AEW Dynamite (24/01/2024): Cope Open

O programa começou com o AEW World Champion Samoa Joe que falou da sua vitória sobre HOOK na semana anterior. HOOK veio ao ringue e os dois trocaram mais algumas palavras com o jovem a atacar alguns seguranças da empresa.

“Hangman” Adam Page venceu Penta El Zero Miedo

O primeiro combate da noite começou de forma equilibrada, com os dois lutadores a utilizarem estratégias diferentes para ter ofensiva.

A agressividade esteve sempre a um nível alto, o que fez com que o cansaço se começasse a sentir e as quase vitórias fossem aparecendo de forma cada vez mais frequente.

No final, “Hangman” Adam Page acertou vários golpes que deixaram Penta El Zero Miedo em apuros, tendo conquisado a vitórias com o Buckshot Lariat.

Após o fim do embate, Adam Page dirigiu-se a Samoa Joe que estava na mesa de comentadores e afirmou que lhe quer tirar o título.

Nos bastidores, o AEW International Champion Orange Cassidy foi entrevistado e aceitou o desafio lançado por Roderick Strong para o Revolution.

Ainda no backstage, os Young Bucks (Matthew & Nicholas Jackson) falaram com Alex Marvez e afirmaram serem os últimos dois EVPs que faltam. Os Top Flight (Dante & Darius Martin) interromperam a conversa e deu-se uma discussão entre as duas equipas.

Wardlow venceu Trent Beretta

Wardlow usou a sua força para dominar desde cedo, sendo que Trent Beretta fez de tudo para dar luta.

O lutador do Undisputed Kingdom continuou a dominar, até que uma distração do árbitro permitiu a Trent Beretta usar uma cadeira e quase vencer após acertar vários golpes.

No final, a força de Wardlow voltou a aparecer e este venceu com uma Powerbomb.

Após o combate terminar, Rocky Romero, Orange Cassidy e Chuck Taylor não deixaram Wardlow continuar a atacar Trent Beretta, com o Undisputed Kingdom a tirar o seu homem forte do ringue.

A seguir, realizou-se o cara a cara entre a AEW Women’s World Champion Toni Storm e Deonna Purrazzo, com a “Timeless” a não perder tempo a insultar a “Virtuosa”.

Deonna Purrazzo afirmou que quer ser campeã e que por acaso o título está com uma pessoa que foi sua amiga e viveu em sua casa, tendo até mostrado que ambas têm uma tatuagem igual no tornozelo.

Toni Storm não gostou e atirou um sapato à cara da sua rival, que respondeu na mesma moeda e as duas tiveram uma pequena brawl, até que Mariah May salvou a campeã. O segmento terminou com Deonna Purrazzo a acertar um pontapé em Luther e a pegar no AEW Women’s World Championship.

Nos bastidores, Jon Moxley afirmou que sempre que no Blackpool Combat Club eles querem sempre provar que são a elite e que irá fazê-lo mais uma vez no Rampage.

Ainda no backstage, Taya Valkyrie acusou Deonna Purrazzo de lhe passar à frente na fila e que a quer enfrentar num combate.

Swerve Strickland venceu Jeff Hardy

O combate começou de forma equilibrada e acabou por ser Jeff Hardy que teve um pouco mais de ofensiva, mas Swerve Strickland acabou por ficar no controlo e fora do ringue dominou de forma agressiva.

O “Charismatic Enigma” conseguiu voltar a equilibrar o rumo dos acontecimentos e os dois foram tendo várias oportunidades de vitória.

No fim, Swerve Strickland mostrou estar num patamar superior e venceu com o seu Stomp da terceira corda.

Nos bastidores, Renee Paquette entrevistou “Hangman” Adam Page por ele estar invicto em 2024, mas a entrevista foi interrompida por Swerve Strickland que afirmou que também ele estava invicto.

A entrevista terminou com Renee Paquette a anunciar que os dois poderão escolher o próximo adversário do seu rival.

Thunder Rosa venceu Red Velvet

Thunder Rosa entrou melhor neste combate usando a sua agressividade, mas Red Velvet respondeu na mesma moeda e acabou por controlar o embate durante alguns minutos.

“La Mera Mera” voltou a equilibrar as contas do combate e as duas lutadoras foram tendo algumas oportunidades para vencer.

No final, Thunder Rosa ganhou vantagem e conquistou a vitória com a Tijuana Bomb.

A seguir, Sting e Darby Allin foram ao ringue e o ex-TNT Champion falou do impacto da contratação do “Icon” e disse que agora que os rankings voltaram e eles estão invictos enquanto equipa, merecem um combate pelos AEW World Tag Team Championships. Sting concordou com a ideia e os dois abraçaram-se.

