Com mais prestígio que um ovo de um filme utilizado por Vince McMahon para um angle, é novamente o Top Ten que vos chega. Já estamos em época de luzinhas nas salas e nas ruas a indicar-nos que o ano está a acabar e antes disso há ali uma festinha onde se come muito. Mas não temos muito a dizer sobre isso, para já, ainda falamos de promos.

Este será dos temas mais simples e olha para lutadores do presente, de plantéis presentes – devo reforçar isso, porque bem sabemos que ali para uns certos lados bem andaram a livrar-se de uns quantos que se calhar até encaixariam aqui – cuja falta de mestria ao microfone poderá ser um factor que os impeça de ir mais longe. Até pode não ser mas temos facilidade em apontá-lo como a razão.

O critério é simples mas devo reforçar o conceito desta forma: se não for grande talker mas as coisas até lhe estiverem a correr bem, então não é caso para estar aqui; se for alguém que não seja grande talker, ande na mó-de-baixo, mas o povo também não dá muito pelos seus dotes em ringue, então também não há razão para entrar aqui. Ah, e os níveis de “insucesso” também variam, adaptamos ao que achamos que cada um merece. Pronto, sem perder tempo com muita explicação, vamos à lista que vocês têm slides para correr sem ler os textos!

1 Comentário

  1. Rei de lisboa1 mês

    Bom top 10, chris. E sim, na wwe valorizam muito micro. Apesar os wrestlers deste top 10 serem todos talentosos em ringue. Eu tenho pena do ricochet e do cesaro. Infelizmente a wwe n valorizam estes dois grandes wrestlers.