Wrestling em Portugal: “Participa no espetáculo, faz barulho e diverte-te!”

Durante os últimos dias, o Miguel Santos elaborou uma reportagem sobre o Wrestling nacional, onde falou com diversos lutadores portugueses, fãs e “malta da net”. Aqui fica o resultado dessa mesma reportagem, e o Wrestling PT agradece ao Miguel a partilha e permissão para a sua publicação. Obrigado!

Já ouviste falar de wrestling nacional? Não? Vem descobrir, e deixa-te levar neste jogo de emoções.

“O wrestling sempre foi a minha grande paixão. Para além de ser divertidíssimo treinar, combater e interagir com os fãs, acaba por ser uma forma da comunidade se reunir, pelo interesse que todos têm pelo que acontece naquele ringue”.

O autor da frase é conhecido como a referência do wrestling nacional. Bruno “Bammer” Brito pratica a modalidade há 15 anos, e começou quando atingiu a maioridade. Foi campeão do Wrestling Portugal (WP) durante 7 anos. Perdeu o título para Luís Salvador, a 27 de novembro de 2016.

Luís Salvador descobriu o wrestling em abril de 2008. É fundador do Wrestling.PT, e antigo campeão nacional do WP. Para o atleta, o wrestling nacional e o Wrestling Portugal, federação a que está ligado, são símbolos de esforço, dedicação, entreajuda, companheirismo e amizade.

“A modalidade representa muito mais do que ver, preciso de a viver, de sentir o nervosismo e a emoção que é subir ao ringue e combater para o olhar atento de dezenas de fãs”, afirma.

Kelly pratica wrestling desde os 14 anos. Com algumas paragens pelo meio, há dois anos que pratica com maior regularidade. É conhecida como “Killer” Kelly, pela capacidade de “matar” os adversários em ringue, com os seus golpes.

“Orgulho-me imenso do que fazemos cá em Portugal, e espero que façamos ainda mais e melhor. Farei todos os possíveis para mostrar lá fora o que se faz por cá”, destaca a atleta.

Levar o Wrestling a todo o país

O Wrestling Portugal nasceu em 2006. O Centro de Treinos de Wrestling (CTW) foi fundado em 2008.

A Academia do WP abriu portas em setembro de 2007. É responsável pela formação de lutadores nacionais. Situa-se no Centro Shotokai de Queluz.  O próximo espetáculo será a 4 de junho, e marcará o último show da temporada.

O CTW situa-se na Ajuda, em Lisboa. Organiza espetáculos por todo o país, com lutadores portugueses e estrangeiros, com vários anos e décadas de experiência.

“Os shows nacionais podem não ter a produção das federações estrangeiras, mas ver wrestling ao vivo é uma experiência diferente de ver através de um ecrã, pois estás inserido num pavilhão juntamente com outras dezenas de fãs, o que torna o ambiente único e diferente de ver em casa”, refere Luís Salvador.

Kelly destaca o facto de existirem várias companhias a produzir espetáculos em território nacional. “Se gostam de wrestling apoiem o WP, WSW, APW e CTW”. Apela para a importância em apoiar algo que não é muito habitual. “Custa o mesmo que ir ao cinema, e garanto-vos que saem de lá com um sorriso e felizes por terem ido!”

“Superkid” Nélson Pereira, atleta do CTW, é perentório na resposta! “Se estão a contemplar ir ou não ir, se ainda estão a pensar “sim ou não”, a resposta é sim”, responde o atleta.

“É um espetáculo único, não há nada igual. Desliguem o cérebro e divirtam-se”, acrescenta.

Momentos que ficam na Memória

“Bammer” partilha com Luís Salvador o combate que tiveram em novembro de 2016, que consagrou o fundador do Wrestling.PT novo campeão do Wrestling Portugal.

“Foi o momento mais marcante, pelo grande combate e pela intensidade das sensações que se sentiram nesse dia”, responde.

“Foi a minha primeira conquista do Título, contra um adversário que sempre respeitei e que já levava um reinado de 7 anos. Foi emocionante por ter tido a presença da equipa do Wrestling.PT, e poder dedicar ao meu filho. Foi o culminar de uma década de dedicação à modalidade”, afirma Salvador.

Kelly foca três momentos: a estreia como lutadora no WP, lutar na WSW, e o combate contra Luís Salvador, pelo título de campeão nacional.

A estreia como lutadora, por ser o primeiro combate “para um público desconhecido, e para a minha família”.

Lutar na WSW foi uma fase “única, cheia de momentos fantásticos partilhados com a minha família dentro do wrestling”, o roster do WP.

Kelly teve a oportunidade de viajar por Portugal e participar em espetáculos, com outros lutadores estrangeiros. “Senti-me como uma estrela!”, conclui.

O momento mais especial foi o combate pelo título do WP contra Luís Salvador. As razões são várias. “Foi a primeira vez que tive um combate, de um para um, tão importante”, refere.

