Frank casino

Lembram-se da Wild Card Rule que a WWE implementou no ano passado, que permitia a Superstars do Raw aparecerem no SmackDown e vice-versa, com o objetivo de melhorar as audiências (mas que não melhorou), e que logo desde o início foi criticada pelos fãs? Vai voltar. Bem, mais ou menos…

Poucas horas antes do Raw desta segunda-feira ter sido transmitido, John Pollock do Post Wrestling reportou que a WWE iria implementar uma nova regra nos seus programas, em que as Superstars estariam autorizadas a participar na brand contrária àquela da qual fazem parte. Portanto, uma espécie de Wild Card Rule.

No entanto, foi também reportado e mais tarde confirmado no Raw, que desta vez será algo mais simples. Até ver, estamos a falar da participação de uma Superstar que é convidada a ir ao programa contrário, que está a ser chamada de “Brand To Brand Invitation Rule”.

Esta nova regra vai começar com King Corbin no próximo Raw, que vai enfrentar o WWE Champion Drew McIntyre. Ou se preferirem, vai começar com a visita da NXT Women’s Champion Charlotte Flair ao SmackDown desta sexta-feira.

Aqui nem estamos a considerar as WWE Women’s Tag Team Champions Alexa Bliss & Nikki Cross, que participaram no Raw desta segunda-feira e voltarão a participar no Raw da próxima semana, porque são campeãs e podem ter que lutar e defender os títulos em ambas as brands.

Esta medida terá sido um pedido expresso pelas duas estações televisivas que transmitem o Raw e SmackDown, USA Network e FOX, com o objetivo de melhorar as audiências dos dois programas. Temos dúvidas que as audiências melhorem por uma visita de King Corbin ao Raw, mas vamos aguardar…


Estás curioso para ver a implementação desta nova “Wild Card Rule” ou preferias ter os rosters bem separados?

38 Comentários

  1. Facebook Profile photo

    É o Corbin que dá audiências AHAHHA.

  2. Hugo4 meses

    Bom….esta rule só vai funcionar se for para agitar as coisas tipo como eram as wars entre a Raw o Smack e a antiga e saudosa Ecw. Caso contrário não vai mudar em nada. Os fãs querem ATITUDE e não estas “visitas” de cortesia que há agora.

    • Facebook Profile photo

      O Corbin é o rei. Se a visita dele ao RAW não fosse com ‘cortesia’ à mistura nem valeria a pena.

  3. Decidam se ou separam os brands ou juntam tudo como uns anos atrás, agora isto assim é que não uma pessoa começa a ficar confundida.

  4. Nilza4 meses

    A wwe readota wild card rule no regulamento geral da wwe pq? Tinha acabado quando teve draft ano passado? Parece que a brand split faliu novamente, a partir de agora wrestlers visitam os dois shows vice-versa senhores?

  5. tiago Pereira4 meses

    Não sei qual a vossa opinião mas adorei aquela parte de 2019 de wild-card quem me dera que fosse sempre assim

    • João gomez4 meses

      Pior fase da wwe no últimos anos na minha opinião

    • filipe4 meses

      so se for para os fas do Reigns… Eram sempre os mesmos a aparecer nos 2 shows…
      Isto será devido ao numero reduzido de star power… Drew ja lutou contra quase todos os heels disponiveis. Ha mta gente k n esta a lutar (Owens por exemplo)

  6. “Oh crap, here we go again”… Para mim é simples: rosters separados por brands e ponto final.
    Odeio estas interações entre marcas quando nem estamos em época de Survivor Series, isto não faz sentido algum.

  7. Mais audiências com o Corbin e a Charlotte?😂😂😂😂😂
    Moveram a Charlotte para o NXT com esse objetivo e deu o que deu e o Corbin nem vale a pena dizer nada

    Em vez de fazerem alterações na forma como apresentam o produto andam nesta troca de pessoal só porque sim

  8. João gomez4 meses

    Otis a ganhar o mitb, a wild card rule 2.0
    A wwe gosta mesmo de dar tiros nos pés

  9. No ano passado foi a desgraça que foi e agora querem voltar a repetir? Não estou nem um pouco curioso. Para mim os rosters deviam estar bem separados e a WWE começava a fazer os eventos de jeito em vez de estarem a chamar lutadores(as) para salvar as audiências. Um ou outro pode ajudar nas audiências, mas são os eventos em si que têm de ser bons, se não, continuarão a ter fracas audiências.