Nos bastidores, os AEW World Tag Team Champions Ricky Starks & Big Bill aceitaram o desafio, com o “Absolute” a dizer que irá terminar a carreira de Sting antes do Revolution.

AEW World Trios Champions The Acclaimed (Anthony Bowens, Max Caster & Billy Gunn) venceram Mogul Embassy (Brian Cage, Bishop Kaun & Toa Liona)

O combate pelos AEW World Trios Championships começou de forma caótica e The Acclaimed até entraram melhor, mas o trio da Mogul Embassy conseguiu isolar Anthony Bowens.

O lutador esteve isolado durante vários minutos, mas foi aguentando, até que fez o tag a Max Caster que virou o combate do avesso.

O caos voltou a instalar-se e as quase vitórias foram começando a aparecer, tendo Prince Nana tentado fazer batota, mas o Bullet Club Gold não deixou isso acontecer. No final, Bishop Kaun ficou sozinho e perdeu depois de levar com um Fameasser, The Arrival e um Mic Drop.

Adam Copeland venceu Minoru Suzuki

Como seria de esperar, o main event começou de forma agressiva, com os dois veteranos a trocarem vários strikes desde cedo.

Minoru Suzuki foi levando a melhor nestas trocas, mas Adam Copeland nunca se deixou ficar e foi também ele tendo ofensiva e nos minutos seguintes, ambos tiveram várias oportunidades para vencer.

No fim, o “Rated R Superstar” atirou Minoru Suzuki contra o canto exposto, tendo vencido com o Killswitch.

Adam Copeland pegou no microfone e afirmou que nunca lhe tinham batido com tanta força e que respeita Minoru Suzuki.

Já depois do nipónico ter saído do ringue, o “Rated R Superstar” insultou Christian Cage e prometeu que irá continuar a persegui-lo.


O que achaste deste AEW Dynamite?

12 Comentários

  1. FINALMENTE um show do nível que deve ser! Facilmente um dos melhores Dynamites de sempre. Go go……….

    Apesar do show ter sido incrível, o início teve o momento mais fraco infelizmente. Aquela brawl do Hook foi meh, tem muito a melhorar ainda, não pode se acomodar. O Samoa Joe está numa das melhores fases de sua carreira em tempos ❤️

    Page vs Penta já foi um baita início, um vislumbre da qualidade de wrestling que essa noite prometia. Ainda assim espero o dia que o TK vá utilizar o Penta no seu full potential.

    Wardlow vs Trent também segue mantendo a qualidade. Outro wrestler que gostaria tanto que recebesse um push um dia seria o Trent, tão underrated. O Wardlow simplesmente provando mais uma vez que no ringue ele não brinca, sensacional. Não me importaria nada de termos uma 4 Way no Revolution mesmo.

    Excelente segmento entre Toni e Deonna. Timeless rules!!! O embate contra a Taya na próxima semana pode roubar o show. TK realmente deveria não deixar a Taya na geladeira, completa no ringue e se der algo de jeito ela entrega numa boa história. Tanto talento na divisão feminina meu Deus.

    Nova faceta dos Bucks continua interessante, tem tudo pra ser uma ótima reenvenção. And finally Sting e Darby vão lutar pelos tag titles! Porém espero que não ganhem 👀 e que o Tony faça uma storyline de jeito contra uma boa tag para os Absolute Assholes.

    Next!

  2. Juro que fico na dúvida sobre qual o embate da noite, o ME ou Swerve vs Hardy. É um saco quando lutadores ficam reclamando no X (twitter 🤡), porém nesse caso está sendo ótimo o resultado disso ( não sei se foi por isso, but). Lutaça!

    O Jeff está bem mais lento, óbvio, porém ainda tem muita qualidade. E o Swerve eu só consigo ficar feliz por todo esse destaque, que aura! Semana que vem vai ser interessante com esse booking onde ele e o Hangman escolherão seus próximos adversários, que venha um Wardlow aqui hihihi

    Thunder Rosa tendo destaque, amém 🙏 só faltou novamente uma Julia Hart aqui para provocar. Ou até mesmo uma promo da Thunder, estilo sua última no backstage, ela deve se sentir mais a vontade do que falando para o público. Só não gostei dessa match não ter sido promovida como as outras. Enfim, pelo menos houve um bom espaço para a womens division 👏🏻

    E saudades Serena, see u on Collision. Que lá vem uma rápida crítica, o Collision precisa urgente de algo novo, está ficando muito atrás do Dynamite. Quando penso no roster da AEW fico besta com o tamanho da qualidade, uma Brand Split ajudaria tanto viu.