Kelly admite o misto entre nervosismo e calma. A pressão e importância em entregar uma boa exibição eram tão grandes, num show “onde o combate principal era RAFA vs Cougar, a Batalha Épica”, realça.

Quando o combate começou, o nervosismo desapareceu. “Nasci para fazer isto”, pensou quando os seus pés pisaram o ringue.

A vitória sorriu a Salvador. Apesar da derrota, Kelly deixou as emoções falarem por si. “Perdi, mas saí de lá vencedora. Estava tão feliz que no backstage deixei a “Killer” Kelly de lado, e chorei”.

Divulgação e promoção em canais e páginas

Com 11 anos de existência, o Wrestling.PT é uma página dedicada a wrestling nacional e internacional.

Salvador refere que a página representa um papel importante “a partir do momento em que é o site de wrestling mais visitado em língua portuguesa, com mais de 300 mil visitas mensais, mais de 1 milhão de visualizações mensais e quase 90 mil fãs no Facebook”.

Quanto ao destaque dado ao wrestling nacional, “não é fácil contabilizar” o número de publicações na página. “Ultimamente temos tido notícias praticamente todas as semanas e, em certas semanas, quase todos os dias”.

Os temas são acerca dos espetáculos, podendo constar entrevistas, em parceria com outros projetos.

João Basílio é apresentador do Smarkdown. Criado há 4 anos, é um canal de Youtube focado na modalidade.

“Tento sempre dar destaque ao que se passa no wrestling nacional, seja ao comentar os recentes acontecimentos, a fazer entrevistas com lutadores portugueses ou a divulgar as datas dos espetáculos e a convidar as pessoas a assistir ao vivo”, menciona João.

O Smarkdown conta com análises de espetáculos, partilha de conteúdos das principais empresas, entrevistas a lutadores portugueses, comentários e divulgação de notícias.

O Wrestling Noticias é também uma página ligada à modalidade. Com 11 anos, o administrador é Fábio Santos, que ocupa o cargo há cerca de 2 anos.

Quanto ao conteúdo publicado, “são nomeadamente notícias, para divulgar os eventos que estejam a ocorrer brevemente, e reviews dos eventos”, afirma Fábio.

A periodicidade de publicação sobre wrestling nacional é incerta, uma vez que depende do que acontece em cada mês “Normalmente temos cerca de 6 a 7 publicações mensais”, conclui.

Reconhecimento do Wrestling em Portugal

“Bammer” estabelece a comparação com a WWE, a marca mais conhecida dentro da indústria. Afirma que “em Portugal não se encontra orçamento para luz, som e espetáculos de pirotecnia similares”. É necessário um orçamento maior para “embelezar o que acontece fora do ringue e beneficiar de maior exposição mediática”.

Luís Salvador afirma que a modalidade devia ser mais reconhecida. “Temos vários atletas nacionais talentosos. Alguns deles já andam pelo Reino Unido, Europa ou Mundo fora”, responde.

Destaca a falta de apoios, que devem vir da imprensa nacional e canais ligados ao desporto. “Sem apoios é muito difícil chegar a toda a gente, e mesmo chegando, continuará a não ser fácil convencer as pessoas de que vale a pena assistir a um espetáculo”, realça o atleta.

Por último, coloca o foco no investimento de todas as entidades envolvidas. Quem produz os espetáculos e quem os acompanha. “Sem fãs presentes não há dinheiro, e sem dinheiro as federações não podem investir em melhorar o seu produto”, explica.

O investimento nos espetáculos é feito pelos lutadores, que “lutam por paixão” e pelos fãs, que “acabam por ir aos shows e mantêm viva a chama da modalidade em Portugal”. Concluir, ao confessar que “quando uma destas partes acabar, o wrestling nacional também acaba”.

Texto de Miguel Santos
Fotografia de World Stars of Wrestling

Sobre o Autor

Foto de perfil do Facebook

3 Comentários

  1. Excelente artigo então sendo dedicado ao Wrestling Nacional ainda torna a coisa muito melhor… Excelente…

  2. Obrigado eu, pela partilha e reconhecimento! O mérito é de todos os atletas, profissionais e membros das diferentes páginas, que todos os dias se esforçam por dar ao wrestling nacional o destaque que merece. Eu sou apenas mais uma pessoa a trabalhar nesse sentido.

  3. BrayWyattForPresident - há 5 meses

    O unico problema que vejo é que não vem ao Porto… sei as despesas que isso provoca sem duvida alguma, mas não é facil apoiar o wrestling nacional quando este só acontece na capital. Excepto isso, grande força ao Wrestling nacional e que um dia seja de grande valor a nivel internacional, temos atletas bastante bons e sem dúvida que não duvido que muitos deles faziam boa figura em empresas de nome! Quanto ao orçamento, esqueçam enquanto existir a mentalidade que wrestling é teatro não têm valor em Portugal mas acredito que consigam mudar isso

Comentar

Editar avatar »