Existem 2 vagas na Equipa do Wrestling PT para publicar notícias. Candidata-te!

JBL em entrevista!

John Bradshaw Layfield um dos melhores lutadores da sua geração e atual comentador na WWE deu uma entrevista onde fala do seu passado e do seu trabalho como comentador.

Como é que entrou no desporto do wrestling profissional?

“Eu sempre fui um fã de wrestling, e cresci sendo um fã de wrestling, uma das primeiras lembranças foi estar a ver wrestling com o meu avô.Eu sempre quis ser um wrestler, mas eu pensei que iria jogar futebol americano por muito tempo,mas eu tinha lesões e não conseguia passar mais o fisico. Eu tive a oportunidade de entrar para o wrestling quando ainda era jovem e ganhar a vida com isso.”

Quais foram os lutadores que o influenciaram a entrar neste desporto?

“Bruiser Brody e Fritz Von Erich eram dois dos meus favoritos quando eu era novo e Dory Funk SR. Eu tive a chance de lutar com muitos dos meus heróis, eu lutei muito com os Von Erich e tive a oportunidade de estar no ringue com o Fritz Von Erich e Stan Hansen, o que aconteceu mais tarde na vida não quando eu era jovem. Para mim isso foi um sonho tornado realidade.”

Como é que foi quando teve a sua ruptura com a WWE e a parceria com Barry Windham?

“Isso para mim era o que eu achava que seria a minha grande pausa, e descobriu-se que não por uma série de razões. O chefe da equipa criativa na altura Vince Russo não pensava muito em mim ou no Barry penso eu. Ele está a vender bandas desenhada ou seja lá o que está a fazer agora, isso diz-lhe o que precisa de saber sobre o Vince Russo.”

Você depois juntou-se com Ron Simmons como a APA, como foi toda essa expriência?

“Foi a maior honra da minha vida a parceria com o Ron Simmons, maior honra da minha vida é ser o melhor amigo do Ron Simmons.Eu não posso dizer coisas boas suficientes sobre o Ron, ele ao permitir que a nossa tag team existisse foi incrível para mim e provavelmente fez a minha carreira como wrestler. Foi um grande prazer empossar Ron no WWE Hall of Fame e ele também foi o padrinho no meu casamento.”

Você também teve uma carreira individual muito bem sucedida, quais foram alguns dos seus destaques?

“Eddie Guerrero foi a maior influência na minha carreira individual. Eu não tenho a certeza se a personagem JBL estaria vivo se não fosse o Eddie, ele realmente fez a carreira que eu tinha. A feud que eu tive com o Undertaker foi enorme para mim, mas eu tive que lutar com todas as estrelas de topo dessa Era, tive que lutar com o Booker T, Dave Batista e John Cena eu realmente me diverti bastante. Uma das maiores coisas que tive de fazer foi passar a tocha para o John Cena onde eu não tive qualquer crédito, ele teria chegado ao topo de qualquer das maneiras, mas eu tive a sorte de ser o homem que passou a tocha e eu estava muito honrado em ser capaz de fazer isso.”

O que acha das semelhanças entre a sua feud com o Eddie e a storyline entre Jack Swagger e Alberto Del Rio?

“É difícil comparar porque eu estou muito perto da situação, na medida daquilo que eu e o Eddie fizemos e aquilo que o Swagger e o Del Rio estão a fazer agora. Eddie e eu tínhamos algo que era realmente mágico, éramos bons amigos. É difícil comparar Eras e eu não sei comparar aquilo que eu o Eddie fizemos com aquilo que o Del Rio e o Swagger estão a fazer. Alguém olhando de fora para dentro, provavelmente poderia fazê-lo muito mais facilmente.”

Você agora mudou-se para a mesa de comentários, o que você fez dessa transição?

