Damian Priest é um dos lutadores que mais destaque teve no NXT em 2020, sendo que até foi NXT North American Champion por algumas semanas. Verdade seja dita, Damian Priest é um lutador que me deixa dividido, ou melhor, é alguém que eu gosto até começar o combate.

Quando olho para Damian Priest, a primeira coisa que me passa pela cabeça é “cool motherfucker”, o lutador tem realmente um look bastante interessante e que faz com que o público do NXT gravite em torno do “Archer of Infamy”. Tem também uma voz bastante grave e que faz todo o sentido com o seu restante look e personagem.

As suas promos como heel, achava que não eram grande coisa. Como babyface, sinto que Damian Priest sente-se um pouco mais à vontade, em especial se for promos curtas e onde possa simplesmente “mandar uma boca” ao seu adversário. Um pouco como fez a Scarlett quando lhe perguntou se o seu namorado [Karrion Kross] ficava no carro enquanto ela fazia o que tinha a fazer. É algo que fica bem à sua personagem, mas como disse, não acho que as promos sejam o ponto mais forte de Damian Priest.

Agora que já o elogiei, vou falar do seu trabalho em ringue. Começando pelos seus strikes, verdade seja bem dita, nem desgosto dos mesmos, até porque são bastante diferentes de quase toda a gente. Os seus pontapés e forearms até têm impacto, mas o restante move-set, na minha opinião, deixa algo a desejar.

O seu Falcon Arrow sempre me fez confusão, mas isto aqui é um pormenor em kayfabe, porque supostamente sempre que se faz um golpe é porque o lutador acredita que vai vencer o combate. Então porque atira o seu adversário para longe? É porque perde segundos preciosos antes de ir para o pin. Óbvio que todos nós sabemos que Damian Priest não vai ganhar com o golpe, mas em kayfabe deveria ser possível acreditar que poderia acabar ali.

Depois, Damian Priest também gosta de usar o Chokeslam, mas cai sentado. Honestamente não gosto de ver alguém a fazer o golpe dessa forma, porque acho que tira impacto ao golpe, porque em vez de estarmos concentrados na queda de quem está a levar o Chokeslam, existem duas quedas, que nem sempre são coordenadas, e acaba muito por perder o impacto inicial que o golpe deveria ter.

Já sobre o seu finisher, mencionar algo que já mencionei quando falei de Cody Rhodes: eu não gosto do Twisting Neckbreaker e não acho que o Reckoning seja um bom finisher para ninguém, muito menos para um lutador da envergadura de Damian Priest. Agora preciso de referir a Crucifix Bomb que ele usa, pois para mim é o melhor golpe do “Archer of Infamy” e deveria ser o seu finisher, pois os lutadores deveriam ter sempre em mente que o seu melhor golpe deveria ser o seu finisher e neste caso deveria trocar a Crucifix Bomb para seu golpe final.

Basta pensar em três exemplos rápidos: Drew McIntyre, Randy Orton e Brock Lesnar e pensar no Claymore Kick, RKO e F-5, que são os três melhores golpes de cada um desses lutadores, e penso que Damian Priest tinha muito a ganhar se trocasse de finisher.

Por fim, o que significa ser o “Archer of Infamy”? O que é que na sua personagem o faz ser o arqueiro da infâmia? Eu sei que é perder tempo pegar nas alcunhas dos lutadores da WWE e esperar que eles façam significado, mas gostava de saber o porquê de Damian Priest ser o “Archer of Infamy”.

É porque, isto saindo um pouco do Wrestling, a única emoção que tenho sempre que vejo Damian Priest a fazer o movimento do arqueiro é raiva. Faz-me lembrar Edinson Cavani e aquele mês e tal em que se falou que o jogador vinha para o Benfica e depois nada…

De regresso ao Wrestling e para finalizar, Damian Priest é um lutador que acabo por apreciar no que toca à sua apresentação, look e promo, mas depois em ringue, pelo menos para o que eu gosto de Wrestling, é um lutador que me deixa algo a desejar.


E tu, és fã de Damian Priest? E se não és fã dele, o que te desagrada no trabalho do “Archer of Infamy”?

