A All Elite Wrestling realizou este sábado, dia 7 de Novembro, no Daily’s Place em Jacksonville, na Flórida, o seu quarto e último pay-per-view do ano, a segunda edição do Full Gear.

O AEW Full Gear foi transmitido na FITE TV. Subscreve aqui!

Resultados

– NWA Women’s World Champion Serena Deeb venceu Allysin Kay (Buy-In)
– Kenny Omega venceu “Hangman” Adam Page (Final do AEW World Title Eliminator Tournament)
– Orange Cassidy venceu John Silver
– Darby Allin venceu TNT Champion Cody
– AEW Women’s World Champion Hikaru Shida venceu Nyla Rose
– Young Bucks venceram AEW World Tag Team Champions FTR
– Matt Hardy venceu Sammy Guevara (The Elite Deletion)
– MJF venceu Chris Jericho
– AEW World Champion Jon Moxley venceu Eddie Kingston (“I Quit” Match)

Vídeos

Watch Wrestling

Report

– NWA Women’s World Champion Serena Deeb venceu Allysin Kay (Buy-In): O combate pelo NWA Women’s Championship abriu de forma bastante técnica, com Serena Deeb a ter alguma vantagem, mas quando a agressividade aumentou foi Allysin Kay a ter o ímpeto a seu favor. A campeã começou a equilibrar o combate e os minutos finais foram bastante equilibrados, com as duas lutadoras a quase vencerem. Porém, no final o ataque de Serena Deeb à perna esquerda de Allysin Kay fez toda a diferença, pois a NWA Women’s World Champion aplicou o Tequila Sunrise e assim venceu o combate.

Assim que o combate terminou, a ex-campeã Thunder Rosa apareceu em ringue e desafiou Serena Deeb para um combate no futuro.

– Kenny Omega venceu “Hangman” Adam Page (Final do AEW World Title Eliminator Tournament): O Full Gear abriu de forma bastante agressiva, com Adam Page e tomar conta do combate nos primeiros minutos, mas a maior velocidade de Kenny Omega deu-lhe alguma vantagem com o passar do tempo. A agressividade desta final foi sempre aumentando e as quase vitórias foram-se acumulando, mostrando a capacidade de sobreviver destes lutadores.

Perto do final, “Hangman” Page quase venceu com o seu Deadeye, tendo a seguir tentado acertar a sua Buckshot Lariat, mas Kenny Omega contra-atacou com uma série de V-Triggers até acertar o seu One Winged Angel e assim o “Best Bout Machine” tornou-se o novo candidato principal ao AEW World Championship.

– Orange Cassidy venceu John Silver: O estilo pouco ortodoxo de Orange Cassidy tirou do sério John Silver durante os primeiros minutos do combate, mas a força do membro da Dark Order virou o ímpeto a seu favor com bastante felicidade. Depois de vários minutos de domínio, Orange Cassidy usou a sua agilidade para equilibrar o combate, apesar da força de John Silver ter sido um factor de desequilíbrio nesta contenda.

No final, Orange Cassidy acertou o seu Orange Punch antes de acertar o seu Beach Break para vencer o combate.

– Darby Allin venceu TNT Champion Cody: A força e maior tamanho de Cody foi um factor importante desde os primeiros segundos do combate, mas já se sabe que Darby Allin nunca desiste. Com o passar dos minutos, Darby Allin ia mostrando sinais de vida, enquanto Cody ia mostrando uma grande frustração por o seu adversário não se deixar vencer.

A frustração foi aumentando e no final Cody tirou os olhos do jogo durante tempo suficiente para o pouco ortodoxo lutador, com um pin rápido, vencer o combate e assim tornar-se o novo TNT Champion.

Depois de Cody entregar o título a Darby Allin, Taz apareceu e disse que estava farto do choradinho e os seus lutadores Brian Cage e Ricky Starks atacaram a dupla, um ataque que percorreu grande parte do Daily’s Place até que Will Hobbs não permitiu que a Team Taz partisse o braço ao novo TNT Champion.

– AEW Women’s World Champion Hikaru Shida venceu Nyla Rose: A AEW Women’s World Champion Hikaru Shida entrou de forma bastante agressiva, dominando por completo a sua rival, quer dentro como fora do ringue. O combate virou do avesso quando a árbitra estava distraída com uma possível lesão de Nyla Rose, o que abriu espaço a Vickie Guerrero de acertar com o kendo stick no joelho da campeã.