    Trios match curta, mas bastante boa. Mogul Embassy são mesmo excelentes. E belo momento dos Gunns colocando o Nana a apartir uma mesa.

    MAIN EVENT, realmente match of the night. Me pergunto se o Cope se arrependeu de topar enfrentar o Suzuki, o cara é um monstro. A melhor coisa para o ex Edge foi sair da bolha (apesar de não ser mais jovem), tão bom vê-lo enfrentando esse tipo de oponente. E repito, o Minoru Suzuki é um MONSTRO.

    Iniciei a análise fazendo uma critica ao início e vou fazer ao final do programa também. O Dynamite foi tão bom que esperava um final no mínimo do mesmo nível, algum angle ou cliff hanger, mas tudo bem. Valeu a pena do mesmo jeito ✅

    • Kurt3 meses

      Obrigado pela análise

    • Eu tento 🙏 depois comenta o que achou também, vai que fui o único que achou o show incrível ontem 🥲

    • Edge883 meses

      Não vejo Aew mas fui ver hoje o Edge com o Suzuki porque são dois dos meus lutadores favoritos, e ver você dizer que o combate foi o match da noite faz me imaginar o fraco que foram os outros, o que me arrependi de ter ido ver, grande desilusão, zero química um com o outro, varias falhas que nem parecem os dois lutadores experientes que são , o mais ridículo disto tudo é o Suzuki ter combates fantásticos em varias indys americanas e vai ali só se envergonhar , mais vale fecharem essa porta que abriram

    • Pra mim realmente foi, fizeram um ótimo trabalho com 10 min que foram dados. O Suzuki pressionando o Adam, quando ele prendeu-o no mata leão vibrei demais. É o tipo de oponente que o Cope deveria enfrentar e sentir a diferença. A atmosfera que a crowd criou também foi sensacional.

  3. Ronaldo3 meses

    Ótimo show! Gostei demais do Page x Penta, sou muito fã do luchador.

  4. Alexandre3 meses

    Mais um excelente Dynamite como já é habitual.
    Young Bucks corporativos está simplesmente hilário, ahahahahahaha.

  5. Anónimo3 meses

    Destaco Page vs Penta.

  6. O Dynamite começa com o nosso World Champ Samoa Joe e, francamente, este segmento foi bem medíocre. O Hook aparece, diz que o vai reencontrar e é expulso pelos seguranças… ok? Vamos para o 1° combate, Hangman vs Penta e agora sim o comboio arranca. Um combate mesmo muito bom com muita intensidade e ótimas manobras, destacando-se o Dead Eye na apron que originou a sequência final. Depois, Wardlow vs Trent Beretta foi, pura e simplesmente, uma squash longa. Preferia que despachassem isto em 2/3 minutos e dessem mais tempo a outras coisas. Segue-se o segmento entre a Deonna Purrazzo e a Toni Storm. De destacar a gargalhada que dei com o “Deonna, soube que sofreste bodyshaming recentemente, o que é ridículo porque tens tantos outros atributos para se ridicularizar”. No entanto, a partir dessa frase da Toni, o segmento tornou-se muito bom graças ao contexto que a Deonna trouxe à feud, revisitando o passado das 2. Ótimo trabalho aqui! Depois, Jeff Hardy vs Swerve. Jeff, tal como no Rampage, volto a pedir desculpa. Afinal ainda tenho um forte interesse em te ver, só o teu irmão é que é chato como tudo. Um combate muito sólido, destacando-se aquele Twist of Fate nos escadotes. De seguida, Thunder Rosa enfrenta Red Velvet e isto foi maioritariamente bom, mas notou-se a falta de química nos momentos finais e isso reduziu a qualidade do combate ligeiramente. A promo com o Darby Allin e o Sting foi ótima graças a 2 fatores: 1 – realmente solidificaram o regresso dos rankings. 2 – vão (potencialmente) envolver os tag titles no último combate do Sting frente aos Bucks. Gosto imenso dessa ideia! De seguida, vamos ignorar que a Mogul Embassy perdeu os ROH Trios Titles na semana passada e esta semana estão a desafiar pelos AEW Trios Titles, o combate em si é bem forte, algo que se seria de esperar. O spot com o Prince Nana a ir pela mesa foi muito bem feito. Para terminar, um combate que, durante muitos anos, era impensável: Kaze Ni Nare vs Metalingus, Suzuki vs Copeland! 2 avôs assassinos a brutalizarem-se durante 10 minutos, que mais se pode pedir? Ótimo final de Dynamite para o que foi, em geral, um bom episódio.