12 Comentários

  1. Boas análise, Bernado! Como de costume.
    Mas como o único que é perfeito nesse mundo é Deus, vou discordar talvez de uma coisa só.
    Acho que o Chokeslam sentado não desvaloriza tanto o golpe assim, primeiro que o golpe original deveria ser mais lembrado pelo Taker e Kane, na minha opinião e segundo que automaticamente quando ele faz o impulso a mais para cair sentado, esse impulso a mais também vai para queda do adversário, plasticamente não desgosto não, fica diferente. E concordo com a alteração de finisher, o Crucifix Bom é melhor que o atual mesmo, se impõe muito mais. Mas são opiniões e não diminui o trabalho excelente que foi feito na análise, parabéns!

  2. Brock2 semanas

    Discordo que (supostamente) quando se faz qualquer golpe é para vencer o combate. Pode ser simplesmente para cansar o adversário. Quanto ao Priest nunca acompanhei praticamente nada nele. Contudo, se fosse Punishment Martinez tinha mais sucesso. Essa gimmick sim acompanhei. E cabia lhe que nem uma luva. Nem todos os wrestlers têm de fazer promos

  3. Anónimo2 semanas

    O Damian Priest tem 38 anos e está na NXT, tudo dito.

  4. “mas como disse nao acho que as promos sejam o ponto forte de Damien Priest.”
    Parágrafo seguinte “agora que já o elogiei …”😂😂

    Nao questiono nada do que foi dito até pq praticamente nao vejo nxt e se vi o Damien foi uma ou duas vezes em ação. No entanto não percebi muito bem, o amigo ora diz que não acha que as promos sejam o ponto forte ora diz que aprecia, mas só se forem umas bocas curtas como quem diz, nao fales muito .. afinal as promos são um ponto positivo ou nao? Nao tou questionar nada como disse nao acompanho o lutador. A ideia que fiquei é que é um gajo com bom look e que sabe mandar umas bocas e mais nada.

  5. Rodrigo2 semanas

    Inicialmente não gostava muito do Priest, passei a gostar aquando da feud com o Keith Lee e o Dijakovic. Concordo na parte das promos, não é mau no microfone mas também não deslumbra, ficam-lhe bem diálogos mais curtos, acho que até combina com a sua personagem. Concordo também que deveria mudar de finisher, o atual não se adequa tendo em conta o tamanho dele.

    Quanto ao restante move-set, discordo. A sua versão do chokeslam é diferente da que estamos habituados a ver (para mim é um ponto positivo) e quando bem feito é um move bastante fixe de ver. Em relação ao Falcon arrow, concordo com o que o Brock diz em cima, acho que nem todos os moves são feitos com intenção de acabar o combate e é essa a interpretação que tenho a ver wrestling. Até porque se fosse sempre com intenção de acabar o combate, os wrestlers iriam sempre tentar o pin após cada move, algo que não acontece.

  6. Não sou grande fã dele, mas até tenho gostado do que tem feito. Concordo em parte com a análise.

  7. The Voice2 semanas

    Overrated midcarder at best.
    He seems like a jobber to me.

  8. duzonraven2 semanas

    Curto muito o Damian Priest. Entrega bons combates contra qualquer um e possui um dos move sets mais legais da WWE na minha opinião, portanto discordo quanto ao que dissestes sobre os golpes

    Concordo em relação ao seu personagem, não entendi ainda qual é a do arqueiro e suas promos são bem medianas. Mas é um dos meus favoritos no momento e acredito que poderia ter imenso sucesso no main roster como babyface, apenas aprimorando suas poucas deficiências no mic e de personagem!

  9. alexandre teodoro2 semanas

    concordo em quase tudo, menos o chockslam.. mas em ringue ele deixa muito a desejar ja que a aparencia e o look mostram um cara muito ”badass” mas em ringue não é tanto assim.. falta melhorar as lutas um pouco mais e não só ele.. sinto q o NXT deveria ter mais dedicação nos treinos em lutas pois muitos lutadores menos hypados de la, ou ate alguns que subiram como o garza por exemplo, que nos primeiros shows no main roster foi mal em ringue ( na minha opinião) depois melhorou bastante.. sinto que falta alguém pra motivar e ensinar o melhor no nxt e esse alguém pode ser o taker ou outro hall of fame que possa trabalhar na divisão no desenvolvimento

  10. Anonimo2 semanas

    ate podiam trazer o cavani o forlan e o suarez e iam continuar a ser fregueses do porto