“Eu gosto muito de fazer comentários, eu gosto de trabalhar com o Michael Cole apesar de eu lhe fazer a vida num inferno, eu gosto disso como qualquer outra coisa porque o Michael gosta de ser o “certinho”. Eu não me importo de ser esse tipo de personagem, as vezes é apropriado e eu realmente gosto de dar e receber. O ego está no produto e não em si mesmo, é muito importante perceber quando você é um comentador, e também o facto de que eu estou suficientemente longe dos ringues e que não preciso de sair por cima. Eu posso por os outros por cima no ringue, eu não estou atirar pedras a ninguém, só estou atirar pedras a mim próprio.

No passado tudo o que eu queria era estar no ringue, agora eu não quero nunca mais voltar ao ringue, tudo o que eu quero agora é por ação no ringue e estou realmente adorar o meu papel como comentador.”

Você traz muitos dos seus interesses externos para os seus comentários, é algo que você gosta de fazer?

“Eu adoro desporto. Eu adorava ver Phil Taylor ganhar o seu sexto campeonato mundial de dardos, eu também adoro assistir ao Super Bowl. Eu acho que quando você está nos comentários você tem de amar o que faz, Michael Jordan foi o melhor jogador de sempre de basquetebol e muita gente assitia aos seus jogos não porque ele era bom mas porque era amado. Eu amo o que faço e é isso que eu quero realmente fazer durante muito tempo.”

Fonte: WrestlingNewsSource

Tens alguma notícia que não está publicada no site? Clica aqui e envia-nos!

Sobre o Autor

10 Comentários

  1. Duarte_WWE - há 3 anos

    JBL para sempre, grande homem :)

  2. bdias14 - há 3 anos

    dos melhores de sempre certamente

  3. El Shaarawy - há 3 anos

    The Wrestling God ;)

  4. danielLP21 - há 3 anos

    Boa entrevista. Quem me dera ser eu a trabalhar com o Michael Cole…

  5. Ricardo Silva - há 3 anos

    Só queria agradecer ao Alex Oliveira pela descrição: “John Bradshaw Layfield um dos melhores lutadores da sua geração”.
    Quanto à entrevista, foi melhorando pergunta a pergunta. De destacar a humildade de JBL quando ele é tantas vezes tido em conta como arrogante:
    “Uma das maiores coisas que tive de fazer foi passar a tocha para o John Cena onde eu não tive qualquer crédito, ele teria chegado ao topo de qualquer das maneiras, mas eu tive a sorte de ser o homem que passou a tocha e eu estava muito honrado em ser capaz de fazer isso.”
    E, claro, a nível pessoal (e creio que devia ser de toda a gente) certamente aquele que é um dos meus períodos favoritos da história: “Eddie Guerrero foi a maior influência na minha carreira individual. Eu não tenho a certeza se a personagem JBL estaria vivo se não fosse o Eddie, ele realmente fez a carreira que eu tinha.”
    Tal como “JBL made Cena” é um facto, “Eddie made JBL” não deixa de ser igualmente verdade.
    Alguém tem o link da entrevista em vídeo? Obrigado.

  6. Enigma - há 3 anos

    Aquele combate com o Guerrero no Judgment Day 2004 é dos meus favoritos de sempre.

    Obrigado por tudo John, já és para mim uma lenda.

    Clothesline From Hell aplicado no Ziggler ou Aries…

  7. Eduardo - há 3 anos

    Adoro a dupla JBL e Michael Cole.

  8. Mauricio M - há 3 anos

    JBL é um futuro hall of fame, é um ex wrestler que merece muito respeito por tudo o que fez no ringue e o que faz como comentarista

  9. Rafael Silveira - há 3 anos

    Eu sabia um pouco sobre o Ron “Faarooq” Simmons e sobre o JBL, só não sabia que eles eram melhores amigos fora do ringue e que o Ron foi padrinho de casamento do JBL
    Legal!

Comentar

Login com Facebook

Editar avatar »

Notificações por email:

Wrestling.PT © 2006-2016 / Política de Privacidade / Disclaimer / Sobre Nós / Contactos / RSS Feed / Desenvolvido por Luís Salvador