  10. É sempre bom. Sabendo diferenciar claro, para não se tornar numa bagunça. Mas a Smackdown precisa bastante, que aquilo está uma lástima

  11. vitor4 meses

    corbin kkkkkll

  12. Facebook Profile photo

    Ora, a ver se vos entendo. Numa semana reclamam da falta de star power numa das brands, na seguinte queixam-se que as rivalidades são sempre as mesmas. Cria-se uma solução *temporária* para ajudar com os vários problemas, inclusive os ratings mais baixos, e tornar as coisas mais flexíveis e interessantes numa época incerta e complicada e, de repente, a única coisa que vale a pena é criticar. Calma, malta, que isso não faz bem ao vosso coração. Esperem para ver e depois critiquem. Os fãs desta modalidade são, sem dúvida, a melhor coisa da mesma mas também conseguem ser tão tóxicos que até me engasgo.
    Começam a dar tempo às coisas e ver no que dá antes de criticarem. Eu gosto da ideia de termos combates casuais entre as brands até as coisas voltarem ao normal. Ajuda as audiências, cria novas expectativas e rivalidades e torna o produto mais flexível e imprevisível.

    • Facebook Profile photo

      MaS o CoRbIn NãO dÁ aUdIêNcIaS. Esta semana é o Corbin, na seguinte é o Daniel Bryan, na outra é o Fiend a bater à porta do Aleister Black, na outra é a Dana a arrastar a Nia Jax pelo Performance Center. See? Inúmeras possibilidades.

    • calma senhor4 meses

      Mas tu defendes tudo que a WWE faz ou o quê? Só sabes comentar em tudo que é notícias para a defender quando estão claramente a tomar más decisões. Não quero estar a julgar-te mas pareces aqueles fanáticos que aceitam tudo que é feito pois só sabem ver WWE e desconhecem o restante mundo do wrestling.

    • Facebook Profile photo

      Calma, senhor. Eu sei criticar mas gosto de o fazer quando tenho, realmente, razões para tal. Se gosto da ideia vou criticar? Ainda não se viu nenhuma consequência de uma nova medida e já está tudo com a cabeça a arder. Eu prefiro ter calma (,senhor) e ver no que vai dar. Se achas que isto é ser fanático, lamento desiludir-te mas sou apenas alguém que não critica antes do tempo 🙂

    • filipe4 meses

      Pedro Postes tem razão. Isto serve para colmatar a falta de Star Power nos shows. Temos visto os mesmos combates. Qtas vezes ja lutou o Drew com Andrade? Bryan e Gulak com Cesaro e Nakamura? Isto pode dar bons combates: Black vs Nakamura? Drew vs Cesaro? Asuka vs Sasha… etc
      Desde que nao se abusa pq n…

  13. Sim, as audiências vão ameuntar com a passagem de wrestlers entre brands, não o facto de terem de melhorar o produto e booking mediocre que apresentam.

  14. El Cuebro4 meses

    Tudo para “caçar” audiência, sinceramente não vejo com bons olhos, mas é esperar para ver!

  15. Facebook Profile photo

    Aqui vamos nos de novo :/

  16. Anónimo4 meses

    Se a wwe depender da audiência que o Corbin traz então ela já pode decretar falência 🤣🤣🤣🤣

  17. Leão4 meses

    Não acho mal, mas a meu ver não pode ser a bagunça que era a wild card rule. Devia ser contabilizado desde o inicio, quais as superstars convidadas, como uma espécie de draft. Por exemplo anunciar-se que durante as próximas 8 semanas a superstar X, Y e Z poderão participar tanto no RAW como no Smackdown. Isto iria, de certa forma, assimilá-las ao programa, como se fossem parte do roster do mesmo.

  18. Cm punk20004 meses

    Não gosto destas regras e misturas mas a verdade é que neste momento existem muitas superstars de fora que só por si valem audiências, então esta regra nesta altura e até voltarmos a ter públicos e todos os superstars é a meu ver bastante válida. Fora esta situação que o mundo atravessa, eu já não concordo

  19. Anónimo4 meses

    Havendo rosters separados, está Wild Card não faz qualquer sentido. Mas vamos lá ver como correm as coisas desta vez, até pode dar certo.

  20. Bruno4 meses

    Acredito que vai melhorar a audiência, com as demissões recentes e a impossibilidade de alguns lutadores estarem participando dos shows, os cards das brands ficaram muito limitados e repetitivos.

  21. Fábio Oliveira4 meses

    Comecei a ver a WWE em 2002, parei de ver pela primeira vez a 3 semanas. Por muito que se diga dos anos depois da Attitude Era, ainda tínhamos personalidades como Triple H, Ric Flair, Undertaker, Kurt Angle, Eddie Guerrero, Chris Jericho. Eles falavam o que os escritores queriam mas diziam no na maneira deles em que as pessoas acreditavam. Agora toda a gente fala da mesma maneira, sem espirito, ninguém fica over por mais de 3 meses e aqueles que estão over no NXT chegam ao Raw ou Smackdown e morrem passado meses ou logo na estreia(Shana Bazzler).