O domínio de Nyla Rose foi bastante acentuado, com a lutadora a ficar com a taxa de bazófia em alta e até saindo de pins antes de tempo, mas isso correu-lhe mal, pois deu espaço a Hikaru Shida para recuperar e a AEW Women’s World Champion veio com tudo para cima da sua rival, tendo vencido depois de 4 joelhadas seguidas.

Já depois do combate, Vickie Guerrero insultou a sua lutadora e até lhe deu um estalo.

– Young Bucks venceram AEW World Tag Team Champions FTR: O dream match entre os Young Bucks e os FTR abriu de forma equilibrada, mas os Young Bucks conseguiram aumentar a velocidade para dominar durante alguns minutos, em especial quando Dax Harwood deu um murro no poste do ringue e criou um alvo para Matt Jackson & Nick Jackson atacarem. Porém, e falando em alvos, os AEW World Tag Team Champions FTR conseguiram isolar Matt Jackson e atacaram de forma pensada o joelho e tornozelo do adversário.

Depois de um longo domínio, Matt Jackson finalmente conseguiu fazer o tag ao seu irmão mais novo, que virou o combate do avesso com a sua velocidade. A segunda parte deste dream match foi incrível, com as duas equipas a utilizar golpes de equipas como os Hardyz, Hart Foundation, #DIY, Dudleys, entre outras.

Os minutos finais foram de cortar a respiração, com várias false finishes. No final, parecia que os FTR iam vencer o combate, pois Matt Jackson já estava descalço e desprotegido, mas Cash Wheeler fez o inesperado, tentou acertar um Springboard 450 Splash, que falhou. Quem não falhou foi Matt Jackson, que com um Superkick conseguiu a vitória e assim os Young Bucks são os novos AEW World Tag Team Champions.

Já depois do combate terminar, Kenny Omega veio ao ringue festejar com os seus amigos.

– Matt Hardy venceu Sammy Guevara (The Elite Deletion): Os dois lutadores envolveram-se numa brawl durante vários minutos pelo jardim da Hardy Compound até chegarem a um ringue, sendo que Matt Hardy estava no domínio e foi quando Santana & Ortiz e os Private Party se envolveram neste “combate”. A luta continuou perto do “Lake Reincarnation”, onde tivemos Gangrel a aparecer com Hurricane feito refém, e os dois envolveram-se também nesta Elite Deletion.

Os minutos finais aconteceram dentro de um armazém só com Matt Hardy e Sammy Guevara e o veterano acabou por destruir o seu rival, primeiro com um Spear do apron contra uma mesa fora do ringue, e depois fechou o combate com um Conchairto.

A seguir tivemos uma promo de Jake “The Snake” Roberts e Lance Archer, com o gigante farto de treinar e a dizer que vai atrás de toda a gente, porque “everybody dies”.

– MJF venceu Chris Jericho: Chris Jericho entrou de forma bastante agressiva em ringue, querendo mostrar ao jovem que ele não tinha o que era preciso para fazer parte do Inner Circle. MJF fez do braço direito do “Demo God” um alvo já a preparar o seu Fujiwara Armbar. Ainda assim, esta contenda foi bastante equilibrada durante toda a sua duração.

Nos minutos finais tivemos várias false finishes com os dois lutadores a quase vencerem por várias vezes, mas o final viu MJF a chamar Wardlow para este lhe trazer o seu anel. Quando a árbitra parou Wardlow, Jake Hager entregou um bastão a Chris Jericho que acabou por ser enganado pelo jovem lutador com uma tática de Eddie Guerrero, pois MJF atirou-se ao chão, o que fez a árbitra pensar que o “Demo God” o tinha atacado.

Quando Chris Jericho virou as costas, MJF com um School Boy, enquanto segurava os calções, venceu o combate e garantiu assim entrada para o Inner Circle.

Nos bastidores, Orange Cassidy ia ser entrevistado, mas foi interrompido por Kip Sabian e Miro que queriam lutar, mas o pouco ortodoxo lutador disse aos Best Friends para saírem de cena.

– AEW World Champion Jon Moxley venceu Eddie Kingston (“I Quit” Match): Como seria de esperar, os dois lutadores entraram com tudo para este combate, sabendo que tinham de causar muito dano e muita dor para fazer o adversário dizer “I Quit”.

Com o passar dos minutos, várias armas como cadeiras, um taco de baseball com arame farpado e pioneses foram trazidos para o ringue, um ambiente que beneficiou Eddie Kingston. O “Mad King” tentou de todas as formas e feitios fazer Jon Moxley dizer “I Quit” e nem quando espalhou uma garrafa de álcool nas costas do campeão conseguiu fazer isso.

