute” viria a lesionar-se, mas desta vez num período de longa duração e viria, ainda assim, a ser transferido para o Smackdown aquando do Superstar Shake-up em Abril deste ano, uma mudança que poderia trazer benefícios para Rusev a longo prazo.

Em Abril, Rusev apareceu via satélite exigindo a Shane McMahon uma oportunidade pelo WWE Championship no Money in the Bank, acrescentando que não regressaria enquanto o seu pedido não lhe fosse concedido. Este acabou por ver a sua exigência a não ter qualquer resposta por parte do responsável do Smackdown, e o “Bulgarian Brute” faria então a sua primeira presença na brand azul a 4 de Julho, onde confrontou o seu antigo rival John Cena, o que culminou num Flag Match entre ambos no Battleground, em que Rusev viria a ser derrotado.

Após a feud com Cena, Rusev viria a entrar numa com Randy Orton que se prolonga até aos dias de hoje, rivalidade esta que se encontra empatada, visto que o “The Viper” venceu o combate entre ambos no Summerslam e Rusev conseguiu a vingança na edição do Smackdown da semana passada. No Hell in a Cell da próxima semana iremos então ter o combate que todos esperamos que dê um fim a esta feud e que finalmente retire o lutador búlgaro de rivalidades que em nada o beneficiarão.

Bem, é mais que evidente que uma das formas para trazer Rusev de volta à ribalta e dar o papel de Main Eventer que todo o WWE Universe, é metê-lo a derrotar Randy Orton de uma forma catastrófica e dominadora no Hell in a Cell, demonstrando o seu desejo de chegar ao topo e ter uma oportunidade pelo WWE Championship que tanto merece. Visto que atualmente o campeão é Jinder Mahal e ambas as suas personagens se assemelham dado o ódio aos Estados Unidos, um confronto entre ambos não parecerá nada lógico e penso que, caso o “Modern Day Maharaja” perca o título para Nakamura, seja nessa altura que Rusev entre na rota pelo mais prestigiado título da empresa.

Uma feud entre Rusev e Shinsuke Nakamura parece-me bastante bem e mesmo que o “Bulgarian Brute” não conseguisse conquistar o WWE Championship, ao menos este teria um papel de maior importância no Smackdown e teria a tão esperada oportunidade pelo título mais prestigiante de toda a WWE. Visto que Nakamura irá muito provavelmente vencer Jinder Mahal no Hell in a Cell, existe a necessidade de encontrar um adversário para este para quando a rivalidade com Mahal terminar e Rusev parece ser o nome perfeito para o atleta japonês poder defender o seu título.

E tu, qual achas que deverá ser o futuro de Rusev no Smackdown? Acreditas que lhe serão dadas as oportunidades que já demonstrou por diversas vezes merecer? Ou o seu papel na WWE irá continuar a ser de pequena dimensão?

Até para a semana. Fiquem bem!

Sobre o Autor

- Acompanho Wrestling há mais de 12 anos e desde então não perdi a minha paixão por esta modalidade. Sou o autor da rúbrica semanal "Reality Check" onde discuto temas da atualidade da WWE.

Comentar

Editar avatar »