O final foi de uma agressividade acima do normal, com Jon Moxley a enrolar um bocado de arame farpado no seu braço e a aplicar o seu Bulldog Choke em Eddie Kingston, com o arame farpado a apertar a cara e garganta do “Mad King”, que não teve outra hipótese se não dizer “I Quit” e perder o combate.

O AEW Full Gear terminou com Kenny Omega a vir perto do ringue mostrando ao AEW World Champion Jon Moxley que este não terá descanso.


O que achaste deste AEW Full Gear?

16 Comentários

  1. Don Callis na mesa dos comentários, 🤔🤔.

  2. Guilherme8 meses

    AEW está em outro nível, crianças. Desfrutem.

  3. Dani Fixe8 meses

    Bom ppv,mas o público estava tão mole…foi pena não ter ajudado.

  4. Este Full Gear conseguiu ser melhor que a edição do ano passado. Foi pena ter acontecido nestas circunstancias.

  5. Facebook Profile photo
    Silvério8 meses

    Sendo sincero gostei do pay per view mas deixou algumas coisas a desejar

    Omega vs Page – foi um bom combate sim, mas podia ter sido muito melhor e achei o final meio fail pelo facto do Omega não ter conseguido colocar bem o Page na posição do finisher.

    Cassidy vs Silver – um combate que me surpreendeu bastante, foi bastante divertido e teve o vencedor certo.

    Darby vs Cody – honestamente uma das minhas lutas favoritas da noite, teve um bom storytelling e uma boa quantidade de falses finishes (principalmente o avalanche cross Rhodes, foi incrível) e também teve o vencedor certo na minha opinião.

    Hikaru Shida vs Nyla Rose – foi um combate bem meh, aquele final foi terrível, as joelhadas não tiveram impacto nenhum mm

    FTR vs Young Bucks – foi com certeza das melhores lutas da noite também, fizeram um grande trabalho em ringue e até a parte em que copiaram vários tag finishers de outras tags, só achei cedo os Ftr terem perdido os títulos.

    Matt Hardy vs Sammy – achei a luta muito divertida, muito melhor que aquele desastre do all out

    Chris Jericho vs MJF – foi nice mas nada de especial na minha opinião, mas achei o resultado certo.
    Moxley vs Eddie – simplesmente brutal, achei o combate muito bom do início ao fim, e no futuro vamos ter Kenny vs Moxley 2

  6. Hugo8 meses

    Bom…..
    Muito,muito bom!!!!

  7. Um dos PPV mais sólidos do ano por parte da AEW, tendo havido variedade e combates para todos os gostos. Considero um Full Gear de sucesso!

    Serena Deeb x Allysin Kay – combate sólido e equilibrado que mostrou a técnica e valências de ambas as lutadoras; vitória esperada e para a pessoa certa (a Serena começou há pouco tempo o seu reinado como campeã da NWA) e a aparição de Thunder Rosa no pós-combate foi bacana e poderá significar algum combate num Dynamite futuro (quiçá num “especial”)

    Kenny Omega x ‘Hangman’ Adam Page – que opener! Arrepiei-me ainda antes de se tocarem sequer, pois a história tem sido tão boa que só os dois estarem finalmente cara a cara foi brutal; já se previa um possível match of the night e assim foi: ambos a demonstrar que se conheciam muito bem, em excelente forma e num ritmo alucinante; mal posso esperar para ver um segundo combate com mais tempo (acho que podem entregar ainda mais) entre Omega e Page mas para já o triunfo assenta bem no Kenny por estar no início de uma nova gimmick

    Orange Cassidy x John Silver – foi bem decente, teve os seus momentos (nomeadamente de comédia) de parte a parte e deu para mostrar o melhor que há de cada um (principalmente no caso do Silver, que pouco havia mostrado a solo até agora); o Cassidy continua com um booking e over com a crowd da AEW e estou curioso para ver qual será a sua próxima feud (para já, parece que será com Kip Sabian e/ou Miro)

    Cody Rhodes x Darby Allin – antes de mais, fico bastante feliz por termos “Cody Rhodes” verdadeiramente de volta; este resultado foi a primeira grande surpresa da noite (e ainda bem), a meu ver; combate intenso com um confronto de estilos interessante e que já era de prognosticar tendo em conta os três anteriores embates entre ambos; foi ótimo do ponto de vista do storytelling e finalmente temos o Darby a ganhar ouro como merecia, apesar de sentir pena por mais um reinado algo curto por parte do “American Nightmare”

    Hikaru Shida x Nyla Rose – à semelhança do match que tiveram no Double or Nothing deste ano, também este combate trouxe bons spots, uma dinâmica até que interessante e contou a famosa história de “David vs Golias” para além do foco na psicologia; já esperava uma vitória da campeã porque penso que Britt Baker será a próxima desafiante ao título (e próxima campeã, já agora) e creio que a feud resultará melhor se a campeã continuasse a ser a Shida

    FTR x Young Bucks – grande combate (o melhor da noite, na minha opinião)! O dream match de que toda a gente falava há anos finalmente aconteceu e não desiludiu de todo para primeira contenda (ouviu-se inclusivamente “Fight For Ever”): os campeões a manterem-se fiéis ao seu estilo old school, com quick tags e a procurar isolar um membro dos adversários e os irmãos a tentarem reverter o rumo das coisas através dos seus golpes ágeis e rapidez ímpar na divisão de equipas, havendo callbacks/uma autêntica ode a algumas manobras de antigas tag teams que se destacaram no pro wrestling (Hart Foundation, Hardy Boyz, Team 3D, Steiner Brothers, DIY, etc); este combate lembrou-me Randy Orton x Edge no Backlash (“Greatest Wrestling Match Ever”) por essa utilização dos finishers de glórias do passado; o resultado deixa-me satisfeito porque não queria os Bucks arredados de qualquer oportunidade pelos títulos depois do que aconteceu com o Cody em relação ao título principal; que “instant classic”!

    Matt Hardy x Sammy Guevara – bem, isto foi no mínimo bizarro (props para as participações de Gangrel e The Hurricane) xD Confesso que nunca tinha visto um “Elite Deletion Match”, mas devo dizer que gostei do ambiente em que lutaram e acabou por ser um combate estilo cinematográfico, logo, era digerível de se acompanhar; fez sentido darem a vitória ao Matt porque “jogava em casa” mas não me importava nada de ter visto o Sammy a sair por cima

    MJF x Chris Jericho – antes de mais, bom bait do MJF a entrar com aquele casaco simbólico do Jericho (Y2J) e aquela theme song do Chris com o público a cantar dá-me sempre goosebumps eheheheheh; bom combate, quase que uma espécie de “passar da tocha” de Chris Jericho para MJF; dois lutadores muito idênticos em termos de maneirismos, dois sneaky e cocky heels que deram tudo para provar que eram melhores que o outro; no final de contas, a situação mais curiosa e cativante para o futuro prende-se com a “infiltração” do Maxwell nos Inner Circle e por isso diria que a AEW escolheu o vencedor correto e de uma forma muito bem feita

    Jon Moxley x Eddie Kingston – main event com uma história muito verdadeira, “emoção à flor da pele” e uma estipulação perfeita para esta rivalidade; combate super agressivo, repleto de brawl e atitude expressiva de nunca desistir mesmo com imensa brutalidade; para mim, a retenção do título por parte do Moxley “estava na cara” mas a forma sentimental como o Eddie se exprime pelas promos e a sua background story tocante (digna de um autêntico underdog) fez-me querer tanto que ele ganhasse; também curti do booking que utilizaram para o finish (aliás, partiu-me o coração ver o Kingston a dizer “I Quit” porque foi do tipo “estou sem saída” e ele estava com uma expressão de deceção)

  8. sem mais palavras8 meses

    A AEW é a melhor empresa de wrestling do mundo neste momento.

  9. O melhor momento do evento foi quando os 2 melhores de sempre, GANGREL E HURRICANE apareceram! 2 ícones do negócio!

  10. BRRM8 meses

    Excelente PPV em que todos os combates cumpriram.

    Vou destacar o dream match entre Bucks e FTR que foi brilhante. Os típicos heel shenanigans dos FTR, o uso de finishers de tag teams icónicas que serviu para fazer ressaltar ainda mais a diferença entre as duas equipas ao referenciar as influências de cada uma, o selling do Matt e do Dax às respetivas “lesões” e o final que viu o Cash a decidir ir contra o lema de “no flips just fists” para tentar provar aos Bucks que é melhor que eles no próprio estilo deles, acabando por lhe custar os títulos. Enfim, combate incrível mesmo, pessoalmente até nem me importava se tivesse tido mais 10-15 minutos.

  11. Anónimo8 meses

    PPV melhor que o anterior. Bom combate entre o Adam Page e o Kenny Omega. MJF ganhou, vai ser interessante ver o que têm reservado para ele nos Inner Circle.

  12. Destaco mais um excelente momento dos fãs a cantar judas…
    A cara do jericho diz tudo.